mafuyuchii Mafuyuchii

Esta é a história de como Midoriya Izuku se tornou a maior vilã de todos os tempos. Ou Esta é a história de como Midoriya Izuku, uma garota que sempre se viu como extremamente azarada pelo fato de herdar a individualidade de seu pai, conhecido como All for One, precisou resolver por ela mesma uma guerra que sempre considerou sem sentido para ter momentos de paz em sua vida, mas paz é o que ela menos encontra durante sua jornada.


Fanfiction Anime/Mangá Para maiores de 18 apenas.

#ships #boku-no-hero-academia #my-hero-academia #villain-deku #midoriya-izuku #femdeku
0
467 VISUALIZAÇÕES
Em progresso
tempo de leitura
AA Compartilhar

Prólogo


A delegacia de polícia aquele dia parecia eufórica, os empregados não paravam de andar pelo local nervosos em resolverem todas as coisas que tinham acontecido naquela semana com todos os eventos que ocorreram envolvendo os jovens da Classe 1A do famoso colégio UA, o chefe dos vilões conhecido como All For One, Shigaraki Tomura, com o ex-herói número um All Might e com uma jovem garota de quinze anos.

O motivo de todo alvoroço era especialmente por conta da garota, todos queriam saber sobre a procurada que tinha causado tanto, mas tanto alvoroço que até mesmo o novo herói número um, Endeavor, se encontrava na polícia aguardando por notícias. Até que ele viu uma mulher de cabelos roxos passar pelo corredor, usando roupas formais e com uma expressão cansada, o ruivo se levantou em chamas, tanto por fúria quanto por chamas reais mesmo, o que assustou a maioria das pessoas ali.

— SHINSO!

— Ah não Todoroki, hoje não. - A roxa falou vendo o ruivo caminhar em sua direção, com aquelas chamas ao redor de seu corpo acabando por queimar suas roupas comuns. Ele não era mais uma criança, por que estava agindo daquela forma? — Eu já não te liguei dizendo que você precisa ter calma? Ainda estamos avaliando…

— Como uma avaliação se essa maldita não precisa de julgamento? Ela tem que pagar por…

— Endeavor ela só tem quinze anos! A mesma idade do seu filho e do meu filho! - a mulher resmungou irritada. — Você nem parece um herói falando dessa forma!

— Quinze anos, mas é tão perigosa quanto…

— ENDEAVOR! - Akira gritou acabando por usar a individualidade no homem que ficou com os olhos ofuscados. — Desativa sua individualidade, sente-se com o bico calado e espera aqui! - Disse enfim, se virando e saindo andando enquanto Endeavor a obedecia e enfim se sentava na cadeira novamente, surpreendendo a todos os oficiais que estavam vendo a cena.

Akira enfim caminhou até a uma porta, onde antes de entrar respirou fundo e adentrou de forma um tanto quanto calma. Primeiro observando como o ambiente estava. Uma mesa somente, um vidro transparente que não mostrava as pessoas que estavam do outro lado e uma garota sentada, com os olhos fechados como se estivesse cochilando e com algemas nos braços até a altura dos cotovelos que cobriam a tudo. Afinal não podiam se arriscar de a deixarem usar a individualidade.

Observou um homem sentado também, esperando finalmente pela chegada de Akira Shinso que logo caminhou até a cadeira se sentando. A garota pareceu despertar na hora que escutou o som da cadeira sendo movida e ela acabou bocejando.

— Então minha cara… - Akira, uma mulher de cabelos roxos bagunçados em um coque e com uma expressão cansada começou a dizer, estava sentada ao lado de outro homem com cabelos negros e olhos de mesma coloração, os dois pareciam de certa forma fingir estarem bem calmos enquanto olhavam para uma esverdeada a frente deles, com os cabelos soltos e médios até a altura do ombro, além de ser um tanto quanto estranho para Akira o fato de haver uma mecha branca e vermelha que ela possuía no cabelo que destoa totalmente da coloração verde de seus cabelos, com um curativo grande na bochecha, um corte forte nos lábios, band-aid espalhados pelo rosto e uma expressão séria, a esverdeada olhava curiosa para a mulher. — Você tem muito a nos dizer, não acha?

