Amor Inesquecível Suivre l’histoire

aelita Allyne g

Quem nunca se apaixonou por um professor ? Um aluna passou grandes dificuldade se abriu se coração único homem ela já respeitou seu professor Seu primeiro amor e único até nós dias de hoje ela já mas esqueceu. Sempre desejou um dia poder-lo revelo . Nem fosse por alguns segundos novamente. O que acontece depois quatro anos eles recontam ?


Romance Interdit aux moins de 18 ans. © Não é plagia e plagia e crime essas fanfic você encontra lar outros sites por mi nome "Aelita"

#Drama #Comedia #Aluna #Professor #Romance
2
6.6k VUES
En cours - Nouveau chapitre Tous les jeudis
temps de lecture
AA Partager

Capítulo 1 - Amor inesquecível

Amor inesquecível.

Me lembro meu primeiro dia de aula estava na sétima série, eu sempre fui ruim algumas matérias não porque eu queria escutar, eu sempre me esforcei além de tudo.

Eu tinha medo dos professores dos meus colegas de classe, não gostava de conversa com ninguém tinha vergonha era tímida.

Tenho quatorze anos estou três anos atrasada na escola. Você se pergunta porque estou atrasada? Eu repedi o terceiro ano duas vezes os professores naquela época não queriam me passar eu mal sabia ler escrever, não só apenas isso tinha outros motivos, maioria dos meus professores não tinha muitas informações sobre doença sem cura chamada “ Dislexia “ e queriam me jogar para uma classe especial. “Como posso dizer classe para deficiente mental “. Esse não era meu problema eu tinha dislexia naquela época não era caço muito conhecido entre as pessoas.

Passei por poucas e boas chegar onde estou. Mesmo as vezes eu recebo olhares de reprovações dos meus professores eu não consigo entender a matéria, principalmente matemática sempre tirei um ou dos nas provas. Eu consegui passar na matéria por causa dos trabalhos que os professores passavam, isso realmente me ajudava muito ficar com cinco na média. Oque mesmo importava eu queria passar de ano, e não ficar para trais como das última vezes, eu vendo meus amigos passando de ano todos alegre eu ficando para trais .

Não gostava mas de ir para escola, odiava todos e tudo em minha volta. Só queria chegar logo em casa ficar sozinha como sempre fazia ou ver Televisão ou ler algum livro. Mas para minha surpresa nunca tive um professor homem ele entrou alegre e sorrindo dando boa tarde para todos os alunos. Ele parecia ter um metro e noventa seus cabelos eram pretos caindo para os lados , seus cabelos não eram tão grande nem curto, seus olhos castanhos caros Eu me mantive sentada como de costume no canto da sala na frente. Ele se apresentou disse seu nome.

__ Eu me chamo Felipe. Pelo vistos os meninos da sala comeram fazer farias perguntas aleatórias para o professor . _” Você torce para que time ? Você joga bola etc”.

Eu nem estava ai para novo professor me mantive no meu canto como sempre . __ Ele começou a dizer.

__ Quero conhecer cada um de vocês. Então peguem uma folha e responda essas perguntas. Ele começo escrever no quadro negro as perguntas.

__ Depois terminarem me entregam.

As perguntas eram pessoais, tipo de música você gosta? Você gosta de fazer no seu tempo livre?. Qual matéria você mais gosta? .

Eu comecei a escrever eu gostava de fazer por vez parecia eu era única que gostava de coisas estranhas. O professor pegou minha folha ele perguntou quem é Aelita. Eu levantei a mão. Ele abriu caderneta olho meu nome, acredito nessa hora ele dever ter achando estranho por minha data de nascimento está “1995” a demais eram 1997.

Ele me olhou por um momento começo ler minha folha.

__ Deixa eu ver você tem quatorze anos. Você gosta de ouvir música japonesas. Gostas de trabalhar arrumando computadores, está fazendo curso de manutenção curso de pintura quadros.

Eu confirmei com cabeça envergonhada outros alunos olhavam para mim.

__ Sua matéria favoritas são artes, e literatura. Então você gosta de ler ?

__ Sim. Gosto passar meu tempo desenhando. – eu respondi, ele sorriu .

Aula dele passou rapidamente depois disso conhecemos nossos outros professores, alguns serial os mesmos. Voltei para casa minha mãe me perguntou foi meu dia eu disse o que aconteceu ocorreu tudo normal.

