Histoire courte
4
3.8k VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

Capítulo Único

O tempo era ensolarado e agradável no Santuário de Athena, uma tranquilidade quase anormal pairava no lugar, não havendo nem brigas entre os aspirantes na área de treinamento e nem choro de nenéns pelo ar.

Um loirinho com seus oito anos encarava ansioso a pilha de livros que o Grande Mestre tinha passado para os estudos, um dia antes, em seu pequeno centro na sala. As vezes tinha a impressão que Shion perdia uns parafusos ao entregar tamanha atividade para uma criança, mesmo que treinada a ser Cavaleiro de Ouro. Além de serem babás para futuros portadores das demais armaduras.

Suspirou, abrindo uma das gigantes bíblias em grego antigo em tinta desbotada e folha com bolor — precisava levar um bom Sol. O que danado estava escrito, pelo amor de Athena?! Mal sabia grego, quanto mais o antigo. Esfregou as mãos em ansiedade no rosto, arrepiando sua farta franja e deixando-a completamente para cima. O ariano era mesmo maluco. Refletia se no tempo do lemuriano era assim também e se Hakurei ensinava daquela forma aos seus aprendizes. Um frio passou pela sua espinha, tremendo.

Deitou a cabeça no livro, completamente sem esperança e ânimo. Que sua deusa lhe dê coragem! Só de olhar para aquilo um sono gigantesco vinha do além, como se o próprio Morfeu o puxasse para o mundo dos sonhos.

Quase cochilava quando um grito esganado perturbou toda a paz que reinava, fazendo-o pular atordoado, olhando para os lados.

— SAGA!!!!!!! SAGA!!!!! — a voz do sagitariano ecoava, com fortes pisadas contra o chão secular, fazendo voar os pequenos pedregulhos. Voltou seus olhos azuis para a saída de sua Casa vendo o amigo chegar como um furacão, logo parando ao seu lado. Quase caindo pela rapidez desenfreada.

— Saga! — gritou de novo, no pé do ouvido arrancando uma careta do loiro.

— O que aconteceu? Estamos sendo atacados? — perguntou o geminiano coçando os olhos, tentando acordar e entender o que se passava.

— Vem ver! — não demorando mais nada, Aioros pegou o braço do mais velho e arrastou-o nas escadarias.

Saga achou que o mais novo finalmente enlouqueceu com tudo aquilo que Shion entregava para estudar, os deveres de casa, serem babás em quase tempo integral, além de todo o treinamento. Em menos que quatro minutos estavam na área gramada da Nona Casa.

— Veja! Veja! — apontou Aioros animado para o piso. Vendo a cara de paspalho do amigo, o castanho loiro virou o rosto do mais velho na direção correta.

Gêmeos arregalou seus orbes quando viu um pequeno bebê vestido de leão, engatinhando ainda um pouco com dificuldade. O sagitariano o puxou mais uma vez para chegar mais perto do neném, ficando de cócoras.

— Ele está engatinhando — o loiro afirmou o óbvio.

— Sim! Sim! — Aioros bateu suas mãozinhas no gramado, atraindo atenção do leãozinho — Não é incrível! Meu maninho está crescendo!

— Ah? Sim, é — o loiro sorriu, estava feliz pelo amigo. Ficou aliviado pelo mais novo não está enlouquecendo como pensava.

O bebê foi até seu irmão que o pegou abraçando-o. Os grandes olhos azuis brilhavam, como estrelas no céu noturno, suas mãozinhas tocava de leve no rosto do sagitariano.

— Aioria — cantou o guardião da Nona Casa — Aioria!

O pequeno leão riu, fofíssimo. Em alegria transbordante, Aioros lançou o menino aos céus, assustando completamente Saga, que encarou o ponto brilhante no grande azul. Mas o que?!

— Minha Athena! — suou frio, tão rápido como foi, Aioria voltou, rindo nos braços do irmão, para seu alívio.

O sagitariano pegou uma manta branca e fofinha — sabe se lá da onde tirou, pois Saga não viu em nenhum momento seu amigo levar aquilo — enrolando no pequeno com extrema habilidade. Aioria sorria e ria de forma contagiante, se aconchegando no peito quente do irmão.

Saga se aqueceu pelo momento tão bonito e em família. De alguma forma, mesmo que mais novo com seu jeito um tanto destrambelhado ao chama-lo para dividir esse momento, considerando-o parte daquele círculo, sentia-se honrado.

