entre bilhetes e quadribol Suivre l’histoire

lunybae crarinha a

Ten: o artilheiro mais extrovertido da Corvinal. Tae: apaixonado e, bem, extremamente tímido. Nutrindo desde o terceiro ano sentimentos nada fraternos pelo jogador, a timidez sempre lhe impediu de declarar sua paixão,mesmo com os vários incentivos de seu melhor amigo. No entanto,estava decido em mudar a situação mas não esperava que bilhetes de amor misteriosos começassem a aparecer ao seu redor


Fanfiction Groupes/Chanteurs Déconseillé aux moins de 13 ans.

#taeyong #ten #hpau #taeten #nct
5
3.8k VUES
En cours - Nouveau chapitre Tous les 15 jours
temps de lecture
AA Partager

Folhas de chá e conselhos

 Fanfic postada no Spirit fanfics e wattpad por esse mesmo user. Caso vejam em outro perfil por favor me avisem!



— Se resmungar novamente,Taeyong,eu juro que vou te jogar no Salgueiro Lutador! — o lufano, de cabelos claros, bradou irritado ao escutar o décimo resmungo do melhor amigo em menos de cinco minutos.


— Nossa,Jungwoo. — resmungou o outro com um bico nos lábios. — Não precisa disso tudo. — suspirou e bebeu um pouco de seu suco de abóbora.

 

O Salão Principal estava até que cheio para uma tarde de sexta feira. Muitos alunos optavam em matar aula no pátio ou passar o resto do dia mofando no dormitório. O Lee estaria fazendo a última opção se não fosse pelo pequeno demônio do sorriso doce,mais conhecido como seu melhor amigo,Kim Jungwoo.


Ambos estavam na mesa lufana,Taeyong gostava de ficar naquela mesa. Os lufanos eram bem receptivos e adoráveis,com exceção de Jungwoo,claro.


— O que aconteceu dessa vez? — o olhar do loiro caiu na mesa corvina,onde conseguiu avistar o tailandês mais fofo de toda essa Hogwarts rindo e conversando com os amigos. — Ainda não falou com ele? Lee Taeyong! Tome vergonha nessa cara,seu imbecil!


— Eu nem sei como falar isso! — respondeu em sua defesa. Suspirou pesadamente enquanto apoiava o queixo na mão direita e voltava a encarar a mesa de sua casa. — Ele é tão adorável,Woo. Olhe aquelas bochechas. — o Lee soltou suspiros apaixonadinhos.


— Se continuar assim vai ver seu amado com outra pessoa. Sei que não vai querer isso mas é o que pode acontecer. 


Sinceramente,nem mesmo Taeyong sabia explicar quando começou a sentir algo pelo tailandês. Talvez tenha sido no terceiro ano durante as aulas de Estudo das Criaturas Mágicas. O rapaz lembrava muito bem de como ficou impressionado ao ver o outro se dar tão bem com aqueles bichos,até então desconhecidos pelo corvino. Chittaphon disse que na Tailândia era bem comum encontrar esses tipos de criaturas,praticamente cresceu com elas. E sem esquecer o fato de que seu pai era um grande pesquisador do ramo.


— Terra chamando Taeyong. Está na escuta? — Jungwoo balançava a mão frente ao rosto do amigo. Ele do nada havia parado de falar e estava com olhar em um ponto fixo da parede por uns 2 minutos. — Olha,por quê você não faz como eu fiz com o Dodo? Foi rápido e eficaz.


— Você mandou um berrador para ele no meio do pátio principal com toda Hogwarts olhando. — repetiu cada ato ocorrente naquele dia. Dia que Taeyong sentiu a famosa vergonha alheia. — Primeiro,eu tenho senso do ridículo e segundo,não tenho coragem nem para isso.


O Kim,frustrado, bateu no braço direito do melhor amigo.


— Assim você não ajuda em nada,sabia? — revirou os olhos. Sabia que o que tinha feito para dizer que gostava de Doyoung não foi uma ideia de gente normal mas o que podia fazer? Era isso ou nada! 


— Ah,quer saber? Não vamos falar disso por enquanto. Tenho que me preocupar com o jogo que está vindo. A Corvinal precisa ganhar este ano,não podemos deixar a taça ir para Grifinória de novo!


— Fala assim mas nem jogar joga. — Jungwoo riu alto. O Kim poderia afirmar que perturbar Lee Taeyong era seu principal passatempo. — Vai ver o jogo esse ano ou vai ficar no dormitório roendo as unhas?


— Vou ver este ano,prometo. Quero zoar o Taeil hyung quando a Grifinória perder. — sorriu travesso.


