2minpjct 2Min Pjct

Killer Bunny é sequestrado por uma gangue misteriosa. Para resgatá-lo, Kitty Gang e Agust D precisam unir forças e lutar em conjunto, o único problema é que os dois gangsters se odeiam e não conseguem ficar dez segundos em um mesmo lugar sem brigar e sacarem suas armas um para o outro. Contudo, por conta da união forçada, o ódio, que todos sabem ser tensão sexual, começa a ficar difícil de ser ignorada. Entretanto, será que os dois gangsters serão capazes de passar por cima de suas diferenças e orgulho e se entregarem ao amor intenso e louco existente entre eles, ao mesmo tempo que tentam salvar Killer Bunny e enfrentar um inimigo em comum? Ou apenas terminarão de destruir suas próprias vidas e as vidas daqueles que amam?


Fanfiction Groupes/Chanteurs Interdit aux moins de 18 ans.

#yaoi #suji #sugamin #romancegay #minmin #gay #gangues #enemies-to-lovers #btsfic #btsfanfic #boyxboy #boyslove #Bangtan-Boys-BTS #2min #pwp #Pink-Diamonds-×-Blood-Snakes #Agust-D-×-Kitty-Gang #ficbts #fanficbts #taehyung #jimin #jungkook #hoseok #seokjin #yoongi #bts #yoonmin #minimini #sujim #jimsu #enemiestolovers #dki #agustd #kittygang #2minpjct #2minproject
0
1.4mille VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

Killer Bunny sumiu!

Escrito por:


Notas iniciais: Okay, não sei nem como começar essas notas, ainda não acredito que essa ficar saiu, mas estamos aqui para a maior loucura de todas que eu já inventei. Espero do fundo do meu coração que vocês embarquem nessa viagem que é GB e se apaixonem pelos personagens e pelas loucuras deles.


