Quebrado Suivre l’histoire

cammis Cammis Silva

E quando a convivência e a rotina se tornam tão oportunas que acabam virando prejudicial para o matrimônio? Há chance de salvar algo que julga-se estar quebrado?


Fanfiction Anime/Manga Interdit aux moins de 18 ans.

#crossover #casamento #romance #vemprocrack #Lanterna-Verde #John-Stewrart #naruto
Histoire courte
2
6.0k VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

Capítulo Único


- Fanfic feita para o desafio CrackShipp #vemprocrack;

- Shipp: Naruto - John Stewart (Lanterna Verde);

- Universo Alternativo.


-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-





“Eu estou me sentindo fora de mim, jogando coisas.

Chorando, tentando entender onde diabos eu errei.

A dor refletida nesta música não é nem metade do que eu estou sentindo por dentro.

Eu preciso de você, preciso que você volte para a minha vida, amor.”

Mariah Carey – We Belong Together



A manhã ganhava seu espaço após a fria madrugada. O clima estava agradável e o céu encontrava-se limpo. Um belo contraste com o tom frio pairado dentro daquela residência.

As cortinas estavam semiabertas e um pouco da luz solar adentrava o amplo quarto pelas frestas da grande janela.

Os olhos verdes mal foram abertos e logo o dono deles já estava fechando-os com a claridade em seu rosto. Suspirou frustrado.

Havia esquecido de fechar as cortinas por completo antes de dormir.

Olhou para o despertador em sua cabeceira, ele marcava quinze para as sete da manhã, o horário a qual devia levantar. Esticou o braço desligando o objeto, não precisaria mais dele, então podia dispensar o incomodo som que aquilo fazia.

Livrou-se de suas cobertas e colocou os pés para fora da cama sentindo o contato com o piso de madeira frio arrepiar sua pele. Passou as mãos pelo rosto soltando um bufo alto demais. Mas não importava, estava sozinho naquele cômodo. Deu de ombros, já estava acostumado com isso. O outro sempre levantava primeiro como se fugisse de sua presença.

Dando início a sua costumeira rotina, seguiu para o banheiro. Tomou um banho frio para despertar. Vestiu um terno de três peças na cor azul escuro e seguiu rumo á cozinha.

Travou na entrada do local para estudar o homem á sua frente, aproveitando que ele estava de costas para si. O mais novo trajava uma blusa gola V preta de manga longa e uma calça rente ao corpo da mesma cor. Havia uma grande caneca laranja em suas mãos e John não precisava olhar o conteúdo para saber que era chá de hortelã.

O loiro amava começar o dia tomando aquilo. Era uma das manias do Uzumaki-Stewart que o de olhos verdes aprendera a se acostumar com os anos de união.

Eram sete e meia quando os dois sentaram-se a mesa que ficava na lateral da cozinha para se servirem do café da manhã preparado pelo de íris azuladas. O silêncio era total e ambos os cônjuges já haviam se habituado á ele.

John não conseguia explicar o que havia acontecido para chegarem a essa situação. Ao direcionar sua atenção para o loiro de olhar frio e rosto inexpressivo, não encontrava nada daquela pessoa falante e energética ao qual havia se apaixonado na época da faculdade.

Naruto parecia um fantasma do homem que já fora. Sempre sério e controlador. Tudo tinha que ser na hora certa e dia certo. Livros em ordem alfabética e os móveis da casa precisamente calculados e com o tom de acordo com o piso e paredes. Totalmente o oposto do rapaz desordenado e espalhafatoso que era antigamente.

O café era sempre as sete e meia e o jantar ás oito da noite. Não tinha erro. Essas eram as duas refeições que podiam fazer juntos devido à rotina de trabalho que ambos possuíam.

John passava o dia na corretora de imóveis enquanto o loiro era dono de um Café no centro da cidade. Viam-se apenas durante o começo do dia e o resto da noite. Esse era o pouco tempo que passavam juntos e era sempre com os mesmo diálogos monótonos de poucas palavras.


“Passa o sal.”

“Hoje eu vou chegar mais tarde.”

