Charm Suivre l’histoire

xixisss Isis

Gaara estava confortável com sua rotina de estudante de medicina e irmão. Até vê-la mudar para incluir uma livraria laranja, cabelos loiros e olhos azuis. De repente, tinha muito mais sorrisos e menos tempo recluso; porque era simplesmente impossível conhecer Naruto e não se deixar levar pelo seu charme.


Fanfiction Anime/Manga Déconseillé aux moins de 13 ans.

#universo-alternativo #libra-capricornio #signos #zodiaco #Gaara-Naruto #naruto
Histoire courte
7
5.2k VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

Charme.

Hey!


Olha eu vindo com casal diferente do usual mais uma vez. A gente até tem OTP, aquele que tem nosso amor incondicional, mas de vez em quando olha pro lado sim. Hoje olhei pro lado com GaaNaru.

Eu acho que dei umas viajada, mas tentei usar todos os elementos do desafio junto com o que pesquisei sobre o relacionamento entre um libriano e um capricorniano.

Enfim, espero que gostem.

Ps. Uma curiosidade: meu Sol é em Libra mas eu nasci no primeiro dia da regência de Escorpião e tenho muito desse signo no meu mapa, então não sou libriana “pura” mas me identifico muito mais com ele do que com o outro.

Desafio dos Signos


Tema: Cuidar do namorado doente

Signos e Características:
Libra (Educado, charmoso e gentil) [Naruto]
Capricórnio (Forte, determinado e persistente) [Gaara]

Participantes:

cupacke_ruivo
Tia Kuro Neko
CrazyClara
Inial Lekim
AliceAlamo
Luraywriter
Cupcake_ruivo
kixnara

kalinebogard

Links para as outras fanfics nas notas finais.

Quando saiu da estação do metrô, Gaara reparou que o sol já estava se pondo. Pegou o celular para checar as horas e viu que tinha quatro novas notificações. Um e-mail de propaganda de algum produto em que não tinha interesse, imediatamente excluído; uma curtida na foto que tinha acabado de postar em seu Twitter e duas mensagens de Temari perguntando se estava tudo bem e se ele iria jantar em casa. Seu estômago roncou pela simples menção da palavra jantar, o lembrando de que sua última refeição tinha sido o almoço, antes da sua aula da tarde, há umas seis horas atrás. Respondeu um breve “Sim” para a irmã e atravessou a rua rumo à livraria de fachada laranja enquanto guardava o celular. Só então percebeu que não se lembrava de ter visto as horas. Mas não importava, tinha chegado a tempo, a loja ainda estava aberta e Gaara esperava que, enfim, conseguisse resolver seu problema.

Tinha encomendado um livro importante na livraria próxima ao campus onde estudava há quase dois meses. Desde então já tinha voltado até lá quatro vezes para saber se sua encomenda havia chegado, e o atendente - que estava sempre parecendo entediado e lendo algum livro de capa um tanto constrangedora - apenas dizia que a remessa estava atrasada, sem lhe dar nenhuma previsão. A questão era que Gaara tinha encomendado o livro porque ele seria de grande importância em seu quarto período da faculdade de Medicina - período do qual já tinha se passado a metade e nada de Gaara ter o material em mãos. Talvez alguns de seus colegas pensassem que ele se preocupava demais, já que ainda estavam no meio do curso. Gaara sabia que menos da metade da turma tinha, de fato, se importado em comprar o livro. Mas o ruivo levava seus estudos muito à sério e se dedicava ao máximo para fazer seu melhor. Devia isso a seus irmãos, que cuidavam tanto de si e se esforçavam para que tivesse a oportunidade de perseguir seu sonho.

Gaara não era do tipo de arrumar confusão, sua personalidade reservada acabava por o deixar mais paciente também; mas por fim havia se irritado e exigido uma posição do tal atendente de cabelos platinados que, após uma ligação, lhe informou que Gaara teria que ir até a matriz, já que aquela era apenas uma pequena filial da livraria. Gaara gostaria que ele tivesse dito isso mais cedo. A matriz ficava distante do campus mas não era tão longe da casa de sua família e se soubesse disso antes o ruivo já teria ido até lá.