Sejam bem-vindos a Glock Bomb, e como diz Melanie Martinez: "Todas as melhores pessoas são loucas.", Kitty Gang e Agust D não são nada diferentes.


~~~~


Você está pronto para isso?

...Ready for it? - Taylor Swift


Jimin sabia que o dia seria uma merda quando um carregamento de cocaína, que estava esperando chegar ao porto de Busan, foi desviado da rota original e acabou em um trem de cargas, rumo a Daegu. Tinha certeza de que aquele acontecimento tinha um dedo de Agust D e sua gangue de cães sarnentos, e aquilo o deixou ainda mais mal-humorado.

Ele não conseguia entender como Taehyung conseguia namorar com Killer Bunny e se dar bem com toda a corja de Agust, inclusive com o próprio. Seu melhor amigo sabia o quanto ele era ciumento e, ainda assim, insistia em ter um relacionamento sério com um cara que tem um sorriso de coelho e uma fixação em pés — o que era estranho para caralho.

Mas aquilo era apenas a ponta malfeita de um grande e fudido baseado.

Kitty Gang — como Jimin era conhecido pelas ruas de Busan e algumas outras partes da Coreia, incluindo a capital Seul — era o líder de uma das maiores gangues em atividade nos territórios sul — coreanos, os chamados Pink Diamonds. Contudo, como toda grande gangue, os PD tinham um rival à altura, os chamados Blood Snakes, que eram liderados por ninguém menos que Agust D.

Jimin não sabia quando o ódio permeado entre os dois surgiu. Ele apenas se lembrava de que, antes mesmo de pintar suas madeixas de um tom de rosa pastel — cor que se tornou sua marca registrada —, os dois já eram inimigos publicamente declarados.

Agust achava que o rosado era imprevisível, descuidado e espalhafatoso demais para o ramo onde estavam inseridos, enquanto Kitty achava D arrogante, metido e prepotente demais para alguém que não teria chegado a lugar algum se não fosse por outras pessoas. Por isso, sempre que os dois se encontravam, as coisas tendiam a sair rapidamente do controle.

Não existira um encontro entre os dois que não tenha acabado com ambos apontando suas armas um para o outro. O que, de fato, os impediu de puxar os gatilhos e efetivamente acabar com aquela merda de rivalidade foi o namoro entre Tiger V e Killer Bunny.

O início do relacionamento entre os dois pupilos favoritos de Agust D e Kitty Gang era mais um dos mistérios ainda não desvendados por Jimin. Ele não sabia como os dois mais novos se conheceram e nem quando decidiram de fato namorar, só descobriu que os dois estavam juntos porque os pegou no flagra durante uma ronda noturna em uma boate que pertencia aos PD.

O rosado lembrava que teve uma discussão épica com Taehyung sobre o quanto namorar com o tal de Killer Bunny era perigoso e irresponsável; no meio em que eles viviam, não existia espaço para amor, ainda mais entre dois membros de gangues assumidamente rivais. No entanto, tudo o que Kitty falou para o melhor amigo entrou por um ouvido e saiu pelo outro. V estava o amando, e um sentimento como esse não sai tão facilmente do peito quanto desejamos.

Então, rezando a todos os deuses existentes para que aquele namoro não matasse o mais novo, Jimin, depois de muito relutar e discutir com o melhor amigo, deu sua benção ao casal que, conforme o tempo ia passando, tornou-se não só forte, como também cúmplice e companheiro.

O rosado gostava de fingir que não gostava de Killer Bunny, tanto que pediu para Taehyung não contá-lo sobre o verdadeiro nome de Bunny, para não comprometê-lo ainda mais. Porém, Bunny era um garoto adorável que ainda tinha uma inocência infantil que cativava a todos ao seu redor.

Kitty realmente gostava do garoto esquisito com olhos brilhantes, já que, querendo ou não, Bunny naquele momento pertencia à família dos Pink Diamonds, e quando se entrava para a família, você era protegido e amado como um irmão; como um igual. E todos no meio sabiam que não se mexia com quem pertence à família dos PD, porque Kitty Gang não deixava barato para ninguém quando o assunto eram seus bebês preciosos.

Isso ficava cada vez mais explícito para si, pois, ao pegar seu celular para ligar para um de seus colaboradores, acabou por inconscientemente clicar no ícone dos contatos e deslizar o dedo até parar no número de Bunny, sentindo que algo estava errado.

Ele tinha o que sua mãe gostava de chamar de sensibilidade inútil — o que para si sempre foi sensibilidade cósmica ou espiritual, já que, conforme se aproximava demais de outra pessoa, acabava criando um certo tipo de conexão com ela. Ele sempre gostou de coisas que tinham haver com o universo, e, ao invés de tentar oprimir essa parte de si, como sua mãe sempre o dissera para fazer, ele cultivou aquilo dentro de si.

Contudo, mesmo sentindo que algo estava errado, Jimin ignorou o seu pressentimento e foi tentar resolver o problema com a sua carga de cocaína, enquanto arranjava alguém para neutralizar uma briga de bêbados em frente à sua boate Cat Desire — ou, para os íntimos, CD.

