ageha_sakura Ageha Sakura

Mark e Jackson haviam planejado por meses o aniversário dos gêmeos, e naquela manhã eles irão fazer o possível para que aquele se tornasse o melhor de todos. Desfrutando de um lindo momento em família, apreciando o amor que sentem junto a beleza dos balões em contraste com os fogos de artifício.


Fanfiction Bandas/Cantores Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#jark #papaisau #marksonpapais #jacksonwang #jackson #mark #marktuan #got7
1
584 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Único; um dia especial

Bom dia / Boa tarde / Boa noite


Sejam todos bem vindos a "Entre balões e fogos de artifício"!


Comecei a escrever essa história para o @marksonproject mas devido ao fim do projeto ela acabou esquecida na gaveta, mas depois de encontrar e finalmente concluir ela está aqui para vocês, espero que gostem 💞


Tenham uma boa leitura 💕


___________________


O som estridente do despertador havia despertado Mark do mundo dos sonhos, alertando-o que o dia tão esperado havia finalmente chegado.

O Tuan desligou o aparelho e mesmo consumido pela preguiça, levantou-se da cama, entretanto, antes de poder calçar suas pantufas direito foi puxado novamente para debaixo dos lençóis.

Jackie– seu marido agora o abraçava com força, impedindo qualquer tentativa de abandonar aquela cama — Jackie por favor. – implorava Mark para que o Wang entendesse que ele precisava levantar.

— Só mais vinte minutinhos – murmurou Jackson, inalando o cheirinho do Tuan logo em seguida, deliciando-se como todas as outras vezes.

— Amor, você sabe que dia é hoje? – Perguntou Mark enquanto lutava para sair daquele abraço caloroso, ignorando os pelos arrepiados pela respiração de Jackson tão próximo a si.

— Dia de você ficar dormindo comigo o dia todo – respondeu com um tom preguiçoso.

— Não. – Mark acariciou os braços fortes do Wang — É aniversário dos nossos bebês.

O moreno havia ficado em silêncio, fingindo não escutar nada do que o Tuan lhe dizia, pois na sua mente o aniversário das crianças iria ocorrer na semana seguinte.

Amor – apelou Mark novamente, da forma mais manhosa que conseguia fazer — Não é nenhuma brincadeira. Prometemos fazer algo especial hoje, por isso me deixa sair da cama e preparar o café da manhã deles. – Virou seu rosto, procurando o olhar do seu marido, ao encontrá-lo apenas fez sua típica carinha pidona, derrubando todas as barreiras de teimosia presentes no moreno.

— Tudo bem – Jackson soltou um fraco suspiro — Você venceu. – Afrouxou o abraço e permitiu que Mark abandonasse a maciez dos lençóis para preparar o café da manhã — Depois de tudo isso vou levantar também.

— Faz mais do que a sua obrigação. – disse Mark, calçando suas pantufas azuis e vestindo o roupão de seda no mesmo tom — Acorda as crianças e arruma elas pra mim?

— Como desejar, meu amor. – Jackson concordou com um aceno, depositando em seguida um fraco selar na boca de seu amado, por fim caminhou em direção ao quarto dos seus pequeninos.

— Obrigado. – Mark foi em direção a cozinha, já pegando todos os ingredientes e pondo-os sobre o balcão.

Quebrou os ovos, bateu as claras e em seguida despejou tudo na massa, preparando suas receitas especiais para os seus três amores.

Fazia apenas dois anos que ele e Jackson havia tornado-se pais. Haviam adotado as crianças quando elas tinham apenas quatro aninhos de idade. Lembrava-se bem do dia em que foram ao orfanato pela primeira vez, jamais esqueceria o momento em que os olhares se encontraram e sentiram que aquelas eram as suas crianças.

Foi amor à primeira vista. Uma conexão tão forte que nem mesmo eles conseguiriam explicar, mas que sabiam o quanto aquilo significava. E foi aquela mesma conexão que encorajou ambos a lutar com todas as suas forças e adotarem aquelas duas crianças lindas.

