Soul in Myself Suivre l’histoire

tartswhite Tarts White

Izuku Midoriya é um jovem cientista que está sempre buscando conhecimento, após uma "missão" governamental ele criam um androide de guerra, uma verdadeira arma de destruição, resistente, forte e rápido, era assim que poderiam descrever o androide, mas Midoriya começa a ver o androide além de apenas uma maquina de guerra.


Fanfiction Anime/Manga Tout public. © TartsWhite

#kirideku #boku-no-hero-academia #my-hero-academia #Kirishima-Eijirou #midoriya-izuku
3
3.8k VUES
En cours
temps de lecture
AA Partager

1...

   O som das maquinas se movendo junto aos passos apressados do jovem cientista de cabelos esverdeados, o piso e as paredes brancas deixavam o ambiente maior do que realmente era, várias peças mecânicas estavam espalhadas sob inúmeras mesas de metal, onde alguns outros cientistas trabalhavam em seus próprios projetos, pequenas maquinas, alguns sistemas, substancias sintéticas e outras orgânicas, mas o jovem esverdeado estava em um projeto muito maior do que os outros, que desenvolviam simplórios robôs, ele e dois amigos estavam desenvolvendo o que poderia ser uma arma num futuro próximo.

   Assim que ele chegou na frente de uma porta de ferro, colocou a palma da mão sob um leitor digital ao lado direito da porta, um pequeno laser passou sob a mão do mesmo e em seguida a porta deslizou para o lado, dando passagem a uma grande sala, igualmente branca.

   Uma jovem de cabelos castanhos claros e um de cabelos azulados e de óculos, estavam dentro da sala, ela verificando o trabalho deles, que estava dentro de um grande tubo de vidro e flutuava levemente graças ao liquido azulado dentro, o outro rapaz digitava rapidamente em um computador com dois monitores, vários códigos e informações passavam pelos seus olhos, que agilmente coletava as informações que apareciam.

   A presença do esverdeado imediatamente chamou a atenção dos amigos, que o olharam por breves segundos antes de voltarem ao que estavam fazendo.

   -Oi deku! Conseguiu achar os códigos que faltavam? - a jovem falava animadamente enquanto anotava algo em alguns papeis.

   -Sim. - Um suspiro baixo denunciava que fora cansativo buscar aquilo – foi deveras difícil achar isso no meio de tanta coisa que tinha no sistema central.

   O esverdeado andou até o lado da amiga e começou, juntamente com ela, a observar o que estava a sua frente.

   Um androide de alta tecnologia, a estrutura óssea era feita de microlattice, um produto, feito de níquel fósforo, cerca de 100 vezes mais leve do que o isopor e que em sua composição há 99,99% de ar, um sistema de motor nas pernas para dar impulso e velocidade o suficiente para alcançar um carro de corrida, um motor parecido instalado nos braços para dar força e potência a socos, no tronco um sistema de energia eólica, que através do ar, que entre pelos narizes através de um sistema de sucção, dá energia o suficiente para o androide se manter ativo, um cérebro com inúmeras informações e conhecimentos importantes além de um avançado banco de dados e um sistema operacional fluído e rápido, o sistema auditivo bem sensível ao ponto de captar um animal pequeno correndo a cerca de 800 metros, o visual com visão noturna, de calor, a distância e o de "luz negra", capaz de falar todas as línguas que estiverem em seu sistema, tudo isso revestido com uma pele sintética, que fora modificada por eles mesmo, tornando-a tão dura e resistente quanto um diamante.

   Eles adicionaram alguns detalhes estéticos, que de certa forma eram inúteis, como o cabelo vermelho e uma pequena cicatriz no olho direito, além dos dentes, que acharam que iria ficar "maneiro", eram pontiagudos como de um tubarão.

   O esverdeado e a amiga observavam com atenção o androide, até que o foco dos olhos de Midoriya foram para a região genital do androide, que não deveria ter nada, mas havia ali algo, que o esverdeado julgou certamente grande.

   -Uraraka... - assim que a amiga olhou para ele com um sorriso travesso no rosto ele continuou – o que é aquilo?

   -Ora deku, aquilo é um órgão genital masculino, que eu desenvolvi pra você! - o tom de humor na voz dela junto com as palavras finais, o fizeram ficar com o rosto bem vermelho.

   -Co-como assim pra mim? Porque pra mim? - ele falava rapidamente devido ao constrangimento – Devia ser pra você!

   -Mas deku, você é o único na seca aqui! - o braço fino e pequeno dela passou pelas costas do esverdeado o abraçando pela lateral – Eu tenho o lida, o lida tem eu, e agora você tem o... - ela refletiu rapidamente com a mão sob a boca – Kirishima!!

   -O que?

   -Kirishima vai ser o nome dele! – falou apontando para o androide a frente.

