Like Velvet Follow story

sankdeepinside Lara Franco

O CEO Kim Junmyeon e o diretor de criação Zhang Yixing decidem passar uma madrugada juntos para planejarem os detalhes para o debut do primeiro grupo feminino da empresa. Entretanto, com o avançar das horas, a madrugada de diálogos profissionais acaba se transformando em uma noite de declarações pessoais muito íntimas. sulay • ceo!au • pwp


Fanfiction Groupes/Chanteurs Interdit aux moins de 18 ans.

#exo #sulay #ceoau #topsuho
Histoire courte
11
3814 VUES
Terminé
reading time
AA Partager

We're touching each other it's like velvet

O relógio marcava duas da manhã quando o diretor Kim Junmyeon enrolou as mangas da camisa até a altura dos cotovelos e se virou para sua equipe repleto do mais puro ânimo. O cabelo escuro, que era sempre bem penteado, estava arrepiado e ele parecia um gênio louco enquanto circulava a palavra que acabara de escrever no quadro de vidro.

— Acabei de pensar em algo que pode enfim a solução para o nosso conceito! – Falou repleto de uma energia que quase poderia contagiar o resto do time, quase.

A equipe de produção estava há semanas naquela jornada de pensar em um conceito inovador para o debut do primeiro grupo feminino da agência, entretanto, depois das semanas mais exaustivas de suas vidas fazendo um apanhado sobre as trainees e sobre as tendências do mercado, o resto da equipe simplesmente havia se esgotado.

Metade dos criadores dormia sobre suas pastas, a outra metade concentrava toda a energia de seus últimos neurônios para manter os olhos minimamente abertos. Com exceção de seu braço direito, o diretor criativo Zhang Yixing, que mantinha a atenção total ao quadro de ideias, todos os demais já não estavam mais concentrados no processo. Ao notar aquilo, o jovem CEO abriu um sorriso complacente.

— É, eu acho que levei as coisas longe demais, não é mesmo? Está tarde, é oficialmente sábado, deviam estar em casa descansando. – Comentou enquanto checava as horas no relógio de pulso e em seguida batia palmas suavemente para acordar os que haviam sido vencidos pelo cansaço. – Vamos encerrar por aqui.

— Oh, sério? Achei que iria apresentar sua ideia. – Yixing comentou com um certo pesar. – Passou dias elaborando isso, parecia que sua cabeça ia explodir, eu vi as veias na testa. – O chinês brincou apontando os dois indicadores para a própria testa.

— Eu sei. – Junmyeon sorriu enquanto via os empregados se levantarem lentamente e organizarem seus objetos para irem para casa. – Mas eu já os levei ao limite, não posso e nem é interessante força-los além disso, eles não vão produzir bem assim. Você devia ir também, Yixing-ssi, podemos continuar na segunda.

O diretor executivo se voltou novamente para o quadro repleto de rabiscos do seu brainstorm, era notável o brilho em seus olhos. Ele estava enfim tão perto de uma boa ideia para seu grupo, interromper aquilo naquele momento poderia ser um grande desperdício. O chinês voltou o olhar para as próprias anotações, havia muitas considerações que havia feito silenciosamente no decorrer daquele dia, cores, cenários, conceitos.

— Eu vou ficar. – O chinês anunciara depois que o último dos empregados saíra e fechara a porta. – Nós estamos muito perto de conseguirmos algo concreto, é o debut do nosso primeiro grupo, acho que podemos destrinchar a essência desse grupo aqui, é algo que importa.

Foi a vez de Yixing sorrir, era um sorriso discreto, mas honesto o suficiente para fazer com que suas charmosas covinhas dessem o ar da graça.

— Não quero alimentar esse monstro workaholic que você tem dentro de você.

O chinês havia se colocado de pé e pegado um dos marcadores para riscar no quadro.

— Tarde demais, me diga no que pensou?

E assim começou a noite deles. Regada a copos de café instantâneo, risadas e rabiscos em letras tão garranchadas que apenas eles dois seriam capazes de entender.

