a-chave Rei dos Bichos da Floresta

Jogando pra fora organizadamente cada gota de lágrima que eu lembrar ter caído dos meus olhos. (Olha que eu chorei por minha culpa mesmo, não foi culpa de ninguém)


Poésie Tout public.
0
807 VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

Eu espero que nunca veja!

Eu espero que você nunca leia, nunca veja, nunca saiba, nunca volte (e se voltar não vá). Vá, mas volte.

Não diga, não cante, não dance (mas faça o que você quiser) Não chore, não prose, não ame e desencante... (mas faça o que você quiser).

Por que você fica? por que não saí? por que mesmo indo não vai?(fica aqui apenas por entretimento?) Fica no meu peito, meche, balança, sacode, cutuca incomoda.

Por que não te vai logo da minha memória? Não gosto! Des-gosto! Não quero! Te quero! (não, não quero você)

Adoro como tenho que estar escrevendo aqui, agora, só pelo fardo de te ter na memória.

Saia! não sai! Vá! Volte! Não saiba que ficar longe, nada, nadinha, nenhum pouco - me incomoda.

Eu espero que você nunca saiba (que você saiba).


15 Janvier 2023 05:47:33 0 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
0
Lire le chapitre suivant Só acho...

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~

Comment se passe votre lecture?

Il reste encore 1 chapitres restants de cette histoire.
Pour continuer votre lecture, veuillez vous connecter ou créer un compte. Gratuit!