inory12 Inory 12

Hidan é a maior tentação de Shikamaru e o albino sabia disso, mas se Kakuzu não o queria, se era para ficar do jeito que estavam, não tinha problema pois tem quem quer [...] "As experiências de introduzir alguma coisa no Eu e de expelir alguma coisa do Eu são eventos psíquicos de primeira grandeza." - Heimann sobre Freud. Continuação de Triangulo 1 e 2.


Fanfiction Anime/Manga Interdit aux moins de 18 ans. © Imagem de キンタル, edição minha.|Música: Perigo - Jade Baraldo.

#shikamaru #kakuhida #triangulo-amoroso #kakuzu #hidan #HidaShika #ShikaHida
Histoire courte
0
4.1mille VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

O meu Eu.

“Eu sou indomável, nem eu posso me parar
Um tipo de espécie que é difícil de encontrar
Querem a minha pele, ninguém me quer pra criar
Avanço e mordo se tentarem me atacar”

Faltava 2 horas para o culto, mas Hidan já tinha tomado banho e colocado roupas casuais limpinhas e por algum milagre ele arrumou o quarto deixando uma mãe feliz e um pai desconfiado, pois sabia como o filho é rebelde e imprevisível, o garoto estava aprontando uma.

Principalmente quando disse que um amigo viria para casa, esse amigo não era Kakuzu.

Os pais do albino gostavam muito de Kakuzu, quando viram o moreno pensaram que seria uma boa influência, no entanto o contrário aconteceu e a má influência de Hidan foi maior, levando o garoto mais velho para todo tipo de confusão. Mesmo assim os pais de Kakuzu quiseram uma amizade com eles.

“E não tenho medo de ser quem eu sou
Nem tenho vergonha nenhuma de expor
Me jogo, me lanço, não tenho pudor
Cuido dos meus vícios e do meu amor”

Ouviram uma batida na porta e a mãe de Hidan foi atender, uma mulher albina de longos cabelos loiros quase branco, e viu um garoto, claramente mais novo que seu filho. Moreno com um rosto que denunciava preguiça e descaso. Ambos se cumprimentaram e Hidan desceu as escadas e puxou Shikamaru para seu quarto.

Os pais se entreolharam, desconfiados.

Shikamaru sentou timidamente no chão, perto da mesa baixa que continha alguns livros e abriu um, enquanto Hidan pegava seu caderno e abria na matéria de filosofia. Começaram tímidos, algumas perguntas trocadas e respostas formais, porém com Hidan as coisas não funcionavam assim portanto a conversa se tornou mais leve e sugestiva.

— Por que caralhos eu tenho que saber o que um velho disse a uns 100 anos atrás? — Disse Hidan, claramente entediado.

— O passado diz muito sobre o futuro Hidan — Explicou Shikamaru — As coisas que fazemos hoje, pode ter consequência amanhã.

Hidan olhou diretamente para Shikamaru e mordeu os lábios, fazendo o mais novo tremer — Ae? — Hidan colocou os braços sobre a mesa, quase subindo sobre ela e ficou mais perto do rosto de Shikamaru que corou — Você não quer participar de uma consequência comigo? — Lambeu os lábios.

“Ei, ei, ei
Eu cheiro a perigo, meu bem
Olha pra minha cara, eu 'to bem dócil de tocar”

Hidan é a maior tentação de Shikamaru e o albino sabia disso, mas se Kakuzu não o queria, se era para ficar do jeito que estavam, não tinha problema pois tem quem quer e Hidan iria atrás disso, ficar se humilhando por alguém não era o seu tipo mesmo que ele já tenha feito isso por Kakuzu, céus, só ele sabia como tentou ter algo com o mais velho, porém Kakuzu nunca correspondia e ambos sabiam que o sentimento é mútuo, no entanto Kakuzu sempre colocava a responsabilidade a frente de tudo.

Provocativamente o albino expôs seu pescoço branco e sem marca, o mais novo engoliu a seco, Hidan parecia pronto para ser colocado preso no chão e ter toda aquela pele marcada de beijos e chupões.

— Hidan…

Hidan o olhou manhoso, “foda-se” pensou Shikamaru e colocou sua mão no cangote do Jashinista e puxou para um beijo quente e profundo. É disso que Hidan está falando, atitude, beijos fogosos e sugestivos, se fosse para rolar que rolasse agora mesmo, ao mesmo tempo o coração de Hidan continuou normalmente.

Mesmo que aquilo fosse o que Hidan queria, não era com Shikamaru que queria isso.

O orgulho é grande e o albino não desistiria agora, da mesa para o colo do mais novo, ambos continuavam se beijando enlouquecidamente enquanto as roupas eram lançadas para qualquer lado, empurrando os livros da mesa e substituindo por um Hidan nu e corado.

A maior tentação de Shikamaru.

“Me põe no seu colo se quiser me bagunçar
A casca é grossa, não é fácil de quebrar
Se eu tô pirando, deixa o olho revirar”

Noutro dia, Shikamaru se encontrou com seus amigos, comeram e beberam tranquilamente, jogando a conversa fora. O moreno estava se sentindo meio bobo, pois não sabia o que ele e Hidan eram agora, mas o que fizeram ontem foi incrível.

Ino, que olhava o celular, desviou para Shikamaru e o cutucou, chamando sua atenção — Então, como foi ontem na casa do Hidan? — Ela perguntou no ouvido de Shikamaru.

O sorriso bobo que Shikamaru deu, denunciava o que havia acontecido para a loira que engoliu a seco — Shikamaru, você sabe que aquele garoto é problema.

— Eu sei, mas não temos nada Ino, juro. — Disse confiante.

Mas ela sabia quando o amigo estava mentindo, é como se ela tivesse um sexto sentido para descobrir as coisas — Não minta para mim Shikamaru Nara, eu te conheço, você quer ter algo com aquele garoto, mas tenho certeza que ele não quer nada contigo e tá só brincando. — Ela deu sermão — Tem aquela garota do clube de leitura, Temari, ela é uma pessoa ótima para você, tenho até o número dela, eu passo para ti, mas por favor, esquece esse menino. — Implorou a loira, olhando tristemente para o amigo.

— Isso é problemático demais Ino.

Shikamaru engoliu a seco, sabia que a amiga só queria seu bem, no entanto já era muito tarde para isso pois sua mente só dava Hidan a todo momento.

“É o perigo, meu bem
Ei, ei, ei
Vem sentir comigo”
15 Avril 2020 14:08:26 0 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
0
La fin

A propos de l’auteur

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~