Sem hora ou lugar (2016) Suivre l’histoire

alicealamo

Porque, morando com aqueles dois, eu já deveria saber que sexo não tinha nem hora nem lugar para acontecer.


Fanfiction Anime/Manga Interdit aux moins de 21 ans. © Todos os direitos reservados

#ua #incesto #ItaSasuNaru #Itachi-Sasuke-Naruto #lemon #yaoi #itachi #sasuke #naruto #pwp
Histoire courte
28
7.3k VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

Capítulo Único


Eu simplesmente liguei o foda-se.

Não vou te contar como tudo o que vivo começou, como acabei me envolvendo demais justo com aquele que menos podia chamar de amante. Não. Levaria tempo demais, levaria anos, levaria todos os dezoito anos dele. Então, contente-se em saber que nos descobrimos em uma festa, depois de uma briga da qual tive que o salvar. Adrenalina em alta, coração batendo forte, álcool levemente no sangue, cumplicidade mais que fortalecida e uma casa fazia. Esse é o máximo de detalhes que te darei sobre como comecei a passar minhas noites com meu irmão mais novo.

Não, você não leu errado, e eu não estou tentando confundi-lo ou enganá-lo. É isso mesmo. Prazer, sou Itachi, vinte e um anos, completamente apaixonado pelo irmão caçula e, como disse antes, simplesmente liguei o foda-se para esse detalhe.

— Ah, Sasuke...

Isso? Bem, foi eu acordando, levando as mãos para os meios das pernas, encontrando os fios negros do cabelo dele...

Pisquei sonolento, sentindo a umidade que envolvia meu membro, o calor da língua a acaricia-lo. Minhas pernas foram um pouco mais abertas, as mãos de Sasuke seguravam minhas coxas enquanto sua boca dedicava-se a me engolir até onde podia. Cocei os olhos, sentindo ondas elétricas percorrerem meu corpo preguiçosamente, esquentando-o. Arfei, olhando para baixo e encontrando os olhos negros do meu irmão a me encarar enquanto a língua dele circundava à glande.

Sorri malicioso, observando com deleite ele gemer enquanto voltava a me chupar com força.

Senti minhas calças na altura dos joelhos e só então percebi que Sasuke estava nu. Ele soltou minha ereção com um audível estalo, e lambeu os lábios enquanto se ajoelhava na cama entre minhas pernas. Suas mãos se apoiaram em meu abdômen, ele se aproximava cada vez mais, ficando de quatro sobre mim, deixando que as mãos percorressem meu peito até chegar ao meu pescoço. Inclinando-se na minha direção, beijou-me, descendo o corpo para ficar deitado sobre mim, esfregando nossos membros.

Ah, Sasuke... Se ele soubesse o quão delicioso era, não faria aquilo.

Minhas mãos deslizaram sem pressa por suas coxas, apertando as nádegas e o sentindo rebolar, aumentando o atrito entre nossos corpos. Apertei sua cintura para, por fim, levar uma mão ao cabelo dele, segurá-lo e girá-lo na cama. Livrei-me da calça e me apoiei em um dos braços. Acariciei o rosto de Sasuke, vendo o sorriso libidinoso que ele me dirigia antes de capturar meus dedos com a boca e suga-los.

— Você não cansa, não? — Ri, movendo os dedos em sua boca, sentindo sua língua os serpentear como provavelmente faria com minha ereção.

— Não é como se você não gostasse — Ouvi a voz que faltava no cômodo dizer.

Não precisei me virar nem nada. Apenas me afastei um pouco da boca de Sasuke, sentindo uma mão passar por minha coluna e parar no meu cabelo solto. O corpo se colou ao meu, puxando-me para cima sem muita força. Ergui-me, ficando de joelhos sobre Sasuke e virando o rosto para o lado para encontrar a boca de Naruto.

Quem é Naruto? Bem, é complicado, mas tranquilize-se porque não é meu outro irmão. É o namorado dele. E, adivinha? Eu também não vou te explicar isso. Saiba apenas que, quando Naruto começou a ficar com Sasuke, ele já sabia muito bem do meu tipo de relacionamento com ele e, inconsequente como é, aceitou tudo como se fosse um dos seus mais secretos fetiches (o que hoje sei que era mesmo).