— Leão! Leão! Leão! — cantarolou enquanto entrava em casa, sendo seguido pelo amigo — Eis o rei da criação! — sentou-se no confortável sofá, muito parecido a da Terceira Casa, o castanho loiro virou-se para o mais velho — Poderia tomar conta dele enquanto pego a mamadeira?

Saga balançou a cabeça temoroso, mesmo que cuidasse as vezes das crianças, tinha um receio quase anormal de machuca-las. Eram tão frágeis e pelas ações das mesmas que externavam em sua presença fazia-o pensar que era melhor ficar longe.

Mu abria o berreiro quando chagava perto, Thiago — Aldebaran — gritava e fugia dele em uma incrível velocidade. Ficava entristecido. Somente Miro, Camus e Afrodite agiam de forma diferente praticamente o tratando como se fosse um poste. Kanon falava que ele era amaldiçoado. No fundo de seu ser concordava com o irmão.

— Ah, sim claro — sentou-se no estofado fofo, o oposto de sua Casa, provavelmente pelas peripécias de Kanon, pegando o embrulho leonino.

Aioria deu um ensaio de choro deixando ainda mais apreensivo o geminiano. O sagitariano sorriu meigo para o irmão.

— Já venho, meu filhote — acariciou as fartas madeixas do pequeno leão tinha, acalmando-o — Fique com o Saga, sim?

Aioros saiu saltitando da sala para cozinha. O mais velho encarrou a criança como um ser de outro mundo. O filhote fitou-o com uma careta, mostrando o quanto estava receoso com aquilo também.

O suor deslizou pela face de Saga, intimidado. Estava quase deixando a criança no quarto e dar no pé como o Flash. O menininho estava com os olhos cheios de lágrimas.

Tremeu, com uma forte dor de cabeça assola-lo. Tudo ficou preto. As belas madeixas se tornaram negras e as íris vermelho tinto.

Aioria se assustou com a súbita mudança. Ares sorriu maniacamente, enfim tomando posse do corpo, refletindo quais ruindades faria no qual sua outra identidade não impenderia. Riu suave, mesmo malignamente. Sendo atolado pela chuva de risadas amorosas e fofas que o menor deu, abrindo seus bracinhos gorduchos para o alto como se quisesse abraça-lo.

A vez de ficar assustado e confuso era a dele.

O que? pensou apreensivo. O bebê tinha gostado dele, um garoto perverso com futuras tendências homicidas? Enquanto para com o Saga, o menino de ouro, que todos amavam — com exceção dos guris, que tinham medo. Que lógica isso fazia?!

A doce risada se espalhava pelo recinto, Ares demostrava tristeza e desconfiança sentindo o Cosmo quente emanado do bebê. Suspirou, escutando os passos do sagitariano retornando à sala, logo voltou a ser Saga. Infelizmente — felizmente — não era um dia bom para ele.

O guardião de Gêmeos olhava atordoado em sua volta, por um momento se sentiu desligar-se e agora o guri estava risonho em seus braços. Podendo até uma parca energia. O que tinha acontecido? Havia cochilado?!

O loiro acastanhado sorriu ao ver que seu irmãozinho havia se entendido com Saga, o enchendo de felicidade. Assim que o mais velho o viu entregou o pequeno, tentando sem êxito assimilar o que tinha ocorrido.

— Sabia que ele ia gostar de você — pegou o leãozinho sentando-se ao lado do geminiano que se levantava para ir embora, mas o loiro castanhado o segurou antes de tal feito.

E com isso Saga passou o resto do dia com um sagitariano babão e um neném. Pelo menos quando o pequeno dormiu, ambos foram aos estudos. Ah, sabe, agora ele refletia que cuidar de um bebê era melhor e Aioros logo concordou. Afinal o que diabos estava escrito naqueles papiros?

Mestre Shion tinha muito a ensinar antes de passar uma atividade daquelas. E eles iriam conversar com o Grande Mestre o quanto antes.

Somente desejava que sua Casa estivesse inteira quando voltasse, isso era importante, pois Kanon poderia ter explodido, quem sabe?

6 Juin 2019 13:47:40 6 Rapport Incorporer 2
La fin

A propos de l’auteur

Sophia Grayson Só uma garota que gosta de escrever.

Commentez quelque chose

Publier!
Sakura Angeli Sakura Angeli
Se eu fosse a irmãzona de alguém, provavelmente seria igual ao Aiolos kkkkkk Eu amei <3
10 Juin 2019 10:30:41

Juuzou Suzuya Juuzou Suzuya
Kkkkkk que fofo.
7 Juin 2019 00:09:27

Juuzou Suzuya Juuzou Suzuya
Kkkkkk que fofo.
7 Juin 2019 00:09:10

~