smileypops Smiley Pops

Jonh Watson foi demitido outra vez e foi por causa de Sherlock de novo. Sherlock tinha que o arrastar para resolver um caso no meio da madrugada. E ele sabe o motivo de sua demissão, ele sempre sabe. boy x boy se você não gosta não leia. Jonhlock você foi avisado


Conto Para maiores de 18 apenas.

#jonhlock
Conto
0
524 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

...Você Sabe

POV'S JONH

Outra vez demitido de um hospital por ter dormido durante meu horário, e é tudo culpa do Sherlock denovo, que ficou me arrastando para resolver outro mistério durante a noite toda! Agora estou indo para o 221B Baker Street de táxi, muito mais cedo do que devia, tendo sido demitido três dias depois de ser contratado. Eu estou tão cansado dos atos inconsequentes do Sherlock!

Desço do táxi, pago o motorista e subo as escadas em direção do meu apartamento, chego e vejo a porta fechada, Sherlock deve estar cansado, ou a porta estaria aberta e ele estaria gritando que está entediado como um verdadeiro louco.

Abro a porta e entro, vendo Sherlock deitado em seu divã, com o braço cheio de adesivos de nicotina e sua camisa toda desabotoada. Ao ouvir a porta abrir diz sem se virar:

- Olá Jonh, você chegou cedo hoje.

Eu vou andando em direção a ele, tirando o meu blazer e jogando-o no chão, me agacho e começo a tirar os adesivos de nicotina do braço de Sherlock.

- Você prometeu que tentaria parar de usar essas drogas de adesivos Sherlock.- Eu digo.

- Você está estressado, foi demitido?

- Você sabe que sim.

- É minha culpa? Sinto muito.

- Não, não sente. O caso era importante, meu emprego não tanto, você priorizou o que achou que era certo, porque você é assim, mesmo que acabe me fazendo perder o emprego como consequência.- Digo, suspirando ao fim da fala.

- Jonh, eu realmente sinto muito.- Ele diz, olhando para mim pela primeira vez desde que entrei em casa. Ao olhar em seus olhos, não vi a frequente arrogância, vi que ele esta sendo sincero, e isso me encheu de fúria, se ele sente muito, porque não pensou antes de me arrastar da cama no meio da madrugada para resolver um caso?

Tratei de me acalmar, não queria discutir com ele, pois o amo, mesmo que ele seja fodidamente inconsequente.

- Será que podemos deixar isso para lá? Eu não quero brigar hoje.- Digo depois de me acalmar um pouco.

- Watson, você sabe que se não brigarmos hoje, vamos brigar amanhã, ou depois. Não é mais fácil você gritar comigo agora, para que se livre logo da raiva?- Ele pergunta.

- Eu só não estou com cabeça para falhar em vencer seus argumentos hoje Sherl.- Respondo

- Você não precisa liberar sua raiva gritando comigo então, mas precisa liberar o que está segurando.

- Está me falando pra te foder com raiva Sherlock?- Pergunto, arqueando apenas uma das minhas sobrancelhas.

- Parece uma melhor opção do que brigar.- Diz, como se não ligasse se ocorreria ou não. Mas eu podia ver em seus olhos, hoje ele não quer ser dominador e sádico, ele quer ser submisso e masoquista, ele quer que eu o foda fundo, com raiva e força.

- Parece uma solução mais prática. - Digo, sorrindo ironicamente, enquanto ele se senta no divã e eu coloco minha mão em sua magra cintura, por dentro de sua camisa desabotoada.

Enquanto beijava seu pescoço, sinto ele desabotoar minha camisa, e passar os dedos pelos gomos do meu tanquinho. Quando ele finalmente joga minha camisa no chão, pego ele no colo facilmente, embora ele seja mais alto que eu, é incrível como conseguimos pegar um ao outro no colo tão facilmente.

O levo para o quarto, coloco ele na cama, e tiro sua camisa. Começo a abrir sua calça enquanto beijo e mordo do seu peito até a barra de sua calça, logo tirando sua calça e sentando para observa-lo. Ele tinha uma beleza mais delicada que a minha, com seus cachos caindo espalhados no travesseiro, o corpo magro e alto, e os músculos pouco aparentes, com seu corpo liso e quase nenhum pelo, coisa que não sei como ele consegue, mas a parte mais incrível é que ninguém percebe por que ele está sempre de sobretudo, mas Sherlock tem uma bunda enorme para um homem, e peitos estranhamente grandes. Diferente de mim que tenho uma barba mal raspada, sou menor que ele, e tenho músculos mais aparentes por causa do exército, Sherlock diz que tenho uma bunda firme, e ele diz como se comentar esse tipo de coisa fosse muito normal!

- Você sempre divaga quando me observa antes do sexo, está se comparando comigo denovo?- Sherlock pergunta, me tirando do meu mundinho e me fazendo corar.

- Odeio o fato de que você consegue me ler tão facilmente.- Digo enquanto ele desabotoa e tira minha calça, sentando no meu colo logo depois.

