0
664 VUES
En cours - Nouveau chapitre Toutes les semaines
temps de lecture
AA Partager

- Monstros, o que são monstros? - Se você buscar no dicionário a palavra vem acompanhada das seguintes definições: 1 - ser disforme, fantástico e ameaçador, descomunal, que pode ter várias formas e cujas origens remontam à mitologia.
2 - qualquer ser ou coisa contrária à natureza; anomalia, deformidade, monstruosidade.

- Morando aqui no interior a gente ouve mil coisas sabe, do tempo de criança eu lembro das lendas e causos que os mais velhos contavam, sempre no fim da tarde, num começo ou meio de semana uma turma se reunia só pra ouvir as lorotas de trancoso, falavam por horas, aumentando histórias e passando lições de moral em quem cabulava aula pra ir tomar banho nos açudes ou matar passarinho. A maioria de nós era assim, ficar 5 ou 6 horas fechado numa sala de aula com aquelas cartilhas e respirando pó de giz com um solzão lá fora e um monte de rolinhas e preás dando sopa por aí, a escolha não era difícil.



Sim, tinha que ser minimamente esperto, educado e ardiloso para não ser pego ou faltar demais e acabar com notas vermelhas, quando eu chegava com o boletim muito colorido rapaz era chinelada e vara de jurema preta curtida no lombo, pra agradar mainha e painho eu trazia umas caças, uns lambus pra comer dia de sexta mas não era suficiente, tinha que tirar nota boa, passar de ano pra virar gente no futuro e não viver aquela vidinha mais ou menos. Painho ainda relevava muita coisa mas mainha não, era muito rígida, meio teimosa e cabeça dura com a gente de vez em quando, eu fiz catequese e crisma, ia todo domingo na igreja mas ela sempre vinha com aquele xingamento feio: espelho sem luz.

Devota como era batia na boca toda vez que falava isso comigo ou meu irmão mas nunca deixava de repetir essa coisa.


Hoje eu posso dizer que ela estava certa? Sim e não. Mudar o mundo ou o seu mundo quando os dois se confundem e se atrapalham como uma suruba de muçu é difícil seu moço. Criado na liberdade e na paz como a maioria de nós era, sonhar com outra vida era até meio errado, mas meus pais não pensavam assim, tanto que quando fiz 14 anos me mandaram para capital morar com meus padrinhos e estudar lá, consegui um trabalho de meio período e com a ajuda deles eu estudei, me formei advogado e vinha passar os feriados com minha família, na capital era outra coisa,

virei atendente em uma loja de tecidos, aprendiz do costureiro e a tarde, e em algumas ocasiões a noite ia para o curso de Direito, fiz sim amizade com um pessoal mas a maioria dos alunos era um bando de almofadinha que nunca pisou num bonde ou cortou um feixe de cana pra morder.


Foi num desses feriados que aconteceu a história que tenho para lhe contar, e sem mentira, perante a luz divina isso não foi uma brincadeira, invencionice, aconteceu, porque no fundo; todas as histórias são verdadeiras.

22 Octobre 2022 11:27:47 2 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
2
À suivre… Nouveau chapitre Toutes les semaines.

A propos de l’auteur

Siph Ferreira Nerd de maquiagem, amante de música, livros e quadrinhos, amiga de Meia Noite e Qliph, viciada em podcast e buscando seu rumo nesse mundo.

Commentez quelque chose

Publier!
Norberto Silva Norberto Silva
Curti demais esse começo! Apresentou bem o personagem principal, deixou-o tridimensional e fácil de reconhecer e, seja lá o que vier a acontecer, será mais fácil ainda torcer por ele, caso seja vítima de algo ruim. Parabéns moça!
November 23, 2022, 18:15

  • Siph Ferreira Siph Ferreira
    Obrigado, vamos ver o que aconteceu 👀 November 24, 2022, 00:45
~