nando mario Fernando

bem vindo ao mundo da imaginação. Seu nome e Liu, você se acha feio e sem graça. Todos são tão coloridos, menos você que é incolor, que vergonha! A tempos que não sai do seu quarto. Está do lado de fora te dá medo, ir para a escola te deixa incomodado, você nem sabe como interagir com outras pessoas Por isso é melhor dormir do que ficar acordado. Pelo menos no seus sonhos você tem amigos, ninguém te julga e todos querem está com você... então por que você não pode dormir para sempre?


Conto Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#256 #332
Conto
0
642 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo único

Bem vindo ao espaço em branco, um lugar que é na verdade lugar nenhum, onde não há cores além do branco e preto, aqui não existe alegria ou tristeza apenas a eterna apatia e a sensação de desorientação

No lugar onde nada nasce ou morre existe apenas uma única vida, a de um jovem garoto magro, monocromático, que usa um pijama listrado, anda descalço e que no auge de sua adolescência ainda aparenta ser mais jovem do que realmente è. No espaço branco, onde não há nada para distrair a cabeça, o pensamento de se achar pequeno e incolor como vazio é o que predomina

O garoto não sabe que lugar é esse, ou como foi parar ali e muito menos como vai sair, apenas continua andando em frente, porque em seu interior existe uma fagulha acesa de esperança de encontrar algo diferente

Como se anos tivessem se passado ele finalmente esbarra em algo. Ele olha, mas não há nada em sua frente, ele toca e sente algo ali, vai passeando com a mão até que toca em algo que aparenta ser uma maçaneta. Ele gira e logo aquilo se abre como uma porta, através dela existe um corredor com várias outras portas e assim que dá o segundo passo para dentro a porta atrás dele se fecha e some. Olhando para trás fica aliviado de ter saído do espaço em branco, qualquer lugar era melhor que aquele

O jovem monocromático logo senti alguém cutucando seu ombro e quando virá seus olhos brilham por finalmente vê uma pessoa ali com ele, um garoto sorridente, de estranhos cabelos azuis, que veste roupas muito coloridas e exala felicidade

-- oi, meu nome é Bunny. Como é o seu ?_ com um grande sorriso amigável se apresenta

O monocromático pensa, pensa e pensa. Qual meu nome mesmo ?

-- o gato comeu sua língua?_ gargalhou _ não lembra?

Ele acena negativamente com a cabeça

-- então que tal eu te chamar de … Liu? pode ser?

-- Liu, sim _ responde seco sem demonstrar emoção

_ que bom, Liu. Você é novo aqui mas sinto que já somos amigos _ o olha de cima abaixo _ vêm! quero te mostrar algo _ segura na sua mão e puxa para os corredores cheio de portas

Liu não diz nada, parece que acabou de descobrir que tem dificuldades em se comunicar. Porém parece que Bunny tem assunto para os dois, e fala sobre as coisas mais bobas e inúteis do mundo como uma criança, Liu sentiu uma pitada de inveja daquele ser tão divertido e mais atrativo que ele

-- você é meio caladão, né ?

-- sim… _ respondeu seco novamente _ não tenho nada interessante para dizer

-- isso não é verdade, todos são interessantes para mim _ O jovem azulado sorrir

Bunny era de fato otimista mas tinha um péssimo senso de direção, a tempos que Liu vê as mesmas portas, andavam em círculos

-- eu acho que é uma dessas portas. Mas não lembro qual é _ ele analisa tudo é depois de um tempo uma lâmpada se acende na sua cabeça _ já lembrei!

o azulado para no meio do corredor, se abaixa, afasta o tapete vermelho do piso quadriculado e lá está a porta na qual ele procura. Uma grande porta em formato circular, Liu estranhou porem aos poucos se acostumava com a falta de lógica do lugar; Bunny abre a porta e tudo que eles veem e um vácuo escuro aparentemente sem fundo

-- vamos! _ ele segura mão de Liu

-- esper.. !

antes do monocromático argumentar o outro pula dentro do buraco o levando junto com ele e pela primeira vez em muito tempo Liu sentiu o medo, seus olhos estavam bem fechados mas aos poucos foram abrindo até se deparar que não estava caindo, estava flutuando sobre aquele plano. Bunny do seu lado tinha uma única vela que iluminava todo seu caminho

-- olha aquela estrela _ ele apontou para um conjunto de estrelas

-- é uma constelação _ seus olhos brilhavam

-- você pode fazer um pedido para elas, se ele vier do fundo do coração, ele se realiza _ nada mais que uma conto porém não era errado acreditar que fosse verdade

Dentre tantos pedidos ele teve que pensar bem antes de escolher um, quando este foi escolhido ele juntou as mãos e fechou os olhos e pediu com todo seu ser por um desejo

Quando Liu abre os olhos se dá conta, está em outro corredor. Diferente do outro, esse é mais colorido e psicodélico. Ele se pergunta se seu desejo será realizado pelas estrelas

-- aonde vamos ? _ seguia Bunny

-- achei que soubesse _ ele o olhou _ como pode seguir um estranho sem saber aonde ele está te levando? _ ele abriu seu sorriso _ A sua sorte que sou um cara legal

Com certeza o senso de humor do azulado era um tanto incomum, sua presença em si era um tanto confusa assim como o corredor que caminhavam ia estranhamente ficando mais pequeno. Ele não estava vendo errado, as paredes se aproximavam e o teto diminuía e Logo eles estavam andando abaixados

-- Isso é um tanto desconfortável _ comentou

-- você acaba se acostumando com o tempo

Depois estavam engatinham pelo corredor e finalmente Liu vê o final. Há uma pequena porta de madeira na qual ele não sabe como vão passar

-- como a gente entra ? _ perguntou a Bunny

-- é só a gente passar por ela _ ele parece não ter entendido a pergunta ou está caçoando dele

O azulado pega uma pequena do bolso chave a abre a porta e imediatamente raios de luz passam por ela iluminando todo o corredor, tanta a claridade que Liu fecha os olhos

-- veja, Liu. É lindo! _ a intensidade da luz abaixo

Liu tenta ver mas seus olhos ainda não se acostumaram ao ambiente, quando vai se dando conta a voz de Bunny vai ficando mais baixa, seus olhos se abrem e ele está na cama de seu quarto

Ele esfrega seus olhos sonolentos e se levanta da cama. Boceja e sente seu gatinho passeando por seus pés

_ bom dia, Liu _ faz carinho no animal

Ele passeia pelo quarto cheio de coisas. Na estante há vários livros como: Alice no país das maravilhas, o mágico de Oz, branca de neve etc, todos livros de fantasia e contos de fada lidos por ele

Ele vai em direção porta. Do lado dela há uma tigela de leite e cereal com um bilhete junto

“ Oi querido, mamãe foi trabalhar então vou demorar um pouco então se você conseguir ir até a cozinha tem comida na geladeira, desculpa”

Desculpa mãe, se eu conseguisse ir até a cozinha não precisaria que me desse aqui

Ele boceja mais um pouco e vai vai em direção a tv, no caminho tropeça em seu livro de desenho caído no chão. Ele pega e lá há um desenho dele é do garoto de cabelos azuis na qual do lado está escrito“ bunny”

-- no final eu sou um péssimo desenhista

26 de Junho de 2020 às 21:41 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Fim

Conheça o autor

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Histórias relacionadas

Mais histórias

2 2
Resolvendo em outra vida Resolvendo em outra ...
Ao Alcance de Suas Mãos Ao Alcance de Suas Mãos