“O jardineiro vai vir amanhã.”

“Preciso ir ao mercado.”


Nunca diziam o que realmente queriam. As palavras presas em suas gargantas e os sentimentos aprisionados em seus olhos. A atenção prendia-se ao prato que degustavam para não encararem um ao outro, porém quando os olhares se cruzavam a tensão e o medo ficavam explícitos dentro da expressão estóica de Naruto e a despreocupada de John.

Ao término da refeição os dois deixaram a casa rumo aos seus compromissos. Sem beijo de despedida ou um singelo abraço. Não pareciam ao menos que eram casados.

Cada um em seu carro usando a distração no volante para arejar os pensamentos. O de olhos verdes cansado daquela pesada e agoniante rotina que seu matrimônio havia se tornado. O de tez bronzeada com medo de encarar o quão seu casamento estava quebrado.


[...]



Eram quase duas horas da tarde quando John conseguiu deixar o escritório para almoçar. Seu carro estava estacionado em frente ao estabelecimento de seu marido e o corretor não se importava de admirar o brilho que os orbes azuis ganhavam enquanto o homem loiro cozinhava. Sabia como ele amava isso.

Lembrava-se como Naruto era feliz quando cursava gastronomia e criava pratos para todos os gostos. O sorriso enorme e a luz que radiava dele quando inaugurou a loja que sempre sonhara nunca sairiam das memórias de John.

Sentia falta daquele Naruto.

Quanto mais emergiam em suas carreiras, mais distantes ficavam. As conversas leves, as risadas divertidas e as trocas de confidências ficaram cada vez mais escassas. Pareciam colegas de quarto que mal se conheciam.

Fazia tempo que não sentia a pele dourada sobre a sua. O calor daquele corpo sob o seu e os carinhos que o Uzumaki fazia em seu peito após se amarem por horas.

Tinha vontade de agarrá-lo sempre que chegava em casa. Naruto era sua maior paixão. Seu pecado mais quente. Seu amor mais profundo. Doía não conseguir alcançá-lo. Havia um muro enorme entre os dois e nenhum deles sabiam como derrubar.

O medo de que qualquer movimento quebrasse de vez aquela casinha de cristal que era aquele relacionamento assombrava ambos os homens.

Passavam a noite em claro de costas um para o outro fingindo um falso sono enquanto o de olhos verdes rezava para que ainda restasse amor no de olhos azuis celestes e o loiro chorava em silêncio com medo de seu marido decidir deixá-lo na manhã seguinte.

John ouviu seu celular tocar e ao destravar a tela para atendê-lo seu olhar caiu sobre a data no visor.

Era seu aniversário de casamento.

Hoje fazia doze anos que dividia a vida com Naruto.

Doze anos que dissera sim no altar.

Doze anos que escolhera o loiro como seu.

Doze anos que não trocaria por nada.

O choque o atingiu de forma dolorosa. Á quanto tempo não comemoravam essa data? Fazia anos que aquele dia havia se tornado comum para os dois. Sentiu seus olhos molharem. O que havia acontecido com seu casamento?


[...]



Às sete e meia da noite Stewart adentrava sua casa. O lugar parecia silencioso e estava  pouco iluminado. A única flor que carregava pesava em sua mão. Era uma Tulipa de cor vermelha, a favorita de seu esposo. A mesma ao qual havia lhe dado há doze anos com um anel de noivado entre as pétalas.

Quanto mais avançava para o interior da residência um som invadia seus ouvidos. Na sala de estar o rádio tocava baixinho e John reconhecia aquela música em qualquer lugar.

Apenas a luz do abajur que ficava no canto do cômodo estava acesa e seu marido estava sentado na janela encarando a escuridão que habitava lá fora com uma taça de vinho na mão enquanto We Belong Together soava pelo ambiente. Ele trajava um de seus blusões de basquete que cobria a peça íntima que ele usava por baixo como costumava fazer antigamente quando dizia que estava com saudades e vestia sua roupa para sentir-se mais próximo de si.

