Update now! We have a NEW Android app! Download it now in the Google Play Store. En savoir plus.
2minpjct 2Min Pjct

Yoongi é apaixonado por Jimin desde o sétimo ano. O jeitinho do mais novo o encantava, a forma como seus olhinhos se fechavam ao sorrir fazia seu coração disparar e cada detalhe do mais novo parecia deixar o Min mais e mais apaixonado. Após anos e anos remoendo o amor, sem coragem de se declarar, no primeiro ano do Ensino Médio, Yoongi finalmente tem a oportunidade perfeita em um passeio de escola. Com a ajuda dos amigos Jungkook e Taehyung, que também lutam para confessarem os sentimentos que nutriam um pelo outro, o garoto finalmente cria coragem para se declarar.


Fanfiction Groupes/Chanteurs Déconseillé aux moins de 13 ans.

#bts #yoongi #jungkook #jimin #vkook #taekook #kookv #taehyung #yoonmin #declaração #fluffly #adolescentes #parque-de-diversões #sugamin #primeiro-amor #minimini #suji #collab #2min #minmin #2minpjct #kids-au #Snowtk #Paixões-Adolescentes
1
1.3k VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

Sentimentos Intensos

Escrito por: bbmoonie/@bbmoonie


Notas iniciais: Oi! Tudo bem? :)

Essa história é mais uma parceria com o Snowtk! Ela é pura fofurinha e drama adolescente kkkk

Queria agradecer à @julythereza12/julythereza por betar com tanto carinho e à @TMessi/ThalieMessi pela capa maravilhosa! <3

Essa história tem uma playlist! É essa aqui: https://open.spotify.com/playlist/4baGE4aweooq8sGxuyuvjd?si=izsRxZ5_SfaRRxlVaT-iPw

Espero que vocês gostem!


~~~~


O almoço esfriava na mesa enquanto Yoongi observava o garoto sorrindo do outro lado do refeitório.

Seus cabelos loiros onduladinhos caíam sobre os olhos fechados por conta da risada. Ele não sabia o que o havia feito sorrir daquele jeito, mas não pôde conter um sorriso próprio ao ver a cena. A forma como se jogava sobre os amigos enquanto ria era fofa e suas bochechinhas vermelhas, após se acalmar, faziam seu coração bater mais rápido.

— Você devia ir falar com ele — disse Jungkook, sentado à sua frente.

— É, não adianta só ficar olhando de longe. Ele não vai simplesmente notar e vir conversar com você — falou Taehyung, sentado ao lado. — Vai lá.

— Não. Vocês sabem que eu não consigo. Parem de encher o saco — resmungou, desviando os olhos da cena e voltando a remexer no prato.

Estavam todos na cantina, almoçando. Yoongi achava que quando entrasse para o Ensino Médio as coisas seriam diferentes. A comida horrível se tornaria gostosa, Taehyung e Jungkook se tornariam menos grudentos e ele perderia o medo e iria finalmente falar com Jimin... Mas nada disso aconteceu.

— O Ji...! — Cobriu a boca de Taehyung com a mão antes que pudesse terminar o grito, surpreso e assustado com a ideia repentina.

— Tá maluco? Quer chamar a atenção de todo mundo no refeitório? — perguntou, irritado. Em resposta, recebeu apenas uma lambida na palma da mão, que o fez afastá-la da boca do amigo e o olhar indignado. — Credo, Tae. Que nojo!

— Você não faz nada para se ajudar. Fica aí sofrendo apaixonado, mas nem sequer o chama pra sentar com a gente... Eu estava tentando ajudar — resmungou.

— Faz quatro anos, Yoongi. Você precisa fazer alguma coisa — disse Jungkook, olhando para o amigo por cima dos óculos redondos. — É exatamente como os professores têm falado. Ensino Médio é uma nova fase, tudo é diferente. Se você não fizer nada, com certeza alguém vai.

Yoongi sabia que o que os amigos falavam era verdade. Desde o sétimo ano, quando mudara de cidade e começara a frequentar aquela escola, tinha uma quedinha por Jimin. O garoto era fofo, bonito, inteligente e sempre simpático com ele. Não foi difícil logo se apaixonar.

Na época, ele tinha certeza que era só uma paixãozinha boba, algo que passaria com o tempo, mas cada vez mais ele se via preso nos pequenos detalhes do loiro. A forma como seus olhinhos fechavam quando sorria grande, a carinha de bravo quando não ouviam o que ele dizia, a forma como sempre tentava animar os amigos e colegas de classe que estavam tristinhos e até mesmo as mãos pequenas — que eram muito, muito fofas.

Então, vendo que o sentimento só crescia e crescia, decidiu parar de negar e finalmente aceitar que realmente gostava de Jimin. Muito.

O problema é que, em todos os anos que se passaram, nunca havia tido coragem para contar para ele ou sequer chamá-lo para conversar ou almoçar junto. Todas as situações em que acabavam conversando, ou aconteciam por puro acaso, ou porque Jimin se aproximara.

No oitavo e no nono ano, haviam sido parceiros de laboratório em Química, o que apesar de ser um desastre — afinal, os dois não entendiam quase nada da matéria —, era também muito divertido. O loiro sempre o fazia rir e se divertir e, desde então, as aulas práticas de Química não haviam sido mais tão chatas.

Às vezes, faziam trabalhos em grupo juntos e acabavam almoçando na mesma mesa. E, por sorte, este ano, haviam entrado juntos no clube de música.

Esse era o máximo de contato que conseguia ter com Jimin e enquanto os anos se passavam, a paixão de Yoongi só crescia e se tornava mais intensa, assim como sua timidez e insegurança para confessar seus sentimentos.

Ele sempre se sentira ansioso e nervoso, com vontade de contar e muito medo o impedindo, mas desde que o Ensino Médio começara, tudo parecia ter se tornado pior e mais intenso. Ele sentia que precisava contar logo, porque exatamente como Jungkook lhe dissera, eles estavam iniciando uma nova fase de suas vidas.

Muitos sentimentos vinham à tona, novos medos, novos objetivos. Novas pessoas.

A turma havia crescido muito em apenas um ano e agora muitos alunos novos circulavam pelos corredores.

Yoongi sabia que se não contasse logo sobre os seus sentimentos, poderia não ter mais a oportunidade de fazer isso. Jimin conheceria novas pessoas, faria novos amigos e quem sabe... teria novos amores.

Ele queria e precisava contar, mas o medo da rejeição e de afastar o loiro o paralisava, não importava o quanto os amigos tentassem ajudar.

Finalmente, o sinal tocou, tirando Yoongi de seus devaneios. Uma nova aula começaria e os alunos se apressavam para chegar nas salas.