— Eu gosto da sua ideia do conceito alegre e vibrante, mas sabe, também gostaria que o grupo pudesse ser carismático e sexy. – Yixing comentou. Os dois estavam sentados em cima da mesa de madeira nobre, contemplando o quadro riscado. Se alguém os visse naquele instante, jamais diria que eram dois executivos de altíssima patente de uma empresa de entretenimento.

— Sexy?

— Sim, acho que podemos encontrar um equilíbrio de conceitos, dois lados de um mesmo grupo. Pense no mercado que poderemos alcançar com um grupo versátil? Consistência é bom, mas essas variações também ajudam a manter o público interessado, esperando por mais.

— Qual seria o nível de sensualidade? Por que eu não quero meu primeiro grupo seja explícito.

— Sensualidade nunca precisou ser explícita, há muito mais que pode mexer com a imaginação das pessoas além de mostrar o corpo e dizer palavras extremas. Podemos fazer um grupo elegantemente sexy e que também possa ser vibrante e alegre.

— Oh, sim.... eu realmente gosto dessa proposta. – Junmyeon pareceu refletir um pouco e fez algumas anotações em um bloco de notas. Yixing sabia que ele posteriormente faria um documento organizado e apresentável com todas aquelas ideias, mas como sempre, antes da organização vinha a bagunça. E aquela era definitivamente a melhor parte.

Já passava das quatro da manhã, Junmyeon já podia sentir os músculos pedindo por relaxamento. Sua mente também já parecia ter trabalhado além do limite. O esgotamento era quase palpável, estava em todo o seu corpo. Haviam enfim traçado um conceito, poderia então começar a desenvolver uma proposta e apresenta-la ao restante da equipe para começar a desenvolvê-la.

Ainda haviam muitas etapas, aquela era apenas a primeira delas, ainda assim, os dois se sentiam confiantes. Tinham ótimas trainees que se encaixariam naquele conceito, sabia que a equipe de criação de Yixing faria um ótimo trabalho visual para o MV e o álbum e, com sorte, teriam sucesso ao debutar.

— Senti falta disso. – Yixing comentou em voz baixa e com um sorriso gentil adornando seu rosto enquanto juntava os copos descartáveis e garrafas de água vazias que estavam espalhados sobre a mesa. – Eu e você, com nossas engrenagens funcionando juntas. Fazia algum tempo... dez anos?

Junmyeon também sorriu, mas seu sorriso era acompanhado das batidas de seu coração se acelerando. Sim, ele e Yixing deviam se conhecer há quase dez anos, estudaram juntos na faculdade e quando o Kim decidira abrir a própria empresa, ele fora o primeiro nome que viera em sua mente.

O workaholic, dedicado, criativo e ousado Zhang Yixing. Entretanto, aqueles não eram os únicos adjetivos que vinham à sua mente quando Junmyeon pensava no chinês, não, secretamente, ele tinha uma lista de adjetivos bem mais detalhados. O cheiroso Zhang Yixing, o sedutor Zhang Yixing, o único homem que fora capaz de derrubar Kim Junmyeon em uma cama, Zhang Yixing.

Ah, anos incríveis os da faculdade. Infelizmente, eram apenas uma memória, já que Junmyeon nunca tocara naquele assunto novamente. Ninguém naquela empresa fazia a menor ideia que o diretor executivo e o diretor criativo tinham um passado, um passado que envolvia uma noite de bebedeira, toques nem um pouco castos e confissões desesperadas ao pé do ouvido.

“Junmyeon-ah, talvez eu esteja bêbado... mas isso é bom, sabe? É bom, porque me dá coragem de dizer o que preciso dizer”.

Aquelas memórias arrebataram o CEO de uma única vez, ele quase podia sentir outra vez o hálito morno de soju de Yixing enquanto seus lábios roçavam macios contra sua orelha. Entretanto, o diretor executivo suprimiu bem aquelas lembranças, apenas voltando a umedecer os lábios rosados com a língua.

— Sim, já faz um tempo, mas você é meu funcionário agora, vamos fazer isso com frequência daqui para frente.

O sorriso de Yixing se abriu um pouco mais, parecia uma ótima proposta. “Vamos ficar juntos muitas vezes daqui para frente”.

