sorasaki SoraSaki

Todoroki estava lá para amenizar os efeitos da chuva fria no seu amado esverdeado. Mas muito mais que isso, ele estava lá pra cuidar e amar. E não seria uma gripe chata que iria atrapalhar tudo, afinal ele almejava ser um herói e iria salvar aquele que tanto amava fazendo o que fazia de melhor, sendo frio e quente.


Fanfiction Anime/Manga Déconseillé aux moins de 13 ans.

#boys-love #bl #fluffy #yaoi #bnha #tododeku
Histoire courte
0
3.8k VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

Vou cuidar de você sempre

A chuva caia lá fora. Era apenas o segundo dia seguido chovendo e por ainda ser inverno as temperaturas caíram ainda mais. Antes tava um frio agradável, o tempo seco, claro; sem chuva a mais de um mês. Midoriya Izuku, nosso mais querido herói do colégio U.A. estava indignado. Em dois dias de chuva e o tempo dava essa virada louca jogando o que restava de calor nos corpos dos alunos por água abaixo. Era incrível pensar que a maioria queria a volta daquela água divina, porém, para Midoriya isso não precisava incluir o frio que veio no pacote.

Aguentar a temperatura de amenos 15 ºC normais que vinham com pequenas variações diárias naquele inverno era plausível e aceitável. Mas, para o garoto, não tinha como lidar com temperaturas de 0ºC e -1ºC. De acordo com a previsão do tempo, que lembrou de verificar no celular, a semana inteira ia decair até -10ºC, e com possível nevasca no fim de semana, adeus sábado e domingo, frente fria se instalava dizia nos jornais. Tais dias previstos com neve e com recomendações de se abrigar para evitar riscos maiores a população.

Izuku não estava feliz, ele até agradeceu pela chuva vir mais cedo, afinal sua amiga Asui, estava muito feliz e por consequência Uraraka também, o resto da sala foi contagiado pelo bom humor das duas, mas não durou muito. Lembram? Neve, mais frio, mais fim de semana, igual a trancafiados no dormitório, resumindo nada de treinos e progressos dos poderes, nem de rotinas mais divertidas ao ar livre. “Droga, e agora? Eu já tinha todos os planos certos pros treinos e, aff, não era hora de descansar. Não quando precisamos ficar mais fortes que os vilões, e ainda estou longe de dominar o One for All…” O menino bagunçou os cabelos verdes ainda mais, e soltou um suspiro audível enquanto terminava de estudar, a semana seguinte seriam aplicadas as provas. Afinal, mesmo no curso de heróis eles ainda estudavam as matérias comuns de um estudante do primeiro colegial. Talvez o fim de semana serviria para estudar pelo visto.

A semana correu quase normalmente, se é que a sala do 1ºA poderia ser considerada normal dependendo do ponto de vista. Os xingos e gritos de Bakugou podiam ser escutados do corredor nos intervalos de aula. As meninas estranhamente empolgadas para algum tipo de programa de garotas que bolavam para o sábado. Mineta e Kaminari confabulavam sobre espionar as atividades que as meninas planejavam, porém Kirishima como um anjo tentava enfiar um pouco de respeito na cabeça dos dois; Sero resolveu o problema com um simples “vamos fazer um programa de garotos então”. Apesar dos pesares os meninos então resolveram tudo com planos de jogar vídeo-game e comer algumas porcarias com muito refrigerante incluso. O frio claramente presente.

Midoriya via tudo aquilo e em nada se animava com os planos propostos. Alguns disseram que iam estudar, ele pensou o mesmo, mas o clima frio fez ele querer se esconder nas cobertas e dormir apenas, então recusou tudo naquela sexta, e disse apenas algo como: “Desculpa pessoal, acho que vou ficar no meu quarto estudando, tô me sentindo meio cansado e meu corpo está estranho, acho que talvez seja uma gripe vindo”, um espirro, e com isso ninguém quis forçar mais os convites nem os planos em Izuku. Uraraka e Iida olharam pro menino preocupados, mas descansar seria o certo mesmo.