   -Achei um bom nome! - O azulado disse finalmente se manifestando verbalmente no lugar – combina com o cabelo! - o tom convencido e firme fizeram os amigos arquearem as sobrancelhas e olhar mais atentamente para o androide, tentando ver se realmente combinava.

   -Sim, realmente combina... MAS NÃO VEM AO CASO! URARAKA, TIRE AQUELE PINTO DELE! - aumento no tom de voz do esverdeado fez a morena se assustar brevemente antes de começar a gargalhar.

   -Ah não deku, ficou legal! - ela se aproximou do tubo de vidro e encostou o corpo no mesmo – Eu não quero que ele vire um boneco, que seja liso em baixo! - as mãos dela faziam gestos curvos de vai e vem tentando imitar uma superfície lisa.

   -Mas ele não vai usar isso numa guerra!

   -Nunca se sabe deku! Um dia vai ser útil, eu sinto no meu fígado!

   O esverdeado riu soprado pela amiga, logo todos voltaram aos deveres ali, verificando os sistemas internos do androide, fazendo testes com a pele, isso durou um bom tempo, até estarem com fome o suficiente para saírem daquela sala e irem até um refeitório que havia ali.

   Assim que chegaram no refeitório e pegaram a comida, se sentaram em uma das mesas que havia ali e continuaram a conversar sobre o androide, o que poderia colocar, tirar ou arrumar, mas foram interrompidos por alguém que se sentou na mesa, os cabelos loiros e rebeldes que eram acompanhados por um par de olhos escarlates, faziam o corpo do jovem esverdeado se arrepiar por completo.

   Bakugou, um gênio na área de explosões e destruição, a muito custo ele ajudou Midoriya e os amigos a fazer o sistema nos braços e pernas, infelizmente depois disso ele passou a atormentar o esverdeado, seja com humilhações verbais ou, em algumas poucas vezes, agressões físicas, tudo isso por causa do loiro ter descoberto informações confidenciais, ameaçando o esverdeado e o obrigando a fazer coisas humilhantes.

   -Deku seu inútil, eu preciso do seu corpo nesse exato momento! - a voz agressiva e levemente rouca junto do olhar malicioso e ao mesmo tempo raivoso, fazia Midoriya querer fugir pra bem longe, mas isso não aconteceria, pois o loiro o acharia e quem sabe até o espancaria.

   -Tá... - a voz baixa e tremula fez um sorriso maldoso nasce nos lábios do loiro, que na mesma hora saiu de cima da mesa e começou a andar para um lugar aleatório, e o pobre Midoriya com uma vontade inexistente se levantou para acompanha-lo, os amigos tentaram impedir que ele fosse, mas não funcionou, o medo que o esverdeado tinha era maior do que a vontade de ficar ali e fingir que nada tinha acontecido.

   Assim o esverdeado caminhou seguindo o loiro, logo chegaram a sala do loiro, que abriu a porta dando passagem ao esverdeado, que hesitante entrou na sala, que era bem organizada, mas bem parecida com a sua, só substituir o androide e alguns motores e cérebros mecânico e trocar isso por bombas, motores de força e coisas para destruir tudo.

   Distraído com a sala ele só sentiu sua roupa ser puxada com força para trás e seu corpo ir de encontro a dura parede, no mesmo momento sentiu os lábios do loiro sob os seus, um beijo agressivo, dominador e forçado, o esverdeado tentou ceder ao beijo do loiro, mas um soco no estomago o fez abrir a boca para buscar ar, nesse momento o loiro aproveitou e adentrou com a língua na boca do outro, explorando brutalmente a boca do esverdeado, que sentiu os olhos marejarem.

   Desse momento para frente apenas foi apenas agressões e ações forçadas, as lagrimas do esverdeado apenas excitavam mais o loiro, que no final de tudo se vestiu e saiu da sala, deixando o outro jogado no meio da sala, nu e machucado, tanto por dentro quanto por fora, depois de se vestir também Midoriya a passos lentos foi para o seu quarto, que infelizmente era do outro lado do grande prédio.

   Quando chegou no mesmo foi direto para o banheiro, entrando em seguida debaixo da água quente do chuveiro, a esponja era esfregada sobre a pele com força, os braços, pernas e tronco que tinham marcas roxas e vermelhas.

   As lagrimas começaram a cair novamente, se sentia sujo, violado, e não era a primeira vez, o loiro sempre o chamava quando queria descontar as frustrações do dia, não entendi o porquê de ele fazer o que faz, o submetendo a várias humilhações, se arrependia de um dia ter tido alguma atração por aquele ser.

   Assim que saiu do banho, colocou uma roupa leve e se deitou na cama, devido ao choro adormeceu rapidamente, mas o sonho com o loiro o violando novamente, o fez acordar algumas horas depois, suado, com o coração disparado e respiração ofegante.

   Os passos do pé descalço sobre o chão gelado não tinham som, o esverdeado caminhou até a sua sala, assim que entrou não viu os amigos lá dentro, deveriam estar dormindo, entrou na sala e, com apenas a luz do tubo onde estava o seu projeto iluminando o local, se sentou no chão de frente para o androide.