— Sabe, eu realmente me questionei muito sobre o motivo de você ter me chamado quando decidiu criar sua própria empresa. Não achei que iria sequer me considerar como opção, muito menos que iria me chamar pessoalmente para isso. – O olhar de Yixing encontrou o de Junmyeon por alguns instantes antes de se voltarem para os copos de plástico que lentamente empilhava. – Eu honestamente achei que não fosse querer olhar para minha cara nunca mais depois...

— Depois de termos transado? – Junmyeon disse as palavras com calma, mas sentia o calor em seu corpo se espalhar até as extremidades, fazendo suas palmas suarem. – Nós estávamos bêbados, eu sei que eu estava bêbado demais. – Mentiu.

— Estava? Aquela noite é um borrão na minha memória, mas sempre tive a impressão que o vi beber uma única cerveja naquele dia.

O CEO soltou uma risada nervosa e Yixing a reconheceu. Kim Junmyeon era extremamente óbvio, mesmo que se esforçasse ao máximo para não ser e aquilo era mais do que o suficiente pare acender aquela fagulha que Yixing jurara reprimir quando assinara seu contrato naquela empresa. O chinês ainda o adorava profundamente, mas para seu azar, infelizmente, sentimentos profundos não eram meras fagulhas, na verdade, são difíceis de apagar.

— Eu o quis na minha empresa porque você tem muita visão, sempre teve. Assim como sempre soube dar às pessoas o que elas queriam. É um talento. – Junmyeon voltou a olhar os rabiscos no quadro, metade deles no coreano quebrado de Yixing. Sua escrita em hangul era fofa, quase infantil. Havia aquilo sobre Yixing, por mais sexy e extremamente perigoso que ele fosse para sua sanidade, ainda era doce e fofo. – Por que você aceitou o emprego? Estava em uma empresa boa e grande. Seu cargo aqui é mais importante, mas tenho certeza que o pagamento lá era melhor.

Yixing se levantou e deu de ombros enquanto caminhava devagar rumo a lixeira para jogar os plásticos fora.

— Eu poderia dizer que aceitei porque eu ainda tenho muitos sentimentos por você, chefe, mas isso seria somente meia verdade. – A expressão no rosto de Junmyeon imediatamente se tornou de puro choque. Sim, até ali eles estavam flertando suavemente, mas aquilo era uma confissão? Yixing achou graça, porque subitamente o Kim parecia exasperado. Sua expressão era sempre tão transparente. – Quando me chamou para trabalhar com você, eu fiquei realmente animado porque senti que poderia enfim colocar meu nome em algo, sabe? Olhar para o álbum desse grupo e dizer ‘Eu pensei nisso, minha equipe trabalhou nisso’ e me orgulhar, porque apesar do grupo ser da empresa, quando eu olhar para o álbum delas, também será meu. Em empresas grandes é difícil se ter esse tipo de orgulho, se você não tem um cargo alto. É bem mais trabalhoso, afinal, que horas são? E nós estamos aqui, trabalhando, mas sabe, eu fico animado em ver o fruto desse trabalho, acho que será incrível. É como uma página em branco.

— Podemos fazer o que quisermos, pintar o que quisermos. – Junmyeon sorriu ao dizer aquilo. – Você tem absoluta razão, mas nós ainda estamos mesmo trabalhando?

Os dois trocaram um olhar significativo em silêncio. Yixing deu de ombros.

— Por quê? Não está pensando em trabalho, Junmyeon-ssi?

“Demônio”, foi a palavra que veio à mente de Kim Junmyeon. Aquele homem era um demônio, estava certo daquilo, especialmente porque ele parecia ler seus pensamentos. O que ele poderia dizer? Aquela noite na cama com Zhang Yixing fora a melhor da sua vida, mesmo que ainda não tivesse assumido para si mesmo a própria sexualidade, o chinês a fizera aflorar.

Yixing tinha razão, naquele dia ele não estava tão bêbado quanto o chinês, mas quando Yixing se aproximara para um beijo e se confessara, ele não fora capaz de dizer não a nada.

— Bem, considerando que havíamos feito uma pausa...