Adentrou o local e correu os olhos pelas poltronas confortáveis e prateleiras cheias. Gostava desse tipo de ambiente tranquilo. Se não tivesse decidido pela medicina desde muito jovem, desejando seguir os passos da mãe que havia perdido cedo demais, no início da adolescência, talvez pudesse trabalhar em um local assim. A loja parecia estar vazia, mas Gaara podia ouvir vozes vindas do fundo, então pigarreou antes de se fazer notar:

— Olá, boa tarde.

Uma mulher de longos cabelos ruivos como os seus próprios surgiu e lhe cumprimentou com um sorriso largo.

— Oh, querido, está esperando há muito tempo? Desculpe, acabamos de receber uma encomenda grande e estávamos organizando, a essa hora não costuma ter muitos clientes porque já estamos quase fechando, sabe como é. Mas me diga, em que posso te ajudar? Está procurando algo em específico ou alguma recomendação ou...

Gaara tinha a impressão de que, se deixasse, a mulher ficaria falando por horas. Ela parecia prestes a começar uma lista de recomendações dos livros que mais estavam fazendo sucesso no momento quando o rapaz a interrompeu:

— Hm, na verdade meu nome é Sabaku no Gaara, eu estive na sua outra loja e o vendedor de lá me disse que tinha que vir aqui para resolver à respeito do...

— Ah sim! O livro de medicina. Kakashi avisou, claro. Desde já eu peço desculpas pelo transtorno, temos tido alguns problemas com as entregas nos últimos tempos, tivemos que mudar de transportadora porque a anterior não estava fazendo um bom serviço, eles não tinham muito cuidado, acabavam amassando alguns livros e aí precisávamos vender mais barato e enfim, venha até aqui, eu vou ver se sua encomenda chegou nessa remessa que acabamos de receber.

Gaara viu a mulher pegar várias folhas de papel e começar a checa-las enquanto ainda tagarelava. Após alguns minutos, aquilo foi lhe deixando inquieto. Tudo bem que ela estava sendo muito simpática, mas Gaara já estava sem paciência com toda a situação para conseguir suportar a enrolação dela por muito tempo.

— Hm, senhora...

— Oh deuses, não precisa de tanta formalidade, pode me chamar de Kushina.

— Ok. Kushina, você não teria essas informações no sistema do computador? Porque aí poderia fazer uma busca e seria bem mais rápido. Veja bem, eu estou com pressa e realmente já esperei bastante por esse livro.

— Sim, sim, me perdoe por isso, nós podemos pensar em uma maneira de te compensar pelo transtorno. Eu acho que deve ter no computador sim, mas eu sou uma negação com essas coisas tecnológicas, sinceramente fico impressionada como cada dia mais vocês jovens parecem que já nascem sabendo essas coisas. Mas você tem pressa, entendi, eu vou só chamar o meu filho e então ele pode ver pra você. Só um instante, eu juro que não demoro, fique à vontade para dar uma olhada nas prateleiras, veja se algo lhe interessa, acabaram de chegar os três primeiros volumes de uma série de mangás sobre ninjas, não sei se faz seu estilo, mas...

Gaara realmente passou alguns minutos olhando os tais mangás. Já fazia algum tempo que não lia nada apenas por diversão. Desde a época de prestar vestibular, talvez. Estava folheando o primeiro volume do mangá, tentando identificar se era uma história promissora, quando percebeu que não estava mais sozinho no ambiente. O rapaz loiro lhe observava com um sorriso nos lábios e Gaara se sentiu um tanto encabulado por isso.

— Ah, desculpe se te assustei. Minha mãe disse que você precisava de ajuda, mas você parecia bem interessado aí, não quis interromper.

— Tudo bem. Eu preciso saber se já chegou o meu livro sobre...

— Aham, aquele livro de Medicina. Você deve ser bem inteligente, fazendo esse curso na faculdade mais renomada da cidade. Você encomendou ele lá na loja perto da universidade, né? – Gaara acenou em concordância. — Mas vem, eu vou buscar aqui no sistema, minha mãe é uma negação com tecnologia, não importa o quanto eu ensine ela se confunde toda e pergunta mil vezes a mesma coisa...

Apesar de completamente diferente na aparência – o rapaz devia ser uma cópia do pai – Gaara podia ver claramente que ele era mesmo filho da ruiva que tinha lhe recebido. Ele tinha o mesmo riso fácil, a mesma animação na voz, o mesmo jeito de gesticular... Só percebeu que estava encarando descaradamente o loiro quando este levantou o olhar da tela do computador e lhe disse:

— Ah, aqui, hmm, como é mesmo seu nome?