Loiro, olhos azuis, porte médio, gostoso pra caralho, não foi muito difícil de me seduzir (com a autorização de Sasuke é claro). Mas isso não importa, não quando Sasuke saiu de baixo de mim, ficando de quatro na minha frente e manuseando meu membro; não quando Naruto arranhou meu tórax, gemendo baixo em meu ouvido. Como vê, tenho coisas mais importantes a que dar atenção.

Naruto parou ao meu lado, levando ambas as mãos ao meu rosto e puxando-o para si. O beijo dele era exigente, afobado. Beijar Naruto era sempre pensar que o estava beijando pela última vez. Eu gostava daquilo. A língua dele não parecia querer qualquer conflito, era apenas um convite para algo extremamente prazeroso. Era um beijo que me lembrava festas, embriaguez, puro desejo e falta de pudor.

Passei um braço pela cintura dele, notando o calor da pele, mantendo-o perto de mim enquanto minha outra mão acariciou os cabelos de Sasuke quando ele engoliu meu membro.

— Ah... O que estão fazendo? — Ri rente à boca de Naruto, vendo-o sorrir abertamente enquanto trocava um olhar com Sasuke. Ali tinha coisa...

Naruto apenas riu, descendo a boca para o meu pescoço e distribuindo beijos molhados. Fechei os olhos, expondo mais a área, suspirando enquanto meu corpo esquentava, sentindo o prazer se espalhar. Ele mordeu o lóbulo da minha orelha antes de sugá-lo, desceu a mão até um dos meus mamilos e o apertou para suspirar quando segurei sua ereção.

— Tachi... — gemeu.

Não estava entendendo o que acontecia, mas não tinha como recusar, não é mesmo?

Naruto se esquivou de minha mão, inclinando-se para passar a língua ao redor do meu mamilo e o sugar com força. Segurei seu cabelo, encarando-o e percebendo o riso contido nos olhos luxuriosos. Ele tocou o braço de Sasuke, afastando-se de mim para sussurrar algo no ouvido do meu irmão. Sasuke abriu a boca, deixando meu membro deslizar para fora enquanto a saliva escorria. Naruto pareceu se esquecer do que dizia por alguns segundos (também, né? É de Sasuke que estamos falando.) e, quando voltou a si, meu irmão já endireitava o corpo, puxando Naruto para si e o beijando com gula.

Era excitante ver Sasuke subjugar Naruto daquela forma, era extremamente delicioso ver meu adorável otouto simplesmente dominar o namorado com tão pouco. A forma como Naruto gemia entre o beijo, como ficava desnorteado, como amolecia nos braços de Sasuke, tudo era estupidamente convidativo. Qualquer que fosse a ideia que Naruto havia dado a Sasuke, meu irmão parecia dizer que tinha uma melhor.

Sem quebrar o beijo, Sasuke abriu os olhos e me encarou como se me perguntasse o motivo de eu ainda estar parado. Fui até eles, parando atrás de Naruto e o abraçando por trás. Beijei seu pescoço, mordendo a região para chupá-la no mesmo lugar onde Sasuke o havia marcado na noite anterior. Ele rebolou, pressionando o quadril contra minha pélvis, deixando-me esfregar meu membro entre as bandas de sua bunda (puta que pariu, que bunda!).

Gemi baixo contra seu ouvido, descendo minha mão até sua pélvis para poder masturbá-lo. Ele abriu os olhos, encarando o teto enquanto sussurrava meu nome, levando a mão para trás em busca da minha nuca.

Sasuke riu cínico, lambendo os lábios antes de descê-los pelo tórax de Naruto, beijando cada região que possuía alguma marca nossa e parando sobre os mamilos, mordendo-os de leve para assoprá-los, assistindo a pele de Naruto se arrepiar e ele se mexer desconfortável, aumentando ainda mais a fricção contra a minha ereção.

De repente, tive uma ideia. Sentei sobre minhas pernas, puxando Naruto para o meu colo. Sasuke não precisou de muito para entender o que eu queria, mas, mesmo assim, verbalizei só para ver Naruto gemer de antecipação.

— Vem, Sasu, chupe-o.

Sasuke colocou as mãos sobre o colchão, engatinhando até onde estávamos. Mantive as pernas de Naruto abertas, sentindo a respiração dele acelerar à medida que Sasuke se aproximava. Meu irmão pousou as duas mãos sobre as coxas de Naruto, arranhando-as enquanto parecia analisar o membro à sua frente. Lentamente, os olhos negros se ergueram primeiro para mim e depois para Naruto, como se brincasse com nossa sanidade antes de deslizar a língua pela glande.