Não eram nem dez da manhã e já tinha gente enchendo a porra do seu saco. Às vezes ele só queria pegar a sua glock e atirar em cada um desses filhos da mãe. Mas, mesmo sendo um gangster, o Park tinha princípios, e não machucar quem não tinha nada a ver com a sua merda era um deles.

Ele, que estava em seu escritório na central de operações dos PD, desceu as escadas, indo até o salão da entrada, em que ficavam as várias salas dos seus homens de confiança. Tiger V tinha uma das salas cheia de apetrechos eletrônicos e ficava o dia todo mexendo na internet, entrando em fóruns com outros hackers, traficantes ou quem estivesse on-line, em busca de informações, armas, clientes e fornecedores.

Já Seokjin — mais conhecido como Sweet Rose no submundo das gangues — cuidava de todo o dinheiro que entrava e saía dos PD. Jimin nunca foi muito bom em cuidar de dinheiro, ele gostava de gastar muito, mas odiava perder. Por isso Jin tomava conta dessa área, já que lidava maravilhosamente bem com dinheiro e era alguém muito honesto com o Park sobre o que eram gastos, investimentos e lucros.

Kitty confiava sua vida aos dois, e, mesmo sendo considerado um líder um pouco imprevisível, cruel e firme, todos sabiam que ele zelava por aqueles que eram considerados sua família. A Pink Diamond não era um bando pequeno, e quem entrava sabia 0 que estava fazendo e arriscando para estar ali.

Então, Jimin tinha certeza que nenhum dos seus homens tinha a ver com a mudança de rota de sua carga de coca. Mas alguém era responsável por aquilo, e ele iria descobrir quem.

Começou a tentar encontrar esse bastardo convocando uma reunião com todo o seu pessoal para averiguar se alguém sabia de algo.

Contudo, quando todos os homens apareceram, menos Taehyung, Kitty percebeu o que estava errado; seu melhor amigo nunca faltava a nenhuma reunião. Entretanto, ela foi feita mesmo assim e, enquanto mandava seu pessoal ir atrás de respostas sobre sua carga presa na maior ferrovia de Daegu, ele ligava para V como um louco, sempre tendo a ligação caindo na caixa postal.

Tiger V tinha sumido do mapa sem deixar nenhum rastro.

[...]

Mais cedo naquele dia

Yoongi estava fumando um cigarro em seu quarto quando Namjoon chegou de supetão e encostou uma das mãos em seu ombro. Ele sabia o quanto o Min odiava quando fazia aquilo. Mas como ainda era uma hora inoportuna, resolveu que falaria o mais calmamente possível sobre o tópico com o melhor amigo e o mais importante, com o seu chefe.

— D, temos um problema!

— Quando não temos um?

O Kim suspirou profundamente como se estivesse se preparando para algo muito ruim e soltou a bomba: — Um carregamento do Kitty Gang foi parar em um dos nossos trens.

— Mas que merda é essa, porra?!

— Eu também não sei o que aconteceu, mas você sabe como notícias como essa correm, não sabe?

— Sim, eu sei. — Agust suspirou pesadamente e apagou o cigarro no cinzeiro que tinha ao lado da cama. — Você já mandou alguém verificar o que aconteceu?

— Bunny disse que ia ver isso, já que hoje é o dia dele encontrar o V na fronteira.

— Mas ele não se encontrou com o Tae há dois dias?! — Yoongi ainda se impressionava com o quanto Jungkook e Taehyung eram grudentos.

— Sim, mas ele disse que estava com saudades, e, como as coisas estão calmas essa semana, ele falou que iria aproveitar para ver o seu tigrezinho.

— Okay, essa é merda mais nojenta e melosa que eu já ouvi.

RM deu risada, levantou os braços para o alto ao lado da cabeça, em sinal de rendição, e afirmou: — Só tô repassando a mensagem do jeito que eu recebi, irmão.

D revirou os olhos para a fala do outro e, com um aceno de cabeça, indicou para ambos saírem do seu quarto e irem para o centro de operações da gangue resolver qualquer outro problema que tivesse surgido nas poucas horas de sono que o Min tinha conseguido dormir.

[...]

Agust D — ou Min Yoongi, como estava registrado em sua certidão de nascimento — era o líder da maior gangue de Daegu: os Blood Snakes. Assim como os Pink Diamonds, trabalhavam com quase tudo que poderia ser trabalhado no submundo, menos tráfico de humanos e de órgãos, pornografia infantil e mulas de drogas.

O resto era com eles, não tinham pudores sobre os trabalhos que realizavam e sempre faziam questão de deixar uma marca registrada: uma cobra pichada na cor vermelha em qualquer parede que estivesse perto da missão efetivada com sucesso.

A polícia os chamava de arruaceiros, quando na verdade os BS traziam a ordem e a segurança para Daegu, para os marginalizados e esquecidos pelo poder político, e para sociedade como um todo.

Yoongi nasceu e cresceu ali, vivendo na miséria e sendo um órfão que se criou sozinho. Aprendera desde cedo que, para certos tipos de pessoas, não existia outro caminho: ou você roubava, ou você não comia. Pensando nisso e cansado de ver que ninguém com quem convivia não tinha uma perspectiva de vida no mínimo decente, ele fundou a Blood Snakes.

