Você Pertence a Mim Suivre l’histoire

cherry-bomb91 Cherry Bomb91

Ela não entende o seu humor como eu entendo. Ela não conhece a sua história como eu conheço. O que você ainda faz com uma garota dessas? Você não vê, o que você procura sempre esteve aqui ao seu lado esse tempo todo!? O seu lugar sempre foi comigo. Como você não pode saber Sasuke Uchiha, você pertence a mim.


Fanfiction Anime/Manga Déconseillé aux moins de 13 ans.

#amizade #Primeira-Temporada #universo-alternativo #naruto #colegial #romance #sasusaku
1
4.6k VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

Amor Platônico

VOCÊ PERTENCE A MIM

S A K U R A

Por que o amor tem que ser algo tão complicado? Por que é tão difícil ver alguém que a gente ama com uma outra pessoa que não é o melhor para ele? Sim, esse é a minha história clichê que vocês vão presenciar.

Eu sou Sakura Haruno, uma garota extremamente nerd que exala nerdisse por todos os poros do meu corpo, e que é apaixonada platonicamente por seu melhor amigo e vizinho Sasuke Uchiha. O cara mais legal, lindo e popular da cidade.

Sasuke havia se mudado com a sua família para Konoha depois da morte de sua mãe Mikoto. Ele tinha apenas doze anos quando ficou órfão de mãe, um fato doloroso de sua vida que havia o deixado sem chão, assim como os outros dois membros de sua família, seu pai e seu irmão mais velho.

Lembro-me da época quando ele havia se mudado recentemente para a casa ao lado, ele não falava com ninguém e ignorava a todos. Foi uma batalha muito difícil de conseguir a sua confiança, sua amizade e conquistar seu respeito. Nos tornamos melhores amigos, do tipo de contar tudo um para o outro, os medos os segredos, essas coisas... Éramos unha e carne. Eu sabia tudo sobre a sua vida, tudo mesmo, assim como ele sabia da minha.

Mas conforme o tempo passava e a gente crescia, a nossa amizade foi ficando de lado. Sasuke havia feito mais amigos, se tornando popular, tanto nos esportes quanto com as garotas que caíam em cima dele como se ele fosse um pote de mel. Eu me sentia mal, e por várias vezes com ciúmes daquelas idiotas que o via só como um rostinho bonito... quer dizer, Sasuke não era só um rostinho bonito, ele era lindo, tanto por fora quanto por dentro. Mas o fato era que elas não o conheciam tão bem como eu conheço, e só o queriam por ele ser um cara lindo e popular.

Mas eu tinha que me conformar de que Sasuke era muita areia para o meu caminhãozinho. O que Sasuke iria ver de interessante em alguém como eu?

Eu não era uma garota popular e muito menos bonita que nem as garotas que ele saía. Eu era apenas uma nerd sem graça que usa roupas largas, camiseta, tênis e óculos. Nem de longe eu chamaria a atenção de alguém como ele. Eu tinha que me conformar em ser a penas a melhor amiga nerd que o entende e que escuta suas frustrações. E mesmo sabendo que eu não era tão boa assim para ele, eu o queria para mim. Mas eu era fraca e covarde, não tinha coragem o suficiente para abrir o jogo e dizer o quanto eu o amo, o quanto eu era apaixonada por ele. Mas isso só ficaria no meu mundinho secreto imaginário.

Suspirei.

Hoje era uma típica noite de terça-feira, e eu estava sentada em minha cama com um monte de papéis, cadernos e livros espalhados a minha volta, estudando que nem uma louca para o vestibular que estava se aproximando. Eu estava dando tudo de mim nesses últimos dias para conseguir entrar numa renomada faculdade de medicina. E com isso, eu passava a maior parte do meu dia enfurnada no meu quarto estudando, sem nenhum vestígio de vida social. Como se eu tivesse uma.

Estava fazendo os exercícios de matemática, sentia meu pescoço dolorido por causa das horas que passei com a cabeça baixa, escrevendo e estudando. Ergui minha cabeça para cima e levei a mão no pescoço, fitando o relógio que ficava na mesinha ao lado da minha cabeceira. 19hrs e 34min.

- Caramba, já são quase oito da noite! - não pude evitar ficar surpresa com as horas, eu havia começado a estudar no começo da tarde e as horas simplesmente voaram.

Desviei meus olhos para a minha janela que dava para a janela do quarto da casa ao lado. E não demorou para que meu coração acelerasse nas batidas quando vi o meu vizinho - amor da minha vida - dando voltas em seu quarto enquanto falava no telefone, totalmente alheio a espiã que o espionava. E pelo modo como ele estava nervoso, eu deduzia que ele estivesse falando com a nojenta da sua namorada.

Ino Yamanaka era o sonho de consumo de quase toda a população que tinha o cromossomo Y da escola. Linda, loira, olhos azuis e líder de torcida, sem contar que era a garota mais popular. Mas a sua popularidade,  beleza e status não subjugava dela ser uma pessoa mesquinha, hipócrita e má.