Naruto apertou os fios do meu cabelo entre seus dedos, gemendo alto, remexendo-se em meu colo. Sempre tão sensível e escandaloso... Ri baixo, beijando-lhe o pescoço enquanto assistia Sasuke chupá-lo. Se um dia alguém desse um prêmio para o melhor boqueteiro do mundo, certamente seria para ele. O modo como Naruto gemia em meu colo, tentando fugir ao mesmo tempo em que seu corpo todo clamava por aquele prazer, sussurrando as coisas mais obscenas possíveis sobre meu irmão, tudo isso confirmava minha teoria. E Sasuke sabia disso. O maldito filho da puta sabia muito bem o quão bom era e, por isso, fazia questão de sorrir presunçoso toda vez que parava de chupar Naruto para deslizar a língua até os testículos, envolvendo-os com os lábios, sugando-os de leve apenas para assistir o modo afoito como Naruto descia a mão para seu cabelo, tentando inutilmente querer impor alguma ordem a Sasuke.

— Tachi... — ele gemeu, manhoso, puxando meu rosto para perto do seu e esfregando nossos lábios, lambendo os meus sem de fato me beijar. — Me solta... Quero beijar o bastardo.

— Deite-o — sussurrei, soltando-o.

Naruto sorriu, puxando Sasuke para longe de seu pênis e o espalmando seu peito. Naruto empurrou-o para o colchão, ficando de quatro sobre ele enquanto o beijava. Da onde eu estava, tinha uma boa (ótima, excelente) visão. Conseguia ver a mão de Sasuke indo até seu próprio membro, manuseando-o lentamente enquanto a outra mão puxava os fios da nuca de Naruto, ditando o ritmo e a profundidade do beijo; e conseguia ver também a bunda de Naruto, empinada, com seu ânus exposto. Bem, aquilo era obviamente um convite, não? Quer dizer, ninguém fica de quatro, empinando o quadril e expondo o próprio cu para o outro sem motivo algum.

Chupei um dedo, passando-o lentamente pela fenda da bunda de Naruto, percebendo o modo como sua coluna arqueou e seu corpo tremeu em resposta. Segurei as bandas, separando-as ainda mais antes de cuspir ali, deixando minha saliva escorrer até o ânus dele.

Ah, Naruto, por que sempre tão gostoso?

Mordi uma de suas nádegas, deixando meus dentes arranharem a pele antes de deslizar a língua pela fenda.

Naruto gemeu, parando o beijo e fazendo com que Sasuke se mexesse para tentar ver o que eu fazia. Antes que meu irmão tivesse alguma reação ciumenta (sim, ele tinha), procurei seu membro e o apertei, começando a masturba-lo lentamente.

Fechei os olhos, chupando a pele próxima à cavidade rosada, deixando que minha língua a penetrasse, tentando coloca-la cada vez mais fundo à medida que Naruto gemia meu nome. Ele se remexia, empinando mais o quadril enquanto eu o apertava sua coxa. Deixei meus dentes rasparem naquela parte tão sensível, divertindo-me com a coloração avermelhada que ela ganhava. Assoprei de leve, rindo baixo quando Naruto resmungou insatisfeito.

Aumentei a velocidade da masturbação em Sasuke, sentindo-o úmido, passando o dedo pela glande a fim de espalhar sua excitação.

— Hey, Naruto, o quanto você quer ser fodido hoje? — perguntei, ciente de que minha voz tinha saído mais rouca do que o normal, enquanto beijava sua entrada, vendo-a piscar de ansiedade.

Ele choramingou quando me afastei e bati com força em sua bunda. Soltei tanto ele quanto Sasuke para poder me inclinar sobre Naruto, preenchendo minha mão com aquele cabelo loiro, tirando-o de sobre Sasuke.

— No chão, Naruto — mandei, sabendo que ele não contestaria.

Estendi a mão para Sasuke, e ele me olhou curioso antes de aceitar. Naruto sentou no chão, olhando atentamente para mim como se esperasse por instruções. Pisquei para Sasuke enquanto eu mesmo me ajoelhava no chão, de frente para a beirada da cama, puxando meu irmão pelas pernas e ficando entre elas.

