brukarnau Bruna Karnauchovas

Dizem que ela vive entre os declives de granito decomposto no território dos índios tarahumara. Dizem que ela está enterrada na periferia de Phoenix, perto de um poço. Dizem que vive parada na estrada perto de El Paso, que pega carona com caminhoneiros até o México, ou que foi vista indo para a feira acima de Oaxaca, com galhos de lenha de estranhos formatos nas costas. Ela é conhecida por muitos nomes: la Huesera, ou a Mulher dos Ossos, la Trapera, ou a Trapeira, e la Loba, ou a Mulher Loba. Seu único ofício é o de recolher ossos, e junto ao fogo, a Mulher dos Ossos canta, e ali a magia se faz. Catarina recebe um estranho telefonema em sua última noite. Uma misteriosa proposta de trabalho. "Viva só mais uma noite", dissera a voz do outro lado da linha. Ela nunca imaginaria que aceitar "mais uma noite" significaria ter toda a sua vida mudada. Não só por uma noite. Para sempre.


Aventura Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#suspense #ossos #lendas #magia #mistério #viagem #casal #estrada #arqueologia
5
1.9mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Nota da Autora

Quando comecei a pensar nessa história pela primeira vez, foi excruciante. Ela apareceu na minha cabeça faz anos, mas eu não conseguia avançar muito rápido em descobrir como ela era. Tudo o que eu ganhava eram lapsos tão rápidos de cenas desconexas, e eu não conseguia entender bulhufas do que estava acontecendo na história.

Eu escrevia as cenas quando elas vinham, várias páginas, mas sempre faltava o impulso. O tema, a motivação principal dos personagens, o porquê de eles estarem ali, interagindo.

A montagem da história remete a ela mesma. Fui de pedaço em pedaço caçando pequenos fragmentos de ossos e tentando juntá-los para ter uma peça inteira. Assim como o faz a Trapeira, eu procurava despertar a alma da história, tentava chegar ao crânio falante e fazê-lo me contar tudo.

Foram justamente as duas lendas que seguem essa nota que me ajudaram a conseguir montar meu esqueleto. A primeira eu esbarrei despretensiosamente enquanto lia "mulheres que correm com os lobos", e passei dias extasiada por ter conseguido achar a Trapeira e fazê-la me contar uma história. A segunda me foi contada por uma amiga, e por muito tempo eu neguei que ela fizesse qualquer sentido em relação à história, mas quanto mais eu avançava na montagem do meu esqueleto mais aquela cabeça falante ficava nos meus ombros dando palpites, e tive que, por fim, aceitá-la na família.

Ambas as lendas são verdadeiras, embora se ache pouca coisa sobre elas.

A primeira possui uma fonte mais fidedigna, que pode ser encontrada no livro de Clarissa Pinkola Estés. A segunda apareceu-me escrita em um blog, da mesma maneira como minha amiga me contou, mas não consegui achar nada mais específico.

Dizer que uma lenda é "africana" é tão vago quanto dizer "aquele Fulano de Tal, que tem dois olhos". Sabemos onde fica a África, assim como sabemos que a maioria das pessoas possuem dois olhos, mas, mesmo assim, isso não nos diz nada. Ficaria feliz se alguém que soubesse mais do que eu – o que não é difícil – a respeito da lenda, viesse me dar um pouco de conhecimento.

Coloquei ambas as lendas conforme as achei, sem adaptações, para não as distorcer à minha vontade. Elas se relacionam à história, mas também são histórias por si mesmas, e assim elas têm o direito de ser exatamente como são.

Ambas as lendas são o pano de fundo para a minha história. Como pano de fundo, elas não serão retratadas fielmente no desenvolvimento da narrativa. Elas serão como o vento que sussurra ao pé do ouvido quando você está caminhando sozinho. Serão como o clima que se segue depois do tio fazer uma piada sem graça no natal. Serão como aquela intuição que cutuca a boca do estômago e diz para você fazer isso, não aquilo.

Elas serão como os animais de poder, os guias xamânicos. Sempre ali, mas não exatamente tangíveis.

Espero que isso explique alguma coisa.

Espero que gostem da história!


Carinhosamente, a autora.

16 de Setembro de 2020 às 14:32 4 Denunciar Insira Seguir história
4
Leia o próximo capítulo LENDA UM - LA LOBA

Comentar algo

Publique!
Antonio Batista Antonio Batista
Não entendi muito bem essa nota. Me pareceu meio confusa, pois ela apareceu na sua cabeça como se fosse não uma história, mas a personagem que mostrou algumas imagens dela? Ela criação sua ou cópia de outra história?
September 21, 2020, 19:28

  • Bruna Karnauchovas Bruna Karnauchovas
    A história é livremente inspirada em duas lendas reais, mas é uma história original minha. September 22, 2020, 00:15
  • Bruna Karnauchovas Bruna Karnauchovas
    A história é livremente inspirada em duas lendas reais, mas é uma história original minha. September 22, 2020, 00:15
Antonio Batista Antonio Batista
Não entendi muito bem essa nota. Me pareceu meio confusa, pois ela apareceu na sua cabeça como se fosse não uma história, mas a personagem que mostrou algumas imagens dela? Ela criação sua ou cópia de outra história?
September 21, 2020, 19:28
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 26 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!