— Gaara.

— Prazer, Gaara, sou Naruto. Pois então, aqui está dizendo que veio nessa remessa sim, eu peguei aqui o número da caixa em que deve estar. Volto em dois minutinhos com seu livro.

— Ok.

Gaara se sentiu aliviado por, enfim, ver seu problema ser resolvido. E mais algum sentimento bom pelo sorriso bonito que Naruto lhe direcionou antes de voltar para os fundos da loja. Já tinha pelo menos um ano que o ruivo não se interessava por ninguém e, por mais que tivesse literalmente acabado de conhecer o loiro, não podia negar que ele tinha lhe chamado a atenção. Mas claro que não faria nada a respeito, afinal, não era como se fosse conviver com ele para saber se teria alguma chance ou se o rapaz era hétero.

O mangá ainda estava em sua mão quando Naruto voltou com o livro volumoso e o exibiu para Gaara.

— Aqui, cara. Desculpa mesmo pela demora, minha mãe deve ter te explicado sobre os problemas com a transportadora, nós sentimos muito mesmo.

— Tudo bem, está tudo certo agora.

— Eu vou colocar ele na sacola pra você e te dar seu recibo.

Os dois foram até o balcão e Naruto ajeitou tudo. Estendeu a sacola para Gaara que deixou o mangá sobre a superfície. Antes de lhe entregar a sacola, porém, Naruto pegou o pequeno livro do balcão e o adicionou à embalagem junto com o livro.

— Ah, eu não vim preparado para comprar nada hoje, vim só pegar a encomenda mesmo.

Naruto sorriu de modo brilhante e piscou um dos olhos incrivelmente azuis ao dizer:

— É por nossa conta, pelo seu transtorno. E se você gostar dessa história, quem sabe não volta?

Gaara piscou um pouco atordoado. Não sabia dizer se era apenas gentileza ou se o loiro estava ciente do quão charmoso parecia naquele momento, mas se viu sorrindo pequeno:

— Claro. Obrigado. Até mais, então.

Não sabia se seria pela história do tal ninja do mangá, mas Gaara já sentia vontade de voltar.

E voltou. Várias vezes. De fato tinha gostado do mangá, era verdade, mas não era por isso que ia sempre àquela livraria. Poderia comprar os outros volumes em qualquer outra loja, afinal. Mas outras lojas não tinham um atendente loiro de olhos azuis e sorriso bonito para lhe receber. Ou talvez tivessem, mas não eram Naruto. Gaara passou a ter como hábito passar na livraria Uzumaki todo fim de semana quando ia para casa, às vezes no fim da tarde de sexta, como havia sido na primeira vez, às vezes no sábado pela manhã. Aos sábados a livraria costumava estar mais cheia e Gaara podia ver como Naruto, Kushina e Minato – o pai de Naruto, que era mesmo como uma versão mais velha do rapaz, ou vice-versa – eram mesmo muito simpáticos. Mesmo assim se permitia se sentir especial quando, mesmo que estivesse ocupado, Naruto arranjava um jeito de lhe receber quando chegava na livraria.

Tinha sido assim nos últimos meses e agora que Gaara estava de recesso da faculdade passando esse tempo em casa com os irmãos, ia à livraria com ainda mais frequência. Algumas vezes apenas se sentava lá para ler alguma coisa, outras ficava conversando com Naruto enquanto ele organizava as prateleiras. Os dois ficavam cada vez mais à vontade e Gaara, apesar de ser reservado, não mais disfarçava que tinha algum interesse. Mas Naruto não lhe dava sinais claros e então o ruivo decidiu tomar uma atitude. Chegou à livraria no meio da tarde de sexta-feira e ficou por lá até o horário do fechamento. Isso já tinha acontecido outras vezes, quando se distraía com alguma leitura ou mesmo na conversa. Quando Naruto veio lhe chamar para que saíssem pelos fundos da loja, já que a frente já havia sido trancada há pelo menos meia hora para que o loiro organizasse as coisas para o fechamento do dia, Gaara resolveu tomar uma atitude.

— Quer sair comigo?

Naruto parou a meio caminho de apagar as luzes e pareceu um pouco envergonhado.

— Hm, sair, tipo...

