monalisaholmes Mona Lisa

Para Jack nada parecia mais injusto do que o acordo que Castiel fez com a Sombra, a entidade que controla o Vazio. O anjo ser levado pela eternidade quando finalmente encontrasse a felicidade? Um medo angustiante que não abandonara o garoto desde então. Por isso estava decidido a impedir aquele desfecho, nem que para tanto tivesse que implorar pela ajuda de amigos de outro mundo. Faria desse problema o caso mais solúvel e glorioso da história dos Winchester. E sua família nem precisava ficar sabendo disso. Destiel (DeanxCastiel) Ineffable Husbands (AziraphalexCrowley) Capa "feita" e editada por nós.


Fanfiction Seriados/Doramas/Novelas Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#gay #destiel #jack #castiel #crowley #aziraphale #dean-winchester #belasmaldições #goodomens #310
0
374 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 10 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

Prólogo

O fato era que Aziraphale estava na cozinha, procurando por pelo menos um pouco de chá entre refrigerantes e sucos quando, sem querer, derramou um pouco no pano de prato da Sra. Young. Certo, talvez mais do um pouco. Talvez metade da sua xícara de chá de frutas vermelhas. Oh, iria manchar com certeza. No desespero para não ser visto, lançou alguns olhares ao redor e discretamente estalou os dedos, mentalizando um milagre que o livrasse da situação. Qual não foi seu susto quando, no lugar de um pano branco e sem manchas, encontrou um pano completamente vermelho.

A história começa sem aviso prévio, assim como as melhores histórias. No entanto, não há tempo para enaltecimento, principalmente um com origens e consequências questionáveis. O importante aqui é como essa história se desenrolou, o como é que sempre faz a diferença.

― Querido, há algo errado.

Crowley imediatamente ergueu os olhos de uma planta qualquer no jardim. Estava ali tentando escapar do barulho da festa que ocorria na parte interna da casa e em uma parte do quintal. Na intenção acabou encontrando o jardim da mãe de Adam, com plantas murchas e manchadas, estava tentando intimidá-las quando ouviu a voz preocupada do seu anjo.

― O quê? Aconteceu alguma coisa? ― perguntou quase correndo até ele.

― Olhe ― Aziraphale pediu erguendo a mão e estalando os dedos. No mesmo instante uma das flores entrou em combustão e se tornou cinzas.

O demônio arregalou os olhos por trás dos óculos sabendo que o marido jamais faria algo do tipo.

― Há algo errado com seus poderes ― concluiu assustado.

Aziraphale concordou com uma expressão tristonha. Lamentava pela flor, mas temia ainda mais a possibilidade de fazer o mesmo com qualquer criatura sem intenção.

Ambos estavam em Tadfield, na casa dos Young comemorando o aniversário de 13 anos de Adam, o anticristo. Mas nem todos os convidados da festa sabiam disso. Não era a primeira vez que recebiam um convite como aquele e não mais estranhavam o ato, Adam tinha convencido os pais de que eram apenas um casal que tinha conhecido em um passeio da escola e que eram amigos desde estão. Se os pais não gostaram do fato do filho confraternizar com dois estranhos não mencionaram nada, nada verdade os pais nunca foram vistos questionando nenhuma das companhias estranhas do garoto.

O fato era que Aziraphale estava na cozinha, procurando por pelo menos um pouco de chá entre refrigerantes e sucos quando, sem querer, derramou um pouco no pano de prato da Sra. Young. Certo, talvez mais do um pouco. Talvez metade da sua xicara de chá de frutas vermelhas. Oh, iria manchar com certeza. No desespero para não ser visto, lançou alguns olhares ao redor e discretamente estalou os dedos, mentalizando um milagre que o livrasse da situação. Qual não foi seu susto quando, no lugar de um pano branco e sem manchas, encontrou um pano completamente vermelho.

Tentou novamente e acabou tendo que jogar o pano no lixo depois de transformá-lo em papel manteiga amassado.