— No que está pensando, chefe? – Yixing perguntara em voz baixa. Não havia mais ninguém ali que pudesse ouvir aquela conversa, portanto Junmyeon achava que ele o fizera por puro charme.

— Você está brincando comigo, não é? Eu sei que está.

— Sim, eu estou. Eu absolutamente jurei para mim que eu não faria o que eu estou fazendo, mas o que posso fazer? Eu não sou tão forte quando você está por perto. – Deu de ombros.

Yixing era tão bom em flertar, Junmyeon quase o invejava. Ele dizia todas aquelas coisas com tamanha facilidade e bastava apenas aquilo para seu corpo responder de imediato.

— Quer saber no que eu estou pensando?

— Se não for sobre minha demissão, sim. – Yixing brincou e os dois riram sonoramente.

— Não, eu não estou pensando em demiti-lo. Estou pensando... – Junmyeon puxou o ar por um instante, colocou as mãos nos bolsos da calça social e deu dois passos lentos na direção do chinês, que continuava parado no canto da sala. – Estou pensando em você, Yixing-ah. – Foi a vez do chinês arquejar de surpresa e, aquela, Junmyeon considerava ser uma ótima visão. O CEO enfim o alcançou onde estava e se permitiu colar a própria boca à orelha de Zhang Yixing. – Estou pensando em cada parte do seu corpo que eu adoraria beijar.

— Ah... – O monossílabo escapara da boca de Yixing quase como um suspiro. Sentia o corpo todo arrepiado e tinha plena certeza que as orelhas também estavam vermelhas. Era bem divertido provocar Junmyeon quando ele estava indefeso, mas quando ele decidia atacar, Yixing não tinha a menor chance. Já havia sido vencido quando ele colocara as mãos nos bolsos. – Pode dar um exemplo de onde gostaria de beijar?

Sem dizer mais nada, os lábios mornos e macios de Kim Junmyeon se fecharam devagar sobre a pele de seu pescoço, sem morder, apenas deslizando levemente úmidos e se mantendo em um beijo delicioso e longo naquele local. Um riso lascivo se abriu no rosto de Yixing.

— Ah cara... por que você tem que ser assim? – O chinês sussurrara.

— Assim como?

— Como o homem dos meus sonhos.

— Eu sou assim? – Um sorriso largo se abrira no rosto do Kim.

— Uma grande cilada, e meu chefe também. Dupla cilada, problemão anunciado.

— Se eu o assusto, por que passou as últimas duas horas flertando comigo? – Junmyeon se aproximara ainda mais, colando seu corpo ao dele. Yixing pode sentir as batidas aceleradas de seu coração se misturando às suas próprias, as coxas dele se encaixando às suas e, é claro, aquele princípio de ereção pressionando a sua.

— Porque eu sou anormal. – Yixing rira e respirara fundo, inalando o aroma suave da colônia no colarinho de Junmyeon. Era o melhor cheiro do mundo. – Eu flerto porque eu o quero mais do que qualquer coisa e mesmo que eu diga ao meu cérebro para não fazer nada, ele age por conta própria, ele é estúpido. Eu realmente quero você, quero você desde a faculdade, nunca me esqueci de você. Mas você me quer? Digo... não somente sexualmente, porque essa parte... essa parte eu posso sentir. – Yixing riu, mas sua risada saiu nervosa e Junmyeon a notou.

Era real, ele estava sendo completamente honesto, como sempre. Poderia Junmyeon ser honesto também? Sim, ele poderia. Por esta razão, ele dera um passo para trás.

— Certo, ok. Eu vou ser bem honesto com você. – A expressão no rosto de Yixing era um misto de surpresa e medo. Com ele se afastando, significava que ele seria rejeitado? O chinês quase retirou tudo o que havia dito, havia se arriscado demais pedindo por um sentimento em algo que aparentemente seria apenas momentâneo. – Eu quero você. E também quis você dez anos atrás, eu não estava bêbado e eu deixei que fizesse o que quisesse comigo. Foi minha primeira vez com um homem e... significou muito para mim, como homem, como pessoa. – Junmyeon falara tão baixo, apenas para que o chinês pudesse ouvi-lo. Seu rosto havia corado bastante, mas não atrapalhara sua eloquência. – Me incomodou porque no dia seguinte você se desculpou e assumiu que eu não queria nada daquilo. Eu estava envergonhado demais para dizer que na verdade eu queria sim e que não havia sido um erro, então eu deixei você ir.

