Irmandade Seguir autor

papironauta Rodrigo Borges

O som que se seguiu quando sua munição acabou foi ensurdecedor pela ausência; mas logo pôde discernir as pegadas em marcha pesada, os rosnados e gritos desorientados daqueles que corriam selvagemente para terminar o que já haviam começado. O fuzil foi jogado no chão, os olhos percorreram os corpos mortos de seu esquadrão, a respiração foi neutralizada em meditação calma, e então a espada zuniu da bainha. Havia saída, mas a ignorou. Morreria junto com seus homens numa cova só.

  October 28, 2019, 02:54
AA Compartilhar

Comentar algo

3 Comentários
Publique!
Riwsaa L. Riwsaa L.
muito bom.
October 28, 2019, 11:42

Mais microficções