— Vem, Yoongi. Senão, você vai perder a melhor aula de todas! — disse Jungkook, puxando o amigo do banco com uma mão, enquanto segurava a de Taehyung com a outra.

— Até parece... Artes é um saco! — reclamou Taehyung, levando um beliscão do mais novo do trio, que amava a matéria.

— Fica quieto, é a melhor. E se você continuar falando mal, vai ter que procurar um novo parceiro pro projeto de pintura — murmurou, fazendo bico.

Taehyung riu, segurando a mão de Jungkook e entrelaçando seus dedos. Apoiou a cabeça no ombro do amigo, fazendo charme enquanto pedia desculpas.

Yoongi estava acostumado com o jeito dos dois, sempre trocando carinho entre si, brincando um com o outro e sendo tão grudentos. Desde que se lembrava, os dois eram assim. Colados um ao outro.

Riu, observando os amigos enquanto caminhavam para a sala. Eles sempre falavam que ele precisava agir logo e confessar seus sentimentos para Jimin, mas se perguntava quando, finalmente, se declarariam um para o outro.


[...]


A última aula do dia era Inglês. A aula mais cansativa e odiada pelo trio de amigos. Só a ideia de ter que assisti-la já era o suficiente para deixá-los irritados.

— Eu não aguento mais. O ano mal começou e eu já odeio essa aula — murmurou Yoongi.

Jungkook estava sentado na cadeira ao seu lado e Taehyung à frente de Jungkook — como sempre, nos pontos mais próximos para conversarem. Aproveitando a proximidade, se viraram para concordar com o amigo, fazendo caretas de desânimo.

— Se eu ouvir essa professora gritar de novo hoje, eu juro que vou ter um treco — sussurrou Taehyung. — Eu não aguento mais... Às vezes eu tô no banho, ou na cozinha, ou voltando pra casa e eu juro que escuto bem baixinho... “Fica quieto!” ou “Conjuga esse verbo pra mim na terceira coluna!”.

Yoongi não pôde conter uma risada do exagero, mas concordava. A mulher era uma megera.

— Cuidado, Tae. Fica falando assim dela e você vai acabar sonhando com ela gritando com você... Imagina só, sonhar com uma aula de Inglês só pra você — provocou Jungkook, com um sorriso travesso.

— Credo! Vira essa boca pra lá! Agora eu fiquei com medo... Se eu sonhar mesmo vou fazer questão de te contar tudinho... Não! Melhor! Eu vou passar o dia todo gritando “Conjuga esse verbo aqui!” pra você.

Yoongi desviou o olhar dos amigos por um segundo para olhar em volta, com medo de a professora ter entrado sem que eles percebessem, mas a mulher ainda não estava na sala.

— Que estranho. Ela tá demorando, não tá? — perguntou.

— Pior que está... Será que ela faltou? — murmurou Jungkook, com os olhos brilhando com a possibilidade.

Antes que pudessem retomar a conversa, a porta foi aberta, fazendo com que todos se calassem e se sentassem virados para a frente, com medo da possível bronca. Mas ao contrário do esperado, quem entrou não foi a professora.

A coordenadora Kim andou lentamente até a frente da sala, observando os alunos cuidadosamente, como se soubesse a bagunça que faziam até ela entrar. Uma parte de Yoongi se sentia aliviada por não ser a professora ali e por estarem perdendo alguns minutos da pior aula do dia, mas a outra parte sabia que se a coordenadora estava ali, ou daria alguma notícia boa — o que era muito improvável —, ou daria uma bronca enorme neles, que faria a professora de inglês parecer uma pessoa muito legal.

Mas, para a surpresa de todos, ela não estava ali para dizer nada ruim.

— Queridos alunos, eu vim dar um aviso para vocês, sobre algo que sei que vão adorar. — Uma inquietação surgiu com a curiosidade crescente. — Mas eu não quero ouvir um pio enquanto eu falo. Sem barulho!

Mesmo sendo difícil conter a animação e a vontade de cochichar com os amigos, os alunos se esforçavam para ficarem quietos — ou para fazerem os outros ficarem quietos, como era o caso de Jungkook, que chutava a mesa de Taehyung toda vez que o garoto fazia menção de virar para trás.

— O ano começou faz pouco tempo. Tem muitas coisas novas acontecendo na vida de vocês, muitas responsabilidades novas... Então, como uma forma de dar boas-vindas à essa nova etapa da vida e do ensino de vocês, a escola vai levar todos em um passeio para um parque de diversões.

A mulher fez uma pausa, esperando os mais novos processarem a notícia, mas antes que a conversa pudesse surgir e se tornar incontrolável, ela voltou a falar:

— Vai ser daqui duas semanas, certo? Vocês só precisam trazer uma autorização até semana que vem e levar lanche e água no dia. — Respirou fundo e sorriu. — Estão animados?

A sala explodiu em falas altas, risadas animadas e conversas dos amigos que já combinavam quem sentaria com quem no ônibus.

—Ei, ei, ei! — exclamou, contendo o sorriso. — Agora fiquem quietos, sim? A professora vai entrar para dar aula e eu não quero saber de bagunça!

Antes mesmo dela ter saído totalmente da sala, a conversa alta já havia se instalado entre os alunos de novo.

— Vamos, vamos, vamos! Nós vamos, não é? — perguntou Taehyung, já virado para trás e encarando os amigos com expectativa.

— Hum... Não sei... — murmurou Jungkook.

— O quê? Claro que vai! Não vai ser legal se você não for — reclamou, fazendo um biquinho.

As bochechas de Jungkook se tornaram vermelhas com a fala de Taehyung e, antes que Yoongi pudesse falar qualquer coisa para tirar sarro da sua cara, ele desviou o assunto.

— Okay, eu vou. E você, Yoongi? Vai?

— Você sabe que eu não gosto dessas coisas — murmurou.

Lugares lotados nunca foram de grande agrado para o garoto, principalmente lugares onde as pessoas ficavam eufóricas — como nos parques de diversão. Shoppings, shows, festas, parques... tudo isso raramente parecia uma boa alternativa de passeio para Yoongi, que se via muito mais confortável em casa ou na casa dos amigos.

Taehyung e Jungkook o convenciam algumas vezes a sair com eles para lugares assim, e de todas as vezes, ele havia gostado de apenas uma ou duas. Então, ir com a escola — e todos os colegas animados e inquietos — para um parque de diversões não era muito agradável.

— Por favor! Eu quero muito te ver gritando na montanha-russa! — falou Taehyung, tentando convencê-lo com um biquinho fofo.

— Não quer nada... Você vai ficar andando com o Jungkook para todos os lados, agarrado no braço dele, isso sim.

— Yoongi! — exclamou Jungkook, tímido.