Os amigos permaneceram naquela conversa até perceberem que estavam quase atrasados para suas respectivas aulas. Jungwoo correu para a sala de poções enquanto Taeyong se dirigiu a sala de Adivinhação. A todo momento desejava poder aparatar dentro da escola,não é nada fácil subir aquele tanto de escada!


A sala de Adivinhação era bem ampla,de acordo com a professora Trelawney era mais fácil conseguir praticar a arte da Adivinhação em um lugar grande, mas a maioria do espaço da sala estava ocupado com mesas e estantes,todas lotadas de tralhas.


— Agradeça ao fato dela sempre estar distraída. — Yukhei ,um de seus amigos sonserinos, disse assim que Taeyong sentou ao seu lado na mesa. — Vamos ler folhas de chá de novo,como no terceiro ano. Ela está vindo,tome logo essa porcaria.


Rapidamente o coreano ingeriu a bebida. O bruxo odiava aquele gosto amargo descendo por sua garganta. Não poupou a careta desgostosa ao botar a xícara novamente na mesa. O chinês riu ao segurar o objeto e começou a observar as folhas.


— Sr.Wong. Como um dos meus alunos com aptidão nesta bela arte,diga-me o que vê. — Trelawney falou olhando orgulhosa para o aluno em sua frente.


Lucas,como era chamado por seus amigos,endireitou o corpo e,com a ajuda de suas anotações e livros,disse o que via.


— Bom,eu vejo algo que se assemelha a um galho de árvore,significa uma amizade nova. Então você fazer um novo amigo ou amiga em breve,Tae. — olhou novamente a xícara analisando bem o restante das folhas. Taeyong não gostou nadinha do sorriso que surgiu nos lábios do rapaz ao levantar o rosto. — E também vejo um sol,que significa amor. Em resumo,você vai fazer uma amizade nova e ela provavelmente será um novo amor.


Um coro de vários hmmmm ecoou por toda a sala. O Corvino sentiu suas bochechas corarem enquanto fuzilava o amigo com os olhos.


— Excelente como sempre,jovem Yukhei. — Sibila bateu as mãos uma na outra e olhava admirada para o jovem bruxo. — 10 pontos para Sonserina por sua resposta mais que correta. 


Em menos de cinco segundos a mulher já estava no meio da sala,falando alto, com as mãos levantadas,tagarelando o quão incrível era a arte da adivinhação.


Taeyong pegou sua xícara e a olhou. Não entendia como Lucas conseguiu ver algo no meio daquela porcalhada toda. Se bem que o rapaz era todo estranho...é...talvez seja isso mesmo.



~


Taeyong era a personificação de alguém morto. Praticamente arrastava o corpo pelos extensos corredores da escola .Pelo menos era sexta feira. Poderia descansar um pouco antes de estudar para as provas,queria relaxar mas sabendo que estava com boas notas.

Estava chegando perto do pátio principal quando sentiu um enorme peso em suas costas. Já estava pronto para gritar uma resposta bem mal educada para a pessoa mas a ideia foi descartada ao escutar a risada alta do indivíduo.


— Quase me matou de susto,Chenle! — resmungou ao ver o melhor amigo do seu irmão mais novo. E por falar nele,o Lee percebeu que não havia visto o irmão durante todo o dia. — Onde está Jisung?


— No dormitório. Vamos dizer que ele e Jaemin irritaram a professora Minerva, e agora vão ter que entregar na próxima aula um metro de pergaminho explicando as formas de transfiguração. — deu de ombros mas não deixou de rir com a situação. Gostava bastante dos amigos mas caía na risada quando algum deles se ferrava.


— Por que não estou chocado? — o mais velho riu e o grifinório acompanhou. — Vá descansar um pouco,Lele. Vai precisar. Jisung me disse que anda estudando demais. 


O chinês balançou a cabeça e abraçou seu hyung preferido antes de sair correndo em direção ao seu salão comunal. 


O corvino suspirou cansado. Ainda estava claro,daria tempo para dar uma passadinha na casa do professor de Trato das Criaturas mágicas,estava ansioso para saber mais sobre os bichos que aprenderam nas últimas aulas e,quem sabe,pedir algum spoiler dos outros que serão comentados nas próximas lições.

Saiu da área do castelo e desceu alguns degraus de pedra até chegar perto das plantações de morango. Já podia avistar a velha cabana,então acelerou seus passos,chegando mais rápido ao local.


— Hagrid! Sou eu,Taeyong! — gritou ao se aproximar da porta.