Os gêmeos. Ambos vieram da China, tinham uma história bastante triste, contudo nada disso foi capaz de desfazer o doce sorriso que eles sempre esbanjam por aí.

Aruha e Areum são os grandes amores da vida do casal. Eram os seus filhos e sempre iriam ser. Orgulhavam-se fielmente de terem encontrado aquelas pedrinhas preciosas e dado todo o amor que puderam.

Eram pais de primeira viagem, porém, nada disso foi capaz de impedir que aquele dom da paternidade viesse a nascer e florescer a cada dia.

Naquela casa nunca faltou amor, seja quando era apenas o casal e agora com as duas crianças animando todo o lugar.

São uma verdadeira família.

E foi pensando nisso que Mark conseguiu fazer um belo café da manhã, regado a muito amor e carinho, tudo o que aquelas doces crianças mereciam.

Arrumou toda a mesa, botando algumas flores que havia pego do jardim em um frasco transparente de vidro, posicionando-o nome centro para que ficasse perfeito.

Ouviu alguns passos apressados e logo os dois corpos menores apareceram, agarrando suas pernas com força e mostrando seus sorrisinhos banguelas em direção ao mais velho.

— Bom dia, papai! – disseram em uníssono.

— Bom dia, meus amores. – Acariciou os fios pretos de ambos.

— O senhor sabe que dia é hoje? — Perguntou Aruha, demonstrando toda a sua animação.

— Sei sim, meu amor. – Pegou a menor em seus braços, fazendo um leve carinho em suas bochechas — É o seu aniversário!

— Isso! – Pulava animada nos braços do pai — Papai lembrou! – Respondeu animada, o seu sorriso estonteante sendo capaz de espantar qualquer sentimento ruim que existisse em seus pais.

— Também é o meu, papai! – Falou Areum em um tom enciumado, pois não gostava de ficar por fora em momentos afetuosos como aquele.

— Ele sabe, meu bebê. – disse Jackson, chegando por trás e levantando o pequenino que assustou-se com a atitude repentina do Wang.

— Sabe mesmo? – Perguntou Arruma em um tom esperançoso.

— Claro que sei. – Mark se aproximou e deixou um beijo na ponta do nariz de Areum — Nunca esqueceria o dia especial dos meus dois bebês. – Sorriu docemente, demonstrando todo o afeto que tinha pelos seus amados filhotes.

— Fico feliz, papai. – Areum esticou-se para abraçar Mark pelo pescoço, apertando-o da forma que podia — Muito, muito feliz!

— Que família linda essa que eu tenho. – Jackson puxou Mark com o braço livre, juntando todos para darem um grande abraço em família — Amo cada um de vocês.

— Também amo você, papai! – Respondeu Areum, seu sorriso banguela contagiando os outros três presentes naquele abraço.

— Eu também! Amo meus dois papais! – Agora era Aruha que dizia, sorrindo largo da mesma forma que seu irmão.

— Também amo vocês, são as minhas preciosidades! – Mark beijou as bochechas dos três, recebendo um leve selar nos lábios de Jackson, sorrindo bobo logo em seguida.

— Agora vamos cortar um pouco esse momento e comer! – Jackson disse surpreendendo a todos, afastando o Tuan e colocando Areum no chão para sentarem à mesa.

— Comida! Comida! – Os gêmeos exclamavam em pura animação.

— Hoje vocês estão eufóricos. – disse Jackson, seu sorriso largo mostrava o quanto estava achando graça da animação de seus pequeninos.

— Concordo, amor. – Comentou Mark em resposta ao seu marido, ajeitando o que faltava para poderem comer a primeira refeição do dia.

— Eu? – Perguntou Aruha, tentando pronunciar a palavra proferida pelo seu querido papai.

— Eufórico, amorzinho. – Jackson colocou a pequena na cadeira, em seguida pôs Areum que já estava pronto para atacar a refeição — Quando você crescer vai aprender. Não precisa se preocupar com isso agora.

— Okay! – Aruha sorriu largo, as janelinhas tornando-a ainda mais fofa, se isso fosse possível.

— Espero que gostem. – Mark cortou alguns pedaços de panquecas para os gêmeos, depositando calda de chocolate por cima e em seguida morangos e alguns confeitos.