O rosto molhado denunciava as lágrimas que o homem loiro havia derramado e o olhar melancólico deixava claro o seu estado entristecido.

John não sabia que era a décima vez que Naruto escutava a música naquela noite. A mesma canção que dançaram juntos na formatura da faculdade e no dia que disseram sim um para o outro.

O loiro virou-se e se surpreendeu com a presença do outro ali. Havia ficado tanto tempo enclausurado em seu sofrimento que não percebeu o tempo passar. Seu olhar caiu sobre a flor que ele carregava, logo retornando aos olhos verdes que tanto amava.

John se aproximou e lhe estendeu a solitária tulipa que tinha um significado muito grande para os cônjuges. Com o olhar preso um no outro o de pele bronzeada pegou a flor. O mais alto fez um carinho em seu rosto e Naruto segurou a mão dele contra sua bochecha não querendo que aquilo acabasse.

Não aguentava mais aquela situação. Pareciam dois estranhos que tiveram um passado. Queria seu marido de volta.

- Sinto sua falta.

- Eu também.

John retirou a taça das mãos do outro deixando-a sob o encosto da janela. Suas mãos foram para ambos os lados do rosto do homem que dominava seu coração e o beijo aconteceu.

Havia tanta saudade. Tanta dor. Tanta ânsia naquele ato que o desespero logo veio á tona.

O corretor pegou o de fios loiros no colo, este entrelaçou as pernas em sua cintura. A urgência para se amarem era tão grande que o tapete felpudo no chão da sala foi usado como cama.

As roupas foram jogadas para qualquer canto em meio às carícias exasperadas. Quando estavam nus, o mais alto não pode deixar de admirar o homem embaixo de si.

Naruto ainda era tão belo e exótico que qualquer um que o visse jamais imaginaria que tinha seus trinta e seis anos.

A franja loira caía sobre a testa e as laterais esparramavam-se sobre o tapete. Seu olhar brilhava em carinho e saudades. John não sabia como havia conseguido se manter longe daquele ser por tanto tempo.

As mãos exploravam os corpos alheios e as bocas se devoravam após cada intervalo para a recuperação de ar. A música ainda tocava e tornava a se repetir quando chegava ao fim.

Mas eles não se importavam, a melodia fazia parte da vida que construíram e deixava aquele momento mais intenso e importante.

Amaram-se como há muito tempo não faziam. Cada beijo. Cada toque. Era como se fosse à primeira vez. As horas passavam e a noite se aprofundava mais e mais, ainda assim eles permaneciam memorizando a textura de suas peles e o sabor dos lábios que os deixavam tão alucinados e calorosos.

Quando a madrugada chegou o loiro se encontrava deitado sobre o peito do outro deixando um carinho ali como sempre fazia quando terminavam o ato desejoso. John tinha a cabeça inclinada em sua direção e deixava beijos no topo de seus cabelos dourados sempre apreciando o cheiro que eles exalavam.

As promessas de amor foram renovadas e a esperança de um futuro melhor retornava aos seus corações.

Talvez tudo não estivesse tão quebrado.

6 Avril 2018 03:06:15 10 Rapport Incorporer 3
La fin

A propos de l’auteur

Cammis Silva Escritora (amadora); Leitora, apaixonada por fantasia e terror; Musica move meu mundo.