Sempre que o amigo falava sobre sua proximidade com Taehyung e comentava sobre suas trocas de carinho, o amigo ficava envergonhado e com as bochechas vermelhas. Era divertido provocar Jungkook, mas no fundo, Yoongi só queria que ele parasse de fugir dos próprios sentimentos logo. Até mesmo ele já havia deixado de negar o que sentia, apesar de toda a insegurança sobre se declarar.

No final, ele entendera que negar sentimentos era ainda pior que escondê-los. Esconder-se das outras pessoas já era difícil, de si mesmo era pior ainda.

— Vou mesmo, mas ainda assim eu quero te ver morrendo de medo de ir no looping, mesmo com essa sua pose de sério e corajoso — disse Taehyung, não parecendo notar a reação do mais novo.

— Que pose de corajoso? Eu vou estar gritando já na subida — disse, fazendo os três rirem.

Antes que pudessem continuar com as provocações, a professora chegou, entrando sem ao menos cumprimentá-los e fazendo com que todos virassem para frente.

Ou quase todos.

Taehyung continuava virado, encarando Yoongi, enquanto a professora ajeitava os materiais na mesa.

— Tae, tá maluco? Vira pra frente! A professora vai brigar com você! — sussurrou Jungkook, em um tom alarmado.

— Só se o Yoongi disser que vai.

— O quê? Para com isso! — sussurrou Yoongi de volta, irritado.

— Então vou ficar assim, virado.

— Taehyung! — Jungkook chutou sua cadeira com força.

O olhar de Yoongi desviava do amigo para a professora, que já parecia o notar no meio dos outros alunos quietos.

— Tá! Tá bom! Eu vou! — sussurrou no tom mais irritado e desesperado que pôde, com medo da bronca que viria.

Ele sabia que os amigos dariam um jeito de convencê-lo alguma hora, mas não pensara que seria tão rápido e de um jeito tão perigoso — afinal, ninguém ali queria ser marcado logo no começo do ano pela professora megera.

— Kim Taehyung! Posso saber por que está virado para trás? — perguntou, olhando-o irritada, com as mãos na cintura.

— Desculpa, professora. Minha borracha caiu... Só estava perguntando se alguém tinha visto.

Ela o olhou desconfiada, mas logo desistiu de insistir no assunto, tendo perdido tanto tempo de aula para que o anúncio da coordenadora fosse dado.

— Certo — disse, fazendo com que os três amigos suspirassem, aliviados. — Então, por favor, aproveite e conjugue o verbo “cantar” para mim na terceira coluna.

Taehyung sorriu de verdade pela primeira vez em uma aula dela. Mas não por felicidade, e sim por alívio. Havia escapado de uma bronca e garantido a companhia do amigo no passeio. Tudo havia dado certo. Por muito pouco. Mas ainda assim, tudo certo.

— Claro, professora!


[...]


A semana seguinte havia se resumido completamente em Jungkook e Taehyung falando sobre o passeio e sobre o quanto se divertiriam nos brinquedos mais radicais do parque.

Já era sexta-feira e a animação de Taehyung era tamanha que logo no começo da semana Jungkook passou a ficar igualmente animado. Os dois haviam pesquisado as atrações mais legais, o tamanho das filas, as rotas mais tranquilas pelo lugar... Mal podiam conter a ansiedade.

Mas, apesar de toda a euforia dos amigos, Yoongi não havia conseguido se animar como eles.

Para ele, esse passeio seria completamente entediante. Ele sabia que os amigos iriam querer ir nos brinquedos mais intensos, enquanto ele mal conseguia ir na roda gigante sem passar mal.

No final, ele só os acompanharia andando e um lado para o outro e provavelmente seguraria suas coisas.

O garoto preferia passar o dia em casa, tranquilo, de pijama e provavelmente maratonando alguma série. Mas já havia dito para Taehyung que iria e agora era tarde demais para voltar atrás.

Suspirou, conformado, enquanto copiava as últimas anotações da professora sobre os tempos musicais.

As horas que passava no clube de música eram, sem dúvidas, as melhores da semana toda. Ele amava aprender sobre aquilo. A forma como cada instrumento funcionava o fascinava, os diferentes gêneros musicais eram interessantes, a professora era incrível e, claro, Jimin também estava inscrito no clube.

Só de saber que dividiam o mesmo gosto e os mesmos interesses, Yoongi ficava feliz.

Talvez, se eles se falassem algum dia sobre algo que não fosse unicamente trabalho e lição ou coisas da escola, quem sabe ele conseguiria puxar uma conversa.

Foi com esses pensamentos que o garoto guardou o material, após terminar de copiar as anotações, desligado de tudo o que acontecia à sua volta, até uma mão encostar em seu ombro de leve, chamando sua atenção.

— Yoongi?

Nesse momento, seu coração poderia ter parado, de tão surpreso que ficou. Estaria imaginando coisas? Teriam seus pensamentos ido longe demais?

— O-oi...? — perguntou, tímido, enquanto Jimin tirava a mão de seu ombro com delicadeza e passava a coçar a nuca, envergonhado.

— Você vai ao passeio?

— Vou sim... E você?

— Eu acho que sim... — Respirou fundo e o olhou nos olhos. — Eu posso andar com você por lá?

Sua cara de surpresa e confusão devia ter sido engraçada, pois o loiro mal conseguir conter um sorrisinho.

— É que meus amigos não querem ir... E você, Taehyung e Jungkook são muito legais... Eu queria saber se posso andar com vocês por lá... Não tem problema se não der! — acrescentou, com os olhinhos arregalados, como que para o assegurar de que ele não precisava aceitar se não quisesse.

— Claro! — exclamou, deixando sua animação transparecer. Jimin o achava legal!

— Sério? Tudo bem mesmo?

— Sim! E... eu também te acho muito legal, Jimin! — disse, não conseguindo olhá-lo enquanto dizia aquilo. Seus tênis haviam se tornado tão interessantes de repente.

— Muito obrigado, Yoongi. De verdade! — O loiro o abraçou em um impulso. — Você é um amorzinho.

Ao perceber o que tinha falado, as bochechas de Jimin se tornaram vermelhinhas e seus olhos se arregalaram em surpresa com as próprias palavras. Aquilo não podia ter saído!

— Então até segunda! Tchau! — disse, acenando e rapidamente saindo da sala, nem sequer dando tempo de Yoongi o responder.

Este, que ainda estava paralisado no mesmo lugar, mal acreditando no que tinha acabado de acontecer.

Jimin iria passar o passeio com ele e seus amigos e ainda havia ganhado um abraço!

Mas, mais do que tudo, o que se repetia em sua mente sem parar era: “Você é um amorzinho!”. Ah céus, como ele estava apaixonado!