Em seguida ele e seu marido fizeram o mesmo, podendo desfrutar de uma deliciosa refeição ao lado de quem amavam verdadeiramente. Foi um momento especial, regado a risadas e algumas broncas pelas crianças estarem ficando sujas de chocolate e confeitos, o que causou uma dor de cabeça para o casal que teve que banha-los novamente.

Mark e Jackson estavam decididos a fazerem daquele dia memorável para os seus pequeninos, assim como eram em todos os anos e por isso a programação era diferente. Os gêmeos já estavam grandinhos, seis anos era idade suficiente para que pudessem passar um dia divertindo-se alegremente em um parque de diversões.

Eles tinham tudo programado, desde o que iriam fazer até o que iriam comer, tudo de acordo com as preferências e priorizando sempre a segurança dos pequenos, pois acima de tudo eram pais e não iriam extrapolar e colocar seus bebês em risco.

Todos estavam devidamente arrumados e agora seguiam viagem em direção ao maior parque da região, onde tinham certeza que seus filhos iriam pular alegremente e gastar energia até caírem de tanto sono. Iria ser um belo dia e isso eles tinham certeza, pois quando estavam os quatro juntos tudo se tornava melhor.

O amor que sentem um pelo outro é grandioso demais, capaz de aquecê-los por inteiro e incentivá-los ainda mais, deixando claro o quanto aquela família se amava verdadeiramente. São um e ninguém poderia negar esse fato mais do que claro.

Não demorou muito para que os gêmeos avistassem a roda gigante a alguns metros de distância, o que resultou em gritos animados que causavam risadas nos pais babões que sorriam como bobos somente em presenciar a felicidade expressada no rosto de suas crias.

A música Another One Bites The Dust do Queen ressoava pelo carro, entrando em pura sincronia com os movimentos de batidas que Jackson e as crianças faziam na porta, fazendo do automóvel a sua própria bateria, restando a Mark cantar baixinho para acompanhar aquele momento em grupo.

Em poucos minutos eles chegaram e estacionaram, abrindo as portas e tirando as crianças das cadeirinhas de transporte, prontos para iniciar um dia belíssimo de brincadeiras e fotos em família.

Mark andava de mãos dadas a Areum e Jackson com Aruha, fazendo questão de segurar a mão de seu esposo com a livre, entrelaçando os dedos e permitindo que a mesma sensação da adolescência entrasse na sua corrente sanguínea e acelerasse as batidas do seu coração.

Não importava quanto tempo estivesse ao lado do Tuan, sempre sentiria as mesmas sensações e o sentimento grandioso que carregava em seu peito jamais se dissiparia. Jackson amava Mark com todas as suas forças, e o sentimento era totalmente recíproco na mesma intensidade.

— Papai! – Areum chama a atenção do Tuan, que volta seu olhar totalmente sorridente para o pequeno de bochechas gordinhas.

— Sim, meu pequeno? – Pergunta Mark, analisando as expressões sorridentes do seu bebê.

— Vamos no carrinho bate-bate? – Os olhinhos do garoto brilhavam em expectativa, atingindo o pai como uma flecha no peito.

— Eu não consigo dizer não a você, meu amor. – Mark soltou um suspiro, pronto para gastar toda a energia que mal tinha com o seu pequeno Areum, um garoto sempre eufórico demais.

— Eba! Eba! Carrinho bate-bate! – O garotinho comemorava em uma maneira audível, dando alguns pulinhos animados demais e que acabaram motivando a irmã caçula, que não resistiu e acabou por seguir os seus movimentos.

Era fofa a maneira como seus pequenos se animavam com situações pequenas, esbanjando sorrisos banguelas por causa das janelinhas adoráveis que tinham bem na frente, tornando-os ainda mais belos e admiráveis para os pais. Jackson e Mark nunca deixariam de ser pais completamente babões pelos seus filhotes.

A família unida se dirigiu a fila de espera, onde Jackson deixou claro que compraria e Mark ficaria dando uma volta com as crianças até a hora de entrarem nos brinquedos.