— Isso... isso é sério? – Yixing não estava certo do que esperava ouvir naquele diálogo, mas aquilo.... aquilo fora um pouco inesperado. – Você gostava de mim?

— Dois anos atrás, quando eu comentei que gostaria de abrir uma empresa de entretenimento, um antigo colega mencionou que você estava trabalhando na criação de arte de outra empresa e que talvez pudesse me ajudar na criação do meu material. Aquilo quase me fez correr até você, eu realmente queria vê-lo outra vez, mas eu sou um pouco covarde quando se trata de assuntos românticos, como já deve ter percebido. Eu passei um tempo estudando o seu trabalho antes de contatar você, porque eu não queria soar antiprofissional. Então eu encontrei você. – Com aquela última frase, Junmyeon não pode mais manter contato visual, seu olhar se desviou para o chão e um sorriso envergonhado se abriu em seu rosto. – Se para você isso for só um jogo, não flerte comigo. Estou levando tudo muito a sério, sempre levei, especialmente tudo sobre você.

Yixing sorria embaraçado também, mas dentro de si havia uma alegria genuína. Era difícil explicar, mas acreditava que talvez fosse a mesma sensação de ver um conto de fadas se tornar real.

— Nunca foi um jogo para mim, acho só que houve um erro de interpretação da minha parte, me desculpe por isso. – O chinês estendeu a mão para a frente, em um sinal silencioso para que ele voltasse a se aproximar. – Será que pode me dar agora os beijos que comentou?

Junmyeon riu e voltou a se aproximar, seu corpo parecia estar ainda mais quente do que antes. Seu olhar se conectou ao de Yixing por um segundo e ele era absolutamente deslumbrante. Poderia olhá-los para sempre, se permitissem, entretanto, naquele momento, ele se obrigou a interromper aquele olhar para lhe dar um beijo terno e longo, um que fez todos os pelos do seu corpo se eriçarem. A boca macia de Zhang Yixing era uma perdição, era experiente e deliciosa.

O chinês deixou suas mãos deslizarem pelas costas de Junmyeon, sentindo os seus músculos responderem suavemente ao seu toque. Da última vez que tivera a oportunidade de tocá-lo ele não era tão forte e era magnífico saber que seus dígitos eram capazes de notar a diferença que os anos haviam causado em seu corpo.

Quando suas bocas se separaram em busca de ar, Junmyeon também decidiu tocar Yixing com mais liberdade, deixando as mãos subirem por suas coxas rígidas, sentindo o linho da calça social do chinês se arrastar suavemente sob seu toque. A ideia de pegá-lo pelas coxas e erguê-lo no ar era quase tentadora demais para resistir, por essa razão, o coreano não fez a menor menção de tentar não fazê-lo.

Yixing arquejou alto ao ser erguido pelas coxas e pressionado contra a parede. Cruzar as pernas ao redor do Kim foi apenas natural. Sentiu o próprio membro pulsar dentro da calça numa resposta imediata ao corpo incrível daquele homem brincando com o seu. Junmyeon já estava duro e se estimulava sutilmente rebolando o quadril contra o dele enquanto o beijava sem o menor pudor.

— Ainda está se lembrando de que estamos na sua empresa? – Yixing comentou em meio aos próprios ofegos quando as mãos de Junmyeon apalparam sua bunda sem piedade.

— Ah, é claro que sim. – Junmyeon subitamente o carregou em direção à mesa e empurrou o tronco de Yixing para que ele se deitasse sobre ela. A expressão surpresa e lasciva do chinês era incrível, os cabelos escuros bagunçados, o peito inflando entre ofegos debaixo da camisa social branca, a ereção linda e nítida marcando a calça social. Junmyeon salivou apenas ao fitá-lo. – Estou sonhando sobre foder você nessa mesa a noite inteira.