Mais distante do grupo que falava com Midoriya, estava Todoroki Shouto guardando os materiais e se preparando para ir às aulas extras do período da tarde. Ele ouviu tudo, muito mais atentamente do que gostaria de admitir em voz alta, mas que em seu coração e mente já estava claro. Agora estava preocupado com o pequeno de cabelos verdes, ótimo.

Zero concentração de sua parte na classe extra daquele dia, foi chamado a atenção várias vezes. Mas o que poderia fazer se na sua mente só vinha a visão de Midoriya Izuku com o rosto abatido por estar doente e aparentemente corado pelo frio. Tudo bem que ele estava muito mais preocupado do que o necessário, mas se tratando daquele pequeno garoto ele simplesmente não sabia muito bem onde definir os limites. Então deu graças aos céus quando aquela atividade acabou e poderia voltar para o dormitório, tinha algo muito importante a fazer. Na volta viu o termômetro de rua marcar -8ºC, ele não sentia todo esse frio que todos pareciam sentir, mas ele entendia que seu lado esquerdo era o responsável por isso. Afinal ele sempre estava com a mesma temperatura do corpo independente da externa, seus poderes de gelo e fogo o ajudavam com isso, ainda mais depois de ter aceitado suas chamas.

Mas águas passadas, voltemos ao Izuku que estava congelando mesmo depois do banho quente e enfiado embaixo das cobertas. O esverdeado lembrava vagamente de que sua amiga Uraraka, que agia mais como sua mãe, passaria ali para deixar um remédio desses pra febre e dores, era pra amenizar os sintomas e daria um alívio pelo menos. A menina ficou de ir junto com Tsuyu buscar o remédio na farmácia que tinha ali na rua e depois passar lá no quarto do seu filho… Digo, amigo. Mas as meninas, que vinham de mãos dadas e bem agasalhadas passando pelo portal em direção a rua encontraram Todoroki chegando das aulas extras.

-Ah, Todoroki-kun, que bom que encontramos você agora em boa hora! Você está voltando de suas aulas, mas não tem outros compromissos por hoje certo? - Uraraka tinha um discreto e estranho sorriso, que não passou despercebido por Tsuyu que apenas assistia o desenrolar daquilo.

-Não, pensava apenas em tomar um banho e talvez estudar… Na verdade pensei em passar no quarto do Midoriya para ver como ele estava e se me ajudava a tirar algumas dúvidas com relação a matéria da prova. Por quê?

-Isso é muito bom! Eh-hum, quer dizer, Deku-kun não está muito bem agora, estamos indo buscar algum remédio pra dor e febre, parece que a gripe pegou mesmo ele de alguma forma. Mas já que você ia passar lá depois do banho é um alívio, pode ficar de olho nele até chegarmos com o remédio? Afinal, nunca se sabe se a febre vai aumentar e ele vai precisar de alguém pra ajudar com a temperatura do corpo dele… - Uraraka disse quase de forma inaudível esta última frase, mas Todoroki não pareceu notar e mesmo assim já tinha uma feição preocupada e determinada estampada na face. Tsuyu ouviu.

-Entendo, pode deixar que tomarei conta dele Uraraka, obrigado por sempre cuidar dele. - Com um tom respeitoso Shouto se despediu das duas garotas e a passos apressados, ou quase correndo, foi em direção aos dormitórios. As meninas apenas assistiram a aparente afobação do bicolor e seguiram em sua missão.

Droga”, Todoroki estava aflito, era o que o definia no momento, nunca tomou banho e se trocou tão rápido na vida. Ele não sabia como era pros outros, mas suas lembranças de como era uma febre não eram agradáveis, ele sentia como se fosse congelar, mas sua mãe dizia que estava literalmente queimando. Essa era a experiência infantil dele com febre, depois de uma certa idade, basicamente após entender melhor seus poderes, ele nunca mais passou pela experiência. O que ele não sabia é que as febres dele nunca foram como das outras pessoas, e por isso, o desespero deveras maior do que realmente seria necessário com o seu amigo favorito. Shouto só estava querendo se enganar, mas não se enganem junto com ele.