— É, tipo um encontro. Comigo. A não ser que eu tenha me enganado e você seja hétero, nesse caso desculpa qualquer coisa...

— Ah não, não sou...

— Ah, ótimo. Então...?

— Agora?

— Se você puder, claro.

— Ah... acho que hoje não dá. Eu marquei de encontrar uns amigos. Você poderia vir junto, claro, mas...

— Ah não, tudo bem. A gente pode marcar outra hora.

Gaara não queria se intrometer no programa dos amigos de Naruto. E, na verdade, sequer ficaria à vontade no meio das pessoas desconhecidas. Nem mesmo com Naruto tinha tanta intimidade assim. Ainda, porque queria muito ter.

— Ah, é, a gente vê.

Após a resposta evasiva e o clima meio estranho, os dois se despediram e foram cada um para um lado. Tinha recebido um não, mas mesmo assim Gaara ficou satisfeito com o fato de o loiro não ter lhe recusado definitivamente. Talvez numa outra oportunidade...

Naruto entrou na casa – que não era a sua, mas era como se fosse – e se jogou no sofá ao lado de Sasuke. O amigo estava jogando videogame e Naruto podia ouvir as vozes de Obito e Kakashi na cozinha. Sasuke não se incomodou em desviar a atenção de seu jogo até Naruto já ter suspirado e se remexido umas cinco vezes a seu lado.

— O que foi?

— Gaara me chamou pra sair.

— Quem?

— Gaara, O ruivo da livraria.

— Hm. Parabéns. Onde vocês vão?

— Eu disse não. Quer dizer, mais ou menos. Disse que não podia, dei uma desculpa qualquer.

Sasuke ergueu uma das sobrancelhas em uma expressão incrédula.

— Ah ‘tá, Naruto. Faz meses que você fica alugando meu ouvido falando desse cara. Aí agora ele toma uma atitude, coisa que você não teve coragem de fazer, e você dispensa ele?

— É que eu não sei...

— Ah, você nunca sabe nada, né.

— Pra você é fácil falar, não passa por nada disso mesmo.

— Sorte a minha ter zero interesse em relacionamentos, então.

— É sério, Sasuke. O cara é lindo e inteligente para um caralho, tem que ver as coisas que ele lê. Não sei como ele ainda não reparou que eu só converso com ele sobre mangá e arranjo mil coisas pra fazer quando ele está lendo algo mais cabeça. Ele deve achar que eu já li tudo quanto foi livro por ser praticamente dono de uma livraria. Sabe quantos livros eu li esse ano, Sasuke? Isso mesmo, zero. Eu não sei nem o que conversar com esse cara se estivermos só os dois sem nada pra atrapalhar. Pelos deuses, ele faz medicina na melhor faculdade da região e eu saí do ensino médio aos trancos e barrancos.

Naruto tagarelava e Sasuke apenas revirava os olhos.

— Me poupe, Naruto. Desde quando você tem alguma dificuldade pra se enturmar com alguém? E desde quando é inseguro? Se o cara quisesse ficar falando de medicina ele saía com alguém da faculdade dele. Mas ele ‘tá te cercando há meses e quer sair com você. Para de procurar cabelo em ovo.

E com essa frase de efeito Sasuke reiniciou o jogo e colocou os fones de ouvido, deixando claro que não estava mais interessado no assunto. Seu melhor amigo podia fingir irritação e que não se importava, mas mesmo assim sempre estava a seu lado. Mas, ainda que Naruto parasse de procurar cabelo em ovo, agora provavelmente nem adiantava mais. Tinha dispensado Gaara e era provável que o ruivo nem tocasse mais no assunto. Isso se ainda continuasse a ir até a livraria.

Quando Gaara entrou na livraria na semana seguinte, Naruto pareceu um tanto surpreso. Talvez ele tivesse achado que Gaara tinha se chateado com a recusa da sexta-feira. Bom, não era o caso. Claro que tinha percebido que Naruto tinha o dispensado, mas como ele não tinha fechado totalmente as portas, Gaara ainda não tinha desistido. Mesmo parecendo tímido por seu jeito sério, sempre fora alguém persistente, e nesse caso não seria diferente. Naruto lhe fazia bem e Gaara estava disposto a ter mais disso e fazê-lo bem também, se ele deixasse. Mas, naquele dia, não teve a oportunidade de conversar muito com o loiro. A livraria estava mais agitada que o normal e Gaara não pôde esperar até o fim do expediente, tendo prometido à Temari que iria fazer algumas comprar para a casa com ela.