__ Amanhã irei na sua escola entrega os papeis seu professor novo de matemática de português .

Minha mãe sempre iria na escola era começo de ano ele levava documento que comprovava eu tinha “Dislexia” Assim os professores me dariam mais atenção na matérias eu não me dava bem . Por vem era Português e matemática, eu tinha dificuldade ler e escrever.

No dia seguinte minha mãe foi na escola, foi conversa com professor de matemática ela explicou minha situação, eu apenas ouvia eles conversando e eu ficava de cabeça baixa envergonhada . Senti uma mão grande por vem não era da minha mãe e sim do professor, pousado da minha cabeça.

__ A parti de hoje sentaras meu lado . Assim ficaras mas fácil eu ensinar a matéria.

Assim foi todos meu dia sentava seu lado , primeiro ele explica matéria normalmente outros alunos depois vinha até mim perguntado eu tinha entendido ou não . Como sempre eu nunca entendia , ele me explicava novamente eu tentava fazer mas errava , ele me mostrava outra maneira de aprender fazer a conta até uma hora eu consegui fazer sozinha .

Depois disso descobri ele dava aula para presidiários, por isso ele tinha tanta paciência para me explicar matéria , alguns meus professores não tinha eles faziam me jogava para reforço ou então chamava algum aluno eu me senta-se do lado me ajudar fazer lição.

Tinha aula dele eu adorava era divertido as vezes não ficar muito puxado as aulas ele costumava dar outro tipo de matéria não era relacionado matemática, as vezes fazíamos desenhos de olhos fechados depois tínhamos que pintar desenho em círculos haviam feito olhos fechado , ou então ele nós levava para quadra de esporte mandava a gente jogar bolo ou queimada . Isso e claro nas aulas de sexta –feira. As duas últimas eram dele.

Eu adoro aquele professor, pouco tempo descobrimos ele era jovem havia apenas vinte três anos . Não era desespera além do, mas ele sempre vinha blusa de manga curta nós podíamos ver sua tatuagem do braço.

Um vez iriamos fazer uma prova do estado, era mas como olimpíadas de matemática. Bom era 60 perguntas, eu vou ser honesta com vocês metade eu sabia outra metade eu chutei tudo! Eu nem dei bola para aquela prova a semana se passou uma moça secretaria entro na sala anunciando os nomes iriam participar das olimpíadas de matemática.

__ Vinício costa e Aelita Santos. Todos na sala olharam para mim até mesmo meu professor de matemática. Eles começaram a falar.

__ O que Aelita ? Tem certeza disso ? Moça? – Disse um aluno

__ Sim tenho ela passou na primeira faze das olimpíadas. Venha sábado terá segunda faze das olimpíadas você deveram estar aqui as uma hora da tarde.

Droga entrei em pânico como eu consegui passar ? Era impossível. Eu mal sabia de nada e pior outro aluno se chamava Gustavo era literalmente exper. de cabeça em matemática, ele não consegui-o passar também. O Vinício já desespera ele era o nerd da sala , sempre tira maior nota em todos as matérias.

__” Mas eu!! Não era um genial da matemática , eu completamente burra !! Apenas tive uma grande sorte em passar nessa prova .”

Me mantive em silencio o professor voltou da aula , depois ele se aproximou de mim me dando os parabéns . Eu fiquei feliz mesmo tempo envergonhada. Sabia eu não tinha esse direto estar ocupado essa vaga nas olimpíadas eu apenas tive sorte em acerta tudo”.

Eu cheguei em casa contei a minha mãe disse a ela a verdade eu chutei a maioria ele ficou de boca aperta . Quando chegou no sábado eu não fui eu sabia não iria passar.

Na segunda-feira o professor se aproximou de mim perguntou porque eu não fui , eu disse ele não iria conseguir eu apenas tive sorte . Ele não apareceu acreditar muito em mim , depois disso deixamos assunto de lado as aulas ocorreu normalmente , minha mãe venho na escola pegar meu boletim escola o meu professor foi até ela começo conversa com ela. Eu não queria saber eles estavam conversando fiquei no pátio da escola esperando por ela ,ela desceu com professor rindo e vindo da minha direção , o professor também ele posou sua mão meu ombro e disse.

__ Próxima vez Aelita quero faça um jogo para mim na mega-sena loteria. Ele rir .

__ É ter muita sorte acerta 60 perguntas no chute. Possibilidade e de um milhão. Olho se você jogava se loteria assim poderia ter ganhando.