Finalmente estava na porta de Izuku. Uma batida e nada. Duas, ainda nada, o silêncio pairava ali. Na terceira batida se o menino não abrisse a porta Todoroki estava pronto para arrombá-la se fosse o caso, “será que desmaiou lá dentro?!!”. Mas enquanto ponderava e media seu desespero o nosso pequeno Izuku finalmente abriu a maldita porta.

— To-Todoroki-kun…?! — De cabelos desalinhados mais que o normal, roupas e face amassadas ele abriu a porta e se chocou com a presença do amigo ali.

— Midoriya — perdeu a fala por um momento diante do pequeno a sua frente enquanto refletia, ele parecia não tão ruim, mas claramente não estava bem também. — Vim ver como estava e fazer-lhe companhia até as garotas voltarem da farmácia.

— Encontrou a Uraraka-san no camin-...

— Midoriya!!

Se não fossem os reflexos de Shouto, nosso pequeno Izuku estaria no chão desmaiado. Enfim, diante dessa situação, um Todoroki claramente preocupado carregou o garoto até a cama dele, o deitando com delicadeza e cobrindo-o até o pescoço de forma confortável. Sentou-se à beira da cama e se atentou a situação. Logo as menina voltariam então não tinha porque se preocupar. No entanto ao tentar medir a febre dele com a mão direita fria sobre a testa do menor viu o semblante deste se suavizar e claramente relaxando todo corpo soltando um leve suspiro. Notou que não era grave, mas que sua presença ali poderia ser tão mais útil que qualquer remédio. Ver o rosto de seu amado relaxar diante de uma ação espontânea e preocupada sua mexeu com seu coração, como se só de ver aquele garoto já não fosse motivo suficiente para lhe colocar em dúvida toda vez. Mas talvez ali, naquele pequeno momento de reflexão e após se dar conta do tamanho da preocupação e da quantidade de pensamentos que Midoriya Izuku sempre ocupava em sua mente, se deu conta de que ele não poderia estar categorizado como melhor amigo ou algo assim, não em sua mente, e muito menos em seu coração.

Ficaria ao lado dele agora e quem sabe se conseguisse depois, e depois e muito futuramente, talvez para sempre? Estaria sendo muito precipitado? Mas agora que finalmente aceitou os sentimentos que já fervilhavam dentro de si a tanto tempo não poderia simplesmente ficar parado. Uma opção era ignorar o que sentia e fingir que tudo continuaria como sempre, porém, a vida de um herói já não é comumente tranquila, e situações de risco sempre aparecem, por que seria ele o qual queria tanto se tornar um herói daria pra trás diante de algo tão sincero quanto seus sentimentos por Midoriya? De forma alguma! Não que fosse fazer algo no momento com o garoto a sua frente ressonando baixinho e aparentemente melhor do que quando chegou ali. Leves batidas na porta e o maior já estava lá pronto para abri-la.

— Todoroki-kun, aqui está o remédio. Dê a Dipirona diluída num pouco de água, 30 gotas são suficientes, isso vai abaixar a febre dele e amenizar as outras dores que ele possa estar sentindo.

— Mas demora o efeito? E-... — Foi interrompido.

— Depois de uma hora no máximo ele já vai se sentir melhor. É melhor acordá-lo e dar agora o remédio, quanto antes tomar, antes ele melhora. Ah! Já ia me esquecendo, seria bom garantir que ele durma aquecido, e uma compressa de água fria ou algo semelhante colocado sobre a testa até a temperatura dele normalizar... Acho que você pode cuidar disso, né Todoroki-kun. Deku-kun precisa de você agora.

