Eros Suivre l’histoire

makkachinwriter

Victor Nikiforov é um habilidoso professor de dança em uma prestigiada Academia de Artes da Rússia. Sua vida permanecia sempre na mesma: trabalhava durante os dias da semana e saia as vezes com seus amigos aos domingos. Embora gostasse do modo em que vivia, Victor ansiava por algo a mais. Ele queria descobrir e sentir emoções que nunca tinha experimentado antes. E ele estava prestes a descobrir com a chegada de outro professor de dança recém contratado, Yuri Katsuki, um jovem nipônico misterioso e muito tímido... na maioria das vezes. Dentro de si, Yuri mantinha uma sensualidade jovial e até mesmo indecente que chamava por Victor de uma forma que o platinado nunca imaginou que seria. Embora os dois nem se conhecessem direito, as coisas poderiam acabar ficando quentes demais.


Fanfiction Érotique Interdit aux moins de 18 ans.

#vida #universo-alternativo #humor #yuri-on-ice #romance #sexy #victuri #comédia #yuri #victor #dança #amizade #familia #drama
8
4.8k VUES
En cours - Nouveau chapitre Tous les 10 jours
temps de lecture
AA Partager

The Meet

''Certa vez, um playboy viajante chega a uma pequena cidade. Imediatamente, todas as damas do lugar caem de amor por ele, afinal, ele era lindo, tinha um olhar sedutor e era totalmente educado e cavalheiro. Todas o cobiçavam, menos uma: a mulher mais bonita da cidade. Ela conhecia aquele tipo de homem e prometeu a si mesma que jamais se levaria deixar por pessoas como ele. 

Isso foi como um desafio para o viajante. Completamente indignado, ele decidiu que iria fazer aquela dama se apaixonar perdidamente por ele e depois, abandona-la, assim como ele fazia em todas as outras cidades em que visitou.

Dias se passaram e os dois, o sedutor viajante e a mulher mais bonita da cidade, jogaram o jogo do amor, empurrando e puxando, enrolando um ao outro, brincando de gato e rato e a bela dama se mantinha impassível.

Por fim, o playboy, depois de muito investir, alcança seu objetivo inicial: a mulher estava, assim como ele queria, perdidamente apaixonada por ele. Era então hora de deixa-la e partir para a próxima cidade e para a próxima vítima de seus encantos.

A mulher mais bonita da cidade teve seu coração quebrado pelo viajante. E o pior era que mesmo depois de saber que tinha sido enganada, ela ainda o amava.''


-Uau! Que... canalha!- Disse Victor, tão indignado com o final daquela história quanto a própria protagonista enganada.

-O que está fazendo, Vitya?- Perguntou sua colega de trabalho e também professora de dança, Minako.

Victor deu um pequeno pulo da cadeira em que estava e o mais rápido que pode, fechou seu notebook.

-Nada!- Disse, sorrindo, meio envergonhado.- Você me assustou, não chegue assim tão de repente!

 A mulher japonesa riu.

-A intenção era te assustar mesmo.- Disse, provocando-o.- Você não vai almoçar? Daqui a pouco teremos que voltar as aulas.

Nikiforov suspirou.

-Já almocei, não se preocupe. Ainda bem que hoje é sábado. Não vejo a hora de chegar em casa e dormir por um dia inteiro!

Minako ergueu uma sobrancelha.

-Você não vai ao encontro dos professores amanhã?- Perguntou.

Victor franziu a testa, em confusão.

-Que encontro? Por que os professores vão se encontrar?

A mulher suspirou, já desconfiava que o platinado havia esquecido.

-Victor, um conhecido meu chega do Japão hoje de noite! Ele vai começar a trabalhar aqui, por isso nós vamos fazer um encontro com os professores amanhã. Eu quero apresenta-lo a vocês antes dele começar a trabalhar. Você esqueceu, certo?

Victor deu um risinho sem graça, porém assentiu com a cabeça.

-Desculpe.- Disse.

Minako revirou os olhos e balançou a mão, indicando que iria apenas deixar para lá.

-Mas você vai, certo? Eu quero muito que vocês dois se conheçam amanhã! Tenho certeza de que ambos vão se dar muito bem.- Disse, ficando animada, mas mudando rapidamente para um ar triste, completou.- Yuri precisa de um apoio...

Victor ignorou a última parte e tentado a dizer que não ia, suspirou profundamente.

Ele não estava muito afim de sair naquele domingo, mas se Minako fazia tanta questão, provavelmente tinha uma razão, certo?

-Tudo bem, eu vou!- Se decidiu, por fim.

-Yay!- Ela deu um pulinho e bateu palmas.- Obrigada! Te mando uma mensagem falando o horário e o local. Bye bye, Vitya!

A mulher saiu saltitando e Victor sorriu diante de tanta animação por parte dela.