— Hey, Dobe — Sasuke chamou, ainda me olhando, parecendo entender perfeitamente o que se passava por minha mente. —, por que não se abre para mim? A saliva de Itachi vai ser seu único lubrificante hoje — Ele passou a glande em meus lábios enquanto sorria de canto para Naruto.

Ouvi Naruto arfar e pude vê-lo virar de costas para nós, corado embora eu duvidasse que a vergonha o impedisse de algo. Ele empinou o quadril enquanto mantinha o rosto contra o chão, e vi suas mãos separarem suas nádegas. Minha boca secou quando dois de seus dedos escorregaram para dentro de seu ânus. Sim, escorregaram! Aquele filho da puta estava tanto querendo ser fodido que seu cu simplesmente engoliu seus dedos enquanto ele gemia satisfeito.

Sasuke riu, segurando meu queixo e virando meu rosto.

— Não, nii-san, sua atenção deveria estar em mim agora — Ele segurou meu cabelo com mais força, como se reforçasse suas palavras enquanto pendia a cabeça para o lado.

Ciumento, eu não disse?

Abri suas pernas, colocando-as sobre meus ombros e o obrigando a se apoiar nos braços. Lambi seus testículos sem pressa e sem tirar os olhos do rosto de meu otouto, atento a toda e cada alteração em sua expressão. Deixei minha língua percorrer toda aquela região para então chupar devagar a pele e colocar todo o testículo na boca.

Sasuke gemeu, jogando a cabeça para trás. Por pouco tempo, já que Naruto arfou, atraindo nossa atenção. Eu não podia olhar, mas Sasuke sim e, pela expressão de deleite dele, Naruto devia estar proporcionando uma visão dos deuses.

— Nii-san, não enrola...

Ri contra a pele dele, beijando sua glande antes de engoli-lo quase por inteiro. A voz sôfrega serviu de elogio enquanto eu o chupava com força. Suguei com ímpeto, deixando que minha boca fosse e voltasse rapidamente, provocando estalos audíveis que o faziam tremer e meu membro pulsar.

Ah, Sasuke...

Comprimi minhas bochechas, sabendo que aquilo faria Sasuke gemer mais alto. Suas mãos foram aos meus cabelos enquanto seus olhos não desviavam de Naruto. Com a língua para fora, engoli o máximo que pude de seu membro, levando-o até meu limite e sentindo seu corpo todo tremer quando voltei sugando forte.

— Nii-san!

Ah, sim, eu amava quando ele gemia daquela forma, parecendo tão indefeso, tão submisso, tão entregue.

— Vou te ma-tar se fizer o bastardo go-zar, Tachi — Naruto gemeu, tentando falar e respirar ao mesmo tempo.

Contrariado, apertei as coxas de Sasuke, fechando os olhos enquanto ia mais rápido, passando minha língua pela glande, sentindo o sabor de sua lubrificação e querendo senti-lo se derramar em meus lábios. Mas era o que Naruto tinha dito: não podia daquela vez. Não ainda...

Afastei-me mesmo com as mãos de Sasuke tentando me trazer de volta.

— Desculpe, otouto, mas, se você não comer ele depois, vamos ter que lidar com uma rapozinha muito insatisfeita — debochei, puxando Sasuke para o chão e o empurrando na direção de Naruto.

Ah, Naruto... Agora eu podia ver o que tanto estava fascinando Sasuke. Naruto estava com três dedos dentro de si, empurrando-os com força e rebolando para tentar aprofundar a penetração. Sua pele estava coberta por uma camada de suor e sua mão livre arranhava o piso em busca de algo que lhe trouxesse controle.

Sasuke parou atrás dele, rindo sadicamente enquanto enfiava um dedo seu junto aos dele. Enquanto isso, abri o criado mudo e peguei rapidamente os preservativos e o lubrificante, jogando-os no chão. Abri um e me aproximei de Sasuke, segurando sua ereção enquanto deslizava o preservativo e o via retirar seu dedo e os de Naruto daquela cavidade.

Meu membro pulsou com a visão... O ânus de Naruto estava dilatado, contraindo-se como se ansioso por voltar a ser preenchido, e juro que ouvi Sasuke rosnar algo incompreensível antes de forçar o pênis contra ela. Diferente do recomendado, ele não foi devagar ou cuidadoso. Sasuke simplesmente enterrou-se em Naruto enquanto puxava os cabelos loiros dele para trás.