Com o tempo e a ajuda de Namjoon e Jungkook — respectivamente conhecidos como RM e Killer Bunny por todos que pertenciam à BS —, o que era apenas uma ideia no fundo de um beco imundo, mal-iluminado e invisível aos olhos de quase todos, tornou-se uma das maiores quadrilhas de toda a Coreia do Sul, junto a, era claro, os Pink Diamonds e os garotinhos deslumbrados de Kitty Gang.

Yoongi não sabia como alguém que tinha o cabelo rosa como algodão doce, que portava uma glock rosa-pastel com adesivos da Hello Kitty e dirigia uma Kawasaki ZX-4R, também rosa, conseguia ser seriamente respeitado por todos ao seu redor.

Ele não gostava de coisas que não conseguia compreender, e Kitty Gang era uma dessas coisas. Na verdade, era a sua principal fonte de ódio, ainda mais depois de tudo o que ele conquistou em tão pouco tempo, quando o Min lutou por anos para conseguir; derramando sangue, suor, lágrimas e sendo marcado por cicatrizes, a maior delas ostentada em seu olho direito.

D já tinha passado da fase do ódio mortal, naquele momento, ele apreciava como aquela marca o fazia amedrontar a todos que o conheciam e os que não conheciam também. Entretanto, como sempre existia uma exceção, Kitty Gang era uma das únicas pessoas, fora Namjoon e Jungkook, que não o temia, que não tinha medo algum de encará-lo nos olhos e enfrentá-lo como um grande pirralho inconsequente que ele era.

Yoongi odiava tanto isso, odiava-o tanto!

Mas por causa do namoro entre Bunny e V, tinha que respeitar a existência e a convivência bastante próxima e pacífica entre o seu pupilo e o seu arqui-inimigo. No começo do namoro entre Jungkook e Taehyung, ele até tentou odiar o garoto de cabelo azul, mas não conseguiu fazê-lo por muito tempo, já que o outro tinha aquele ar estranhamente amigável que fazia as pessoas gostarem muito rapidamente dele.

E o Min não poderia negar que ele fazia muito bem ao Bunny, então também passou a zelar pelo que, sem muito custo, tornou-se o seu outro pupilo. Todos da gangue sabiam do relacionamento entre o tigre e o coelho — a piada era muito grande dentro dos SB, tanto que até o próprio casal se zoava sobre isso, e respeitavam V como um igual.

Contudo, mesmo sendo visto como um igual, Tiger V ainda tinha que seguir certas regras, e uma delas era nunca entrar no território dos BS sem avisar ou ter uma autorização de Agust, e ele sabia disso. Então, D achou muito estranho um dos seus homens encontrar Taehyung andando pelo território deles como um louco desorientado.

O Min ficou seriamente bravo com o outro. Porém, tudo sumiu de vista quando um V choroso e muito abalado foi parar em sua sala, gritando: — Killer Bunny sumiu!

[...]

Quatro horas antes

Killer Bunny estava ansioso, queria descobrir o que tinha acontecido o quanto antes com a carga do Kitty para que pudesse encontrar o seu tigrezinho. Ele estava com tanta saudade do seu garoto que poderia explodir de amores se passasse mais um dia sem vê-lo.

Às vezes ainda era estranho para si o quanto estava apaixonado por Taehyung. Porém ele tentava aproveitar ao máximo aquela sensação, porque sabia que aquilo iria ocorrer apenas uma vez em sua vida.

Alguém que era exatamente tudo o que você procurava e nem sabia disso era algo muito raro de se encontrar, e Jungkook sabia que V era isso e muito mais para si.

Então, tentando ao máximo resolver o problema que alguém muito corajoso diga-se de passagem tinha jogado no colo do seu chefe e praticamente irmão mais velho, ele foi até a ferrovia de cargas da cidade averiguar o que tinha acontecido.

Contudo, por estar com a cabeça em um ser de cabelos azuis como o céu e uma imensa fascinação em tigres, ele não percebeu que alguém estava o seguindo por entre os becos estreitos, e também não notou que aquela pessoa era alguém que tinha um propósito bastante perturbador em mente enquanto fazia isso.

Foi tarde demais para Jungkook fazer alguma coisa, já que, assim que chegou à entrada da ferrovia, quatro homens o cercaram, e alguém que ele achava que tinha virado pó, assim como o seu passado, surgiu diante dos seus olhos.

Olá, Kookie. Lembra de mim?

E ele não conseguiu responder coisa alguma, porque sentiu uma coronhada em sua cabeça. Em instantes, tudo ficou preto.

[...]

Jimin estava andando de um lado para o outro dentro da sala de Tiger V. Ele estava quase fazendo um buraco no chão de preocupação com o melhor amigo. Taehyung não era do tipo que sumia sem dizer aonde iria. Aquilo era estranho, e o coração do rosado não gostava da sensação de aperto que o acometia.

Até mesmo Seokjin estava angustiado com o sumiço de V, sendo que Rose, entre os três, sempre foi o mais calmo e o mais centrado em situações de extremo estresse, como aquela. Se até ele se sentia nervoso, algo muito ruim tinha acontecido com o azulado.