Agora sim, ele estava completamente animado para o passeio, talvez até mais do que Taehyung. Afinal, esse seria o melhor passeio de todos os tempos!


[...]


Toda sexta-feira Jungkook e Taehyung se juntavam na casa de um dos dois e passavam a tarde juntos. Jogando, vendo vídeos, conversando... ou até mesmo dormindo, mas juntos. Naquela sexta, estavam jogados no quarto de Taehyung, comendo salgadinho e vendo filmes.

Às vezes, quando Yoongi não estava muito cansado depois do clube de música, ele se juntava também — como aconteceria naquele dia.

O amigo havia mandando uma mensagem atrapalhada no grupo de conversas do celular dizendo com poucas palavras e muitos erros de digitação algo sobre estar indo para a casa de Taehyung e Jimin ter feito alguma coisa, o que foi suficiente para deixar os mais novos curiosos.

Mas, infelizmente, toda a curiosidade de Jungkook não superava seu nervosismo.

Estar com Taehyung era muito bom. Era algo que ele amava. Mas não podia negar que estava sendo cada vez mais difícil.

Aparentemente, seus sentimentos estavam tão difíceis de controlar que até mesmo Yoongi havia percebido.

Ele sabia que aquele sentimento tão grande era bem real, mas não queria aceitar. A amizade deles era boa demais para que acabasse por causa disso — por causa de amor. Jungkook não queria que Taehyung se afastasse dele, que deixasse de ser seu amigo se descobrisse sobre a paixão que sentia. Por isso, sequer aceitar seus sentimentos parecia ser algo tão distante, tão... irreal.

Ele não podia fazer aquilo com a amizade deles. Não ia se permitir estragar algo tão bonito e intenso. Então, juntava todo o medo que sentia e o utilizava para empurrar esse amor mais e mais para dentro de si mesmo, na esperança de que uma hora ele sumisse.

Mas parecia ser cada vez mais difícil se controlar.

Quando Taehyung o abraçava, quando segurava sua mão, quando falava coisas tão fofas e o olhava nos olhos... tudo aquilo fazia seu coração ficar tão, tão acelerado, que ele ficava surpreso que ninguém mais pudesse ouvi-lo.

— Kookie... Você acha que o Yoongi contou para o Jimin? — perguntou, tirando-o de seus devaneios.

— Eu duvido um pouco, Tae... Mas se ele fez, eu fico feliz — respondeu.

— Eu também fico feliz... e bravo ao mesmo tempo. Queria estar lá para ver.

Jungkook deu uma risadinha, virando a cabeça para olhar o amigo.

Os dois estavam deitados na cama, espremidos um ao lado do outro. O saco de salgadinho vazio largado no criado-mudo e o filme rolando esquecido pelos dois. As luzes da TV iluminavam o rosto do mais velho, seu nariz, suas bochechas fofas, seus olhos intensos, sua boca desenhada... Ele era tão bonito.

Naquele momento, Taehyung também virou para o olhar, os olhos castanhos observando cada cantinho de seu rosto.

Jungkook permaneceu alguns segundos na mesma posição, não conseguindo desviar o olhar, até que sentiu as bochechas quentes, ao conectarem os olhos.

Sustentar o olhar de Taehyung tão de perto estava fora de cogitação. Era demais para seu coraçãozinho.

— Você é bonito, Kook.

— O quê?! — exclamou, surpreso. Ele definitivamente não esperava aquilo e não fazia ideia de como reagir.

— Você é bonito. E fofo. Quando você fica com as bochechas coradas... é fofo.

— Tae... — murmurou, sem saber o que responder.

A mão do mais velho se aproximou lentamente de seu rosto, penteando com os dedos alguns fios de cabelo que haviam se desalinhado sobre a testa.

— Muito bonito.

— Você... — Respirou fundo, criando coragem para falar. — Você também é muito bonito, Tae. Muito mesmo.

Logo em seguida, fechou os olhos, não conseguindo mais encarar o amigo e ver sua reação, só os reabrindo quando os dedos gentis passaram de seus cabelos para suas bochechas.

Deparou-se com o sorriso do mais velho e não pôde conter o repuxar nos próprios lábios, logo abrindo um sorriso também.

Aquele momento pareceu durar horas. Um ao lado do outro, olhando-se, trocando sorrisos. Era como se os dois estivessem parados no tempo, a única coisa os garantindo que continuavam ali sendo os carinhos constantes de Taehyung no rosto de Jungkook. E teria durado muito mais, se não fosse pela porta do quarto abrindo de supetão, enquanto um Yoongi ofegante entrava afobado.

— Esse vai ser o melhor passeio de todos os tempos.


[...]


— Então você está todo animadinho assim porque o Jimin vai ficar com a gente no parque?

— Uhum.

— E agora você está super ansioso pra ir?

— Uhum.

— Sabe, eu acho isso uma sacanagem — murmurou Taehyung.

Os três estavam jogados na cama, com as costas no colchão e as pernas estendidas para cima e apoiadas na parede gelada do quarto. As meias coloridas uma ao lado da outra, com dedinhos que se mexiam inquietos dentro delas.

— Ué, sacanagem por quê? — perguntou Yoongi, que estava no meio, enquanto se virava para olhar o amigo manhoso ao seu lado.

— A gente passou a semana toda tentando te fazer ficar animado e nada... Agora o Jimin fala uma coisinha e você fica radiante!

— É claro, Tae... É o menino que ele gosta. O coração dele não aguenta isso — disse Jungkook, tirando sarro.

— É. Tipo quando o Jungkook disse que iria, sabe? Você ficou bem animado! — retaliou o mais velho, virando-se para encarar rapidamente o outro amigo com um olhar ameaçador.

— Ah.

— Ah? — perguntou Jungkook, surpreso com a resposta. Era só aquilo que ele ia falar? Ele não ia dizer nada como “Nada a ver” ou “Isso não faz sentido, Yoongi”?

— É. Eu entendi o que ele quis dizer.

Um silêncio caiu sobre o trio. Taehyung pensando na explicação do amigo e os outros dois surpresos demais com a resposta dada para sequer dizer qualquer coisa.

— Eu acho que isso foi tipo um sinal — disse Jungkook, após alguns minutos, tentando restaurar a conversa.

— Como assim?

— Esse passeio vai ser como uma chance para você e Jimin se aproximarem mais! Quem sabe é até uma boa oportunidade pra você se declarar.

— Ah, não... Nem vem, Jungkook — reclamou, irritado.

— Eu também acho uma boa! Vai ser um dia legal pra vocês aproveitarem juntos e além do mais, tem como fazer isso de uma forma bem fofa.

— Mas eu não quero.