A expressão no rosto de Shouto era meio iluminada e meio preocupada, o garoto já estava habituado as dualidades que tinha em si, essa seria mais uma delas, mas Uraraka queria rir diante de todo episódio que vem observando essa semana. Tsuyu estava na porta já, apenas verificou o menino deitado, ele ia ficar bem, se despediu enquanto a outra menina se despedia com um "boa sorte, e trate de conversar direito com Deku-kun amanhã, vai dar tudo certo Todoroki-kun, boa noite pra vocês". Tsuyu teria que perguntar o que aquilo queria dizer, mas era melhor sair dali, parecia ter um segredo pairando no ar, e apesar de suspeitar ainda queria perguntar a Ochako sobre o que estava acontecendo. Mas ao olhar com atenção a face e os olhos brilhantes de Todoroki e ligando alguns fatos já observados, é ela descobriu ali mesmo “Ochako-chan muito perceptiva, tão fofa querendo ajudar eles hehe, croac”.

Shouto deveria perguntar o que a garota quis dizer com aquilo, mas lhe ocorreu agora que talvez ela de alguma forma sabia do que se passava consigo. Deixou pra lá, afinal não era como se pretendesse esconder isso, não tinha vergonha do que sentia, só estava, TALVEZ, com um pouco de medo? Insegurança? De contar a Izuku e ver a reação do mesmo caso fosse negativa, não sabia se estava pronto para uma rejeição, nunca de fato sentiu tal interesse por outra pessoa, então nem chegou a imaginar essas coisas antes do esverdeado se mostrar o ser mais interessante e precioso que já conheceu.

Conseguiu acordar e dar o remédio a um Midoriya sonolento e mole pela febre e sono, depois apenas o cobriu de novo. Decidiu que dormiria ali, velaria pelo sono do menor até que o seu cansaço também o derrubasse. Antes de se deitar junto ao outro simplesmente achou melhor tirar a camisa, Uraraka disse que ele seria o melhor regulador de temperatura ali, foi o que entendeu, então sem camisa seu lado esquerdo teria mais efeito. Se deitou abraçando Midoriya e com a mão direita liberando um certo frescor na testa do menino. Ficou assim por um bom tempo enquanto o outro ainda dormia profundamente, mas em algum ponto retirou a mão que estava na testa e apenas abraçou confortavelmente o corpo menor.

Aconchegados e agora devidamente descansando foi o que pensou a princípio. No entanto não conseguiu evitar observar com mais atenção os lábios cheinhos a sua frente. As sardinhas tornavam o rosto de Izuku mais fofo, mas vendo de perto era surreal a beleza do menino, seus cílios eram medianos e sem falhas. Definitivamente as bochechas redondinhas davam um toque final a composição linda que era aquele que mexia tanto consigo. Não sabia se aguentaria por muito tempo se continuasse observando o semblante sereno e bonito, então só respirou fundo tentando acalmar as batidas dentro do peito e se deixou levar pelo cansaço.

— Boa noite, Izuku. — Disse próximo ao ouvido do outro.

No dia seguinte um Izuku já quase recuperado despertava com leves lembranças do dia anterior vindo a sua mente. Ele teve uma febre um pouco alta então ficou bem zonzo e... Ah! Todoroki-kun foi no seu quarto, ele não se lembrava muito bem do que falaram e daí todo resto era meio confuso. Lembrou de ter sonhado com ele e talvez ter escutado a voz dele próxima a si, mas nada muito claro, ele pensou por um momento que Todoroki tinha o chamado pelo primeiro nome, mas é claro que deveria ser apenas sua mente fértil caminhando pro sentido que mais lhe agradava. Sentido o qual sua mente gostava de seguir facilmente só de ver ou mencionar o bicolor, francamente, como foi se enfiar numa dessas! Gostar de Todoroki Shouto era surreal demais pra ele que era um garoto, pequeno e que é atrapalhado demais com palavras de teor romântico, além da zero confiança e coragem para tentar no mínimo se aproximar do outro menino.

