tiatatu Tatu Albuquerque

Hyuuga Hanabi, a chefe do departamento de engenharia de produção das indústrias têxteis Saru, acaba por indiretamente, provocar um grande prejuízo para seu chefe, que então decide demiti-la. Desesperada por ter que manter o pai, acometido por AVC, ela acaba tendo uma ideia nada convencional, propondo, em troca do prejuízo, entregar sua virgindade a Kono, acabando por se tornar sua amante. Mal sabia Hanabi que, além de sua virgindade e dignidade, estaria abrindo mão de sua paz e tranquilidade no momento em que se deitou naquela cama de motel!


Fanfiction Anime/Manga Interdit aux moins de 18 ans.

#Perseguição-Passional #fns #konohana #naruto
15
6.0k VUES
En cours - Nouveau chapitre Tous les lundis
temps de lecture
AA Partager

A proposta

Essa hora que não passa, estou mais do que nervosa, não vejo a hora de ir desse motel! O que estou fazendo em um motel? Bem, é embaraçoso dizer, mas eu me ofereci ao meu chefe para não perder o meu emprego. Não entendeu? Bem, deixa eu explicar. Primeiro, quero deixar claro, ele nunca me assediou, no maximo olhava para minhas pernas quando eu as cruzava em sua frente, essa decisão foi totalmente minha! Segundo, acho que preciso me apresentar. Eu sou Hyuuga Hanabi, tenho 24 anos, longos cabelos castanhos e olhos azuis beeem claros, 1,67 de altura e trabalho como chefe do departamento de engenharia de produção de uma indústria de tecidos e roupas, a Saru, tendo como chefe direto o dono da empresa, Sarutobi Konohamaru, um cara de curtos cabelos castanhos, assim como seus olhos, 1,80 de altura, 28 anos e bem exigente, que beira a chatisse como chefe, mas que dá pra aguentar como "amigo". O que me levou à estar aqui, nesse motel, por ter me oferecido à ele?


"Graças à uma única pessoa da minha equipe, um lote inteiro de peças de roupas veio defeituoso, causando um prejuízo de 100 mil dólares ao meu chefe, que leva a prevenção de perdas e prejuízos à sério, então, já dá pra imaginar o problema que isso me arranjou.

— Como você me deixou passar um erro desse, senhorita Hanabi? - desde o momento em que ele me chamou de senhorita, já senti o coração gelar. Não que fôssemos íntimos, se bem que eu adoraria ser, não vou negar, sabe aquele interesse? Sempre tive, mas... - Você deveria ter revisado essas medidas! - ele jogou a pasta de ordenamentos sobre a mesa, um erro de 2 centímetros, por míseros 2 centímetros aconteceu um prejuízo desses! - Sabe quanto esses 2 centímetros me custaram? Pode não saber, mas saiba que de você vai custar o emprego! - engoli em seco, eu não podia perder esse emprego.

— Por favor, senhor Sarutobi, eu não posso perder esse emprego...

— E eu não podia perder 100 mil dólares! - merda! - Sei que seu pai está doente, que você, trabalha muito aqui em Osaka, assim como seu primo e sua irmã mais velha trabalham muito aqui em Kyoto para mandar dinheiro para o tratamento dele em Tokyo, mas esse seu erro me custou demais para manter você aqui! - sabe quanto tempo eu demorei pra conseguir esse emprego? O suficiente pra terminar de pagar o empréstimo que fiz para pagar minha faculdade, com o dinheiro do péssimo emprego que tinha antes, o salario daqui é ótimo e é o que preciso pra manter meu pai, vitima de um AVC bem e vivo, se tratando na capital, não posso me dar ao luxo de perder esse trabalho.

— Por favor, senhor Sarutobi, eu não posso perder esse emprego, minha irmã já trabalha muito com o marido dela, assim como meu primo, pra conseguir ajudar com o papai, eles dependem de mim também! - qual foi, cara, é o primeiro erro em 2 anos de empresa...

— Senhorita Hanabi, pode estar pensando que "nunca errou antes", mas acho que quando lhe contratei deixei claro que não tolero erros e não suporto ter prejuízos. Poderia ser um mísero centavo, se tem algo que eu não gosto é perder dinheiro! - desgraça, eu preciso desse emprego mais do que ele imagina.

— Por favor, senhor Sarutobi, eu sei lá, eu dou um jeito de pagar...

— Senhorita Hanabi, precisaria trabalhar de graça para mim por 40 meses para pagar o prejuízo, o que seria o mesmo que ser demitida! - tem coisa pior que um chefe exigente? Tem, um chefe exigente formado em ciências contábeis com especialização em fazer funcionário chorar! Já vi muita gente ir embora por prejuízos menores, meu antecessor mesmo foi demitido por causar um prejuízo de 10 mil dólares. Pior que eu não tenho nada que possa pagar esse prejuízo... Nervosa, cruzei as pernas repetidamente umas quatro vezes, é como um tique nervoso, o vendo praticamente me secar com os olhos, foi aí que eu tive essa maldita ideia. Foi algo do nada? Não tão do nada, na ultima festa da empresa, acabamos por nos beijar no banheiro, um pouco alterados por bebida, coisa que fingimos não lembrarmos ter acontecido e ninguém viu. Acontece que nesse dia só não rolou nada mais, digamos, íntimo, porque ele percebeu que eu era virgem e por mais bêbado que ele estivesse, ele tinha total consciência de que não deveria "forçar" nada.