   Ficou observando o mesmo por um bom tempo, a fisionomia que tinha criado para o mesmo, um corpo forte e másculo, diferente do seu, que era pequeno e magro, poderia até dizer que tinha um corpo levemente feminino, mas seria estranho.

   Depois de um tempo observando o androide, e seu pênis desnecessário, o esverdeado teve a ideia de ativar o androide, assim ele poderia ver se o funcionamento estava certo, e o que precisava mudar.

   Ele se levantou e andou até um pequeno monitor que estava conectado com o tubo de vidro, digitou algumas coisas e um brilho fraco da cor verde brilhou do monitor, fazendo o esverdeado olhar imediatamente para o androide e esperar alguma reação.

   As pálpebras falsas se abriram revelando os olhos vermelhos, iguais aos cabelos, que vagaram por toda a sala e pararam sob os verdes de Midoriya, a água azulada e brilhante foi escorrendo pelo ralo que havia dentro do tubo, assim que a água se foi por completo, uma porta no vidro do tubo se abriu, o esverdeado calmamente foi até o mesmo, entrando dentro do tubo, e desconectou os vários fios que estavam ligados a nuca do mesmo.

   Assim que saiu do tubo voltou a encarar o androide.

   -Saia daí. - a voz calma e concentrada do esverdeado fez com que o androide se movesse para perto do mesmo e fora do tubo – ande pela sala um pouco.

   Novamente a ordem fora atendida e logo o androide se movia calmamente pela sala, os movimentos eram silenciosos e precisos, os olhos vermelhos absorviam tudo que via, desde uma simples caneta que estava em cima de alguns papeis, até as informações que cotiam nos mesmos papeis.

   O olhar do esverdeado era atento e detalhado, desde o modo com a perna do androide se movia até o movimento dos fios ruivos molhados.

   Assim que o androide se aproximou do esverdeado e parou em sua frente, o cientista andou a sua volta, tocou no corpo do mesmo, olhou os ouvidos, boca, olhos, mãos e, com muito constrangimento, o pênis do androide, que também o observava atentamente.

   -Você consegue identificar se tem algo que não esteja funcionando ou que precise de reparos? - o olhar do esverdeado ainda era sob o corpo do androide, mas rapidamente desviou para os olhos ruivos, no mesmo instante um arrepio percorreu sua espinha.

   "Porque os olhos têm que ser tão reais?" Pensava intrigado com a recente sensação que tivera, os olhos do androide eram profundos demais para um robô, "talvez Uraraka tenha deixado assim".

   -Negativo. Tudo em perfeito funcionamento. Motores de velocidade. Aprovado. Motores de força. Aprovado. - a voz era grossa mas ao mesmo tempo suave, apesar do tom robótico, o esverdeado declarava que aquela era uma voz que combinava com o androide e que era bem gostosa de se ouvir    -Sistema de Energia Eólica Interna. Aprovado. Sistema Visual. Aprovado. Sistema Auditivo.    Aprovado. Pele Sintética com Endurecimento instantâneo. Aprovado. - o esverdeado ai se virar e pegar os papeis para marcar que estava tudo em bom funcionamento quando o androide continuou a verificação - Sistema de Órgão genital. Aprovado. Identificador de Emoções Humanas. Aprovado. Verificação de funcionamento de todos os sistemas e motores finalizado.

   O rosto do esverdeado estava num tom de vermelho bem intenso, fazendo o androide usar o seu "Identificador de Emoções Humanas".

   -Vergonha. É o que está sentindo. Não entendo o motivo. Tudo está perfeitamente normal e neutro. - a expressão séria do androide fez Midoriya ficar mais constrangido ainda.

   -Na-não se importe com isso no momento. - falou, agora com os olhos focados nos papeis nas suas mãos, o rosto continuava vermelho em constrangimento.

   O esverdeado fez alguns testes breves antes de oficialmente declarar que o androide estava pronto, agora só restava o último teste, que era para ver se ele era realmente veloz, forte e resistente, mas deixaria isso para quando Uraraka e Lida estivessem ali.

   Ordenou para o androide se posicionar num instrumento para reparos, que consistia numa mesa no formato de um corpo, com uma elevação de 45°, em seguida o colocou em modo de descanso, assim o androide continuaria ligado caso acontecesse alguma coisa, mas não ligado 100%.

   Assim que o androide se posicionou no lugar ordenado, o esverdeado saiu da sala a trancando em seguida e voltando para o seu quarto. 

14 Août 2018 02:05:02 0 Rapport Incorporer 1
Lire le chapitre suivant 2...

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~

Comment se passe votre lecture?

Il reste encore 6 chapitres restants de cette histoire.
Pour continuer votre lecture, veuillez vous connecter ou créer un compte. Gratuit!

Histoires en lien