theblueb0y Levi Luka

Skinny Love: •Tradução - Amor frágil •Significado - Quando duas pessoas se amam, porém são tímidas demais para admitir, mas demonstram mesmo assim; Se Uchiha Sasuke e Uzumaki Naruto pudessem resumir sua relação um com o outro em uma expressão, aquela seria a ideal, a que caía como uma luva. [Fluffy|Leve angst]


Fanfiction Anime/Manga Déconseillé aux moins de 13 ans.

#NaruSasu #SasuNaru #Romance #LGBT #inkspiredstory #Songfic #Oneshot #Fluffy #Angst #Sadfic #BL #Gay #Yaoi #Fanfic #Naruto
1
688 VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

Como on skinny love, what happened here?

Skinny Love:

•Tradução — Amor frágil
•Significado — Quando duas pessoas se amam, porém são tímidas demais para admitir, mas demonstram mesmo assim;

Se Uchiha Sasuke e Uzumaki Naruto pudessem resumir sua relação um com o outro em uma expressão, aquela seria a ideal, a que caía como uma luva.

Por trás da fachada de rivalidade e a suposta inimizade, fazendo todos pensarem que não se suportavam e que eram dois pirralhos briguentos, no fundo, ambos sabiam que as coisas não eram bem assim. Lá no fundo, as provocações mútuas e apelidos provindos de xingamentos eram uma forma de chamar a atenção alheia, de incentivá-los a serem shinobis cada vez melhores.

Com certeza era uma amizade um tanto peculiar, mas singela, onde nutriam carinho sincero pelo outro. Eram os primeiros amigos um do outro, amigos de verdade. Naruto não exaltava o Uchiha sem conhecê-lo como todos faziam, Sasuke não tratava o Uzumaki como inferior, suas piadinhas provocando-no enquanto treinavam era a prova viva disso. Contudo, um ponto em comum os unia: ambos eram odiados e temidos pela Vila apenas por serem quem eram. Era desgastante, mas de certa forma procuravam apoio na existência alheia quando ninguém mais os entendia.

Entretanto, depois de alguns bons meses, foi inevitável negar que aquela relação estava num patamar acima de amizade.
Ambos tinham ciência da forma envergonhada que ficavam quando estavam juntos, corando e ficando emburrados para disfarçar. O tempo demasiado longo que passavam treinando, jogando conversa fora, andando pela vila já não era mais como antes, as constantes encaradas não mentiam. A forma que contatos físicos tornaram-se rotina no dia a dia, treinos, missões não era normal para quem dizia serem apenas amigos. A maneira que arriscavam a própria vida para salvar o outro quando estava em perigo não era normal para quem dizia serem apenas amigos.

Sasuke passou a desconfiar de si mesmo quando começou a reparar demais no amigo com a típica jaqueta laranja, quando perdia-se naquele sorriso largo e nas marquinhas que o loiro possuía nas bochechas bronzeadas e enrubescidas pelo sol forte do verão. Não era comum sentir saudades e vontade de passar a tarde abraçado e trocando carícias afetuosas ao corpo do melhor amigo...Ou era?

Naruto não reconhecia mais a si mesmo quando a imagem que invadia sua mente quase todos os momentos do dia era a de uma cabeleira escura e rebelde, olhos negros e cara amarrada. Quando foi que Sasuke havia ficado tão bonito? Quando foi que começou a sentir vontade de passar seus dedos pelos contornos bem feitos do rosto do Uchiha e trazê-lo à sua face para beijá-lo? Era normal seu coração agora bater mais forte por cima de umgaroto?

Talvez eles tivessem ciência dos sentimentos que o outro nutria, talvez soubessem que o outro gostava de estar junto a si, talvez gostassem do outro cuidando discretamente de si. No caos particular que eram, a sua outra metade era o pilar que sustentava uma calmaria.

O problema era que o amor de ambos era frágil. Eram jovens, e aquele sentimento agia de acordo com seus doze verões, sendo inocente, intenso, uma incógnita que estavam dispostos a desvendar. Contudo, como fazê-lo quando eram tímidos demais para simplesmente revelar aquela paixão?

