nando mario Fernando

Alguns dizem que o destino é algo que não podemos escapar, existem um proposito para nós? e se o seu destino for ser uma pessoa má, se seu proposito for morrer sozinho, o que você faria para muda-lo? Uma profecia de um reino diz que algum dia haverá a luta entre o bem e o mal, que tratara o paraíso a todos, mas se o mal for apenas um garoto alegre que quer ajudar os outro é o bem for um pacifista? o destino os obrigara a fazer coisas que eles não querem?


Aventura Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#239 #217
0
1.4mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 10 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

A lenda do Heroi

"Era uma vez um mundo dominado pela escuridão. Os humanos viviam escondidos como animais, com medos da tropa de cavaleiros negros liderados pelo temível lord Kronus, rei do inferno e de todo os demônios

O rei da Lua naquele tempo não conseguiu impedir as tropas de avançarem, tomarem parte do território e subjugar as pessoas

Desse caos um humanos com poderes, futuro rei surgiu, o rei do Sol com o dom da palavra. O rei do sol era dotado de poderes e Junto do rei da Lua e seu exército foram deter lord Kronus, após uma batalha que durou 7 anos o exército do mal foi dizimado assim como todos os demônios que habitavam ali

Lord Kronus foi detido mas aquele não seria o fim da guerra, apenas a vitória em uma batalha. Antes de voltar para seu lar original ele jurou que após 500 anos de paz para os humanos, seu filho, herdeiro de toda sua glória nasceria e continuaria seu legado naquela terra

Ouvindo isso o rei Sol prometeu também que quando essa criança nascesse também nasceria o herdeiro de seu poder que lutaria lado a lado com o herdeiro da Lua para deter o mal definitivo e unificar os reinos”




500 anos depois se passaram é em uma noite tempestuoso a rainha Aurora do reino Sol grita de dor em sua cama. A parteira grita para ela ter força e outras mulheres no quarto dão força a rainha

A agonia que sente deixa as altas trovoadas do lado de fora inaudíveis a seus ouvidos. A parteira sorrir dizendo que já pode ver a cabeça do bebê de fora, ela puxa delicadamente

Do lado de fora do quarto seu marido, o rei Hélio espera ansioso para a chegada do seu filho, um menino forte e saudável como ele sempre quis

Ao longe um homem com uma capa de chuva preta molhada caminha em passos rápidos na direção do rei

-- vossa majestade _ ele faz uma reverência _ trago notícias do reino de Lunar. O rei Severus está muito apreensivo porque a rainha Nênia…

O mensageiro está hesitante em dizer as palavras

-- diga-me mensageiro, como está a rainha e minha afilhada? _ o rei estava preocupado

-- a rainha tem poucas chances de sobreviver, o rei Severus está desolado. Ele me mandou dizer que não poderia vir até seu reino lhe prestigiar hoje por motivos óbvios

-- sim eu entendo

-- ele disse que chegou a hora, que finalmente a profecia será comprida _ ele sorriu

O rei também sorriu

-- sim meu súdito. Finalmente veremos todo o mal ser destruído

Assim que o rei termina sua frase um choro de bebê é ouvido do quarto. Seu coração bate de emoção, seu príncipe nasceu, aquele que vai herdar tudo de si

Hélio não contém a felicidade e entra no quarto sem cerimônia e a primeira visão que tem é de sua mulher apática na cama olhando para a chuva da janela

As mulheres ao seu redor estavam caladas e a parteira segura o bebê enrolando em pano branco olhando em uma mistura de ternura e pena

-- meu filho, finalmente está aqui _ o rei ignora toda a cena indo direto para ver seu filho

-- vossa majestade _ a parteira não sabe o'que dizer

O rei chega perto e seu sorriso se transforma em um rosto assustado. Seu pequeno e forte príncipe não é o'que esperava, ele é mais pequeno que o normal, mais magrinho que um bebê comum e em seu braço esquerdo está uma marca de nascença parecida com o sol, o'que evidencia que ele é o herdeiro da profecia. Sem sombra de dúvidas não é a criança forte e saudável que ele esperava porém rapidamente seu coração se enche com a maior ternura ao vê-lo

-- deixe-me pegá-lo _ ela passa o pequeno para seus braços _ ele é lindo, nosso príncipe, nosso herói

Hélio rir de alegria, o clima no quarto muda para mais feliz. Todas parabenizam o rei e rainha pelo filho mas a rainha Aurora não diz nada, apenas continua deitada na cama olhando a chuva forte caindo do lado de fora





Em outro lugar a nasce uma criança, não em um castelo, muito menos com riqueza mas sim em uma casa humilde em uma vila de seres pobres de dinheiro

No quarto está uma mulher de cabelos platinados e pele em tom avermelhado em imensa alegria, a parteiras junto com as cuidadoras entregam nas mãos da mulher seu filho, ela está cheia de uma grande felicidade

Ao ter seu filho posto no colo ela chora de emoção. Assim como ela é todos da vila o bebê tem pele avermelhada e cabelos platinados

-- parabéns Minerva, é um lindo e saudável garoto _ diz uma das mulheres

-- ele é lindo como o pai _ ela sorri

As meninas no quarto sabiam que o pai desse bebê fora um homem que Minerva conheceu em uma única noite e após isso desapareceu. Minerva passou muito tempo triste mas seu bom coração não guardava rancores do homem. Agora ela tinha que comemorar e não ficar triste, seu filho nasceu, a razão do seu viver

-- eu não quero que coisas ruins aconteçam para meu filho _ ela continua _ quero que seja diferente de nós que nem humanos somos considerados

Pessoas como Minerva é os da vila são vistos como seres inferiores naquele mundo, sempre tratados como lixo, como seres de pouco inteligência e usados geralmente como escravos

-- eu vou te proteger _ disse a mãe _ eu sei pequeno, eu sei que você fará algo grande nessa vida

O bebê sorri para a mãe que toca na sua mãozinha em alegria. Minerva estava certa, seu futuro seria grande, seu destino já estava traçados

Naquela noite chuvosa o destino de duas inocentes crianças foram traçados, o do príncipe do sol é o do príncipe da escuridão. Destinados a travarem a batalha final um dia




29 de Junho de 2020 às 18:52 0 Denunciar Insira Seguir história
1
Continua… Novo capítulo A cada 10 dias.

Conheça o autor

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Histórias relacionadas