Kitty queria fazer alguma coisa, mas não tinha ideia de por onde começar. Encontrava-se desnorteado e, em momentos como esse, não conseguia pensar com clareza sobre o que fazer a seguir. Era como assistir a um filme que você odeia, mas, por algum motivo, não consegue pausar de jeito nenhum, até que você não é capaz de fazer outra coisa a não ser assisti-lo, torcendo para que ele acabe logo.

O Park iria continuar com a torrente de pensamentos negativos quando seu celular começou a tocar, mostrando no visor um número desconhecido. Ele achou aquilo estranho, já que apenas pessoas estritamente restritas e de confiança sabiam o seu número pessoal, contudo, não tinha tempo para isso. Taehyung estava desaparecido e aquele telefonema poderia ser uma pista de onde o outro tinha se metido.

Então, no terceiro toque, Jimin atendeu a chamada: — Kitty. Quem fala?

Agust D. — Quando ouviu aquele nome, o rosado sentiu os pelos em sua nuca se arrepiarem e sua visão ficar turva pela ira.

— Agust, como você conseguiu esse número? Cadê o V? — A voz do Park soava tão gélida que Yoongi se mexeu inquieto na cadeira do seu escritório.

Foi o Tae-

— Não chama ele assim! Você não tem o direito de chamar ele de Tae, seu desgraçado! O que aconteceu com o V, Agust?!

Se você não falar direito comigo, você não vai saber, porra!

— Agust, se algo aconteceu com o V no seu território, você é um homem morto!

Será que dá para você calar a porra da boca e me escutar por um minuto?!

Kitty respirou fundo, tentando manter a calma, e deixou o outro explicar o que tinha acontecido: — Okay, fala. Você tem um minuto, nada mais do que isso. E é melhor que seja uma boa explicação pra eu não ir até Daegu e meter um tiro na sua cabeça.

Hoje mais cedo, o Tae ia se encontrar com o Bunny na fronteira, mas algo aconteceu e Bunny não apareceu-

— O quê?! — Naquele momento, Jimin estava desesperado pelos dois pombinhos burros.

Para de me interromper, caralho! — O Park fechou a palma da mão esquerda em formato de soco, apertou-a até as pontas dos seus dedos ficarem brancas para conseguir se controlar e não pegar a sua Kawasaki e ir voando pelas estradas até Daegu. — Como eu tava dizendo, o Tae veio pra cá atrás dele, mas ele desapareceu sem deixar rastro algum. Estamos verificando o número do celular dele para ver se temos sua última localização pelo GPS. Enquanto isso, o Tae disse que vai ficar aqui. Ele tá bem, só lhe demos um calmante, porque estava muito abalado com tudo isso.

Kitty soltou a respiração que segurava, aliviado. Taehyung estava bem. Porém, Jungkook estava desaparecido, e aquilo não era um bom sinal. Mesmo que não quisesse arranjar sarna para se coçar, Jimin não poderia ficar parado, não quando um dos seus estava correndo perigo.

Ele precisava fazer algo, e sabia que estando em Busan não iria ser de muita ajuda. Por isso, engolindo em seco, pensando que o que estava prestes a proferir em voz alta era a maior loucura de todas, ergueu o queixo e, como se estivesse proclamando a notícia do século, afirmou: — Estou indo para Daegu. Bunny sumiu e não vou ficar parado vendo o meu Tae sofrer.

Kitty, você não é bem-vindo aqui, nem pense em sair de Busan!

— Você não manda em mim, Agust! Eu estou indo pra aí, e nem você e nem os seus cães vão me impedir de passar pela fronteira. Quem pegou o Bunny sabe que também mexeu comigo. Ele é da família agora, e quem é da família não fica pra trás!

O Park não esperou o outro falar mais alguma coisa e encerrou a chamada, correndo logo em seguida para a sala de Jin para avisá-lo do ocorrido e da viagem até Daegu.

Pela primeira vez na história, os Pink Diamonds e os Blood Snakes estariam trabalhando juntos pela mesma causa. Jimin só esperava que todos saíssem vivos dessa empreitada.


~~~~


Notas finais: Antes desse capítulo chegar ao fim, não posso deixar de agradecer a todos aqueles que fizeram essa fic sair do papel. Primeramente, quero agradecer a Ali @moonlitz / @moonlitz , a Noh minie_swag/ minie_swag e a Lu YinLua/ YinLua por corrigirem os meus erros grotescos e atrózes de escrita e terem tanta paciência comigo, além de fazerem comentários que fizeram os meus dias, vcs são incríveis é uma honra estar ao lado de vocês no 2min. Quero agradecer também a linda da Alanna @ChIsHiKiZi / @ChIsHiKiZi, que fez as capas e os banner mais maravilhosos e que superaram as minhas expectativas em 1000%, vc é demais, flor. E por último, quero agradecer a todo mundo que me apoiou ao escrever essa fic, parou para ler, comentou e/ou favoritou. Muito obrigada por tudo, vocês são luz, amo vocês.



4 Août 2022 23:12:48 0 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
0
Lire le chapitre suivant Que tiro foi esse?!

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~

Comment se passe votre lecture?

Il reste encore 11 chapitres restants de cette histoire.
Pour continuer votre lecture, veuillez vous connecter ou créer un compte. Gratuit!