Suspirou audível e resolveu abrir os olhos, só agora prestando atenção no calor confortável que se encontrava e no quão aconchegante estava se sentindo ali abraçado aquele corpo quentinho... Pera aí... Corpo? Quente? Abraçados? NA SUA CAMA? QUÊ?!?! Abriu os olhos arregalados e com uma expressão assustada na face tentando entender a situação e quem estava ali, não se lembrava de ter dormido junto a alguém. Seu coração quase saindo pela boca ao se deparar com os cabelos brancos e vermelhos espalhados pelo seu travesseiro tão próximo de si que conseguiu até mesmo se atentar momentaneamente nas sobrancelhas, uma de cada cor também, e quando parou para observar a boca do outro já estava quase sufocando e desmaiando, seu coração ia explodir, tinha certeza. Tempo demais observando aquela boca que parecia tão mais convidativa de perto assim, já hipnotizado pela situação que não notou um Shouto acordado e lhe encarando com afeto e um leve toque de desejo nos olhos. "Midoriya, tão fascinante ao acordar... Porém, não teste meu controle dessa forma, isso é cruel da sua parte sabia?!". Aquela proximidade e a intensidade no olhar do esverdeado iam acabar levando as coisas para um lado um tanto perigoso no momento. Ora essa, não julguem o menino meio- a-meio, ele simplesmente tinha um bom autocontrole sim, mas ali era seu amor, seu maior desejo, era muito até mesmo para ele em seus plenos 15 anos joviais e hormonais lidar. Era um garoto saudável e normal afinal.

— Bom dia Midoriya. Como está se sentindo? Melhor? — Resolveu falar algo antes que perdesse de vez o foco ali e as coisas saíssem do controle, não era a hora certa ainda.

Um Izuku mais calmo e agora um pouco menos perdido em pensamentos e desejos ocultos tentava só entender a real situação em que estavam. Não seria idiota ali em afastar o outro antes de saber o que se passava ou... como eles dormiram daquele jeito afinal.

— Todoroki-kun, bom dia! Er-hum, o que aconteceu? Eu lembro de você ter vindo e acho que me deu remédio, mas não me lembro do que aconteceu depois... — Achou melhor perguntar logo e tentar organizar seus pensamentos que faziam mil hipóteses daquela situação toda.

— Ah, bom... -— Então Shouto explicou ao menor o que de fato aconteceu ontem quando chegou ali e sobre ter ficado também por indicação de Uraraka.

Observando as expressões do menino tentava decifrar o que queria dizer aquela repentina mudança para uma expressão levemente decepcionada que o outro sustentava agora depois de terminar de relatar tudo. Era impressão sua ou, Izuku ficou assim depois de falar que Uraraka o pediu para ficar ali para cuidar dele? Seria possível que... ele compartilhava uma ponta dos mesmo sentimentos que si? Shouto estava sentindo aquela urgência em falar dos sentimentos entalados por tanto tempo agora. "Se eu não falar agora talvez isso nunca saia do lugar!".

— Midoriya — Ia começar a falar calmamente sobre o que de fato o levou ali, mas foi interrompido.

— Obrigado por tudo Todoroki-kun, irei agradecer a Uraraka-san também depois, ela afinal sempre se preocupa comigo e… — dizia com certo amargor na voz camuflando com um sorriso amarelo. Aquilo foi a gota d'água para Shouto.

— MIDORIYA! Não diga besteiras! Claro que ela estava preocupada com você, ela é sua amiga e age como sua mãe também... Mas quem estava mais preocupado era EU sabia?! Passei uma semana vendo você pegar essa gripe aos poucos, e ainda não consegui manter um pingo da minha concentração ontem! Minhas aulas da tarde foram um desastre porque eu não pensava em nada que não fosse você e naquela maldita preocupação se estava bem ou não, se estava com frio ou se estava agasalhado o suficiente, e de como eu queria ser aquele a te aquecer e como finalmente tem algum ponto bom em ter meu lado esquerdo servindo de forma mais útil para a pessoa que eu amo! Não diga como se eu estivesse aqui por obrigação, eu estou aqui porque eu te amo e-...