Vi Naruto se apoiar nos cotovelos, abrindo as pernas enquanto Sasuke se arremetia nele sem trégua, sem consideração alguma. Abracei o corpo do meu irmão, passando a mão por todo ele. O suor fazia seu cabelo grudar um pouco no rosto, o sorriso que ele exibia só o deixava ainda mais belo, e eu posso garantir que, quando ele ria, sentindo o prazer dominá-lo, Sasuke virava um retrato perfeito do que seria a luxúria.

Vesti apressadamente o preservativo, manuseando minha ereção enquanto me perdia nos gemidos de Naruto, vendo as lágrimas se acumularem nos olhos dele. Chupei dois dedos, deslizando-os da nuca de Sasuke até a base de sua coluna. Sua pele se arrepiou e seus músculos retesaram. Ele deixou a cabeça pender para trás, olhando-me provocador.

— Me fode, onii-san...

Não tinha como negar um pedido daquele, tinha? Não, com certeza não. Desci meus dedos e circundei sua entrada, sentindo-a pulsar. Deslizei o primeiro dedo, sem pressa, vendo Sasuke se inclinar para frente, quase que deitando sobre Naruto.

— Isso, rebola, Naruto... Ah, dobe...

Lambi os lábios, impaciente, sentindo meu corpo ferver com a cena, vibrar com os gemidos, tremer de ansiedade! Meu dedo era pressionado pelo ânus de Sasuke e a pressão que se formou quando adicionei mais dois foi quase que insuportável.

Sasuke choramingou, mas Naruto o puxou para um beijo enquanto eu passava a estoca-lo com força, procurando sua próstata. Quando retirei os dedos, Naruto se afastou de Sasuke, deitando-se de costas para o chão e abrindo as pernas, segurando-as na altura dos ombros (e depois se diz santo).

Sasuke se inclinou sobre ele sem perder tempo, beijando-o enquanto voltava a penetrá-lo fundo. O gemido lânguido que Naruto soltou foi ouvido pelo apartamento do lado com toda certeza, e eu soube que Sasuke havia achado a próstata dele só pelo modo como a rapozinha revirara os olhos de prazer.

— Tachi, anda logo... — Sasuke gemeu. — Me fode, por favor... Eu preciso de você, por favor...

Passei meu membro pela fenda entre as nádegas dele, ouvindo-o suspirar ansioso. Peguei o lubrificante no chão e despejei uma boa quantidade sobre o ânus de Sasuke e esparramei sobre meu membro com pressa. Segurei seu quadril com as duas mãos, sabendo que não teria como penetrá-lo lentamente por conta do modo desesperado como ele fodia Naruto. Quando ele recuou de Naruto, pronto para voltar a se enterrar novamente, impulsionei-me, entrando em si e o fazendo gritar ao ser recebido por Naruto ao mesmo tempo.

— Puta que pariu, Tachi! — ele puxou meu rosto, gemendo contra minha boca enquanto eu o fodia.

Naruto soltou as pernas, passando os braços pelo pescoço de Sasuke e o puxando para beijá-lo enquanto eu aproveitava para me movimentar livremente. A mão esquerda de Naruto tateou o chão, e eu soube o que ele buscava. Debrucei-me mais sobre Sasuke, indo fundo e sentindo minha excitação pulsar quando ele todo pareceu gritar por mais. Sorri, o suor descendo por minhas costas enquanto eu entrelaçava minha mão a de Naruto.

— Teme... eu... — ele tentou falar, revirando os olhos.

Ah, eu sabia muito bem o que era aquilo. Naruto gozaria. E Sasuke também entendeu. Apoiou uma das mãos onde estavam as nossas e deixou o cotovelo do outro braço apoiado no chão, colando sua testa a de Naruto enquanto permitia que eu ditasse todo o ritmo a partir daquele momento.

Gemi, sentindo minha própria voz arranhar minha garganta ao ouvir o som de minha pélvis ao se chocar contra as nádegas de Sasuke.

Se esses dois soubesse o quão gostosos são, se soubessem o quanto aquela cena fazia minha sanidade se esvair tão facilmente, se soubessem o quanto me têm na mão daquele jeito...

Acelerei, querendo ouvir Sasuke gritar quando acertasse sua próstata, querendo ver Naruto arranhar as costas dele ao gozar, gemendo um de nossos nomes. E, pelo menos para um desses desejos, não demorou muito. Naruto apertou minha mão com força e Sasuke parou de beijá-lo apenas para ouvi-lo gemer desconexamente enquanto gozava. As unhas dele se arrastaram pelas costas de Sasuke, deixando mais um rastro na pele branca que ainda tinha as provas das outras noites.

