1
1.9mille VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

Capítulo 1

Escrito por: @nameisabelle/@nameisabelle


Notas iniciais: Olá pessoas! Essa fanfic foi escrita como um presente do amigo oculto do nosso querido projeto! Eu me divertir muito escrevendo ela, além de enlouquecer de ansiedade para descobri qual pessoa eu tinha tirado, pois só recebi os detalhes do pedido... Vocês acreditam???? Hajsjajsj mas enfim, amei muito escrevê-la e fiquei tão feliz do meu amigo ser o Theo @scarisvancci / @scarisvancci mesmo que minha escrita não chegue aos pés da dele, estou feliz de ter escrito algo que talvez o agrade já que eu acho que ele gosta de fantasia hehehe! Theo, Feliz amigo oculto e essa fanfic é dedicada a você! Roxo tu ❤️
Boa leitura para você que chegou aqui e se interessou pela história! Espero que curta 😉☺️


~~~~


Songjeong era uma das maiores praias de Busan e também uma das mais frequentadas por surfistas iniciantes e famílias em férias devido à sua maré calma e de ondas baixas.

Mesmo assim, existiam salva-vidas para monitorar a praia e observar possíveis afogamentos, pois, apesar da calmaria do mar, ainda era possível pequenos acidentes. Além disso, os profissionais também passavam o dia admirando o mar e pequenos animais marinhos que poderiam aparecer por ali, como tartarugas e golfinhos.

Park Jimin era um rapaz de 28 anos, de estatura mediana e de lindos cabelos castanho-claros, que trabalhava no turno da manhã como salva-vidas. Naquele momento, ele estava vendo como o dia se preparava para ser mais uma vez, um dos mais calmos e quentes do ano.

O homem já se encontrava sentado em sua cadeira, segurando seu binóculo e observando a beira-mar e o oceano antes de fazer sua caminhada de verificação pela orla. No entanto, Jimin viu ao longe uma pessoa desacordada na praia e saiu correndo com seus equipamentos ao seu encontro.

Quando chegou perto do corpo, Jimin ficou boquiaberto ao se deparar com um meio-homem ou meio-peixe — o salva-vidas ainda não tinha se decidido —, pois, no lugar das suas pernas, havia uma cauda de peixe nos tons azul e roxo que cintilavam com a presença dos raios solares. Por um momento, o Park se assustou, porém, ao mesmo tempo, achou-o lindo.

Jimin caiu de joelhos e começou a verificar a pulsação do meio-homem, e percebeu que a respiração e os batimentos cardíacos estavam um pouco acelerados, mas ele não poderia fazer nada. Apenas esperar aquele ser despertar.

O Park observou mais uma vez o corpo daquele meio-peixe. Os cabelos azuis cobriam as pálpebras fechadas, o nariz redondinho fofo e a boca de lábios finos, mas que apresentava um pequeno corte. Jimin, com as luvas nas mãos, iria tocar no lábio machucado quando ouviu uma voz em um tom ríspido:

— O que você está fazendo?

Ele se afastou e subiu seu olhar para os olhos do meio-peixe, que agora o encarava. Seus olhos eram selvagens, lembrava bem os de felinos, e Jimin sentiu-se uma presa prestes a ser atacada.

— Esses humanos… Acham que podem tocar em tudo — falou raivoso, e o Park o ouviu.

— Eu só estava tentando lhe ajudar — respondeu um pouco afobado. — Acho que você se afogou, eu não sei… — Jimin olhou de um lado para o outro e reparou que a cauda colorida estava com um corte também. — Você se machucou aqui também. — O salva-vidas iria tocá-la quando o azulado segurou em sua mão.

— Por que vocês sempre querem tocar nas coisas sem permissão? — o homem meio-peixe indagou com raiva.

— Me desculpa. — Jimin reconheceu que não poderia tocar nele sem seu consentimento. — Você tem um grande corte aqui. — Apontou com o dedo e mostrou que, da cintura até metade da cauda, havia um corte em linha reta sangrando. — Acho que precisa…

De repente, escutou o som de uma ambulância e pessoas chegando mais perto. Jimin observou que elas ainda estavam um pouco longe, e o azulado também reparou nisso, ficando nervoso a cada passo que aqueles seres humanos davam para perto dele. O semblante do meio-peixe se tornou temeroso e seu corpo fazia esforço para fugir dali.

Jimin não sabia o que fazer. Na verdade, ele sabia, mas não achava que era a melhor ideia. Estava lidando com um ser desconhecido ali.

— Certo… — O salva-vidas respirou fundo. — Você deve ter uma dificuldade enorme em confiar em humanos, e eu super entendo. — Jimin pensou que, como aquele rapaz era um meio-peixe, deveria conhecer algumas ações horríveis que alguns humanos faziam com os seres do mar. — Mas sei que você está com medo, e eu posso te ajudar.

— Eu não preciso da sua ajuda — falou convicto e tentou se mexer de volta para o mar, porém sem sucesso. A sua ferida se abria cada vez mais com o movimento da cauda.

— Tem certeza? Eu sei que você não me conhece… — perguntou em um tom preocupado.

O meio-peixe sabia que era inútil tentar voltar ao mar com aquele corte na cauda, ainda mais que não teria nenhum médico para lhe ajudar sem relatar ao seu pai imediatamente que o havia encontrado. Ele teria que confiar naquele humano e, qualquer coisa, morderia o acastanhado, mesmo que morresse em seguida, pois voltar para o seu lar não era uma opção no momento.

— Tá bom. Me tira daqui, mas, se você tentar qualquer coisa, eu te mordo. — Mostrou os dentes afiados como de um tubarão, e Jimin se assustou, mas não deixou de se virar para pegar uma toalha para cobri-lo, mesmo que seu coração estivesse muito acelerado.

— Tudo bem — gaguejou e, quando se virou novamente para o meio-homem, se surpreendeu ao vislumbrar pernas no lugar da cauda e um órgão…

— Aish, vocês humanos! — O azulado puxou a toalha e cobriu sua parte íntima, deixando Jimin travado. Agora, realmente o Park ficou paralisado e só saiu de seus devaneios quando viu o meio-peixe tentando se levantar rapidamente, mas sem conseguir.

— Eu te levo. — Jimin segurou o desconhecido nos braços em forma de noiva e correu em direção à sua casa, que ficava ali em frente ao mar.

O azulado ficou surpreso com a ação, mas também com muito medo de que Jimin ou aqueles humanos poderiam fazer com ele. O meio-peixe sabia da crueldade desses seres com os animais e de seu poder de destruição, muitas vezes já tinha chorado pela morte de um amigo do mar.

Uma lágrima escorreu pelo rosto do meio-homem enquanto ele observava as pessoas os procurando e os paramédicos chegando ao local onde estavam antes.

~~~~


Notas finais: E aí, galera???! Curtiram o primeiro capítulo? 👀
Espero que sim!
Queria agradecer a @Nutella_KPOP_/@Nutella_KPOP_ por essa capinha mostrando toda a essência da fanfic e por onde ela vai passar! Obrigada por essa capa super fofinha ☺️
E espero vocês no próximo capítulo com...
Yoongi vai tentar morder Jimin quando ele tenta chamar um médico haushaushaushsus

None 0 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
0
Lire le chapitre suivant Capítulo 2

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~

Comment se passe votre lecture?

Il reste encore 10 chapitres restants de cette histoire.
Pour continuer votre lecture, veuillez vous connecter ou créer un compte. Gratuit!