O trio dava uma caminhada animada em direção a um grupo de pessoas fantasiadas de vários personagens, aproveitando para pousarem e tirarem algumas fotos que com toda certeza iriam para o álbum de recordação da família.

Mark estava mais do que feliz, pois o sorriso estampado no rosto de seus filhos coloria a sua alma de ponta a ponta, motivando-o a continuação e fazer daquele dia o mais especial da vida dos pequenos. Mark é capaz de tudo pelos seus preciosos filhos.

Passado o tempo chegou a vez deles irem no brinquedo, por isso se apressaram e voltaram para a fila onde Jackson os esperava com os ingressos na mão. Todos entraram no brinquedo, dividindo em duplas formadas por Mark e Aruha contra Jackson e Areum.

— Que a batalha comece! – Exclama o Wang com um sorriso ladino expressado em seus lábios, os olhos esbugalhados tentando amedrontar os rivais que tanto amava.

— Quem perder vai pra montanha russa, papai. – Propôs Mark, a sobrancelha arqueada acompanhada de um belo sorriso sádico direcionado ao marido.

— Fechado. – Jackson acenou em concordância, olhando para o filho em seguida e esquematizando qual seria a sua estratégia para derrotar a dupla rival.

O Tuan não perdeu tempo e fez o mesmo, aguardando o sinal em que começaram a dirigir em direção aos outros dois, batendo com força contra o veículo de brinquedo, o que impulsionou os corpos por causa do impacto.

As risadas das crianças tornaram-se audíveis, mostrando o quanto estavam se divertindo com a guerra que seus pais faziam em uma disputa totalmente pessoal.

Após diversas batidas e falsas ameaças totalmente teatrais, o perdedor claramente foi Jackson que não aceitou de bom grado, deixando claro o quão planejada a vitória de seu esposo havia sido. O Wang reclamou tempo suficiente até se dar por vencido, decidido a enfrentar a montanha russa sozinho enquanto os outros três assistiram pelo telão.

Mark e as crianças estavam sentados no banco da praça de alimentação, localizados praticamente de frente ao telão enquanto assistiam a Jackson embarcando na aventura que era a descida da montanha russa.

As caretas de medo eram muito bem expressadas, causando risadas contagiantes no trio que estava amando gravar e fotografar as cenas para provarem o quanto o Wang estava medroso.

Sem perceberem o brinquedo havia parado, Jackson estava de volta e com uma aparência péssima de quem aguentava a dor de um estômago revirado. Em respeito a ele resolveram passar uma hora na praça arborizada do local, onde sentaram na grama e puderam desfrutar de um momento de paz em meio a natureza.

Mark estava escorado no tronco da árvore, seus olhos fechados desejavam por um cochilo enquanto seu esposo dormia tranquilamente em seu colo. De vez em quando o Tuan abria os olhos castanhos para observar as crianças, constando que os pequeninos estavam dormindo ao lado dele, esparramados na grama como Jackson.

E sem perceber ali estava ele sorrindo bobo somente em vislumbrar a belíssima imagem dos três amores da sua vida dormindo, pareciam anjos esculpidos pelos deuses e que foram entregados com muito cuidado para ele. Os três eram especiais e sempre seriam na visão de Mark, pois são a sua família.

Seus dedos percorreram os fios sedosos dos cabelos de seus pimpolhos, em seguida acariciaram os fios escurecidos do Wang e ali percebeu o quanto amava momentos como aquele carregados de simplicidade, onde o quarteto poderia agir como uma família sem haver problemas, apenas seguindo o caminho que o amor mostrava.

E sorrindo Mark aproveitou a brisa acolhedora e do cheiro gostoso de grama, permitindo que seus olhos cedesse ao cansaço e aproveitasse alguns minutos de cochilo antes de toda a correria voltar a tona.

[.🎈.]


— Crianças são carregadas de energia, realmente não entendo como elas conseguem ter tanta pra gastar assim. – Comentou Jackson, buscando fôlego por toda a correria que estava fazendo de brinquedo em brinquedo.