Ino me odiava e fazia questão que todos soubessem o seu desprezo por mim. E todo o seu ódio era por um simples e pequeno detalhe que eu era a melhor amiga de seu namorado. Ela não admitia que alguém como Sasuke tenha amizades com alguém como eu.

E nem sob tortura que eu abriria mão da minha amizade com ele por causa de um capricho fútil dela. Isso nunca.

Sasuke havia desligado o celular e o jogou na cama, e pelo jeito irritado que ele passava a mão nos cabelos, a briga com a Ino havia sido feia. E será que eu seria uma pessoa mesquinha por desejar o fim daquele namoro?

Sasuke ergueu a cabeça e me fitou pela janela, e eu pude contemplar aquele pequeno sorriso que se abria no canto esquerdo de sua boca, um sorriso cansado. E é claro que retribuí aquele sorriso, medindo a intensidade do meu sorriso para que não saísse desesperado e apaixonado. Eu tinha que sorrir como uma amiga.

Peguei meu caderno e virei algumas páginas em branco enquanto agarrava uma caneta hidracor preta e escrevi a mensagem daquela noite, e em seguia ergui o caderno em direção a janela para ele poder ler.

Você Está Bem?

Aquilo era um nosso jeito secreto de nos comunicarmos, mesmo com a presença dos aparelhos eletrônicos, eu fazia questão de não acabar com aquele nosso jeito antigo de um falar com o outro. Eu achava romântico.

Sasuke terminou de ler o que eu escrevi, e caminhou para frente de sua janela, onde ficava uma escrivaninha abaixo dela, sentou-se na cadeira e começou a escrever, e não demorou para que ele erguesse sua folha de caderno com sua frase escrita.

Estou Cansado De Todo Esse Drama

Mordi o lábio, sabendo seu drama com a namorada. Virei outra página do caderno e escrevi para em seguida erguer o caderno para ele ler.

Eu Sinto Muito

Sasuke soltou um suspiro e sorriu comprimido. Eu queria muito o consolar, deitar sua cabeça em colo e afagar seus cabelos. Iria dizer para ele que podia contar comigo sempre. E que podia largar aquela Ino e ficar comigo, pois eu o amava como ninguém irá o amar. Iria dizer para ele que ficando comigo eu iria me dedicar para que seus dias fossem leves e felizes. E que o amo do jeito que ele é, com todos os seus defeitos e qualidades.

Mas eu não tenho coragem o suficiente para dizer tudo o que se passa no meu coração, não tenho coragem de dizer que o amo desde o dia que o conheci. E tudo isso por medo de perder sua amizade caso ele não corresponda as minhas expectativas.

Sasuke é meu melhor amigo, o único amigo que eu tenho. Eu fico numa corda bamba, as vezes sinto que ele gosta de mim como um garoto gosta de uma garota. As vezes eu sinto que os seus sentimentos por mim é só de um amigo que sente por uma amiga. Isso era muito confuso e me deixava impossibilitada dar o passo para sair de cima do muro.

Desviei meus olhos da janela e fitei meu caderno em cima do meu colo, com a última mensagem que passei para ele. Talvez... talvez se eu dissesse por escrito o que eu sinto, fosse menos constrangedor e mais fácil de me explicar se tudo desse errado. Eu poderia arrumar uma desculpa caso ele risse de mim...

Seja positiva, Sakura.

Dei uma rabada de olho pela janela, Sasuke ainda estava lá e me fitava. Talvez essa fosse a chance de me declarar e sair de uma vez de cima do muro, e às consequências... bom, as consequências eu pensava depois.

Voltei minha atenção para o caderno e virei a outra página re com toda a coragem escrevi aquelas três palavras que diziam tudo sobre os meus sentimentos por ele.

Sorri quando finalmente consegui escrever, e com uma coragem que inflava em meu peito, ergui o caderno para a janela e esperei o que viesse a seguir.

Eu Te Amo

Meu sorriso murchou quando vi Sasuke de costas, apagando a luz e saindo do quarto. E toda aquela coragem de segundos atrás havia se estilhaçado como vidro, e um sentimento de depressão caiu como uma pedra em cima de mim. Quando finalmente tenho coragem de me declarar para o amor da minha vida, as coisas dão com os burros n'água.

- Acho que não era o momento certo ainda. - murmurei comigo mesma, abaixando o caderno e fitando aquela frase escrita.

Suspirei cansada, arranquei aquela folha de caderno e a dobrei em quatro partes e a guardei dentro do livro de romance que eu estava lendo.

- Sakura, venha jantar! - a voz de mamãe soou alta no andar de baixo.

- Já estou indo, mãe! - respondi enquanto ajuntava os papéis num bloco, e os livros e cadernos num canto.

Dei uma olhada no quarto vizinho, estava tudo apagado.

- É, Sakura, você não tem sorte mesmo. - resmunguei antes de levantar da cama e caminhei para fora do quarto, não sem antes de apagar as luzes.

2 Novembre 2018 17:16:11 0 Rapport Incorporer 0
Lire le chapitre suivant Maluquinha

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~

Comment se passe votre lecture?

Il reste encore 10 chapitres restants de cette histoire.
Pour continuer votre lecture, veuillez vous connecter ou créer un compte. Gratuit!