O sinal indicando o fim do intervalo tocou, fazendo Victor se levantar de onde estava sentado e sair do refeitório.

Enquanto ia guardar suas coisas em seu armário, ele se lembrou que Yakov, o diretor da academia, tinha dito que queria contratar outro professor de dança, já que Victor, Minako e  Lilia Baranovskaya, a mais experiente professora de dança da Academia, já não estavam dando conta de tantos alunos.

Embora a Academia fosse famosa em todas os seus cursos, muitos alunos iam atrás dos cursos de dança e apenas três professores não eram mais suficientes. 

Pessoas do mundo todo iam até a Russia apenas para estudar naquela Academia e a maior parte deles estavam ali pela dança.

A dança e tudo que a envolve é uma das paixões de Victor, então é claro que ver tantas pessoas, todas com histórias e personalidades diferentes, se interessam por dança o agrada e o deixa muito feliz.

Isso fazia seu coração se aquecer.

Mas embora seu coração estivesse, de certa forma, ''aquecido'', Nikiforov sentia falta de... alguma emoção. Sua vida era muito normal, muito parada. Victor queria viver aventuras, essa era a verdade. Ele queria um desafio. Mas não sabia exatamente o que queria.

As vezes, nem o próprio Victor se entendia. Ele mesmo sabia que ele era complicado.


As aulas na Academia de Artes Nochnoy Svet já tinham se findado e Minako Okukawa esperava ansiosamente por seu ex aluno e amigo, Yuri Katsuki, que estava vindo do japão para trabalhar como professor de dança no mesmo lugar que ela.

Embora Minako estivesse feliz que Yuri fosse trabalhar com ela, os motivos que o fizeram ir até  a Russia não eram nada bons. 

A mulher suspirou, lembrando dos acontecimentos que afetaram seu ex aluno de tal forma que o fez se fechar para todos e entrar em uma profunda depressão, além de ter piorado a ansiedade e a baixo auto-estima que o jovem já tinha. 

Minako voltou a realidade quando viu Katsuki chegando com duas malas de rodinha. Ela se levantou rapidamente, enquanto agitava uma enorme placa escrita ''Bem-Vindo Yuri Katsuki, o melhor professor de dança do japão!!!''.

Yuri viu aquilo e um pequeno sorriso brotou em seu rosto, embora aquela aquela agitação toda de sua ex professora estivesse chamando muita atenção e o envergonhando um pouco.

-Eu não acredito que você fez isso...- Sussurrou para Minako, assim que chegou perto dela.

-Não é como se eu estivesse mentindo!- Disse, animada, abraçando Yuri o mais apertado que podia.

Yuri a abraçou de volta, feliz por estar vendo sua amiga e mentora depois de tanto tempo.

-As coisas vão ficar melhores aqui, você vai ver. Logo nem vai mais lembrar do que aconteceu.- A mulher disse, acariciando os fios curtos da cabeça de Yuri.

Ele apenas assentiu, sem falar nada. Não queria falar e nem se lembrar do que tinha acontecido. Queria apenas esquecer e recomeçar, afinal, essa era a finalidade de ter aceitado um emprego em outro pais.

Os dois ficaram abraçados por alguns minutos, em silêncio.

-Vamos? Você pode tomar um banho e descansar quando chegarmos na minha casa. E comer alguma coisa, você deve estar com fome, né?- Minako disse, se soltando dele e pegando um das malas de rodinha.

-Sim, Obrigada.- Respondeu.- Desculpe por te incomodar. Logo vou alugar um apartamento perto da Academia, não vou te atrapalhar por muito tempo.

Minako deu um tapa no braço dele.

-Não se preocupe, você não atrapalha nunca. Leve seu tempo ao procurar um apartamento. Minha porta vai sempre estar aberta para você, Yuri.

Os dois sorriram um para o outro e deram os braços, enquanto caminhavam juntos em direção a saída do aeroporto.


Victor abriu a porta de seu apartamento e suspirando, se jogou no sofá com tudo, deixando sua bolsa cair no chão. O longo dia de trabalho o havia deixado exausto.

Logo foi surpreendido por Makkachin, seu cachorro e fiel melhor amigo, que pulou em cima dele sem hesitação e se pôs a lamber o rosto do platinado.

-Calma, calma! Só ficamos algumas horas sem nos ver!- Victor disse, rindo e se sentindo um pouco mais animado.

Dono e animal de estimação saíram do sofá e foram em direção ao quarto. O homem tirou suas roupas e enquanto Makka ia até sua cama, Victor se dirigiu ao banheiro, mais do que pronto para tomar um banho quente e ir dormir.

Enquanto deixava a água quente escorrer por seus cabelos e abraçar sua pele pálida, Victor pensava sobre o tal encontro de professores que Minako tinha planejado.

