hydrohubris Júlia Silva

Um conto muito curto sobre a queda do Brasil nas mãos da criatura do Planalto. Esta foi uma das primeiras coisas que eu escrevi, proposta por algumas amigas. Isso não tem conotação política nenhuma, eu não acredito que o ex-presidente Lula seja uma abominação cósmica. (A qualidade pode estar baixa devido tudo isso)


Horreur Déconseillé aux moins de 13 ans.

#brasil #weird #estranho #terror #horror
Histoire courte
0
1.4mille VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

O que sobrou de Carlos Russo

Já faz meses que a desgraça caiu sobre a nação, tudo começou com uma simples queixa, uma dor de barriga, coisa pouca, ninguém considerou que pudesse ser algo grave. Bem, isso até o Presidente Lula proibir qualquer visita a sua residência.

Nós tentamos enviar médicos para os aposentos de vossa excelência, mas de nada adiantou, as portas do quarto estavam trancadas e as janelas estavam cobertas por cortinas desbotadas. Foi então que consideramos a terrível, mas cada vez mais provável possibilidade: O presidente estava morto, foi isso que pensamos.

O prazo de duas semanas para abrir a porta à força acabou, e nós o fizemos, chamando o corpo de bombeiros. Assim que entramos, notamos que o palácio inteiro estava com um forte cheiro de carne apodrecida, e as moscas haviam começado a se acumular nos entornos do quarto de Lula. Nós ficamos surpresos quando os bombeiros não conseguiram derrubar a porta, nem a machadadas. Seguimos para a próxima opção óbvia: A janela. Tivemos que mover todo o equipamento para fora, algo que foi dificultado pela presença de apoiadores preocupados já que a última aparição pública do presidente havia sido a quinze dias atrás.

Mas com perseverança o bastante, a fortuna logo se fez aparente, de maneira tão perturbadora que eu não imaginaria ver nem em meus piores pesadelos. Um forte cheiro de pescado podre emanava da janela quebrada pelos bombeiros, as cortinas foram arrastadas para o lado e um silêncio quase doloroso se seguiu. Muitos dos homens que viram a cena não resistiram ao trauma e vieram à loucura, e eu os entendo. Nenhum ser humano nasceu para testemunhar tamanha abominação da natureza.

O Presidente Lula não estava morto, de um modo, ele não era mais o Lula, mas sim uma lula. O corpo estava irreconhecível, os braços haviam se transformado em longos tentáculos vermelhos que já estavam inflados devido a "decomposição". O cheiro forte de carne podre vinha de uma grande ferida aberta em seu estômago, no qual podíamos ver não órgãos, mas um grande olho perfurando nossa alma enquanto o mesmo nos fitava, a face do presidente estava irreconhecível, sua tradicional barba e seus cabelos haviam caído, e sua face estava com uma aparência roxa, claramente rigor mortis.

Contudo, o quarto estava em um estado pior, as paredes estavam cobertas por um tecido musculoso e vermelho ligado ao presidente por meio de finos fios, que se assemelhavam a veias sanguíneas de fato. Um dos bombeiros tentou cortar uma das linhas e sangue jorrou para todo o lado, o cheiro pútrido está no meu terno até hoje.

Nós não sabíamos o que era aquilo, mas com certeza não era humano. Nós percebemos poucos dias depois o primeiro caso de insanidade, que veio de José Aguiar, um socorrista do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal. Ele havia reportado pesadelos peculiares, envolvendo carne, canibalismo, e estrelas, nessa ordem específica. Nós não nos preocupamos muito até a fatídica noite de oito de Novembro.

As fotos do Presidente haviam vazado, e o agente da ABIN culpado se justificou dizendo ter "um chamado" para vazar aquela cena. De qualquer modo, o estrago já havia sido feito. A mídia se lançou para cima do caso como abutres, e os casos de insanidade começaram a surgir por todo o Brasil. Nossos médicos já estavam desorientados quando a violência tomou conta dos grandes centros urbanos.

A entidade do Planalto começou a se expandir além de seu quarto, o cheiro pútrido invadiu a capital e tivemos que evacuá-la. Mas como, se os aeroportos estavam lotados e as rodovias estavam congestionadas? O caos havia causado uma crise migratória e um êxodo rural como se o país não fosse mais seguro, e os religiosos estavam certos sobre isso.

No dia quinze de Dezembro, recebemos informações de que a massa de carne que saiu do Planalto havia criado raízes nas torres de transmissão usadas pelo (agora extinto) Governo Federal. Eu havia fugido para o Uruguai junto com minha família e alguns amigos próximos, então não teríamos contato direto com o terrível incidente da EBC. É surpreendente como o ser humano consegue sobreviver quando é transformado em uma bola de carne consciente, que vive para sofrer e pensar em sua terrível e miserável existência, junto com todas as deformações que vem com o processo.

Presumo que você, leitor, já esteja deduzindo que a América do Sul não é mais um local seguro para se viver. Mas desde que aquela criatura disfarçada na casca carismática se fez presente na Terra, o continente já não era mais seguro. Escrevo isso nos meus últimos momentos de vida, Santiago foi tomada por carne e sangue, e eu posso sentir cada osso de meu corpo se transformando em algo diferente. O processo é doloroso, eu não consigo mais reconhecer minhas pernas, mas no final das contas eu acho que entendo. Talvez esse seja o último estágio da evolução humana, servir a um mestre que nós mesmos elegemos, e que vai nos levar a um futuro brilhante.

Não quero parecer insensível com as vítimas, mas agora que estou presenciando isso em primeira mão, estou ansioso para o próximo passo.


Atenciosamente,

O que sobrou de Carlos Russo.

18 Décembre 2021 01:23:18 0 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
0
La fin

A propos de l’auteur

Júlia Silva Eu escrevo histórias curtas sobre horrores inexplicáveis e entidades anciãs. Eu sou iniciante ainda, mas espero que você goste do que eu escrevo. Muito obrigada por ler!

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~