— Eu faço uma proposta, senhor Sarutobi... - peguei um prendedor de cabelo que trouxe no sutiã, o vendo olhar para meu decote, bem, eu não acredito que desci baixo ao nível de acabar me vendendo, mas é pelo meu pai, não posso perder esse emprego assim. - Em troca dos 100 mil de prejuízo, eu entrego ao senhor meu corpo... - minha dignidade e meus planos de me entregar à alguém que eu ame e me ame também. Ele me olhou assustado, mas riu malicioso.

— E o que a faz pensar que vale 100 mil? - você sabe muito bem, idiota. - Não nego que é uma mulher muito bonita... - ele me olhou bem, me senti nua com isso. - Mas daí a valer 100 mil...

— Como o senhor mesmo disse, eu sou uma mulher bonita e o senhor mesmo sabe que ainda sou virgem! - não que eu nunca tenha namorado, eu só não fui além com ninguém e nos últimos anos mal tenho tempo pra cuidar de mim, quem dirá pra cuidar de um relacionamento. Ele me olhou malicioso, porém um pouco quanto desconfiado.

— Está mesmo trocando sua virgindade por esse emprego?

— O meu pai precisa que eu me mantenha aqui, já fez muito por mim, pelo meu primo e pela minha irmã quando perdemos minha mãe e meu tio, eu tenho que retribuir. - o desanimo na minha voz é visível, é um pouco repugnante estar propondo isso à um homem, me tornando um objeto descartável, mas o meu pai vale..."


E aqui estou eu! Como é obvio, ele aceitou minha proposta, afinal, ele não está fazendo nada de errado, eu me propus a isso desde o início, apenas formalizamos esse nosso "acordo", que também me obriga a tomar uma pilula de anticoncepcional de emergência na frente dele hoje e outra amanhã, assim como obriga a nós dois a fingirmos que nada aconteceu, confidencialidade máxima, o que me deixa tranquila em saber que pelo menos não serei exposta como troféu. É que assim, não vou fazer a humilde, eu sou sim bonita, tanto que metade dessa fábrica já tentou, digamos, me cantar, fora alguns clientes, esses sim me assediando, me levando até mesmo a fazer reclamações com o próprio senhor Sarutobi, seria fácil acabar tendo meu nome associado à uma prostituta não? Afinal, eu estou tendo a atitude de uma. Bem, já tem uma horas que o motorista pessoal dele me trouxe até aqui, me dando recomendações de que o senhor Sarutobi iria demorar um pouco por problemas da empresa e mandou eu "tomar algo para me soltar", vê se pode! Tô aqui, já tomei meia garrafa de vinho e tô quase desistindo, pegando minha dignidade e indo embora, mas eu não posso. Se eu perder esse emprego vai ficar muito mais pesado pra cuidar do papai e me manter aqui em Osaka, onde já divido o aluguel com uma amiga da minha irmã, a Sakura, que não pode sonhar que eu saí pra isso, seria humilhante deixar que minha familia e meus amigos saibam que eu caí ao nivel de ser garota de programa. Como ele me pediu, já estou somente de lingerie, tomando outra taça de vinho, esperando ele chegar. Se tô com vergonha? O que você acha? O cara é meu chefe e não sei com que cara vou olhar pra ele amanhã, eu tô rindo aqui de nervoso! Espera, pelo barulho da porta, ele chegou. Ele entrou pela porta, a trancando para logo me olhar de cima a baixo, acho que gostou do que viu.

— Você é mais bonita sem roupa do que eu pensava! - ele disse me beijando, sentando comigo em seu colo, me fazendo corar levemente ao sentir a excitação dele ao me ver assim, seminua, mas não é hora de corar. Engole a vergonha e aproveita os últimos momentos de dignidade, Hanabi, agora não tem mais volta.

29 Mai 2018 00:10:28 3 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
3
Lire le chapitre suivant A noite

Commentez quelque chose

Publier!
Tenten Plushie Tenten Plushie
Meu deus que capítulo maravilhoso de ser ler! Me conquistou autora :) anciosa para ir ao próximo!
October 25, 2018, 14:38
brener Silva brener Silva
credo que delícia, ancioso pelo próximo
May 29, 2018, 00:14

~

Comment se passe votre lecture?

Il reste encore 19 chapitres restants de cette histoire.
Pour continuer votre lecture, veuillez vous connecter ou créer un compte. Gratuit!