— Elas não tem culpa de sermos velhos. – Respondeu Mark em um tom risonho, aproveitando para beber alguns goles de água em busca de aliviar aquele intenso calor que sentia.

— Amor – murmurou o Wang, seus olhos reviraram logo em seguida — nós só temos trinta anos, não somos tão velhos assim.

— Diga por você, já estou sentindo minhas pernas doloridas e minhas costas não suportam mais tanto peso. – Reclamou o Tuan, carregando um sorriso pequeno nos lábios.

— Você não reclama quando leva as crianças no colo. – disse o chinês, carregando em seus lábios um largo sorriso ladino.

— Elas não são tão pesadas, mas em alguns dias vão ficar. – Respondeu Mark, uma expressão pensativa tomando conta de sua face.

— Realmente – sussurrou o Wang, tratando de focar agora em seus pequenos que corriam de um lado para o outro, aproveitando as brincadeiras com outras crianças do parque.

— Falta muito para espetáculo de fogos? – Perguntou o Tuan, tentando mudar um pouco de assunto.

— Acredito que não, o pôr do sol já está vindo. – Respondeu o Wang, seus olhos escuros focando no carrossel que era iluminado aos poucos por causa da penumbra que se aproximava.

Mark olhou para Jackson e percebeu o quão focado ele estava no brinquedo, e sem perceber um sorriso nasceu em seus lábios e uma perfeita ideia surgiu em sua mente, pois estava disposto a fazer todos da sua família felizes naquele dia tão importante.

— Crianças! – O Tuan chama pelos pequenos, observando eles pararem o que estavam fazendo e correrem em sua direção.

Jackson estava sem entender a atitude de seu marido, buscando respostas sobre a atitude repentina de Mark. Não conseguiu concluir o seu pensamento quando seus filhos chegaram, o suor escorrendo pelas têmporas e os sorrisos largos e cansados de tanta correria.

— Chamou, papai? – Perguntou Areum, empurrando os fios que grudavam em sua testa para o lado, conseguindo ver melhor o mais velho.

— Sim, meu pequeno. – Mark pegou duas toalhas e entregou aos pequenos, observando eles se enxugarem rapidamente — Estava pensando em irmos dar uma volta no carrossel, o que acham? – Pergunta em um tom divertido, analisando a expressão animada do Wang pelo canto do olho.

Areum e Aruha se olharam no mesmo instante, os sorrisos radiantes pintavam seus lábios e colorem ainda mais aquele cenário em família. Na visão das crianças aquele de fato estava se tornando o melhor aniversário. E sem demora elas saltaram em animação, pulando de um lado para o outro enquanto gritavam audíveis sim.

Jackson não conseguiu manter sua pose de adulto durão por muito tempo, entregando-se ao momento e comemorando junto às crianças, o que conquistou ainda mais a atenção das pessoas que passavam perto deles.

E era em momentos preciosos como aquele que Mark tinha a certeza de que ama a sua família, pois somente em vislumbrar os sorrisos radiantes deles uma chama esquenta o seu peito, guiando todas as suas ações e dando coragem para que ele enfrentasse o mundo por quem ama verdadeiramente.

Mark Tuan é capaz de tudo pelo bem e a felicidade da sua amada família.

— Então vamos logo antes que não sobre tempo para a roda gigante. – Alertou o mais velho, começando a sua caminhada em direção ao brinquedo enquanto era seguido por um trio de crianças animadas para montar nos cavalinhos e se divertir no belo carrossel.

Quando chegaram no brinquedo tiveram sorte de ter vaga exata, dividindo-se novamente em duplas para a segurança dos pequeninos no brinquedo. Dessa vez Mark havia ficado com Areum, enquanto Jackson abraçava sua pequena Aruha e agia como o príncipe encantado da garotinha.

Eles rodopiavam ao som da melodia infantil, maravilhados pelas lâmpadas coloridas e os cavalos brancos cheios de detalhes minuciosamente belos. O vento soprava em seus fios e a sensação da imaginação fazia-os crer que estavam montando um cavalo de verdade, sentindo o vento soprando com força enquanto galopavam em direção ao horizonte.

