capitaosorriso Não Estamos só originais

Eu me chamo Obadias, e hoje entendo o meu real valor graças a Deus. Mesmo que por anos me trocassem por moedas.


#2 in Historique Tout public.

#]
8
4.7mille VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

Quem é Obadias?

Meu nome é Obadias Matias Guieiro, e eu sou um homem negro num mundo onde isso é errado.


Eu nasci na Europa, na Itália no ano de 1692. Filho de escravos, não me lembro dos meus pais, fui vendido ainda novo para um senhor que morava na França, acredito que não devo ter sido caro, pois eu não era muito forte. Eu fui escravizado até os (20) anos, meu "senhor" era um homem muito arrogante que chamavam espanhol. E foi no ano de 1712, que graças a Deus fui vendido para um humilde pastor, e seu amado filho Rafael.


Ele me levou para sua casa, e perguntou meu nome, eu respondi que me chamavam de Obadias, então ele disse: "Obadias, Obadias, você sabia que seu nome significa Servo de Deus, ou então Escravo de Deus?" E eu disse: "não senhor". Ele então falou: "não me chame senhor, meu nome é Acácio Eustáquio Guieiro, pode me chamar Acácio". Seu filho estava ao seu lado, e eu perguntei o nome dele, o garotinho nem me esperou terminar e já foi falando, - José! José! José!


Acácio me levou pro banheiro e disse que eu deveria tomar banho, porque a mulher dele estava para chegar, e eu tinha que impressioná-la, porque ela que mandava na casa, depois ele riu. Eu tomei banho e coloquei a roupa que estava usando antes, quando Acácio me viu falou: "Obadias, por que você não colocou a roupa que tava no banheiro, volta lá e põe a roupa". Eu vi a roupa, mas supus que não era para mim, era a roupa mais bonita que já vesti. Depois fui até a sala de jantar, e lá tinha uma bela mesa com todo tipo de comida. Acácio até falou em tom de brincadeira que ia acabar me mimando, e que aquele jantar era especialmente para mim.


Quando me assentei a mesa, a mulher de Acácio, Léia, chegou e me serviu. Quando todos se assentaram, eu já não entendendo nada perguntei: "Acácio, o que tá acontecendo? Por que você me trata tão bem se sou seu escravo?" Acácio respondeu: -eu e minha família somos servos de um senhor, assim como você a pouco também era, e meu senhor não concorda com a escravidão, mas eu sozinho não posso libertar todos os homens escravizados hoje, porém meu filho uma vez me disse que transformar uma vida já era muita coisa, então eu juntei uma grana suada, e no aniversário do Rafael perguntei para ele o que ele queria fazer com o dinheiro. Então, hoje no aniversário dele, te compramos, e amanhã você, Obadias, será um homem livre.


Eu chorei de emoção, nem sabia o que dizer, foi aí que agradeci emocionado -obrigado senhor, dizia eu, obrigado, obrigado! E depois ele falou: "não foi nada amigo".


Terminando o jantar, Ele me levou para sala de estar. Então pôs um colchão no chão, e me pediu desculpas por não ter um lugar melhor para dormir.


No dia seguinte nós fomos até o cartório registrar meu nome, já que oficialmente eu não tinha um. Lá ele me deu minha carta de alforria, e quando ele foi registrar meu nome perguntou: "quer carregar o nome da nossa família"? Eu respondi que sim, mas perguntei se eu poderia ter Matias no nome também. Ele concordou, mas perguntou o porquê. Eu respondi que o primeiro homem negro livre que eu conheci chamava Matias. Então ficou Obadias Matias Guieiro.


Ao sairmos do cartório eu disse ao Acácio: "O que eu faço agora"? E ele respondeu: "Obadias Matias Guieiro, você pode fazer o que quiser agora". Eu senti uma sensação incrível no peito, parecia que eu era o dono do mundo, as lágrimas que escorreram sobre o meu rosto, são uma daquelas coisas que não dá para descrever, até as minhas palavras me abandonaram completamente.


Porém, o Acácio me disse: -eu tenho uma proposta para você. Eu sou pastor de uma igreja evangélica, e uma das minhas lideradas é senhoria de um condomínio perto da minha casa, você pode trabalhar para mim, e com o salário paga ela e compra comida, aceita?


E claro que eu aceitei. Juntos formávamos a dupla dinâmica, ele era um respeitável doutor, e eu o alegre faz-tudo, jogava o lixo para fora, comprava os medicamentos, passava pano no consultório, varria, lavava o banheiro, este tipo de coisa. O salário não era exorbitante, mas eu vivia bem, ele me ensinava muito coisa, me ensinou a ler, escrever, eu aprendi tudo muito rápido, deve ser efeito do meu QI, a pouco tempo o mediram e era de 189.


Mas eu queria saber mais sobre Deus, já que Acácio me falava muito a respeito dele. Eu ainda não entendia porque ele era assim, porque ele libertava escravos, porque as pessoas se faziam escravos dele.


Mas um dia eu perguntei para Acácio porque o senhor dele não concorda com a escravidão? Então ele me respondeu: "meu senhor pagou com a própria vida para que todos nós vivêssemos eternamente, eu não tenho o direito de escravizar ninguém porque meu senhor comprou a todos com sangue, Obadias, ele comprou você com a própria vida". Então eu perguntei: "que homem é esse que deu a vida por mim, um escravo ignorante, que nunca estudou antes na vida, fraco, e não tem nada para oferecer?" Acácio respondeu: -você está entendendo, Jesus pagou o preço máximo por pessoas que não mereciam seu sacrifício, eu e você não merecemos o sacrifício, mas Deus amou o mundo de tal maneira, que deu seu filho unigênito para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.


Aí eu perguntei: -mas quem se sacrificou Deus ou Jesus? Acácio: "calma que eu vou te explicar". Nisso se foram horas e horas falando de Deus, de Jesus Cristo, e do espírito santo. Em pouco tempo a igreja dele se tornou a minha igreja, e eu gostava muito. Ele me deu uma bíblia e eu passava horas lendo.


Acácio me levava em missões missionárias, então ele queria que eu soubesse falar vários idiomas, como italiano, espanhol, português, inglês, eu tentei falar até mandarim. Ele não era só um cirurgião particular, como também tinha diploma de professor. Eu queria ser como ele, e com o passar dos anos eu me tornei seu assistente.


Mas Deus ainda me reservava muitas surpresas e batalhas. E como eu me tornei o primeiro médico mental da história, vulgo psicólogo, calma que eu chego lá.

31 Janvier 2022 13:45:48 5 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
3
Lire le chapitre suivant Borboleta

Commentez quelque chose

Publier!
Rayane Guieiro Rayane Guieiro
Uau!! Que história fascinante, de verdade muito rica eu fico curiosa para ler os próximos capítulos!! Parabéns ao escritor, Deus o abençoe.
February 01, 2022, 13:01
~

Comment se passe votre lecture?

Il reste encore 7 chapitres restants de cette histoire.
Pour continuer votre lecture, veuillez vous connecter ou créer un compte. Gratuit!

Por ventura
Por ventura

Homens e mulheres de grande fé, passando por momentos de aflição, raiva e alegria sempre pra honra e glória de Deus. En savoir plus Por ventura.