— Yoongi, você não precisa se não se sentir pronto. Mas acho que quatro anos já é tempo o bastante. Você vai finalmente se livrar do peso de guardar esse sentimento, pelo menos — falou Jungkook.

No fundo, Yoongi sabia que era verdade e que aquela oportunidade era muito boa, mas o medo da rejeição crescia só de pensar na possibilidade de contar. E se o dia tão legal acabasse em tristeza?

— Mas... e se não der certo?

— Yoongi, você não tem como controlar isso. Se ele falar que não sente o mesmo, então supera. Quem sabe vocês até se aproximem como amigos ou algo assim? Nem tem como prever isso — disse Taehyung, olhando para os dedinhos que se mexiam dentro das meias.

— Tudo bem... Acho que é o melhor mesmo. Mas, não sei... A ideia de finalmente colocar isso pra fora não parece nada real, entende?

— Sim — murmurou Jungkook, lançando-lhe um olhar sério. — Mas pode ser. Você só precisa falar, dar o primeiro passo. Depois, deixa as coisas acontecerem. Se ele gostar de você também, ótimo! Se não gostar, aproveita que nosso Ensino Médio começou e vai conhecer mais gente!

— É verdade... É melhor mesmo falar de uma vez, não é? — perguntou, provocativo, olhando-o com uma sobrancelha erguida.

Os conselhos de Jungkook eram bons, mas ele mesmo não os seguia. Se era melhor falar, por que ele não contava logo e se declarava para Taehyung?

Em resposta, o amigo apenas revirou os olhos e desviou o olhar para o teto do quarto.

— E como eu faço isso? — perguntou Yoongi, determinado a não insistir naquilo.

— Hum... Tem muitos lugares no parque para fazer isso... — murmurou Taehyung, pensativo. — Mas acho que o mais legal é na roda gigante.

— Que clichê...

— É fofo e muito bonito. Pelo menos, eu gostaria de confessar meus sentimentos em um lugar assim. Ia parecer uma cena de filme — retrucou.

— Sério? — perguntou Jungkook, imediatamente interessado.

— Sim. Eu acho muito legal. Eu contaria lá.

— Mas se ele falar não, vamos ficar os dois presos no maior climão lá em cima.

— Para de pensar no pior — disse, irritado. — Pensa que a vista é bonita, o lugar é legal e só vão estar vocês dois.

— É, e se você for rejeitado, pelo menos ninguém mais vai estar vendo — disse Jungkook.

No final, era uma boa ideia. Talvez Jimin até achasse fofo, como Taehyung, e se não, ele não precisaria lidar com a rejeição no meio de todo mundo.

— É uma boa ideia mesmo... — disse, pensativo.

— Você pode fazer no final da tarde. O céu fica lindo e vocês já vão ter aproveitado o dia. — Taehyung levantou, espreguiçando-se. — Tudo certo, então?

— Hã... acho que sim.

A ideia de finalmente estar tão próximo de fazer aquilo era aterrorizante, mas aliviadora ao mesmo tempo. Finalmente se livraria do peso de esconder aquele sentimento, finalmente saberia a resposta de Jimin.

— Vou buscar mais salgadinho. Já volto — falou o garoto, saindo do quarto.

Yoongi e Jungkook, ainda deitados, viraram os rostos para se encarar.

— Então você vai mesmo falar?

— Vou. — Respirou fundo. — Isso é estranho, depois de tanto tempo mantendo em segredo... Mas é bom, também. Estou animado.

— Legal, Yoongi... Acho que já estava na hora. Vai ser bom começar essa fase nova sem essa tensão toda.

— Sim. — Suspirou, concordando. — Mas e você? Quando vai se livrar do seu peso?

Jungkook apenas deu de ombros, como se não quisesse falar sobre aquilo.

— É uma oportunidade boa para mim, mas para você também. Você já até sabe onde fazer — insistiu Yoongi.

— Eu tenho medo, Yoongi.

— Eu também. Mas como você mesmo disse, dê o primeiro passo e deixe as coisas acontecerem.

— E se ele se afastar de mim por isso, Yoon?

— Kook, eu duvido que o Tae se afastaria de você por um motivo assim. Vocês são muito próximos. Nossa amizade vai além disso.

— Eu sei, eu sei... Eu só... não quero que nada mude.

— Quer sim. Você quer que mude, e vai mudar. Mas você precisa falar pra saber.

Os dois ficaram em silêncio por alguns segundos, refletindo.

— Você acha que eu deveria ter contado para o Jimin antes?

— Acho. Foi muito tempo mantendo esse sentimento, Yoongi... Mas agora não tem mais jeito, e você já vai falar mesmo... Só não perde mais tempo, okay?

— Okay. Então você também faça isso. Não perca mais tempo, não faça como eu. — Respirou fundo, olhando nos olhos do amigo. — Você gosta mesmo dele? Tem certeza?

— Eu... eu tenho certeza. Eu gosto muito dele — disse Jungkook. Aquele sentimento era intenso demais para ele sequer cogitar ignorá-lo. Ele gostava muito de Taehyung, não podia mais negar.

— Então conta, okay?

— Okay...

Mais alguns segundos se passaram. Os pés dos dois se encostavam, apoiados na parede.

— Não me deixa desistir, por favor — sussurrou Yoongi.

— Tudo bem. Não me deixa desistir também.

Os dois trocaram um último olhar cheio de cumplicidade e compreensão antes da porta abrir.

— Minha mãe não me deixou trazer mais salgadinho, mas ela falou que vocês podem ficar para jantar se quiserem.

E a noite terminou como sempre terminava nas sextas-feiras, com os amigos se despedindo cansados e prometendo de ser de novo na segunda-feira.

Aquela semana se encerrava para dar início a mais uma, cheia de ansiedade e indecisões.

Só faltava mais uma semana para o passeio. Uma semana para Yoongi e Jungkook confessarem seus sentimentos.


[...]


A semana seguinte havia passado assustadoramente rápido e a animação do trio apenas crescia.

Logo as conversas passaram a ser unicamente sobre o dia que se aproximava e sobre como ia ser “incrível” e “muito legal”.

No final da aula no clube de música, Jimin havia novamente conversado com Yoongi sobre o quanto estava animado para passar o dia com ele e seus amigos e isso só aumentava as expectativas do mais velho mais e mais para que o dia fosse muito divertido.

Mas na manhã de segunda, enquanto se arrumava e guardava na bolsa os lanches que sua mãe havia feito, uma parte de Yoongi gritava para que ele não fosse.

E se o dia não fosse bom mesmo? E se ele não conseguisse se soltar? E se Jimin não quisesse mais andar com eles?

O turbilhão de pensamentos o deixava tenso, mas logo decidiu focar apenas no momento e no quanto estava animado para aquele dia.