Estava andando pelo mercado e pensando se deveria deixar passar um tempo para voltar a convidar Naruto ou se já o faria na próxima vez que tivesse oportunidade quando ouviu a risada familiar. Naruto estava em um dos caixas do mercado. Junto com ele uma meia dúzia de pessoas. O loiro estava abraçado a um moreno alto com cara de tédio e ria animadamente. Todas as pessoas a seu redor pareciam prestar atenção nele e Gaara percebeu que ele estava ainda mais radiante. Naruto era bem diferente de si. Gaara sempre preferia ficar mais na sua, sem chamar atenção, mas o loiro parecia muito à vontade ao redor de várias pessoas. Naruto não chegou a vê-lo mas o momento serviu para Gaara ficar ainda mais fascinado pelo jeito do outro e tomar sua decisão.

A livraria já estava quase fechando quando Gaara chegou lá no sábado à tarde. Ainda do outro lado da rua Gaara pôde ver Naruto levar um grupo de três meninas até a porta da loja e elas se afastarem entre cochichos e risinhos. Claro, Naruto era charmoso por natureza. O sorriso do loiro abriu um pouco mais quando viu o ruivo se aproximar.

— Oi Gaara. Pensei que não viesse hoje.

— Vim só te buscar. – Droga, Gaara, direto demais. — Quer dizer, vim saber se a gente poderia ir algum lugar junto.

Dessa vez Naruto não hesitou nem ficou encabulado ao responder.

— Podemos sim!

Do primeiro encontro até o namoro passaram apenas duas semanas. Gaara iria voltar para a faculdade e, embora não fosse assim tão distante a ponto de significar uma relação à distância, os dois não poderiam mais ser ver com tanta frequência. Ter um compromisso firmado lhe deixava mais seguro e Gaara ficou positivamente surpreso quando foi Naruto quem propôs o namoro. O loiro era mesmo muito diferente do ruivo, muito mais animado, ativo e sociável. Sempre que saíam Naruto ou encontrava com alguém conhecido ou fazia amizade com garçons e vendedores no mesmo instante. Gaara ficava na dele, um tanto hipnotizado, até Naruto perceber e voltar sua atenção para o ruivo.

Costumavam ser só os dois e Gaara preferia mesmo programas e momentos mais intimistas, mas depois de alguns meses de namoro já não tinha mais coragem de negar à Naruto um programa com seus amigos. Então, quando ele veio falando de um show que teria de graça na praça da cidade e dizendo que deveriam ir junto com os amigos e que Gaara deveria chamar seus irmãos também – com quem Naruto tinha se dado bem logo da cara quando foram apresentados – o ruivo aceitou.

A música alta era um tanto incômoda. A agitação à sua volta realmente não fazia seu estilo. Se fosse qualquer outra circunstância com toda a certeza não estaria ali no meio de toda aquela gente. Mesmo assim Gaara sorria. Era impressionante para si como Naruto conseguia ser o centro das atenções sem nem tentar e, principalmente, como se sentia à vontade nessa posição. O show na praça já tinha terminado, mas Naruto insistira para que esticassem a noite, então foram todos até um bar.

Naruto estava ainda mais animado do que de costume, sorrindo largo e gesticulando enquanto contava uma história mirabolante e duvidosa e todos à sua volta estavam absolutamente compenetrados nele, como sempre. Até mesmo Kankurou, que costuma ser tão sério e distante, gargalhava abertamente quando o loiro chegou ao clímax do relato.

— Não é possível, Naruto. - Temari quem disse, também rindo com muito mais entusiasmo do que de costume. — Eu não acredito que você consiga fazer isso.

— Ah, mas eu consigo, quer ver?

O loiro começou a se dirigir para saída, seguido dos outros e quando Gaara percebeu que Naruto tinha a intenção de fazer o que tinha acabado de descrever saiu imediatamente do canto em que estava sentado observando os outros e foi até ele.

— Você já fez isso mesmo? Pode se machucar...

— Ah, não! Agora eu vou ter que fazer. Nem meu namorado acredita em mim!