Commentez quelque chose

Publier!
Camy <3 Camy <3
Olá! Então, eu quero começar te agradecendo muito por todo o ânimo em participar do desafio. Desde o começo você foi uma das que mais se empolgou e entrou de cabeça nessa coisa toda de fazer o crackship. Inclusive, amei o seu! Admito que teria achado mais surpreendente se você fizesse numa mistura dos dois universos, com o John como super-herói e o Naruto como ninja... Principalmente porque eu não faço a menor ideia de como misturar isso e acharia surpreendente pra caralho, kkkk. Mas o casal é ótimo! A questão aqui, acredito eu, é que a fanfic poderia se passar sem problemas como uma original. Eu não senti o Naruto, porque você não fala do passado dele, cita outros personagens do universo ou faz qualquer referência ao canon; o mesmo vale para o John. Você usou os nomes e a aparência, mas eu não senti as personalidades ou um passado parecido com o dos universos originais. Dito isso, eu quero te elogiar por ter escolhido um tema muito (muito, muito, muito) relativo e polêmico. Isso de haver um distanciamento no matrimônio é tão importante e acontece tanto na vida real que é essencial escrevermos a respeito. Eu adorei a forma como você criou o ambiente, deu para sentir a tensão e mesmo a tristeza dos dois. Foi possível perceber que o casamento desandou e que eles ainda se amavam, mas que tinham seus problemas. O final não me agradou muito. Apesar de ser uma fã assídua de lemon, seria mais proveitoso uma conversa. Antes do sexo, o casamento é feito com confiança; eles precisavam falar sobre o porquê de terem chegado àquele ponto (e depois o sexo pode vir, kkk). Eu gostei do lemon, só senti falta disso, dessa reconciliação. Eu achei a construção de tudo maravilhosa até o momento em que eles se beijam. Os dois parecem tão tristes e têm tanta coisa engasgada que eu tava ansiando pra ver como eles iam se resolver. Isso é outra coisa: você conseguiu criar uma tensão ótima! A sua escrita foi seguindo um ritmo embalado e não se tornou nem um pouco cansativa; muito pelo contrário. Eu quis ler sempre mais e fiquei bem triste ao chegar no final e perceber que não teria como descobrir mais sobre os dois. Dica de escrita: não precisa usar "o de olhos verdes", "o loiro" ou "o mais velho" para se referir aos personagens; usar os nomes deixa o texto mais direto e passa um ar de profissionalismo (já viu em algum livro bom e de renove a expressão "o moreno"?). Mas é como eu disse: adorei mesmo a história, em especial por se tratar de um plot tão complexo e importante! Continua sempre melhorando, com essa habilidade em acumular tensão você vai longe. Eu consegui sentir aquele aperto gostoso no peito e acredito que tenha apenas faltado um pouco de desenvolvimento no final. Um beijo enorme no seu coração, nunca desista porque a história está, sim, muito boa <3
5 Mai 2018 23:56:25

  • Cammis Silva Cammis Silva
    Obrigada pelos elogios no começo. Eu realmente fiquei muito empolgada com esse desafio porque sempre tive vontade de usar personagens de universos diferentes, então esse desafio caiu como uma luva. sobre o que você disse á respeito de ser mais supreendente eu fazer uma mistura dos dois mundos dos personagens e eu fiz, só que em outra Fanfic, mas como você leu a UA primeiro acho que você não notou. E sobre você ter dito que não sentiu o Naruto porque não citei o passado dele (Eu citei pelo ponto de vista do John a pessoa que o Naruto era antes de seu casamento começar a desandar) e não fiz menção a outros persongens e nem ao canon porque eles não estavam envolvidos na trama, o foco e o assunto era Naruto, John e a crise no seu relacionamento. Assim como o John também. E sobre o final não te agradar, eu não coloquei uma conversa entre eles propositalmente. Por que eles precisavam daquele contato um com o outro antes de tudo. Eles queriam se sentir. E queria deixar implícito a conversa deles para o leitor imaginar se eles realmente se acertaram. Por isso a frase no final "Talvez tudo não estivesse tão quebrado", por que isso deixa aberto por causa do talvez, de repente depois do sexo eles conversaram ou no dia seguinte para colocarem as cartas na mesa. Eu não quis detalhar justamente para o leitor pensar como quiser. Obrigada pelo comentário, é muito importante para mim e obrigada pelos elogios <3 <3 8 Mai 2018 10:47:46
Vany-chan 734 Vany-chan 734
Tenho comichão com fanfic UA, mas se tratando desse shipp, seria estranho um UN KKKKKKK Bom, não achei a personalidade do Naruto muito fiel, mas acho que seu intuito foi esse mesmo ao mostrar o quão melancólica e desgastada estava aquela vida à dois. Bem, o triste de tudo isso é que esse peso e tensão entre pares é sentido na vida real, sejam com amantes ou amigos, e é algo que sempre nos consome, por isso eu gostei, fez eu me lembrar de amizades que estão nesse estado de semi-desapego... e ver que um simples dialogo resolveria isso, infla aquela esperança contida de 'tudo vai dar certo'. Foi uma leitura interessante, beijinhos!
5 Mai 2018 19:07:40