Tudo bem se não fosse do jeito que ele esperava, tudo bem se não desse tudo tão certo. Ainda seria legal. Ainda seria um dia divertido com seus amigos e Jimin.

Tentava se manter positivo, até finalmente subir no ônibus do passeio.

Lançando um rápido olhar, pôde perceber que a maior parte dos bancos já estava ocupada, mas que ao fundo Taehyung balançava a mão para chamar sua atenção e logo foi andando no corredor apertado até chegar perto dos amigos.

Jungkook e Taehyung haviam sentado juntos, com o mais velho no lado da janela, para observar a paisagem, e Jungkook com os fones ligados, para evitar o barulho alto das conversas dos outros alunos eufóricos.

Eles rapidamente se cumprimentaram antes de uma outra mão que se abanava ao seu lado chamar sua atenção.

— Oi, Yoongi! — cumprimentou Jimin, sorrindo. — Guardei seu lugar.

— Oi! Ah... Obrigado! — respondeu, tímido.

Sentou-se no banco ao lado do loiro, com o corpo tenso e o lábio entre os dentes.

Estar tão perto de Jimin era tão bom! Saber que ele tinha guardado um lugar para que sentassem juntos fazia seu coração se aquecer. Mas, mesmo assim, ele se sentia tenso. Do que falariam a viagem toda? Ele ia conseguir puxar assunto? Ia conseguir agir normal?

— Quer dividir o fone? — perguntou Jimin, oferecendo-o um dos lados do fone que estava conectado no seu celular. — Eu acho incrível você também participar do clube de música... Queria saber mais sobre o tipo de música que você gosta.

— Sério? — perguntou, surpreso e feliz em saber aquilo. — Eu também acho muito legal você participar do clube! Eu gosto bastante de rap e rock, e você?

— Eu escuto de tudo! Se eu me conecto com a música, acabo gostando, independente do gênero... Quer me mostrar algumas que você gosta?

— Quero sim!

E então a viagem correu tranquila. Todas as preocupações de Yoongi haviam sido deixadas de lado. Ele e Jimin logo criaram muitos assuntos e a conversa fluiu.

Música, trilhas sonoras, filmes e até mesmo os novos professores e colegas. Quanto mais eles falavam um com o outro, mais pareciam querer falar.

— Em que brinquedo você vai querer ir primeiro, Yoongi?

— Não sei... Eu não curto muito os mais radicais, então nem sei se vou ir em algum deles... — respondeu. — E você?

— Não sei... A gente pode deixar o Jungkook e o Taehyung decidirem primeiro.

— Tudo bem! Eles estão bem animados. — Riram, olhando os amigos que já se arrumavam no banco, tentando ver pela janela o parque que se aproximava.

— E como assim não vai em nenhum brinquedo radical? — perguntou Jimin, fingindo um tom incrédulo enquanto sorria mostrando os dentinhos.

Yoongi riu e coçou a nuca, envergonhado. Estar tão perto de Jimin já fazia seu coração acelerar... Ver ele sorrindo tão de perto era mais intenso ainda.

— Eu não sei, não vou negar que tenho um pouco de medo... Mas acho que os meninos vão acabar me arrastando para algum.

— Nem na montanha russa?

— O que? Essa é a pior! — exclamou Yoongi, rindo.

— Nem pensar! Ela é incrível! As melhores fotos são de lá. — Sorriu, balançando a cabeça. — Nem uma vez?

— Não sei...

— Eu vou com você! A gente pode gritar um monte juntos. Eu prometo que não vou te zoar depois.

Yoongi riu. Jimin, além de muito fofo e legal, era divertido também. Era tão bom falar com ele...

— Tudo bem... Mas uma vez só! E nada de rir de mim.

— Tudo bem, tudo bem!

Antes que a conversa pudesse continuar, o ônibus parou no estacionamento do parque, fazendo os alunos rapidamente se alvoroçarem para sair.

— Vocês vão sair com calma e eu quero todo mundo me esperando para entrar no parque, entenderam? — perguntou o professor que os acompanhava.

Não dava para realmente saber se o haviam escutado sobre toda a conversa e animação que estourava entre os alunos, mas logo os amigos esperavam ao lado do ônibus, não conseguindo conter a euforia.

— A gente precisa correr pra ir na montanha russa primeiro — falou Taehyung, olhando-os sério. — Lá é onde mais enche, é melhor a gente ir logo e matar a vontade, porque depois vamos passar um tempão na fila.

— Ah, não... — murmurou, Yoongi.

— Vamos, Yoongi! Por favor! — pediu o garoto, fazendo bico.

— Ele vai! A gente combinou no ônibus — falou Jimin, rindo. — Né, Yoongi?

— Sim... Mas só uma vez! E ninguém pode rir de mim! — completou, ignorando os olhares surpresos dos amigos.

— Tudo bem então. Montanha russa... E depois?

— Twister! — exclamou Jungkook, dando pulinhos. — Esse é o mais legal de todos!

— Não é — disse Tae, revirando os olhos.

— É sim! — retrucou. — E você vai comigo.

Os dois trocaram um sorriso rápido, achado graça da provocação.

— Eu quero todo mundo na porta do parque às 7 horas. Não tirem a pulseira de identificação de jeito nenhum e me procurem ou procurem um monitor se precisarem! Entendido? — Diante do coro de “sim”, o professor sorriu. — Então, liberados.

Yoongi e Jimin mal tiveram tempo de pensar antes de correrem atrás de Jungkook e Taehyung, que já disparavam na frente em direção aos portões do parque.

Cada aluno ia para um canto, querendo encontrar diferentes brinquedos e atrações e, por sorte, quando os quatro chegaram na tão esperada montanha russa, a fila estava pequena o suficiente para fazer o estômago de Yoongi se contorcer.

O medo da subida era grande, mas a animação para experimentar aquela sensação era maior ainda. Ele nunca pensou que estaria animado para ir em um brinquedo radical como aquele, mas aparentemente, com Jimin, tudo se tornava legal.

— E aí? — perguntou o loiro, olhando-o com expectativa. — Animado?

— Uhum. E com medo também. Acho que vou gritar tanto que não vou ter voz o resto do dia — respondeu, rindo.

— Eu também vou... Mas essa é a melhor parte!

Os dois trocaram um sorriso, fazendo o coração de Yoongi acelerar. O sorriso de Jimin era lindo demais.

— Tá chegando a nossa vez — disse Taehyung, animado, tirando-os do transe. — Eu tô muito animado! Quero muito ver a cara do Yoongi na descida!

— Pode parar — murmurou irritado.

— Se a fila estiver pequena, vamos mais vezes, Kook? — perguntou Taehyung, olhando para o amigo com os olhinhos arregalados de animação.