Nesse momento as atenções se voltaram para o ruivo. Gaara ainda ficava meio encabulado com os olhares maliciosos de Kankurou e corujas de Temari quando eles o viam com Naruto. Antes dele o mais novo dos Sabakus nunca tinha apresentado ninguém aos irmãos. Gaara também não sabia muito bem como lidar com os olhares dos amigos de Naruto: o simpático da mulher de cabelos tingidos de rosa, o desconfiado do moreno, o curioso e um pouco longo demais da loira de cabelos compridos, o envergonhado da morena de olhos claros e todos os outros.

Apesar de já estarem juntos há quase seis meses, essa era a primeira vez que Gaara se via no mesmo ambiente que seus amigos - que eram, basicamente, sua família - e os de Naruto. Gaara sabia que se dependesse de Naruto teria acontecido bem antes, mas realmente achava que seria tão mais fácil se não tivessem outras pessoas observando e analisando sua relação...

Enquanto Gaara pensava nisso, Naruto já tinha ido até o lado de fora e começava a se dirigir para um muro ali perto. Gaara perguntou à Sasuke, o amigo de quem Naruto mais falava:

— Ele sabe mesmo fazer isso?

O moreno apenas deu de ombros, desinteressado, e Gaara se perguntava se ele era sempre assim ou se tinha algum problema consigo.

— ... porque quem faz parkuor sempre diz que o segredo é aprender a cair... – Naruto dizia alto enquanto começava a escalar o muro, rindo. — Mas tem que cair com estilo.

Depois de dizer isso o loiro tentou dar uma espécie de salto estilizado ao pular do muro. Tentou, porque no meio do movimento seu pé bateu na estrutura e o que ele conseguiu mesmo foi pousar no chão com apenas uma das pernas um tanto torta, se desequilibrar e cair.

— Ah é, belo estilo. – Sasuke resmungou antes de ir junto com Gaara levantar o loiro que, mesmo tendo caído, gargalhava.

— Eu ‘tô bem. – Naruto começou a dizer. Mas então tentou dar um passo e sentiu a dor em seu tornozelo. — Mais ou menos.

— Fica parado. – Gaara pediu. Sasuke apoiava Naruto de pé enquanto Gaara se abaixava e apalpava o pé e tornozelo do loiro, que resmungou com a dor.

— Não parece estar quebrado. – o ruivo disse. — Mas é melhor ir até o pronto-socorro mesmo assim.

A noite terminou com todos no hospital, Naruto com o pé enfaixado após constatarem que ele tinha torcido o tornozelo e um tanto dopado pelos analgésicos. Gaara e Sasuke o carregaram até seu quarto. O Sabaku já ficaria mesmo pela noite, até porque os pais de Naruto estavam fora da cidade, mas o moreno se demorou um minuto a mais para ter certeza:

— Você vai cuidar direito dele, certo?

— É claro… - Gaara começou a dizer, mas foi interrompido por um Naruto ainda sorridente.

— Claro que vai! Meu namorado é mé-di-co!

Sasuke apenas revirou os olhos para Naruto e acenou para Gaara antes de sair.

E então Gaara começou a fazer o que tinha prometido. Primeiro posicionou os remédios receitados e uma jarra pequena de água ao lado da cama de Naruto. Em seguida se aproximou do loiro para tirar suas roupas. Naruto colaborou minimamente até o momento em que Gaara começou a abrir suas calças. A partir daí ele pareceu mais desperto e voltou para aquela onda divertida.

— Hmmm, você vai se aproveitar de mim, doutor? Porque eu vou deixar…

Gaara se esforçou por segurar o riso e respondeu com falsa indignação enquanto descia a peça pelas pernas de Naruto:

— Claro que não. Eu sou um profissional sério.

— Ah, não seja, só hoje.

Naruto tentou fazer uma cara de pidão que ficou um tanto estranha e então Gaara começou a rir baixo.

— Você é impossível, Naruto.

— E você adora isso.

— Culpado. Agora para de se remexer, eu vou passar a calça pelo seu pé, isso, cuidado.

Após limpar Naruto como podia e tomar um banho rápido Gaara voltou para a cama. Achou que encontraria Naruto já apagado, mas surpreendentemente ele ainda não tinha adormecido. O ruivo se aconchegou na cama e Naruto se apoiou no peito do namorado. Gaara era menor mas seu abraço passava uma segurança confortante.