A garota ficou em completo silêncio encarando a mulher. Parecia que ela queria ficar em silêncio naquela situação que só ficaria mais fácil a ela se dissesse algo, ou talvez no fundo ela estivesse com um pouco de medo? Ou era tudo um plano dela? Ter aqueles pensamentos fizeram Akira acabar por soltar um sorriso fraco com uma risada para então relaxar na cadeira que estava sentada.

— Então você é esperta o bastante para saber sobre minha individualidade. - respondeu sorrindo fraca para a garota a sua frente.

Os olhos castanhos deixavam a esverdeada de certa forma curiosa.

— Estou admirada que uma criança de quinze anos como você conseguiu fazer em tão pouco tempo de seis meses, você sabe do que estou falando?

A esverdeada apenas negou com a cabeça.

— Eu realmente preciso dizer toda a confusão que você causou em menos de 6 meses em Tóquio Midoriya Izuku?

— Não precisa. - Respondeu com um sorrisinho nos lábios.

— Ótimo, porque a lista é grande e ia aumentar mais um item se você continuasse sem responder. - respondeu se ajeitando na cadeira. — Primeiramente antes de mais nada, gostaria de me apresentar, me chamo Akira Shinso e sou perita criminal, este ao meu lado é Tsukauchi Naomasa, o detetive oficial da polícia e ele possui a individualidade de saber se você está dizendo a verdade ou mentindo, enquanto eu tenho a individualidade de comandar as pessoas.

— Oh interessante… - Izuku respondeu curiosa. — Mas não se preocupem, na verdade eu preciso é ser cuidadosa para vocês não usarem essas individualidades em mim.

Ela era mais esperta do que Akira e Naomasa imaginavam, contudo logo a esverdeada continuou.

— Além disso não vou roubar individualidades compulsivamente que nem o louco do meu pai, ele era viciado sabe, gostava de pensar em mil possibilidades para o uso das individualidades que ele via nas pessoas se combinassem elas em seu corpo. Eu só costumo admirar e anotar no meu caderno por curiosidade.

— É um bom hobby. - Akira respondeu vendo a garota concordar.

— Obrigada e você tem algo a dizer Detetive Tsukauchi? Não acredito que esteja tão interessado no meu hobby. - Izuku perguntou desviando o olhar para o homem que parecia na verdade incomodado com toda aquela enrolação.

—Na verdade eu estou é surpreso pelo fato de você ter…

—Sim eu matei o meu pai, acho que todo mundo ficou surpreso... - a esverdeada respondeu friamente, desviando o olhar um pouco.

— … Ele é seu pai, não é? Por que ser tão fria a esse ponto? - quem fez a pergunta foi Akira, olhando surpresa para a esverdeada que desviou os olhos verdes em direção a ela.

— Eu sei que ele é meu pai, mas eu só fiz o que é melhor para ele e para todos vocês, por causa dele e do All Might as coisas nunca acabariam e eu precisava colocar logo um ponto final nessa história toda, por ele especialmente.

— Por que acredita ser o melhor para todos nós Izuku? - Akira perguntou um tanto quanto interessada em saber o que Izuku tinha a dizer.

— É uma história bem longa, tem certeza de que quer saber sem antes pegar um café? - a esverdeada perguntou vendo a mulher rir. — Apesar de que acredito que, seria impossível você dormir com uma história tão louca quanto essa.

— Ah então por que não começa bem do começo? - perguntou divertida. — Adoro escutar histórias, o Tsukauchi também e queremos saber sobre tudo Izuku para entendermos com bastante clareza… Por que fez todas as coisas que fez somente para matar o All for One?

—Bom, tudo começou no dia 15 de julho em uma noite quente de verão quando minha mãe…

—Não, não! - Tsukauchi reclamou. — Não queremos deste começo! Nós queremos desde…

O homem começou a revirar os inúmeros papéis que havia em cima da mesa, logo pegando ao primeiro e olhando animado.

—Desde o primeiro caso registrado que disseram ter sido causado por você, o da Rave Swalla.

—Oh… a Rave Swalla, eu lembro daquele dia. - A esverdeada falou pensativa. — Bom, tudo começou quando eu cheguei em Tóquio...

14 de Setembro de 2020 às 17:22 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Leia o próximo capítulo Caso 1 - A Rave Swalla (Parte 1)

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 8 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!

Mais histórias

PROMOTION Q PROMOTION Q
A Lição de Piano A Lição de Piano
Apenas amigos - LietPol Apenas amigos - LietPol