Oh, Deus, era tão óbvio! A garganta coçava para que contassem seu maior segredo, suas bocas formigavam para estarem juntas e, suas mãos, uma maneira implícita de demonstrar amor, uniam-se como eles: timidamente, assim, devagarinho, no tempo que o tempo dá. Os dedos mindinhos entrelaçavam-se silenciosos, num contraste com a festa que seus corações faziam dentro do peito. O rosto enrubescia, desviavam o olhar, mas as mãos não saíam dali, uma sobre a outra, o calor de Naruto aquecendo o gélido da pele de Sasuke.

Borboletas costumavam nascer em casulos, mas agora elas costumavam nascer no lugar errado: dentro de seus estômagos. Aquela sensação latente, mas ao mesmo tempo tão presente. Ela vinha quando encaravam-se por muito tempo e soltavam uma provocação para cortar o clima constrangedor, ou quando acidentalmente seus rostos ficavam próximos demais ao praticar taijutsu.

Sempre que Sasuke reclamava do quanto Naruto era fascinado por lámen, o loiro tinha vontade de sentar com ele e fazê-lo engolí-lo cada palavra enquanto enfiava um punhado do macarrão na boca dele. Sempre que o Uzumaki errava algum gesto estupidamente fácil enquanto praticava o lançamento de shurikens, queria abraçar o corpo dele apenas para que pudesse ensiná-lo corretamente como realizar aquilo. Era algo que gostavam de imaginar.

Eles se amavam em silêncio, e ainda que não demonstrassem verbalmente, era transpassado no cuidado que tomavam um com o outro.

Sasuke gostaria de ter chamado o menino que gostava de"gatinho medroso"mais vezes antes de ter partido da vila em busca de vingança, gostaria de ter roubado um último beijo do seu loirinho irritante — que ele nem sequer achava tão irritante assim — quando ele estava caído no vale do fim.

Naruto gostaria de ter conversado mais com Sasuke, de entender seus motivos e de alguma forma convencê-lo a ficar. Ele desejava ao menos ter dado um abraço apertado antes de ficar dois longos anos sem ele ao seu lado, com toda aquela arrogância e jeito tsundere que ele possuía.

Eles ansiavam ter dito mais.

Naruto queria ter confessado o que sentia antes de estar num debaixo do sol escaldante, num precipício, fitando o amado já crescido depois de dois eternos anos de espera. Ele estava tão lindo, mas tão mudado... Aquelas orbes opacas já não eram donas do brilho sutil que conhecia no olhar do moreno. E ainda assim, ele não conseguia deixar de amá-lo.

Sasuke queria ter expressado mais, contar que o amava antes de estar ali, encarando-no de cima num reecontro doloroso, onde não queria distrações para atrapalhar seus planos. Disfarçou um suspiro exausto ao notar que depois de tanto tempo, seu peito ainda palpitava mais forte ao vê-lo.

Ora, frágil amor, o que aconteceu para que chegassem naquele ponto?

Eles almejavam ter tido coragem para superar um amor frágil e dar a cara à tapa para vivenciar uma relação que estava destinada a dar certo. Era isso que se passava na cabeça deles, como um filme rebobinado várias e várias vezes numa fita, antes de estarem presentes ali, com as palavras sendo proferidas de maneira tão amarga pelos lábios de Sasuke:

—Naruto? ...Então você também está aqui?

Come on, skinny love justlastthe year

Pour alittlesalt
wewereneverhere

My, my, my, my, my, my,
my, my, my, my, my
Staringatthesinkofblood
andcrushedveneer

22 Mars 2022 21:17:29 0 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
1
La fin

A propos de l’auteur

Levi Luka 🔹𝕋𝕠𝕠 𝕨𝕖𝕚𝕣𝕕 𝕥𝕠 𝕝𝕚𝕧𝕖, 𝕥𝕠𝕠 𝕣𝕒𝕣𝕖 𝕥𝕠 𝕕𝕚𝕖🔹 Iae, meu nome é Levi. Bem vindes ao meu lar doce inferno. Quer saber um pouco mais sobre mim? Então toma: 🔭Ele/Dele. 🔭LG(B)(T)QI(A)☽☾ ⚧ ♤. 🔭Homem trans. 🔭Obcecado por Naruto. 🔭ShiItaSasu OTP. 🔭Escrevo porquê me completa, me fascina, mas principalmente, para fugir da realidade. 🔭Apaixonado pela arte. 🔭Minhas criações são minha fonte de energia. 🔭#MakeChesterProud.

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~