Até ali foi como estar numa tempestade e enfim ser engolido por ela, foi o que imaginou e desejou por tanto tempo. Desde ele gritando seu nome, até todos sentimentos expostos e aquela confissão, em conjunto com um rosto já levemente vermelho talvez pela afobação e nervosismo de contar tudo de uma vez a si logo depois de acordar e por toda situação constrangedora por si só; mas ali estava um Midoriya Izuku apaixonadamente pronto pra morrer de felicidade e, claro, depois do eu te amo do outro nem quis ouvir o resto, só o abraçou mais forte e beijou os lábios alheios.

A tanto tempo querendo saber se seria correspondido e ali estava o amor da sua vida, porque nunca foi do tipo que se apaixonava fácil, então ele tinha certeza do que o bicolor significava para si, mas tinha zero coragem e culhões pra chegar e dizer o que sentia sem antes ferver de vergonha ou fugir correndo pra tentar não morrer ou chorar caso fosse recusado. Mas ali estava ele com os lábios conectados com Todoroki Shouto, talvez era mais um de seus sonhos bobos no qual fantasiava o momento quase como ocorria de fato agora, apesar de que a sensação das bocas uma na outra em sincronia agora aproveitando-se da sensação quente e carinhosa que envolvia o ato, era real, era verdade, era seu sonho só que melhor e agora acontecendo na realidade. Izuku vibrava por dentro se sentindo até recuperado da doença chata, que doença mesmo?

Shouto estava ali agora abrindo os olhos que tinha fechado por acaso quando passou a surpresa dos lábios dele nos seus. Seus braços ainda apertados na cintura do outro mantendo-o próximo como se fosse se fundir ao garoto que pelo visto compartilhava dos sentimentos de forma mútua. Estaria ele sonhando? Claramente não, nunca sonhou de forma tão vívida e muito menos seria tão bom em imaginar a cena que via a sua frente, um Midoriya ofegante e corado agarrado ao seu pescoço e tão próximo que podia sentir as curvas e os músculos, frutos dos treinos do outro; é ele não seria tão bom em imaginar algo tão perfeito. Aquilo podia ser perigoso na verdade, mas estava tão bom ficarem próximos daquele jeito, Shouto ia refrear seus pensamentos mais obscenos por enquanto, afinal valia a pena e só ter o outro como seu, talvez namorado? Já seria o bastante, por hora pelo menos.

— Midoriya, você aceita namorar comigo? Não vou esperar por algo que já esperei demais, então não quero adiar algo que já vinha pensando a tanto tempo.

— É o que eu mais desejava também, então, SIM, SHOUTO! — Escondeu o rosto no pescoço do outro enquanto o abraçava, logo em seguida afastando-se para presentear com o mais aberto, brilhante e lindo sorriso ao seu agora namorado!

Um Todoroki duplamente atordoado observava, e sentia, e se maravilhava com um Izuku, seu Izuku agora, que não só aceitou ser seu namorado como o chamou de Shouto..."Acalme-se! Coração idiota! Midoriya Izuku é mais perigoso do que de fato todos seres vivos podem imaginar, espero sobreviver aos ataques desse garoto". Enquanto se debatia internamente sobre o nível de poder e periculosidade que seu namorado podia exercer sendo a bolinha mais adorável do mundo além de controlar seus pensamentos com tanta facilidade. O verdinho estava agora de fato se dando conta da situação em que estavam.

Midoriya Izuku estava prestes a ter um infarto realmente, ele nunca sonhou com aquilo, nunca de fato cogitou tanto outras possibilidades como aquela, mas se assustou com a velocidade que seus pensamentos aceitaram os fatos ali, eram fatos sim porque não tinha como contestar. "C-c-como...uau...Todoroki-kun é... bem, uau...por que sem camisa? Droga, ele é mais quente do que imaginei". Enquanto nosso pequeno fervia agora ao encarar seu namorado sem camisa, ainda agarrado a si, se questionando em algum momento se aquilo era uma provação divina que teria que passar, e se era por isso que ele era tão quente. Afinal, acabara de se dar conta, Todoroki Shouto era de fato o que as meninas da escola cochichavam por ai: gostoso. "Ok, ok respira e concentra, vocês começaram a namorar agora, ainda está cedo pra caminhar pelos caminhos adultos... certo? Apesar que só olhar não é errado, ou é? Nós estamos namorando afinal e-argh... droga vou ter um treco aqui!". Pobre Izuku ia entrar em parafuso, mal sabe ele que nosso menino bicolor estava pior que si e já muito mais perdido nos hormônios adolescentes do que ele mesmo. Mas claro, Todoroki ainda era essencialmente muito respeitoso e queria fazer as coisas certas, ele estava sério naquele relacionamento, e seria um passo por vez.