Ela já tinha feito isso várias vezes, mas dessa vez, existia um elemento diferente, o que deixava Victor curioso. O tal amigo de Minako, que veio do Japão.

Victor tentava imaginar como seria a aparência e a personalidade do rapaz, mas não pensou muito sobre isso e apenas concluiu que se o nipônico e Minako eram amigos, ele com certeza era uma boa pessoa. E pelos 15 últimos minutos no chuveiro, Victor apenas se concentrou em aproveitar seu banho e recuperar um pouco das energias que havia perdido nas aulas durante o dia. 

Depois de jantar e dar ração para Makkachin, o russo se deitou na enorme cama de casal de seu quarto e com um sorriso de alivio, deitou a cabeça no travesseiro, crente de que iria finalmente poder dormir e ter seu tão merecido descanso. Ledo engano. 

Assim que encostou a nuca no seu travesseiro de penas, recebeu uma mensagem. Na verdade, várias.

Bufando, pegou seu celular e abriu o aplicativo de chat, vendo várias mensagens de Minako. As duas primeiras com o local e o horário do encontro e as outras eram ela perguntando se ele realmente ia e o ameaçando caso faltasse. A Minako de sempre, é claro.

Victor digitou uma breve mensagem escrita ''Eu vou, mas me deixe dormir!'' de volta para ela e desligou o celular, decidido a não deixar mais nada atrapalhar seu sono de beleza.

Muitas horas depois, Victor acorda, crendo que eram no máximo umas onze horas da manhã e se surpreendendo ao olhar o relógio e ver que eram quase cinco horas da tarde.

Percebeu, então, que estava realmente cansado, já que dormiu a noite inteira e boa parte do dia também.

Ele tinha apenas duas horas para comer algo e se arrumar para ir até o barzinho do encontro para finalmente conhecer seu mais novo colega de trabalho que Minako fazia questão de apresentar a todos.

Correndo para o banheiro, Victor se pega pensando em como seria esse encontro.


Setes horas da noite e todos os professores amigos de Minako e Victor estavam ao redor de uma enorme mesa, num barzinho muito popular da cidade, esperando pela professora de dança e por seu convidado.

-Fico imaginando, como será esse Yuri?- Sara disse, de repente, olhando atentamente para a porta de entrada do local, não querendo perder a chegada do novo colega de trabalho.

-Porque está tão interessada?!- Perguntou Michele, seu irmão.

-Não começa, Mickey!- Respondeu Sara, com um tom de irritação na voz.

-Seu irmão só é muito protetor, Sara, não fique irritada.- Disse Emil, tentando descontrair o ambiente.

-Ele com certeza não é mais bonito que eu!- JJ disse, fazendo todos se calarem e o encararem.

-É verdade, meu amor! Você é o mais lindo do mundo!- Isabella, sua noiva, concordou, abraçando JJ e fazendo-o sorrir, orgulhoso.

Todos reviraram os olhos e decididos a apenas ignorar JJ e seu ataque de narcisismo, começaram a conversar coisas aleatórias.

-Olha, é o Victor!- Naomi, uma das professoras, chamou a atenção dos outros.

-Finalmente, pensei que você não vinha.- Chris disse, se levantando e abraçando o russo.

-Se eu não viesse, era morte na certa!- Disse, rindo.- Minako não me deixaria viver nem sequer um dia a mais.

-Concordo, é por isso que todos nós estamos aqui.- Respondeu, sorrindo.

Poucos minutos após Victor se sentar, Minako chegou e logo atrás dela, todos puderam ver um homem japonês de cabelos curtos pretos e com uma aura tímida ao redor de si.

Logo um borburinho se formou na mesa, todos interessados no rapaz com Minako, enquanto Victor apenas olhou intensamente para o jovem, com certeza, mais interessado do que todos ali.

Foi automático, assim que Victor encarou, Yuri o olhou de volta. Os olhos dos dois se encontraram e ambos sentiram uma conexão estranha. 

Como isso era possível? Sentir uma conexão tão forte com uma pessoa que você nunca viu e nem falou antes? Os dois se perguntavam aquilo.

Emboras os olhares tivessem durado apenas segundos, para Victor e Yuri, pareciam horas.

Yuri, envergonhado e meio nervoso, desviou o olhar, olhando para as mãos, que estavam entrelaçadas na frente do corpo.

Victor, sorrindo, decidiu em seus pensamentos que, definitivamente, ele não se arrependeria de ter ido ao encontro.


17 Juin 2018 00:00:32 0 Rapport Incorporer 1
Lire le chapitre suivant Yuri Is Drunk

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~

Comment se passe votre lecture?

Il reste encore 4 chapitres restants de cette histoire.
Pour continuer votre lecture, veuillez vous connecter ou créer un compte. Gratuit!