— Descansa. - O Sabaku disse, baixo, acariciando as costas largas do loiro.

— ‘Ta incomodando um pouco.

— Eu ainda não posso te dar outra dose do remédio pelas próximas três horas.

— Eu sei, doutor.

— Por que essa palavra soa tão maliciosa quando você diz?

— É meu dom. - Naruto esticou o pescoço e deixou um beijo no queixo do ruivo. Gaara entendeu o pedido mudo e baixou o rosto para que os lábios pudessem se tocar.

Não foi um beijo de tirar o fôlego, mas tampouco foi suave. O encaixe das bocas, as chupadas e pequenas mordidas eram sempre intensas como haviam sido na primeira vez.

Foi o ruivo quem quebrou o beijo, deixando uma última mordida no lábio inferior de Naruto. Esperou que ele reclamasse, mas o loiro demorou um pouco a abrir os olhos, o que indicava que enfim estava ficando sonolento.

— Você é bom nisso. - Naruto sussurrou.

— Em beijar? É, ninguém nunca reclamou e eu meio que percebi que você gosta.

— Eu ainda fico em choque quando você faz piada. Isso também, mas eu quis dizer que você é bom em cuidar. Obrigado.

Antes que pudesse responder, Gaara percebeu que Naruto falou a última palavra já dormindo. Sorriu. Naruto lhe aquecia de diversas maneiras e conseguia ser charmoso até mesmo dopado. E Gaara só podia pensar que ele é quem tinha muito a agradecer.


~~~~~

Links:


AliceAlamo 

Nyah: https://fanfiction.com.br/historia/763415/Confissoes/

Inkspired: https://getinkspired.com/pt/story/43889/2018-confissoes/

Wattpad:https://www.wattpad.com/596952163-confiss%C3%B5es-cap%C3%ADtulo-%C3%BAnico

Luraywriter

Wattpad:https://my.w.tt/AYwyLGPmbO

Cupcake_ruivo

Wattpad: https://www.wattpad.com/story/153623391-forgotten-place

Tia Kuro Neko

Nyah: https://www.wattpad.com/596959151-a-letter-for-you

Watt: https://fanfiction.com.br/historia/763416/A_Letter_for_You/

Ink: https://getinkspired.com/pt/story/43892/a-letter-for-you/?ref=dashstoryprofile

kixnara

AO3: https://goo.gl/XVwuGL

Wattpad: https://goo.gl/K64WDE

Inkspired: https://goo.gl/oUFUDd

Spirit: http://fics.me/13484243

Nyah: https://goo.gl/5BscSz

CrazyClara

Nyah: https://fanfiction.com.br/historia/763426/Aqueca-me/

Ink: https://getinkspired.com/pt/story/43864/aqueca-me/

Wattpad: https://www.wattpad.com/story/153629821-aque%C3%A7a-me

Kaline Bogard

Nyah: https://fanfiction.com.br/historia/763422/Por_Voce/

Inks: https://getinkspired.com/story/43901/por-voce/

wattpad: https://www.wattpad.com/596982729-por-voc%C3%AA-shinokiba-por-voc%C3%AA-eu-fa%C3%A7o-qualquer-coisa

Spirit: https://www.spiritfanfiction.com/historia/por-voce--shinokiba-13485528

30 Juin 2018 23:00:52 8 Rapport Incorporer 7
La fin

A propos de l’auteur

Isis Sentimentos viram palavras. E, já dizia Dumbledore, as palavras são nossa fonte inesgotável de magia.

Commentez quelque chose

Publier!
Crazy Clara Crazy Clara
Eu finalmente, FINALMENTE, vim comentar. Aproveitei para ler de novo. Permita-me desbancar um pouco, porque é o meu ship, com licença. Descobri com você que quero muito presenciar mais interações Kushina e Gaara. Gente, eles são muito diferentes, que coisa engraçada de ler. E justamente essa diferença de um ser quietinho e na dele junto de um tagarela sorridente me encanta tanto. Ah, que linda essa chegada do Naruto. Aaaaaaah~ Que, aliás! Merecia uns tapas na bunda e o Sasuke uns beijos. Ainda bem que o Gaara é daqueles que não se acua fácil e foi lá perguntar de novo. Mas vou confessar que tenho essa insegurança com algumas pessoas também, no sentido 'ele é um crânio, o que diabos vai querer conversar comigo?'. Eu entendo, muito mesmo, não dá para julgar. Que bom que ele teve o Sasuke para dar um empurrãozinho e se tornarem um casal. Lindos demais. Obrigada por essa história gostosa de ler. Foi um carinho no meu coração esse cuidado no final. Tão fofo <3