— Midoriya? Midoriya...? Mido-, Izuku...? — Se aproximando mais um pouco afim de ter a atenção do menor sussurrou seu nome, a voz levemente baixa e rouca automaticamente desceu um arrepio na coluna do outro garoto.

— AH! Q-q-q-uê? — Pobre Izuku... seus nervos deram uma pane elétrica de vez agora.

Todoroki não resistiu ao ver o rosto vermelho do outro e sorriu discreto, porém a risada veio logo em seguida e gargalhou, é estava feliz demais pra controlar todas as emoções e aquele momento estaria para sempre na sua mente. Seu autocontrole era muito bom, e ele já sofria com os mais diversos sentimentos e pensamentos pelo menor que já se treinou a manter as expressões sob controle e não deixar transparecer, ou estaria enrascado enquanto observava o menino discretamente pelos cantos da escola. Mas nunca imaginou um Izuku babando enquanto, claramente, encarava, de forma nada discreta diga-se de passagem, seu tronco nu. Ele não estava brincando, tinha um fino fio de saliva escorrendo da boca levemente entreaberta do garoto. Sua sanidade queria trégua então achou melhor despertar os pensamentos indecentes quais fossem os que o pequeno estava tendo no momento, não que reclamasse, mas sério, ele teve febre ainda ontem! Acalmem-se! Mas não podia deixar passar o ocorrido assim, estava de certa forma com o ego um pouco inflado e feliz pelas reações que causava no outro. Muitas descobertas para um único fim de semana.

— Izuku, se continuasse a me encarar com tanta vontade eu claramente não teria problemas em saciar sua fome, mas creio que após sua febre de ontem, o melhor seria nos arrumarmos para tomar o café que será servido no refeitório. Quero você cem por cento recuperado... e então posso tranquilamente te mostrar o que mais você quiser ver e tocar em mim. — Com um sorriso maroto nos lábios disse tudo de forma descontraída e um tanto provocante.

Midoriya estava atônito, viu mais facetas e descobriu mais coisas sobre Todoroki do que imaginou em tão pouco tempo, olhou com atenção para registrar aquelas feições relaxadas, as sorridentes, as maliciosas e provocantes também, e todas mais que viesse a ter o prazer de conhecer, sabia que veria mais outras tantas, pelo visto o bicolor guardava muito atrás daquela mesma expressão rotineira e monótona. Recuperou-se da vergonha mais um vez e resolveu dar voz ao lado racional agora. De fato se aprontaram para descerem e finalmente colocar algo nutritivo no estômago, percebeu só agora que estava com fome. Mas antes…

— Todoroki-kun, ou melhor, Shouto, eu acho que faltou eu falar que eu te amo a muito tempo também, então obrigado por cuidar de mim sempre! — Aquele sorriso de novo. Pobre Shouto, vai precisar de um cardiologista.

Agora Izuku sabia que na verdade o menino meio-quente e meio-frio sempre esteve lá esperando por ele, cuidando e protegendo não só pela amizade, mas sim por amor.

28 Janvier 2020 17:33:08 0 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
0
La fin

A propos de l’auteur

SoraSaki Taci, a.k.a Sora(空) • 25y • ♏ • Wattpad: https://www.wattpad.com/user/SoraSaki_ Spirit: https://www.spiritfanfiction.com/perfil/sorasaki

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~