Yixing riu sonoramente, uma risada rouca deliciosa.

— Eu sabia!

Junmyeon agitou a cabeça em negação, mas o riso em seu o rosto o entregava enquanto ele ia desabotoando cada um dos botões na camisa de Yixing. Ele ainda tinha um corpo lindo, a pele branca era quase um pedido para que ele a marcasse.

Se debruçando sobre ele, Junmyeon cumpriu a promessa de lhe dar beijos por todo o corpo, alternando com pequenas mordidas no abdome de Yixing, fazendo-o suspirar a cada vez que descia mais um pouco.

Quando as mãos de Junmyeon voltaram a subir por suas coxas, Yixing se viu apertando os olhos e prendendo o ar, seu corpo parecia implorar por aquele toque em sua pele, não apenas sobre o tecido da calça. Quando ele o libertou do cinto e desabotoou sua calça, descendo em seguida a peça para bem abaixo de seus quadris, Yixing sentiu seu membro pulsar com força, tinha certeza que Junmyeon também havia notado. Estava completamente duro de tesão.

Um sorriso torto se abriu no rosto do Kim quando ele enfim tocou o membro do chinês, já rígido. Ele estava extremamente sensível e gemeu rouco quando enfim sentiu os dígitos mornos do coreano deslizando sobre a glande úmida e sensível.

Um suspiro audível escapou da boca do chinês quando os lábios pequenos e rosados de Junmyeon contornaram aquela mesma região antes de ele começar a chupá-lo habilmente. As costas de Yixing se arquearam enquanto suas mãos se agarraram aos cabelos cheios do Junmyeon. Sentia que iria derreter com aquele estímulo quente e úmido, a boca do coreano era deliciosa e cada vez que sua língua estalava entre as chupadas, Yixing soltava um gemido alto.

— Eu vou gozar. – Ele anunciou ofegante, apenas para sentir Junmyeon chupá-lo com mais avidez. O maldito também queria vê-lo gozar, era óbvio.

Yixing puxou os cabelos de Junmyeon com força e fora doloroso, mas o CEO estava mais preocupado em fazê-lo atingir o ápice. Ele gozou forte em sua boca e o Kim se deleitou com cada gota. O ápice também fez as mãos dos chinês se afrouxarem sobre seus fios e seu corpo voltar a deitar reto e ofegante sobre a mesa. Era deslumbrantemente lindo.

Como um corpo nu de um homem podia ser tão encantador? Junmyeon não sabia explicar, mas antes de mudar de posição, deixou beijinhos suaves entre as coxas lindas do chinês. Ele iria estapeá-las logo em seguida.

— Você tem lubrificante? Proteção? – O CEO perguntou ao ouvido de Yixing, que ainda mantinha os olhos fechados em absoluto êxtase.

— Olhe em minha carteira.

Yixing se colocou de bruços enquanto Junmyeon terminava de despi-lo de sua calça e boxer. Na carteira de Yixing haviam algumas camisinhas e dois sachês de lubrificante, era o suficiente. O chinês abriu os olhos ao ouvir o som de um zíper sendo aberto, o CEO também iria se despir e aquilo... ele não perderia por nada.

Junmyeon estava completamente duro e pronto, Yixing engoliu seco ao vê-lo desafivelar o cinto e descer a calça, se estimulando brevemente antes de colocar a camisinha.

— Tire a camisa também, quero ver como seu corpo mudou. – Yixing dissera e Junmyeon sorrira para ele, atendendo seu pedido antes de voltar a tocá-lo, dessa vez, em sua entrada.

Yixing voltou a gemer rouco quando sentiu o polegar de Junmyeon massagear ao redor de sua entrada. Ele parecia muito mais experiente desde a última vez que haviam ficado juntos, Yixing havia tomado o domínio do sexo naquela outra vez, mas agora... ele sabia o que estava fazendo e era incrível.

Junmyeon o puxou pelo quadril, de forma que suas pernas pendessem para fora da mesa. Estava tão duro e excitado que sentia dificuldade para pensar, mas fazia muita questão de apreciar cada pequena parte do corpo lindo de Zhang Yixing. Ele deu um tapa generoso na bunda de Yixing e riu ao vê-lo ofegar surpreso, seu membro pulsou forte ao ver a cor rosada se espalhar na pele branca do chinês no local em que havia batido.