― Não sei o que aconteceu ― tentou se defender ― Todos os meus milagres começaram a sair completamente errado sem nenhum motivo, mesmo os pequenos!

― Não se preocupe, anjo. Vamos descobrir o que aconteceu.

― O mesmo não aconteceu com você?

― Não sei, vamos ver.

Crowley olhou para as plantas do jardim e estalou os dedos. Elas dobraram de tamanho e em seguida murcharam até quase desaparecerem na terra preta.

― Ops.

― Ei, cuidado com isso! ― alguém alertou do outro lado do jardim.

Anjo e demônio se viraram e observaram Adam se aproximar. Sob o breve olhar da criança as plantas voltaram a crescer, verdes e floridas. O garoto se aproximou com um olhar repreensivo e um livro nas mãos.

― Eu não ia conseguir inventar nada se meus pais vissem isso. Parem de fazer milagres sem motivo.

― Garoto! Precisa nos ajudar ― Crowley o chamou em tom urgente ― Tem algo errado com a gente.

― Correção: tem algo errado com os milagres, vocês estão bem ― Adam retorquiu como se fosse o óbvio ― Vi o que fizeram. Aziraphale, não se preocupe, mamãe nem lembrava da existência daquele pano.

Aziraphale fechou os olhos e suspirou de alivio. Mas o demônio queria ouvir mais.

― Você tem algo a ver com isso, não é? Diga logo o que aprontou com a gente!

― Eu não fiz nada ― Adam negou revirando os olhos e então apontou para o final do jardim ― Mas deve ser por causa dele.

A dupla acompanhou o olhar do menino que recaiu em uma cadeira que estava próxima a cerca e de frente para as mesas ocupadas pelos convidados. Era um jovem de cabelos castanhos e postura ereta, usava uma calça jeans e uma jaqueta vermelha. Havia um sorriso fixo em seu rosto, dando-lhe um ar gentil e quase infantil, mas ninguém parecia notar sua presença. Como se fosse invisível.

― Quem é? ― Crowley perguntou.

― Acho que conheço aquele garoto ― Aziraphale pensou alto estreitando os olhos ― Espera... é Jack!

― Jack? O filho de Castiel?

― Ele mesmo.

Crowley o encarou confuso.

― Mas ele não é de outro mundo ou algo assim?

― Com certeza que sim ― Aziraphale murmurou começando a se aproximar do jovem ― Você é Jack, certo?

O sorriso do jovem aumentou e ele rapidamente se ergueu.

― Exatamente. Vocês são meus tios, não é? Aziraphale e Crowley.

Tios? ― Crowley murmurou com uma careta.

― Sim, querido, Castiel fala sobre nós? ― Aziraphale perguntou veridicamente curioso.

― O tempo todo. Não dormimos muito, quero dizer, sou metade anjo e não preciso de muitas horas de sono, ele é um anjo e não dorme nada.

― Tudo bem... mas o que faz aqui? Como conseguiu chegar?

― Vim pedir ajuda ― Jack revelou com naturalidade ― Castiel fez um acordo com o Vazio para me salvar. Vai ser morto quando menos esperar e condenado pela eternidade. Isso já é muito ruim, mas somos uma família e se Castiel se for Dean jamais vai se recuperar, assim como eu. Não quero perdê-los, muito menos por algo que eu fiz, então por favor estou implorando: me ajudem.

Aziraphale e Crowley abriram a boca, mas não sabiam o que falar. O anjo pensava em milhões de possibilidades e opções, tentando processar as informações que tinha acabado de ouvir e encontrar soluções simultaneamente, tinha que salvar Castiel mesmo que ainda não entendesse o perigo de fato. Por outro lado, Crowley tinha apenas um único pensamento em mente:

― O que diabos é o Vazio?

19 de Setembro de 2020 às 19:14 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Leia o próximo capítulo O outro Crowley

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 1 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!

Histórias relacionadas

Mais histórias

PROMOTION Q PROMOTION Q
A Lição de Piano A Lição de Piano
Apenas amigos - LietPol Apenas amigos - LietPol