Eu fico sem entender minha mãe começo rir . __ Não a dúvida ela teve muita sorte.

__ Se teve sorte ? Pode botar sorte nisso .

__ Aelita poderia ter me tido a verdade. Chutou metade da prova assim poderia ter falado com a diretoria , teria tirado seu nome das olimpíadas .

Eu apenas sorri envergonhada, depois desse dia eu continuei ter minhas aulas de matemática normalmente , por fim chegou o final do ano , havia percebido esse ano foi legal ir para escola principalmente por causa do professor de matemática . Nos últimos dias conversamos asneiras perguntei se ele havia filhos, ele me disse que não era solteiro.

__ E você Aelita gosta de alguém?

__ Eu ? Não. Eu mal consigo conversa uma colega de classe imagina com um menino.

__ Mas um dia vai quere ter um namorado.

__ Eca! .- digo . __ Eu acho nunca vou casar.

__ você diz isso agora daqui uns anos vai quere ter um namorado.

Assim se passou últimos dias calmo tranquilos no último dia minha turma organizou uma festa de despedida. Eu fui só mesmo comparecer . Ali estamos conversando entre si o professor entro em nossa sala ser ajuntar nós . A festa foi tranquila por fim me despedi todos esperaria sair resultado final , se eu passaria de ano ou não . Me aproximei do professor despedi dele .

__ Professor tenha boa férias.

__ Obrigado Aelita. Você também.

__ Espero pegar o senhor ano que novamente.

__ Pensei me odiaria , por ter pegado muito no seu pé. – ele disse entre risos .

__ Não adoro o senhor , você meu professor favorito entre todos . Adoro suas aulas são muito divertidas.

__ Vou considera isso como elogio.

__ Eu vou indo professor Felipe , tenha bom descaço . Espero seja meu professor novamente ano que vem . – digo sorrindo e saindo da sala e para no meio do caminho.

__ Se eu fosse mas venha me casaria com senhor. – digo brincando entre risos e saindo da sala.

Volto para casa caminhando sozinha começo me lembra bom momentos eu tive esse ano , o professor Felipe ele muito legal e gentil adora ele , me lembro um vez não sabia resposta ele havia me perguntado na sua aula , eu não sabia a resposta estava envergonhada e medo dos outros alunos rirem de mim, ele percebeu disse em voz baixa para mim ressudado . Eu respondi ele havia me dito voz baixa .__” está certo”. ele sorriu para mim depois disso foi fazer outra pergunta outro aluno.

Ele fazia cada coisa não dava mesmo acreditar ele era nosso professor . Eu paro para atravessar avenida percebo algo , estava sempre feliz ao lado dele. Me sentia sempre ansiosa estar suas aulas fica triste ele faltava . Não era apenas isso eu ficava envergonhada estava ao lado dele sentia meu coração bater forte .

Foi ai eu percebi em uno ano acabei me apaixonando pelo meu professor te matemática . Por fim as férias havia acabado eu havia passado de ano estava na oitava serie . Eu continuava na mesma turma mas alguns alunos saíram estava outra sala mudaram de escola . Estava ansiosa saber quem me daria aula de matemática eu descobri era professora e não o professor Felipe eu tanto esperava . Fiquei triste em não saber que era ele . Na hora do intervalo desço vou ate salas dos professores saber sobre ele. Eu não vi nem um lugar. Uma professor me disse ele havia saído escola .

__ Porque ele saio ? – Ela me respondeu

__ Parece teve problemas com alunos do terceiro colegial a noite, ameaçaram ele foi obrigado sair da escola.

__ Obrigada professor Ana Paula . Não sabia ele era ótimo professor de matemática gostava das aulas dele esperaria ter de novo aula com ele .

__ você melhorou muito ano passado em matemática não foi Aelita ?

__ Sim! Ele me ajudou muito. Digo feliz mesmo tempo triste em saber ele havia saído da escola.

Mas um ano se passou novamente eu sempre pensava no professor Felipe nunca esqueci dele até hoje . Gostaria tanto poder um dia vê-lo novamente quem sabe eu tomaria coragem em dizer para ele eu o amava .


14 Mars 2018 04:05:07 0 Rapport Incorporer 0
Lire le chapitre suivant Capítulo 2 - Eu pude revelo

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~

Comment se passe votre lecture?

Il reste encore 18 chapitres restants de cette histoire.
Pour continuer votre lecture, veuillez vous connecter ou créer un compte. Gratuit!