Em Algum Lugar Suivre l’histoire

sophiagrayson Sophia Grayson

Maes Hughes caminhava tranquilamente em algum lugar que estava - mas não conseguia identificar onde - quando se encontra com uma garotinha e seu cachorro.


Fanfiction Anime/Manga Tout public.

#universo-alternativo #drama #Maes-Hughes #fullmetal-alchemist
Histoire courte
2
3.6k VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

Capítulo Único

Maes Hughes caminhava lentamente por um campo de grama, flores e rosas extremamente bonitos. Ao longe começava uma densa floresta. Era muito calmo o lugar, aqui e ali dava para ver os pássaros voando e cantando, assim como outros animais. Todos dóceis, mantendo uma certa distância do homem.

Ele estava caminhando no que pareciam horas – era o que achava pelo menos – e não sabia ao certo como havia chegado aquele lugar, só que estava em paz.

Andou por mais algum tempo até que escutou um latido e uma pancada forte, algo o derrubou abruptamente.

- O que? – afirmou surpreso. Um grande cachorro estava encima dele enchendo-o de lambidas.

- Ah, parece que Alexander gostou do senhor! – escutou uma voz risonha infantil de uma garota se aproximar com os pezinhos afundando na grama.

Virou o rosto para o lado visualizando a garotinha de cabelos castanhos com duas trancinhas – uma em cada lado – olhos azuis e vestia uma roupa estilo jardineira, sapatos Lolita da mesma cor da roupa. Parecia uma bonequinha.

- É seu cachorro, garotinha? – perguntou fazendo carrinho no mesmo e contendo as lambidas insistentes e carinhosas.

- É sim – confirmou sorrindo – Desculpe por ele ter te assustado – a menina pegou o bichano pela coleira, tirando-o de cima de Maes – Ele é muito brincalhão!

- Tudo bem – levantou-se limpando a grama da roupa, finalmente observando melhor a menina, ficando surpreso.

- Hein? O que houve senhor? – perguntou confusa, será que tinha dito algo errado?

- Ah, bem – começou olhando para a paisagem dando um sorriso nostálgico – A senhorita se parece muito com a minha filha.

- Sério? – perguntou a garota animada vendo o mesmo se virar e confirmar com a cabeça – Acha que ela brincaria comigo e Alexander? – perguntou como alegria energética infantil.

- Mas é claro – Maes riu diante da inocência da menina – Vocês se dariam muito bem, tenho certeza disso.

A mais jovem sentou-se ao seu lado, ficando entre Maes e Alexander. Pediu para ele contar de sua filha. Passaram um bom tempo conversando, Hughes com sua típica animação falando de sua família. Até que chegou um momento que ele percebeu que tinha alguma coisa faltando.

- Garotinha, você está sozinha aqui? – perguntou olhando para os lados, procurando os progenitores da garotinha.

- Ah – ela ficou triste por um momento, se lembrando do destino de seus pais – Infelizmente meu pai não veio junto comigo para aqui. Acho que ele se perdeu no caminho. Mas – disse voltando a sorrir – Tem uma mulher gentil que fica comigo. Não estou sozinha senhor!

- Então é melhor levá-la de volta – afirmou sorrindo de leve, levantando-se – Essa moça deve estar preocupada – olhou para o céu confuso – se bem que não dá para saber quanto tempo se passou...

- Está tudo bem senhor, não se preocupe – explicou se erguendo – Nós ficamos em uma casa bem perto daqui. Enquanto ao tempo, descobri que isso não importa aqui.

Hughes a encarrou intrigado. Ao longe outra voz feminina se destacou.

- É ela – disse a menina que acenou para se aproximasse.

A jovem mulher de cabelos castanhos amarrados quase no fim dos mesmos, olhos turquesas, vestia um simples vestido lavanda com um avental branco.

- Ora – disse amigavelmente quando chegou onde estavam – Fez um amigo Nina?

- Sim! Ele, ele... – falou Nina percebendo que não tinha perguntado o nome do homem. Maes percebeu, ficando envergonhado por tamanha falta de educação dele próprio. Para diminuir o constrangimento da garota, se apresentou – Me chamo Maes Hughes – logo depois se voltando para a pequena – Erro meu por não ter dito meu nome antes, desculpe.

- Ah, tranquilo senhor – Nina sorriu – Eu deveria ter feito o mesmo. Me perdoe. Me chamo Nina Tucker e esse como já sabe é o Alexander – abraçou o cachorro, a mulher riu diante do que se passava.

Maes arregalou os olhos em surpresa, mas antes de tirar em definitivo suas conclusões escutou a mulher o chamar.

- Senhor Hughes – voltou seu olhar a ela – gostaria de ficar conosco enquanto espera? Vai demorar muito até que elas cheguem.

- Não quero incomodar...

- Ah, não vai – disse a mulher gentil – Além do mais a casa é muito grande! – sorriu, mostrando a grande morada que se estendia ao longe.

Nina pulou de alegria e Alexander latiu pela animação de sua dona.

- Vai poder brincar com a gente sempre! – disse com sua inocência infantil.

A mulher e Maes riram.

- Certo! – disse Maes passando a mão na cabeça – Mas gostaria de ajudar em alguma coisa. Não gosto de pensar que estou dando trabalho.

- Posso pensar em algo – riu – Vamos? – perguntou e eles começaram a caminhar até a casa – Ah, sim, me chamo Trisha Elric. É um prazer conhecer o senhor.

Sim, agora ele tinha a completa certeza de onde estava.

4 Juin 2019 15:03:08 2 Rapport Incorporer 3
La fin

A propos de l’auteur

Sophia Grayson Só uma garota que gosta de escrever.

Commentez quelque chose

Publier!
Lucas W.L. Lucas W.L.
Aiai... como descrever esse pequeno pedaço de ouro em forma de letras? Ao meu ver, como um fã dos mangas e animes, e conhecendo a série tão bem quanto o faço, ver essa cena do pós-vida com personagens tão amáveis é simplesmente maravilhoso. Confesso que deu uma vontadezinha de chorar vendo o final T.T ainda mais considerando que você juntou a Trisha, o Hughes e a linda da Nina com o melhor dog do além, O Alexander. Se você tivesse colocado o senhor Fu nessa história, teria sido ainda melhor! (melhor vovô da história dos animes!) Tão lindo ^-^ , muito obrigado por escrever, ficou muito bom, parabéns :) P.S: Black Hayate Best Boi!
6 Août 2019 14:12:02

  • Sophia Grayson Sophia Grayson
    Poxa, obrigada. Fico muito feliz em receber seu comentário. Tão bonito, faz tempo que não recebo um comentário assim. Ah, não coloquei o Fu pois ele morreu bem depois. Essa história se passa depois da morte de Hughes. Disponha, eu é que agradeço por seu comentário! Beijos! 6 Août 2019 14:20:56
~