kyutoryu Suwwa

O clã Tamakashi sempre procurou pela paz, pela harmonia que a deusa deles propunha, sendo assim nunca gostaram de entrar em conflitos, sempre se mantendo longe de problemas e sendo atacados sem motivo, todavia tudo se desabou e diante tantos nomes honrados existentes no clã, só um se restou


Ação Para maiores de 18 apenas. © diretos reservados ao autor

#supernatural #drama #guerra #aventura #poderes #clãs #lua #ação #japão #katana #samurai #pessoasespeciais
0
2.4mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 30 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

Prólogo

O desespero era o que cuidava de si naquela toca fria, ele escutava os corpos sendo cortados e o impacto dos mesmos caindo no chão, gritos, mais gritos, sangue e crianças tentando fugir de tudo aquilo. Sentiu lágrimas rolarem sobre seus olhos que presavam pela paz, tremia, como tudo aquilo poderia ter sido causado com uma única frase, um único ato tolo o suficiente para vidas inocentes tirar? Aquilo tudo não poderia ser resolvido com palavras? Porque escolher o caminho que a morte sempre ganha? Hiro nunca iria entender, nunca mesmo, nunca iria entender do porque diálogos nunca resolveram nada, mas as mortes sim, elas resolviam, o sangue de inocentes resolviam, líderes que queriam poder entre si eram desprezíveis, por culpa deles tudo isso acontecia.


Um corpo caiu na entrada da toca que dando demorou para encontrar, e logo fora retirado, temeu ser o próximo a ser morto, mas ao mesmo tempo não temeu, ele não teria mais que ver tudo aquilo caso fosse aceito pelas deusas dos Tamakashi, certo? Então seu corpo tenso pode sentir um pouco do alívio que não podia, a voz de seu pai o chamando, saiu da toca que antigamente pertencia algum animal e então antes que pudesse pronunciar qualquer tipo de palavra fora pego bruscamente pelo homem que o chamava, e então sentiu o vento bater em sua face bruscamente por conta da velocidade que o mais velho se pôs a correr.


Hiro não estava entendo, porque seu pai estava correndo com si diante o braço, porque ele mesmo não poderia correr ? tantas dúvidas para nenhuma resposta válida, entraram diante a floresta densa que tinha-se atrás da morte, o garotiho podia sentir o medo do pai emanar para cada pequena célula em seu pequeno corpo, então a tristeza e a angústia também vieram a surgir, pararam, pararam em um lugar onde os gritos, os choros, a dor não podia ser ouvida, então o garoto de fios pretos fora colocado diante o chão, o mesmo sentiu a grama tocar suavemente em seus pés machucados e então guiou seu olhar cheio de curiosidade e medo ao seu pai, Tamakashi Takashi, aquele que se ajoelhou diante si e abriu um sorriso.


—Papa porque o senhor me trouxe aqui? A guerra ainda acontece, mamãe ainda está lá papa, você não pode a deixar.— então seus olhos se arregalaram ao ver lágrimas caírem diante a face do homem que uma vez achou ser de gelo, o Tamakashi mais novo nunca tinha visto seu pai deixar lágrimas caírem. Então temeu, sentiu medo, um medo que nunca poderia ser descrito em palavras, um medo daqueles que ainda desconhecia, se seu pai chorava significava que algo muito ruim aconteceu e Hiro desejou naquela hora não saber, mas ele saberia. A testa de seu pai foi contra a sua de maneira suave, se encaravam, olho amarelos com olho vermelho aqueles que carregavam a tristeza, ele não queria ver os olhos daquele que o carregou , que o treinou o quanto sua idade permitia, daquela maneira, carregando tanta tristeza.


—Hiro, acabou, tudo se foi — soltou as palavras diante o ar, aquelas que deixaram o coração do menor apertadinho, tudo se foi, esse era a frase que se repetia na pequena cabaça infantil, então ele sorriu animado pensando que tinha entendido o que o pai acabara de anunciar de maneira correta e aquilo fez o mais velho se desmontar.


— Isso quer dizer, que vamos poder voltar para casa e comer a comida da mamãe de novo? Vamos poder brincar com Kiko novamente! — levantou os bracinhos animado, fazendo seu pai se afastar de si, e então até mesmo aquele que tinha visto o fim de tudo quis acreditar nas palavras de seu menino, ele queria muito, mas não podia e sabia muito bem disso, ele sabia, suspirou quando percebeu movimentações sobre as árvores.


— Meu filho, eu gostaria muito de poder fazer tudo isso de novo, e se pudesse voltaria no tempo para aproveitar cada minuto que eu não aproveitei, mas Hiro, você é o último Tamakashi que irá sobreviver, carregue nosso leque preto e dourado cuidadosamente, cuide bem da katana que o dragão da lua nos entregou. — aquelas palavras não estavam sendo entendidas, Hiro era novo demais para as compreender e quando tentou se aproximar do pai, recebeu um tapa, ele sentiu o rosto arder, as lágrimas voltarem, a guerra tinha acabado não é ? Viu o olhar dos olhos vermelhos do pai sobre si, ele viu compaixão, daquela que seu velho nunca fui de demonstrar. — Hiro, corra, peço que corra mais rápido que os ventos, que corra e corra, se esconda, Kiko vai lhe encontrar e cuidar de ti para mim e para sua mãe, Hiro, carregue o nome Tamakashi com orgulho, o honre, me faça mais orgulhoso que eu já sou, mostre a sua mãe que você é mais poderoso que ela, o destino irá lhe explicar tudo. Agora corra Hiro! — gritou a última parte amarrando seus fios em um rabo de cavalo, abriu um sorriso no rosto ao escutar o filho correndo, tinha apenas vinte anos mas pode considerar que já tinha vivido de tudo. Takashi fora feliz e morria feliz, sabendo que Kiko estaria lá para ajudá-lo em noites de pesadelo, que o treinaria em seu lugar, que seria o pai que não pode ser. Com um suspiro e lágrimas nós olhos gritou sua profética fala, seu leque fora aberto. Silêncio.


Correndo sem parar, escutou a explosão, sentiu o cosmo do poder que seu pai emanava, sabia que ele tinha usado então o um por cento do poder que lhe fora concedido pela lua, ele não olhou para trás, não ousou parar, apenas continuou sentindo a dor crescer. E pela primeira vez ele sabia uma resposta de todas as suas dúvidas, seu papa, nem sua mama, nem ninguém iria voltar para casa, só ele, por que só ele ? Hiro não era especial, o líder herdeiro era, aquele que motivou tudo isso mesmo após a morte.Tudo aquilo estava acontecendo só por causa de uma frase e uma ação tola. Hashima atacou primeiro, atacou quando aqueles que foram escolhidos pela lua tentaram dialogar, os hashima estavam preparados, os Tamakashi queriam paz, não guerra, os Tamakashi estavam fracos por causa de um ataque anterior, fracos demais. e Agora só tinha ele.

Tamakashi Hiro,

o único sobrevivente do clã da lua,

o único a carregar o último leque preto e dourado,

o único a ter o dom de controlar o dragão celestial,

sozinho, teria que fazer jús a um clã gigantesco.

2 de Junho de 2020 às 06:29 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Continua… Novo capítulo A cada 30 dias.

Conheça o autor

Suwwa Escrever liberta a minha alma, me faz bem, me traz a paz que o mundo tira.

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~