- Você sabe que não devia se comparar comigo Jonh, você é lindo okay? Só é de um jeito diferente!- Ele diz beijando minha testa.- Então não precisa se menosprezar e ficar se perguntando por que eu gosto de você.

- Não vou perguntar, mesmo que tenha curiosidade, só vou aproveitar a chance de ter um homem tão inteligente ao meu lado.- Eu digo, finalmente o beijando na boca, enquanto ele envolve meu pescoço com os braços.

Nos beijamos como se o mundo estivesse prestes a acabar, sempre foi assim, com um mordendo os lábios e chupando a língua do outro desesperadamente.

Paro de o beijar e abro os olhos, que nem percebi ter fechado, olhando para o rosto corado de Sherlock, enquanto um fio de saliva ainda conecta nossas línguas. Passo minha boca para sua orelha, onde mordo e chupo seu lóbulo, ofegando propositalmente em seu ouvido, por saber que isso o excita. Vou descendo minha boca por seu pescoço, mordendo e deixando chupões enquanto desço até sua clavícula, deixando um beijo ali e o ouvindo conter um pequeno gemido de apreciação. Pois embora goste de ser fodido com força, Sherlock gosta dos momentos carinhosos que o proporciono antes de fode-lo até deixá-lo de cama.

Desço mais um pouco, parando em seus mamilos, olho para cima, para ver seu rosto quando finalmente coloco minha boca em volta de um de seus botões, o ouvindo gemer baixinho e semicerrar os olhos, apertando suas mãos, e acabando por arranhar minha nuca, enviando arrepios pelo meu corpo.

Enquanto maltrata seu mamilo esquerdo com chupões e mordidas de forças variadas, apertava o mamilo direito com minha mão esquerda, sentindo-o responder rebolando no meu colo.

Me fazendo ficar rapidamente excitado, com aquela bunda me pressionando deliciosamente.

Sem parar com os maltratos em seus mamilos, desço minha mão direita, que estava em sua cintura, em direção a sua cueca, a adentrando e apalpando uma boa parte da carne de lá, e ouvindo-o gemer meu nove baixinho, sem nunca parar de rebolar.

- Ah~ JONH~~

E foi então, que depois de dar a sessão de carinho que eu dou a ele toda vez, antes de fode-lo, que eu liberei a raiva que estava segurando, e parei de fazer tudo que estava fazendo.

Me virei, jogando Sherl deitado na cama e tirando a sua cueca. Me aproximei devagar de seu pescoço, depositando um chupão ali. Descendo mais um pouco, parei em seu ombro direito, mordendo ali com toda minha força, ouvindo Sherlock gemer de dor e prazer, só parei de morder ao sentir o gosto de ferrugem que é característico do sangue, lambendo a mordida, para impedir o sangue de escorrer até os lençóis da cama.

Me afastei e observei a obra que tinha feito, seu pescoço cheio de chupões, a mordida em seu ombro, e o tamanho de sua ereção, que comprovava como estava excitado, e seu rosto, totalmente vermelho, as lágrimas saindo de seus olhos e a saliva escorrendo pelo lado direito de sua boca.

Levantei da cama, retirando minha cueca, que estava tornando minha excitação extremamente dolorosa, e indo pegar uma gravata.

- Sherl, você conhece as regras.- Digo com uma voz grave, vendo-o sentar na cama , enquanto estremecia com meu tom de voz.- Se você fizer qualquer um dos seus truques para desamarrar sua mão, eu vou te bater!E vou obriga-lo a conta-los.- Digo enquanto amarro suas mãos atrás das costas.

E então, após amarra-lo, agarro o cabelo dele e o puxo até encostar suas costas no meu peito, e mordo seu pescoço novamente.

O jogando deitado de barriga na cama, e descendo mordendo suas costas até a sua bunda, onde deixo uma leve mordida em sua banda direita, ouvindo-o gemer e lamentar baixinho.

Então afasto suas bandas, vendo sua entrada pulsar implorando para ser penetrada.

- Ainda não.- Digo me afastando, e o virando para deitar de costas na cama.

Deslizo meus dedos pelo seu abdômen liso parando em seu membro pulsante e o envolto com a minha mão masturbando-o lentamente enquanto aproximo minha boca lentamente.

Lambo a cabecinha rosa e escorrendo pré-gozo, colocando apenas a cabeça na boca e chupando-a devagar mas forte, ouvindo-o gemer alto.

E então, quando seu corpo está tendo espasmos, e eu sei que ele está perto de se derramar na minha boca, eu dou a ele seu golpe de piedade, colocando todo seu membro em minha boca, chupando rápido e forte, enquanto massageio suas bolas com a mão direita.

E foi então que eu senti, tinha uma mão na minha cabeça, Sherlock me desobedeceu e desamarrou suas mãos.

Aumentei a velocidade em que chupava seu membro, logo sentindo seu membro pulsar e Sherl se desmanchar na minha boca.