— Vamos sim, Tae — respondeu o garoto, sorrindo. — Acho que vou deixar meus óculos com o monitor...

— Eu guardo pra você no bolso moletom, se quiser — ofereceu Jimin.

— Ah, obrigado! — Sorriu Jungkook. O garoto era realmente muito fofo, ele entendia Yoongi.

O último grupo de estudantes descia dos carrinhos enquanto conversavam, e logo havia chegado sua vez. Taehyung não podia estar mais radiante, mas o nervosismo de Yoongi era praticamente palpável.

— Tem certeza que quer ir? — perguntou o loiro, olhando-o apreensivo enquanto se ajeitavam no carrinho, logo atrás de Jungkook e Taehyung.

— Sim, sim... Só estou nervoso... Eu nunca fui em uma montanha russa.

— Você pode segurar minha mão se quiser... — disse, com as bochechinhas coradas.

Os olhos de Yoongi se arregalaram com a possibilidade e logo desviou o olhar para baixo, envergonhado demais para responder enquanto o olhava.

— Por favor...

Gentilmente a mão de Jimin se aproximou da de Yoongi, encostando os dedos hesitantemente antes de finalmente os entrelaçarem.

A sensação de ter a mão tão fofinha e pequena na sua fazia o coração de Yoongi se aquecer... Ele era tão fofo e era tão bom estar próximo daquele jeito.

— Eu vou gritar muito — avisou, olhando-o com um sorriso tímido.

— Tudo bem — respondeu Yoongi, retribuindo o sorriso. — Eu também vou.

Lentamente o carrinho começou a andar, fazendo Taehyung e Jungkook rirem e se remexerem animados à sua frente, apertando as mãos na trava de segurança.

Inconscientemente, os dedos entrelaçados e Yoongi e Jimin se apertaram com a expectativa e a tensão, mas dessa vez os corações não estavam acelerados por isso, e sim pela descida que lentamente se aproximava.

— Ah, céus... — murmurou Yoongi, antes do carrinho finalmente cair.

Ele mal podia ouvir os próprios gritos entre tantos estudantes berrando à sua volta.

Suas mãos se prendiam na trava de segurança e na de Jimin com força, enquanto o loiro ao seu lado segurava a sua apertado e levantava a outra, gritando animado.

Taehyung e Jungkook faziam o mesmo, estendendo os braços e gritando na descida.

A sensação era bem diferente do medo que Yoongi esperava sentir. Era muito mais animação, adrenalina. A cada descida da montanha russa ele gostava mais e mais, afastando o medo para longe.

Quando o carrinho finalmente parou, ele se sentia tonto, mas feliz. Tinha sido uma experiência incrível. Ele se sentir bem em ter se permitido tentar algo tão legal.

— Como foi? — perguntou Jimin, enquanto o monitor soltava as travas.

— Foi muito bom! — respondeu, animado.

Finalmente soltaram as mãos para sair, um pouco relutantes em se deixarem ir.

— O que achou? — perguntou Jungkook, quando já estavam fora do brinquedo, tontos, mas cheios de adrenalina.

— Eu gostei, quero ir de novo.

Os amigos riram da reação, surpresos pelo mais velho ter gostado tanto.

— Sabia que você ia curtir... A fila tá pequena, acho que dá pra ir mais uma vez — falou Taehyung.

Após a segunda volta — onde, infelizmente, não voltou a segurar a mão de Jimin — e mais algumas idas ao Twister, os amigos não sabiam mais em qual ir em seguida.

— A gente pode ir na torre — sugeriu Jungkook.

— Mas aí vamos ter ido em todos os mais radicais... Tem que deixar a torre para depois.

— E em qual a gente vai agora? Eu ainda não quero ir em nenhum de água. Deixa pra hora do almoço, que o sol seca a roupa, se molhar — disse Yoongi.

— A gente pode ir nas xícaras... — sugeriu Jimin, animado.

— Pode ser! E acho que se agente girar bem rápido ela até sai do lugar! — Riu Taehyung, levando um soquinho leve de Jungkook.

— Nada de tirar a xícara do lugar — repreendeu. — Mas é uma boa ideia! Vamos lá!

Jimin sorriu, contente por estar se dando bem com os amigos de Yoongi.

A fila estava pequena, então logo os amigos entraram, se dividindo em duplas em cada caneca. Yoongi e Jimin dividiam uma, girando-a com calma, trocando sorrisos e risadas tímidas, enquanto Taehyung e Jungkook dividiam outra logo ao lado, brigando entre girar rápido e parar.

— Me ajuda a virar isso, Jungkook! Esse brinquedo é muito parado, vamos deixar ele mais radical.

— Não é pra ser radical! É literalmente um dos brinquedos mais parados de todos! — resmungou irritado, tentando diminuir a voltas do amigo.

Enquanto tentava segurar a roda que Taehyung girava o mais rápido que conseguia, acabou segurando nas mãos do mais velho, que parou de girar, pelo susto.

Os olhos se conectaram, arregalados, mas nenhum deles fez sequer menção de tirarem as mãos do lugar.

Taehyung revirou os olhos e bufou, convencido a parar de girar tão rápido, virando as palmas para cima, para segurar melhor as mãos de Jungkook, que desviou o olhar para o lado, corado.

Os dedões de Taehyung fizeram um carinho leve em suas mãos, como uma forma de chamar sua atenção, fazendo o mais novo o olhar por cima dos óculos redondos.

Eles não trocaram mais nenhuma palavra o resto do tempo no brinquedo, apenas segurando as mãos um do outro e se olhando envergonhados.

Jungkook tentava se conter, mas parecia que seu coração explodiria de tão rápido que batia. E o carinho do amigo só fazia tudo ficar mais e mais intenso. Ele esperava que Taehyung não percebesse nada, mas já não tinha mais esperanças. Ele era claramente um bobo apaixonado.


[...]


O resto da tarde passou rápido. Entre tantas atrações, conversas e risadas, o tempo voou para os quatro garotos.

O sol começava a se pôr quando finalmente fizeram uma pausa.

— Eu estou acabado — resmungou Jungkook. — Sério, minhas pernas estão doendo demais.

— As minhas também. — Riu Jimin, esticando-as e franzindo o nariz por causa do desconforto — Acho que vou dormir tanto essa noite que nem vou acordar para ir para a escola amanhã.

— Eu aguento ir em mais um monte de brinquedos! — disse Taehyung, pulando de um pé para o outro. Desde que chegara no parque, sua adrenalina e animação só haviam aumentado. Ele queria aproveitar todos os brinquedos possíveis e repetir os mais radicais. — Se a fila da montanha russa estivesse pequena, eu ia de novo!