O jovem Tuan não resistiu e tirou uma foto, registrando o exato momento em que Jackson beijou a bochecha vermelha de sua filha, abraçando-a porta trás e sorrindo largamente em seguida. Não conseguiu conter a sua vontade e fotografou a si e seu pequeno Areum, que tinha os olhos fechados em riscos, sorrindo tanto que certamente suas bochechas doíam.

Eles são uma bela família feliz.

Terminado o tempo no brinquedo optaram ir direto para a fila do último que iriam visitar naquele dia, pois precisavam encerrar com chave de ouro antes da apresentação final promovida pelo parque.

Pagaram pelas quatro entradas e esperaram pacientemente, aproveitando para pegá-los no braço e brincarem entre eles, passando o tempo até conseguirem entrar em um dos vagões.

Todos estavam devidamente sentados na cabine, separados mais uma vez de dois em dois enquanto iam subindo devagar, os olhares curiosos observando o sol se pondo e as pessoas tornando-se formiguinhas diante deles.

— Papai! – Gritou Aruha em um tom animado, as mãozinhas espalmadas no vidro da cabine — Estamos voando, papai!

— Isso mesmo, meu amor. – Mark alisou os fios lisos com carinho, não conseguindo conter o sorriso largo que pintava os seus lábios cor de pêssego.

Jackson e Mark trocaram olhares intensos, cada um de um lado da cabine, sentindo os mesmos sentimentos transbordaram ambos os corações que somente tinham amor a oferecer aquelas pequenas criaturas que tanto amam.

E naquele exato momento, os últimos raios de sol coloriam a imensidão azulada e os corações dos dois amantes batiam na mesma intensidade, deixando claro o quanto não se arrependiam de estarem ali naquele momento, pois diante deles havia duas criaturinhas preciosas demais ao qual eles amam verdadeiramente.

Estavam tão perdidos em suas próprias bolhas emocionais quem nem perceberam quando os pequenos olharam para eles, seguraram suas mãos e os abraçaram com força, sussurrando em seus ouvidos diversos "eu te amo", agradecendo por tudo o que seus pais eram em suas vidas.

Quando saíram do transe foi inevitável conseguir segurar as lágrimas, acabaram por banhar seus rostos e permitir que aquela sensação calorosa permanecesse no ambiente, cobrindo aquela família de sentimentos bons e familiares demais. Eles são um.

O tempo parecia ter paralisado naquele momento, onde os quatro apenas desfrutavam da sensação de amor entre pais e filhos, esquecendo-se por completo do mundo que existe no lado de fora. Só perceberam a mudança quando o vagão mais uma vez parou, indicando que era a hora da partida e que em breve o desfile e a queima de fogos começaria.

Praticamente correram em direção as vendas de balões, buscando por quatro balões na cor roxa e seguindo o rumo para o lugar onde ocorreria o desfile e, em seguida, a queima de fogos.

Restando apenas alguns segundos eles chegaram, colocando as crianças nos ombros e se aproximando para conseguirem enxergar melhor o desfile que havia começado naquele exato momento.

Era bonito ver os palhaços pulando e correndo de um lado para o outro, ou apenas analisar a beleza dos carros alegóricos que carregavam pessoas fantasiadas de sereias e princesas repletas de lantejoulas. O cenário em si é belo, cheio de requintes e confetes coloridos por toda parte, trazendo a sensação de estarem dentro de um verdadeiro e magnífico conto de fadas.

— Papai! – Areum sussurrou ao se abaixar na altura de Jackson, observando o Wang fitá-lo de lado — Obrigado! É o melhor aniversário da minha vida todinha! – Esticou-se um pouco mais, o suficiente para beijar a bochecha um pouco cheia do mais velho — Eu te amo, papai Jackie! Amo você e o papai Mark.

Jackson havia sentindo uma sensação diferente alastrando-se pelo seu peito, correndo por toda a sua corrente sanguínea e mexendo com todas as suas estruturas emocionais. Ele é frágil demais quando o assunto era as três pessoinhas da sua família.