  • Cammis Silva Cammis Silva
    Eu fiz duas fanfics com esse shipp, essa UA e outra UN auauhauahduah. Sobre o Naruto eu quis mostrar o lado mais sério dele, porque o Naruto não é um raio de sol o tempo todo. Como na cena sobre a morte do Jiraya que ele coloca a culpa toda na Tsunade com uma frieza extrema pouco se importando com o sofrimento dela. Assim como o Naruto atualmente que se afunda em trabalho e neglegência a sua família. Não parece em nada com o Naruto que estamos acostumadas, mas essas facetas dele existem e eu resolvi usá-las aqui, mostrando um Naruto mais sério e indiferente, mascarando seu sofrimento com isso. Obrigada pelo comentáro é muito importante <3 8 Mai 2018 10:51:11
Bárbara Maria Bárbara Maria
Se tem uma coisa que eu amo, essa coisa é reconciliação! Ficou cheio de sentimento, e fiquei aliviada que teve um final feliz! Parabéns pela fic! <3
4 Mai 2018 15:43:13

  • Cammis Silva Cammis Silva
    Eu também adoro esse tema, é complicado e qualquer deslizes pode complicar ainda mais a situação que já está crítica. Fico feliz que tenha gostado e obrigada por comentar <3 8 Mai 2018 10:54:51
LiNest LiNest
Uma coisa que gosto desse desafio é como ele me deus a possibilidade de ler sobre casais que eu NUNCA teria imaginado antes, que nunca teriam sequer passado pela minha cabeça, esse é o caso desse ship. Sério parecia uma loucura total, mas conforme ia lendo eu realmente gostei, a tensão e os sentimentos eram palpaveis e dolorosos, eu já tava achando que não tinha salvação para eles, mas então teve a cena do aniversário de casamento e eu realmente me vi surpresa ao me sentir aliviada, me pegando já começando a shiplar esses dois lol realmente uma ótima fanfic, só fics boas conseguem causar esse tipo de impacto. Amei. Só recomendo dar uma revisadinha, mas de resto está 10/10
30 Avril 2018 18:46:24

  • Cammis Silva Cammis Silva
    Nossa, eu amei demais esse desafio. Sempre quis escrever sobre casais diferentes e esse desafio caiu como uma luva e atiçou minha vontade de escrever. Eu queria deixar claro na fic que os dois ainda se amavam, mas não sabiam com chegar um no outro e a cena do anivesário foi o estopim que eles precisavam para colocar as cartas na mesa. Muito obrigada pelo seu comentário, me deixou muito feliz <3 1 Mai 2018 15:27:07
Karimy Lubarino Karimy Lubarino
A tensão entre os dois ficou clara desde o início da história, e você teceu isso de forma muito simples e forte. Me senti dentro do relacionamento dos dois, buscando respostas para o afastamento, a indiferença e a frieza. O amor estava ali, mas eles se afastaram aos poucos, talvez até sem notar. Gostei do sabor de esperança que senti quando os dois se beijaram, e torci por eles. Na verdade, acho que muitos casais devem enfrentar algo assim, ou já enfrentaram. Jamais imaginei esses dois juntos, mas ficou muito legal e leve! Beijos, autora! Adorei a história!
21 Avril 2018 09:54:25

  • Cammis Silva Cammis Silva
    Preciso dizer que os seus comentários foram excepcionais!!! Fico muito satisfeita que tenha gostado. Realmente esse tipo afastamento é complicado e tem muitos casais que passam por isso. Esse casal é bem inusitado, mas adorei trabalhar com eles e abordar os dois de forma madura e um pouco realista trazendo esse tema de problemas no casamento. Muito obrigada por esse comentário maravilhos <3 1 Mai 2018 15:22:39
~