K
Kauã Fontes


Moradores de uma pequena cidade vivem na espera de um trem que foi construído mas nunca chegou na cidade. Ele é a única saída e todos desejam sair.


Histoire courte Déconseillé aux moins de 13 ans.

#trem #medo #suspense
Histoire courte
1
942 VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

O TREM QUE NUNCA CHEGOU

Cidade cinzenta, nuvens por todo o céu, mas sem chuva, se chover, fodeu, pois essa chuva vai matar, é ácida. Os trilhos de trem que cercam estão com ferro enferrujado, grama alta que alcança os joelhos. O trem, cadê a porra do trem que nunca chegou?

Pessoas já morreram esperando para sair dessa cidade, todos querem ir embora, a única saída é o trem, trilhos foram construídos chegando até o Sul, mas essa porra de trem não chega. Dizem que a radiação aumentou aqui na cidade, por isso o trem não vem. Saudades do tempo que era possível ir de cavalo para o Sul, cavalgar até lá com a certeza de que poderia voltar era bom demais. Mas agora, eles não deixam nem sair da cidade, por um lado entendo que é para a segurança do povo do Sul, porém não apoio, eles tinham mais era que se foder.

Olha a situação que deixaram a cidade. Uma porra que nem o prefeito aguentou, apertou o gatilho contra a própria cabeça, já sua mulher, a 1ª dama da cidade ficou doente e correu pro Sul, os jornais dizem que depois que ela chegou lá, várias pessoas começaram a ter câncer. Mas não é muito confiável acreditar nesses jornais que estampam fotos do trem chegando na cidade, algo que nunca aconteceu.

Outro dia, quando caminhava pela praça aqui da cidade, vi um garoto que vendia esses tais jornais sensacionalistas, que provavelmente são sustentados pelo estado.

- Ei garoto, qual o seu nome? - perguntei.

- O senhor é do sul? - perguntou o garoto.

(É normal que as pessoas aqui da cidade perguntem se você é do Sul, se for, desejo boa sorte, você provavelmente será espancado até morrer).

- Não, garoto nessa cidade sou mais velho que a história do trem.

- O senhor viu a…?

- Garoto, você não respondeu minha pergunta. - interrompi o garoto antes que ele terminasse sua pergunta inconveniente.

- Meu nome é Iari, senhor.

- Quem é o dono desses jornais Iari?

- Eu ganhei lá no Sul senhor.

- Você foi até o Sul garoto?

- Estou dizendo da comunidade do Sul aqui na cidade. - disse o garoto de forma confusa.

Após isso, o garoto largou os jornais e saiu correndo.

Essa tal comunidade do Sul, é uma pequena região aqui na cidade, não ironicamente, fica no sul da cidade, lá mora o povo do Sul que veio e não conseguiu sair, é um tipo de segregação.

Um burguês já falecido aqui na cidade, estava com o planejamento de construir um trem para conseguirmos fugir, essa notícia ficou popular na boca do povo, mas nunca saiu nos jornais, ele começou a construir, dois dias depois apareceu morto, a causa? envenenamento.

Esse trem nunca vai chegar, já aceitamos isso, tentaremos viver nessa cidade fodida, até a nossa extinção, a última pessoa nascida aqui foi há uma década, os homens foram castrados e as mulheres algemadas e separadas, o mais perto que você consegue chegar é a 100 metros.

Essa cidade virou uma gaiola, no passado nós realmente acreditamos que seria possível sair com o trem, hoje somos marionetes amarradas pelo pescoço em cima de um banquinho de madeira, se o banquinho for chutado, seremos enforcados.

9 Mai 2022 13:27:36 2 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
1
La fin

A propos de l’auteur

Commentez quelque chose

Publier!
LIPSTTER LIPSTTER
Olá? Faço parte da Embaixada brasileira do Inkspired e estou aqui para parabenizar pela verificação da sua história. Para começar, como sempre, gosto de ressaltar: toda obra tem um convite. E a sua, ela se encontra excepcional. As cores da capa, os elementos e a fonte do título casaram muito bem, elas transmitem com maestria a alma do conto. Magnífico! Agora sobre seu conto, não sei o porquê, mas a minha mente voou para Ucrânia. Pessoas tentando sobreviver, e o trem, um dos únicos meios de fuga. E o pior: ele nunca chegou. E quando você citou sobre chuva ácida... Caramba! Voei para Chernobyl, e então tudo parecia fazer mais sentido. Além disso, lembranças do holocausto bateram à porta. Oh, céus! Seu conto trouxe mil pensamentos e sensações. Caro autor, seu texto se encontra bastante fluído e coeso; envolvente e saboroso para meu paladar crítico. Parabéns! Eu só gostaria de sugerir para colocar um aviso de gatilho no início do texto ou na sinopse, por favor. Só é uma forma de reforçar para pessoas mais sensíveis, pois há alguns trechos impactantes. E sobre sua ortografia e gramática, eu gostaria de fazer uns apontamentos: "Não garoto, nessa cidade sou mais velho que..." em vez de "Não, garoto, nessa cidade sou mais velho que..."; e também: "Eu ganhei lá no Sul senhor" em vez de "Eu ganhei lá no Sul, senhor". Por fim, gostaria de dizer que é sempre bom encontrar ótimos textos como o seu. Foi uma leitura que me arrancou suspiros. Já anseio por mais! Agora fico por aqui. Desejo muito sucesso pra você, merece muito. Até mais!
May 17, 2022, 03:55

  • K F Kauã Fontes
    Muito obrigado pelo seu comentário, fiquei muito feliz ao ler. (: May 17, 2022, 21:20
~