O Wang tirou o garoto dos seus ombros e o deixou em seu colo, abraçando-o forte contra o seu peito e fazendo questão de dizer o quanto ama o pequeno garotinho de cabelos tão lisos e escuros quanto os seus.

Mark fitou aquela cena e não resistiu em repetir o mesmo gesto do marido, tirando a criança de seus ombros e a abraçando fortemente, escutando a garotinha murmurar palavras doces e amáveis como as de seu irmão, chorando no peito do Tuan que continuava a proclamar seu amor pela sua amada filha.

— Nós somos felizes por ter vocês em nossas vidas. – disse Mark, apertando a bochecha da pequena Aruha com a mão livre, assistindo o sorriso radiante e os olhinhos traçados de sua filhota.

— Nós amamos vocês, muito mesmo. – Jackson completou em seguida, juntando-se para ficar colado ao marido e beijar a testa de sua filha, em seguida repetindo o gesto com Areum.

— Nós amamos vocês, papais! – Ambos os gêmeos disseram uníssono, tocando ainda mais o coração bobo dos pais que eram capazes de tudo somente para receberem aqueles mesmos sorrisos doces e as palavras carinhosas de seus filhos.

— Vocês são o meu tudo, a minha preciosa família – sussurrou Mark somente para que os outros três pudessem ouvir, em seguida escutando os fogos no céu que serviram para complementar aquele momento.

— Você é o nosso tudo, a razão das nossas vidas – Jackson respondeu no mesmo tom, aproveitando a oportunidade para soltar os balões junto aos outros.

As crianças abraçaram ambos os pais pelos pescoços, agradecendo pelo melhor aniversário de suas vidas e por tudo o que eles fizeram durante os dois anos de convivência em família.

E com curiosidade elas se afastaram e fitaram os balões roxos voando junto com os demais, tornando o céu um arco íris de cores flutuantes.

Em meio aos fogos de artifício que formavam flores gigantes no céu, e os balões coloridos que davam mais vida ao ambiente, Mark e Jackson selaram seus lábios como se fosse a primeira vez, sorrindo bobos ao encostarem ambas as testas e sussurram as seguintes frases:

Você é o meu tudo – disse Mark, mordendo os lábios avermelhados e sorrindo logo em seguida.

Você é o meu mundo – respondeu Jackson no mesmo tom suave, sorrindo de orelha a orelha.

O meu coração está conectado ao seu – disse o Tuan mais uma vez, beijando rapidamente os lábios de seu amado.

E o meu destino está entrelaçado ao seu – respondeu o Wang, fechando os olhos e permitindo que o clima e o barulho dos fogos permanecesse assim, continuando tudo na mesma intensidade.

Em meio a juras de amor, fogos de artifício e balões flutuantes, mais um aniversário dos gêmeos passou e mais uma primeira vez em família teve o seu fim. Não importa quanto tempo passe, ou quanto tempo levará até que Areum e Aruha cresçam até chegar à fase adulta, ainda sim eles permanecerão como uma bela e perfeita família feliz.


*Notas Finais*


Primeiramente eu gostaria de agradecer a @Hoppas por ter feito essa belíssima capa. Eu simplesmente amei os tons e a forma como você encaixou tudo tão bem e de uma forma linda e divertida, muito obrigada de verdade por todo o seu trabalho duro e acredite no seu potencial pq é uma excelente capista! 💜💞💜💞


Obrigada por terem chegado até aqui, espero que tenham gostado dessa markson fluffy e que possam continuar acompanhando meu trabalho 🎈


Twitter: @stephy_lilian

CuriousCat:
https://curiouscat.me/stephy_lilian


Nos vemos em uma próxima história 💕

3 de Julho de 2020 às 22:04 0 Denunciar Insira Seguir história
2
Fim

Conheça o autor

Ageha Sakura >> why do you still wishing to fly? >> taekook is a cute world sope ; bwoo ; kaisoo ; markson ; hyudawn twitter: @stephy_lilian [Ficwriter]

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Mais histórias

Para os Homens da Minha Vida Para os Homens da Mi...
Ki - Olhares Ki - Olhares
A Máscara da Lebre (SasuSaku) A Máscara da Lebre (...