21 Août 2018 19:34:50

  • Isis Isis
    Cremdeuspai que nervoso kkkkkk. Logo a grande embaixadora de GaaNaru na minha história deles * gritos internos *. Enfim, vamos lá. To feliz que vc curtiu a leitura! Kushina e Gaara, imagina essa relação kkkkk, seria demais. Naruto às vezes merece uns tapas sim. Sasuke meu amor, que difícil colocar ele aqui e ele e Naru não serem nada além de amigos kkkkk mas não sou capaz de ignorar a existência dele, tive que dar meu jeito, rs. Também não julgo o Naruto pelo pé atrás nessa situação, não, viu?! O cuidado foi a dose de fofura. Não podia ter Gaara médico sem ele mostrar esse lado cuidadoso dele. Obrigada por comentar Clara <3 31 Août 2018 13:39:21
Jessie Teixeira Jessie Teixeira
Nhoooooo. Amei. Gaara-sensei, doutor-medico hein huuuuuuuuummmmm... Meu bb Naru dopado kkkk parece que ta so agindo normalmente kkk. A M E I
5 Août 2018 13:12:12

  • Isis Isis
    Aaah, obrigada, que bom que gostou! 31 Août 2018 13:36:19
 ❤ Tia Kuro Neko ❤ ❤ Tia Kuro Neko ❤
Oeeeeee, chegay. Lindíssima, eu amo bibliotecas e todo o clima que elas passam, adorei que o Gaara ia lá, todo dia...ler...cof cof. As transições ficaram tão suaves que a fic pareceu maior do que realmente é (faz sentido isso?) É que vc escreveu de uma maneira que a gente vai preenchendo as "lacunas", eles se desenvolveram de um jeito tão bonitinho e cara.... nunca achei que ia gostar de uma fic onde Naruto e Sasuke são apenas amigos. É isso. E óbvio, Naruto sendo quem é ele tinha que meter a cara no chão, ainda bm que ele tinha um médico particular (imaginar Gaara de médico chega a manteiga derrete). Desafio concluído com sucesso, muuuuito diferente do que eu esperava. Amei, parabéns. <3
17 Juillet 2018 09:10:25

  • Isis Isis
    Oi, gata! Menina, a história mudou e essa livraria entrou na coisa aos 45 do segundo tempo kkkk. Mas eu super gostei do clima também. Acredite, não foi fácil colocar Naruto e Sasuke apenas amigos. Tive que imaginar o Sasuke completamente ace e arromântico pra isso, rs. Mas não queria deixar ele ausente porque nas GaaNaru da vida ou o Gaara vem de estepe em relação a uma situação Sasunaru ou então o Sasuke nem tá lá rsrs. Naruto sendo Naruto ne. Gaara médico também me deixou felizinha, rs. Obrigada por desafiar, foi bacana escrever eles pela primeira vez! <3 24 Juillet 2018 16:07:15
KL Kitsune Lyra
Ah mas eu to encantada com essa GaaNaru coisa mais linda que eu adorei *----* como pode tanta fofura assim gente? Esse Gaara todo apaixonado e cuidadoso é muito Canon, se um dia o Sasuke morresse (pq SasuNaru é minha vida) eu acho que o Gaara seria maravilhoso pro Naru, um amor saudável, lindo e dedicado, mas como SasuNaru é super Canon eu tenho certeza que o Gaara ama o Naru secretamente e vive o agridoce sentimento de amar e não ser correspondido. Mas aqui na fic ele foi correspondido e foi Lindo *----* adorei o plot, o desenvolvimento, tudo <3
30 Juin 2018 21:33:20

  • Isis Isis
    Oi! Ah, muito obrigada, que bom que gostou! Meu deus do céu, não fala em Sasuke morrer que eu choro. kkkk. É, eu tbm imagino muito isso sobre o Gaara... aquele tipo de amor altruísta. Mas aqui ele não precisou abrir mão <3 Obrigada por comentar! 24 Juillet 2018 16:04:30
~