— Santo deus! – Yixing gemeu entre dentes e espaçou mais as pernas. Precisava que ele o tomasse o quanto antes, àquele ponto era um caso de vida ou morte.

O membro duro do CEO deslizou bem lubrificado entre suas nádegas antes de ele enfim penetrá-lo devagar. Foi a vez de Junmyeon apertar os olhos e ofegar, tentando suprimir um gemido a cada vez que seu quadril colidia com o do chinês.

Ele se curvou sobre as costas de Yixing, colando o rosto às costas do chinês enquanto aumentava gradualmente a estocadas. A posição o dava espaço para ainda mais veloz e ele o fez, intensificando as investidas, falando palavrões baixinhos contra a pele macia de Zhang Yixing.

Devia estar louco de transar na sala de reuniões da própria empresa, mas aquele não era um parceiro qualquer. Era o homem que havia habitado seus pensamentos por uma década e que inferno, ele era delicioso. Sentia que podia passar horas fodendo e sendo fodido. Seu corpo estava banhado em puro desejo e ele o queria mais que tudo.

Até mesmo o som de seus corpos se chocando era incrível, eram perfeitos um para o outro. Cada gemido grave de Yixing fazia seu corpo se arrepiar de desejo, seu membro latejava em tesão a cada vez que voltava a penetrá-lo ferozmente. Quando seu orgasmo enfim veio, Junmyeon ainda levou uns instantes respirando antes de se retirar de Yixing. Para ser sincero, ainda queria ficar um pouco mais, envolto naquele calor delicioso, absorvido por aquele corpo lindo.

— Quais são os seus planos para hoje? – Junmyeon falara baixo em meio à sua respiração entrecortada.

Yixing voltara a se erguer da mesa, todo o seu corpo parecia amolecido de cansaço, mas também muito desperto.

— Bem... eu tinha planejado esboçar algo sobre a arte do álbum com base nos conceitos que discutimos. – Yixing tentava falar com seriedade, cruzando os braços sobre o peito, mesmo que ainda estivesse completamente nu e com o corpo todo marcado de chupões e mordidas.

— Quer fazer isso em minha casa?

— Se você insiste.

Junmyeon riu. Yixing não pode deixar de observar o quanto seu riso era lindo. Não estava bem certo se aquele era o começo de um romance, mas esperava no fundo do seu coração que fosse. Ele faria qualquer coisa por aquele homem.

— Sabe, eu acho que pensei em um nome. – Junmyeon comentou enquanto o ajudava a abotoar de volta a própria camisa.

— Para o grupo? – Yixing falava suave enquanto o admirava colocando pacientemente botão por botão em cada casa.

— Red Velvet. O vermelho pode ser o lado alegre e divertido, o veludo pode ser o lado sexy e elegante.

— Não sei, veludo vermelho é meio brega, não?

— Por isso o nome será em inglês, Red Velvet. Menos brega.

— Eu adorei, vermelho é uma das cores que pensei no meu esboço também.

— Ótimo, podemos esboçar o restante disso juntos.

— Podemos também foder até perdermos toda a força nos nossos corpos?

— Claro, teremos o fim de semana todo.

— Trabalho e sexo, você deve ser mesmo o homem dos meus sonhos.

— E você é o homem dos meus. Vamos. – Junmyeon abotoara o último botão e selara rapidamente os lábios de Yixing nos seus.

Seria um fim de semana inesquecível.

24 Mars 2019 19:50:30 0 Rapport Incorporer 124
The End

Meet the author

Lara Franco Jornalista de 23 anos de idade e ficwriter desde os 15. Completamente apaixonada por Kim Junmyeon, Moon Taeil e tudo o que os rodeiam, defensora de Zhang Yixing e Kim Dongyoung, mantém um sonho secreto de povoar o site com fanfics SuLay, 2Ho e Doil. Milita a favor do fim da guerra entre ships e sonha com o dia em que os couples flops irão dominar o mundo.

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~