Antes que eu pudesse tomar qualquer outra atitude, desequilibrei-me, caindo para trás e vendo Sasuke me retirar de si. A reclamação que eu faria morreu em seus lábios, com ele me beijando enquanto me deitava no chão, com uma perna de cada lado do meu corpo e sentando sobre meu membro de uma única vez.

— Sasuke!

Ele riu, jogando a cabeça para trás enquanto arranhava meu tórax e rebolava. Apertei suas coxas, ouvindo-o gemer meu nome enquanto subia e descia em mim, cada vez mais rápida, cada vez mais necessitado, cada vez mais gostoso! Ah, porra, Sasuke! Segurei sua bunda, apertando com força para marca-lo, ajudando-o a me cavalgar.

— Tachi, Tachi... Ah, nii-san! — Ele mordeu o lábio, balançando a cabeça de um lado para o outro, sem mais controle algum sobre o corpo.

Revirei os olhos, sentindo todo o meu corpo anunciar o clímax que viria. O formigamento em minha pélvis se intensificou e gemi quando Sasuke praticamente caiu sobre mim, rebolando com fervor. Levei minha mão até seu membro, masturbando-o na mesma velocidade que ele subia e descia em mim, e sorri quando as lágrimas desceram dos olhos dele, quando a boca se abriu em um gemido mudo, quando ele me apertou contra si enquanto gozava.

Abracei-o, aproveitando para voltar a assumir completamente o controle e me enterrar nele, sentindo as contrações ao meu redor ficarem insuportáveis. Não precisei de muito, quer dizer, não depois de tudo. Meu corpo vibrava, implorava e almejava com todas as suas forças pelo ápice, pelo fim e foi com o gemido manhoso de Sasuke ao meu ouvido que ele chegou.

Fechei os olhos, sentindo todo o prazer convergir para um único ponto e ser tirado de mim em jatos fortes. Sasuke riu, mordendo o lóbulo da minha orelha enquanto eu ainda tentava reestabelecer minha respiração.

— Por que nós nunca conseguimos fazer isso na cama? — Naruto resmungou, vindo até nós e empurrando Sasuke de cima de mim.

Sorri, retirando o preservativo e o jogando no chão sem me preocupar muito. Naruto gemeu dolorido ao tentar sentar e desistiu, fazendo Sasuke piscar-lhe um olho.

— O que deu em vocês dois hoje? — perguntei, enfim, tentando entender a cena atípica que tínhamos protagonizado.

— Tesão — Sasuke respondeu de imediato, rindo com Naruto enquanto puxava o edredom da cama e deitava sobre meu peito. — Não diga que não gostou.

Ri, puxando Naruto para que se juntasse a nós.

— Boa noite, Tachi — ele sussurrou, deitando parcialmente sobre mim e entrelaçando sua mão com a de Sasuke sobre meu peito.

— Boa noite, nii-san... — Sasuke bocejou.

— Vocês sabem que nós temos uma cama para isso, não?

Eles não responderam, apenas me apertaram ainda mais, deixando claro que não tinham a menor intenção de sair de onde estavam. Balancei a cabeça em um gesto derrotado, suspirando enquanto levava as mãos entrelaçadas aos meus lábios e as beijava com carinho. Sasuke sorriu, sincero, inclinando-se sobre mim ao mesmo tempo que Naruto fazia o mesmo. Eles se abaixaram, tocando meus lábios sem pressa. Beijei-os, sentindo o gosto dos dois em minha boca, suspirando quando as línguas se tocaram em sincronia.

Esses dois ainda me fariam perder qualquer juízo que eu pudesse ter.

Ri, abrindo os olhos e vendo os dois me encararem doces como só se permitiam fazer depois do sexo... É, eu amava esses dois inconsequentes e sabia que não era muito diferente deles.

— Boa noite — sussurrei, puxando-os de volta para que deitassem.

E encerro aqui porque, sabe, não quero mesmo contar sobre a dor nas costas com que acordei no dia seguinte por ter dormido naquele chão maldito.

26 Février 2018 21:58:39 0 Rapport Incorporer 13
La fin

A propos de l’auteur

Alice Alamo 23 anos, escritora de tudo aquilo em que puder me arriscar <3

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~