— Oh! Tae! — olhou para trás e viu o gigante. Hagrid o abraçou fortemente,o bruxo riu ao sentir os cabelos da barba cinza em seu rosto. — Cresceu mais,meu jovem? Ah! Logo estará se formando,lembro muito bem de como estava em seu primeiro ano. 


O bruxo riu alto com a lembrança.


— Já ia me esquecendo,tem alguém que quero que conheça.

 

Taeyong conhecia bem aquele sorriso. Com toda certeza o professor encontrou um outro animal diferente e estava tratando da criatura. Todo mês o homem tinha um bicho novo para mostrar,e o bruxo apenas queria saber de onde essas criaturas vinham.


Será que Hagrid tinha um tipo de imã para esses bichos?


— Conheça o Bicuço Júnior!


Com a fala do homem um animal saiu de detrás da casa. Um hipogrifo. Taeyong lembrava bem desse bicho,já que foi um dos mais comentados durante as aulas e também já tinha visto várias fotos em livros e jornais,mas nunca chegou a ver de um pertinho.


Fez uma reverência para poder ter autorização do animal para se aproximar. Quando viu,já estava acariciando a penugem macia do bicho. Bicuço era maravilhoso


— Como o conseguiu? 


— O Ministro me deu. Um pedido de desculpas por algo que aconteceu uns anos atrás. — suspirou enquanto acariciava o animal — Claro que Hermione meu deu uma ajuda,doce mulher essa garota.


— Aigo! Pensei que tinha perdido o bichinho. — O Lee olhou para trás ao escutar a voz um tanto familiar. Sentiu seu sangue se acumular em suas bochechas ao perceber a aproximação de Chittaphon. O tailandês estava com alguns animais mortos nas mãos,provavelmente eram o alimento do hipogrifo.— Como vai, Taeyong? — sorriu quando viu o colega de casa. — Vejo que já conhece o Bicuço júnior. Ei,por que não me ajuda a dar comida a ele?


— Como? — exclamou surpreso. — Eu nunca alimentei um hipogrifo antes.


— É só jogar o bicho para perto dele,ele vai pegá-lo antes de cair no chão. Veja.

O tailandês se afastou um pouco do animal e entregou para Taeyong um dos animais mortos. Olhou para a criatura e jogou a carcaça. O animal abocanhou o bicho e fez barulhos com os cascos no chão,como se estivesse agradecendo a comida.


— Tente agora. 


Taeyong engoliu a seco antes de segurar melhor o animal morto. Respirou fundo e jogou o cadáver. Bicuço júnior pegou a comida de primeira. Como agradecimento,se aproximou do bruxo e puxou levemente o cabelo dele. 


— Um bebezão esse monstrengo. — Hagrid comentou fazendo os rapazes rirem. — Bom,meninos,acho melhor voltarem para o castelo. Está escurecendo,e Ten não se esqueça de estudar as estratégias para a grande final. 


— Pode deixar. Vou trazer a taça para Corvinal este ano. — a voz do apanhador transbordava confiança. 


Os bruxos se despediram do gigante e voltaram para dentro do castelo. Permaneceram em silêncio na maior parte do caminho. Taeyong olhou para o garoto ao seu lado e quase,eu disse quase,soltou um longo suspiro apaixonado. 


— Acho que nunca nos falamos direito. — Ten quebrou o silêncio chamando a atenção do coreano ao seu lado. — Somos da mesma casa e dividimos quarto, mas nunca nos falamos muito.


Taeyong riu baixo.


— Verdade.Por que isso acontece? Jungwoo conhece toda a escola praticamente.


— Jungwoo é o namorado do Doyoung, não é? — perguntou e o outro confirmou. — A ideia do berrador deu certo mesmo.— riu alto ao lembrar da situação. 


— Woo é meio sem noção às vezes,mas não nego que foi uma ideia criativa. 


— Queria ter essa coragem. — o tailandês soltou um suspiro derrotado. Colocou as mãos nos bolsos da calça antes de continuar. — Sabe,de contar para a pessoa o que sinto.


Taeyong ficou pensativo. Ten gostava de alguém,mas quem seria? 


Chegou a cogitar a ideia do rapaz estar gostando novamente do ex namorado, mas isso seria impossível já que Kun estava de rolo com um garoto do 7ºano,Moon Taeil se não estava enganado. 


Legal,agora ficaria com esse pensamento resto do dia e com toda certeza escutaria um belo eu avisei vindo de Jungwoo.