Engoli seu sêmen, levantando Sherlock e sentando atrás dele, amarrando suas mãos novamente. Depois de amarrar, puxei seu cabelo e sussurrei em seu ouvido:

- Achei que tinha sido claro quando mandei não soltar as mãos.

E o senti estremesser, gemendo e pedindo desculpas baixinho.

- Você não sente muito, e por isso será castigado.- Digo, o jogando deitado na cama e o mandando ficarde quatro.

- Eu vou te dar cinco tapas, e se você parar de contar, vou dar sete.

E então eu dei o primeiro tapa. Ele gemeu o número um, como se apanhar, para ele, fosse o mesmo que ganhar um boquete.

E então veio o segundo.

E foi assim até o quarto tapa, que foi quando ele não contou.

- Ah Sherl, por sua causa, vou ter que começar de novo!- Eu disse, num tom de voz sínicoe extremamente excitado.

Um tapa

Dois tapas

Três, e assim continuou até o sétimo tapa.

Quando acabou, Sherl nem conseguia manter sua bunda empinada, sua bunda estava vermelha e suas pernas tremiam.

Então seguro sua cintura, para que ele não caia na cama, e beijo suas costas, parando e lambendo o lugar onde dei os tapas, ouvindo Sherl gemer.

-Sherl, você sabe que eu ainda não terminei, então vai ter que aguentar por mais um tempo.- Digo.

- Só ~AH~ M-me foda l-logo ~JONH~ Diz Sherl ofegante, gemendo meu nome no final.

Seguro sua cintura com as duas mãos, separando suas bandas, vendo a sua entrada, tão apertada, pulsar para mim. E tendo esperado tempo demais, coloco minha língua ali, a forçando a entrar e alargar seu buraco aos poucos, e quando Sherl relaxa, começo a estoca-lo com minha língua, ouvindo-o gemer deliciosamente.

Quando sinto ele começar a rebolar, me dou por satisfeito e tiro minha língua de dentro dele, o ouvindo gemer, insatisfeito.

O abraço pelas costas, colocando dois dedos na frente da boca dele, e ele, sabendo o que fazer , começa a chupa-los.

Quando ele termina, pego esses dedos e coloco um deles dentro dele, o sentindo relaxado, coloco o segundo, e começo a alarga-lo, fazendo movimentos de tesoura e o dedando as vezes, e após ficar issopo r um tempo, coloco o terceiro dedo, terminando de o alargar, tiro os dedos, o ouvindo gemer insatisfeito novamente.

- Relaxa Sherl, você não vai continuar vazio por muito tempo.- Digo, rindo baixinho.

Sento na cama, o trazendo para sentar no meu colo, de frente para mim, e o ajudando a descer sobre o meu membro, enquanto me sinto forçando a entrada, beijo Sherlock para destrai-lo da leve dor que surge, apenas durantea penetração.

Ao estar totalmente dentro, finalmente me deixo relaxar, sentindo o interior de Sherl me sugando, como se precisasse que eu o fodesse para continuar vivo.

Sinto Sherl rebolar no meu colo, e percebo que ele está me pedindo ajuda para se mover, então rolo, o colocando deitado na cama, de costas para mim, sem sair dele, e começo a estoca-lo lentamente, apenas para me acostumar com os movimentos.

E então começo a estoca-lo rápidamente, a cama vira uma bagunça, conosco nos beijando, gemendo, e falando palavras desconexas.

Fodo ele com força, depositando toda a minha raiva nas estocadas, sentindo como sua entrada me pressiona, tornando tudo mais prazeroso.

-~AH JONH~ Sherl geme, alto.

Então, nunca parando de o estocar, agarro o cabelo dele, puxando para trás e dizendo no ouvido dele:

- Goza pra mim, Sherl.

E como se estivesse apenas esperando por autorização, ele goza, depositando todo seu sêmen em nossos lençóis, e ao sentir seu interior me pressionar, eu também gozo, dentro dele.

Saio de seu interior e me deito a seu lado, com ele me obrigando a deitar a cabeça em seu peito.

- Está tomando seu lugar de dominante de volta Sherl?- Pergunto retóricamente, me aconchegando em seus braços.

- Se sente mais tranquilo? Ainda bravo?- Ele pergunta, preocupado.

- Sim, estou muito melhor, precisamos resolver as coisas assim mais vezes. Obrigada, Sherl.

- Não foi nada... Hey Jonh.

- O que foi?

- Você Sabe que eu não teria resolvido aquele caso sem você. Você sabe não é?

- Sim Sherl, eu sei.- Respondo, o olhando nos olhos, e lhe beijando.- Eu sei.

4 de Junho de 2020 às 22:53 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Fim

Conheça o autor

Smiley Pops Amo música, meus shipps são insanos e eu posso ser denominada louca. Essa sou eu.

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Histórias relacionadas

Mais histórias

A Total Existência de Erica A Total Existência d...
Peregrina Peregrina
Ela olhou para a existência Ela olhou para a exi...