~


Lee Taeyong acordou decidido naquele sábado. Iria começar sua investigação para descobrir quem era a tal pessoa que Ten havia falado. Para começar,deveria falar com alguém que conhecesse o tailandês como a palma da mão,e não existia ninguém melhor para isso do que o ex namorado do rapaz!


Kun era bem reservado,raramente era visto fazendo algo estrondoso na escola. Era bem conhecido por suas notas,um dos melhores alunos da Lufa-Lufa. Provavelmente estava na biblioteca naquele momento fazendo algum resumo ou lendo apenas para passar o tempo. E acertou sua teoria. O chinês estava passeando pelas prateleiras,olhando com calma os títulos dos livros. 


— Kun! — correu até o lufano que se assustou com o grito do rapaz. — Preciso da sua ajuda.


— Sim,Taeyong,eu estou ótimo. Obrigado por perguntar. — respondeu irônico mas soltou uma risadinha depois. — Em que posso ajudar? 


O bruxo terminou de apanhar os livros e caminhou até a mesa mais próxima com Taeyong ao seu lado. Deixou os livros sob a superfície de madeira escura e sentou em uma das cadeiras. O Lee fez o mesmo que si.


— Pode parecer loucura, mas pode me dizer sobre o que o Ten gosta? — o Corvino soltou tudo de uma vez,acabou se embolando um pouco nas palavras por conta do nervosismo.


— O Chitta? — ergueu uma sobrancelha. Deu de ombros e continuou — Ah,sei lá. Ten gosta de dançar,tipo,muito mesmo. Não suporta frutas,gosta de doces e se pudesse dormia até morrer. Mas por quê quer saber disso?


O rosto do coreano ficou vermelho e um sorriso malicioso surgiu no rosto do chinês.


— Sabia! Está interessado no Ten! — exclamou com um enorme sorriso no rosto. 


— É estranho falar isso com você. Sabe,você é o ex dele e tudo mais.


— Não ligue para isso,TY. De verdade. — sorriu botando a mão no ombro do amigo. — Eu e ele somos amigos agora,e estou ficando com o Moon da Grifinória,lembra?


— Não deixa de ser estranho. — disse com um biquinho adorável nos lábios. — Mas o que eu devo fazer?


— Vamos dizer que Ten é uma pessoa que não se rende facilmente a sentimentos. Foi difícil conseguir algo com ele. O Chitta é muito reservado quanto a isso. 


Taeyong então lembrou da pequena conversa que teve com o tailandês no dia anterior. Pelo o que o rapaz havia dito,ele estava gostando ou começando a gostar de alguém sabe escola. 


— Olha,tente se aproximar dele e seja você mesmo. — Kun sorriu. — Você é um cara legal,TY. Vai conseguir,tenho certeza. 



~


— Ainda acho melhor você dizer logo que gosta dele,hyung.


Taeyong estava junto do irmão no salão comunal de Grifinória. Agradecia todos os dias pela Mulher Gorda o deixar entrar lá. Não ser da Sonserina tinha suas vantagens.

O bruxo estava jogado no chão perto da lareira enquanto Jisung encarava o irmão do sofá.


— Não é tão fácil assim,Sung. — suspirou longamente enquanto olhava para as chamas da lareira. — Kun me disse para tentar uma aproximação.


— Espera,o Kun? Você foi falar com o ex dele!? Qual o seu problema,Lee Taeyong? — Jisung exclamou. Esticou o pé e deu um leve chute na cabeça do irmão que empurrou o pé para o lado. — Você realmente perdeu a noção.


— Obrigado por me dizer o óbvio,Lee Jisung. — a voz do mais velho estava carregada de ironia. — Eu estava sem opções,ok? Não tinha outra pessoa para falar,e perguntar esse tipo de coisa ‘pro Jungwoo é como falar com uma mula.


Jisung balançou a cabeça concordando. Jungwoo era totalmente fora da casinha. 


— Ei,por que não conversa com ele sobre quadribol? Ele é o apanhador da sua casa e você gosta de quadribol. Tudo está colaborando,só basta você não ser idiota. 


Brilhante! Como não pensou nisso? Seu pitico era realmente incrível,se bem que isso é algo óbvio mas quem disse que Lee Taeyong pensa em coisas óbvias?


Agora só faltava pensar em uma coisa,como chegar no tailandês e começar uma conversa?

22 Décembre 2018 19:28:52 0 Rapport Incorporer 0
Lire le chapitre suivant Bilhetes e férias em família

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~

Comment se passe votre lecture?

Il reste encore 3 chapitres restants de cette histoire.
Pour continuer votre lecture, veuillez vous connecter ou créer un compte. Gratuit!

Histoires en lien