— Como você tem energia, hein? — murmurou Jimin, em um tom brincalhão.

O loiro havia adorado conhecer mais Yoongi, Jungkook e Taehyung. Ele já sabia que os três eram muito legais, mas havia ficado feliz em saber que os amigos do garoto que fazia seu coração bater tão forte haviam gostado de si.

— Eu vou pegar água, alguém quer alguma coisa? — perguntou Taehyung, apontando para o quiosque perto de onde estavam.

— Acho que vou com você, vou pegar um salgado — respondeu Jimin.

— Mais alguém?

Yoongi e Jungkook trocaram um rápido olhar antes de negarem. Aquela era uma boa oportunidade para eles conversarem a sós.

Assim que os outros dois se afastaram, os amigos se aproximaram para conversar.

— Já está ficando de noite, é melhor irmos na roda gigante logo — murmurou Jungkook. — O céu está bonito agora.

— É verdade... — Yoongi suspirou, sentindo o corpo tensionar. — Não sei se tenho coragem.

— Você vai falar sim. A gente já conversou sobre isso. É melhor colocar esses sentimentos para fora logo. O Jimin foi um amor esse passeio todinho, eu duvido que ele vá ser grosso com você ou qualquer coisa assim.

— Eu sei, eu sei... Mas é que antes estava tão longe, parecia tão irreal, sabe?

— Sei, Yoon... E acredite, eu estou do mesmo jeito. Não acredito que depois de um dia tão legal, vou tomar uma das maiores decisões que já fiz... — Suspirou, chutando as pedrinhas do chão.

Mesmo depois de pensarem a semana inteira sobre a confissão, tudo ainda parecia muito improvável e fantasioso para os amigos. Eles realmente iam contar? Finalmente iam se livrar do peso de esconder aqueles sentimentos?

— É melhor irmos logo — murmurou o mais velho. — Ou eu vou perder a coragem.

— Tudo bem... — sussurrou Jungkook, vendo Taehyung e Jimin voltarem conversando.

— Vamos na roda gigante? — perguntou Yoongi, assim que estavam junto de novo.

Taehyung o lançou um olhar compreensivo e logo assentiu.

— Vamos, vamos. O céu está lindo agora. Vai ser incrível ver lá de cima.

Assim que chegaram na fila, Jimin já havia terminado seu salgado e, por sorte, Taehyung falava animado sobre os brinquedos que mais havia gostado, mal dando tempo de perceberem o silêncio dos amigos tensos.

— Eu vou com o Jungkook, okay? — disse o garoto, enquanto as pessoas saíam do brinquedo.

— Tudo bem — disse Jimin, virando-se para sorrir para Yoongi.

E assim, os quatro subiram nas cabines apertadas. Os joelhos e encostando com a proximidade e os corações disparados com o que iam fazer.


[...]


Quando a cabine começou a subir, o coração de Jungkook já estava disparado. Mil possibilidades do que poderia acontecer rondavam por sua mente.

No final, ele sabia que precisava contar. Aquela era a melhor hora. Taehyung havia dito que aquilo pareceria uma cena de filme e que adoraria e Jungkook sabia que precisava colocar aqueles sentimentos para fora.

Se fosse correspondido, mal sabia como ia reagir, de tão surpreso e feliz que ficaria. Se não fosse, teria que superar.

Só esperava que se Taehyung não sentisse o mesmo por si, que pudesse deixar aquele momento e aqueles sentimentos ali naquele parque, e que aquilo não afetasse a amizade do trio, que era tão bonita e longa.

O mais novo respirou fundo, mexendo nos próprios dedos para passar o tempo.

— É bonito, não é? — perguntou Taehyung, olhando para os lados.

— Oi? — perguntou Jungkook, perdido.

— O céu. Está lindo, não está?

— Sim. Lindo... — murmurou, sem conseguir desviar os olhos do amigo.

Taehyung era lindo. Ele amava cada pedacinho do mais velho, cada expressão, cada mania, cada risada. Tudo o que ele fazia parecia ser tão cheio de sentimentos, tão único.

O coração de Jungkook disparava só de vê-lo, tão bonito que mal conseguia prestar atenção no céu alaranjado pelo pôr do sol.

— Kook — chamou, fazendo com que o garoto o olhasse. Taehyung estendeu a mão em sua direção, com a palma virada para cima, esperando que ele a segurasse, como haviam feito na xícara.

O mais novo sentiu as bochechas queimarem com o gesto inesperado, mas mesmo assim segurou sua mão, a apertando de leve.

— Você fica lindo no pôr do sol. — Assim que terminou de dizer, cobriu a boca com a mão livre. Ele não esperava que aquilo fosse escapar daquela forma.

Encarou Taehyung com os olhos arregalados, esperando a reação do amigo e se surpreendeu ao ver um sorriso meigo crescer em seus lábios.

— Obrigado, Kook. Você também fica lindo. Agora e em qualquer momento.

Sorriram um para o outro, envergonhados, mas com os corações quentinhos.

Alguns segundos se passaram, até que as cabines finalmente pararam, congeladas em uma posição onde ficariam por alguns minutos.

Agora era a hora. Finalmente era hora de contar para Tae. Jungkook respirou fundo, juntando toda a coragem que tinha.

— Kook, eu preciso te contar uma coisa — falou Taehyung, antes que ele pudesse sequer começar.

— Hã... tudo bem! Pode falar.

O mais velho parecia estar com vergonha, apertando sua mão de leve e olhando para baixo. Era muito difícil vê-lo daquela forma. O garoto era sempre tão direto.

— Tae? Tá tudo bem? — perguntou, dando um leve aperto em sua mão para passar segurança. — Você pode me contar o que quiser.

— Promete que não vai me tratar diferente, independente do que eu disser?

A pergunta assustou Jungkook. Tratar Taehyung diferente? Ele nunca seria capaz disso. Nunca seria capaz de tratá-lo com menos carinho e menos amor do que já fazia. Era praticamente impossível sequer imaginar uma situação onde isso aconteceria.

— Prometo, Tae. Claro!

— Kook... — Respirou fundo, levantando o olhar hesitantemente, até estar observando o rosto do amigo a sua frente. — Eu gosto de você. Mais do que como amigo, sabe? Eu gosto mesmo de você, como namorado e tal...

O quê? Aquilo havia mesmo acontecido? A mente de Jungkook mal funcionava, tentando processar o que acabara de ouvir. Taehyung havia mesmo dito que gostava dele?

Logo a confusão e a surpresa deram lugar à euforia, ao alívio e à felicidade. Taehyung gostava dele!

Parecia que seu coração explodiria de tão rápido que batia. Depois de tanto tempo negando, tanto medo... Seus sentimentos eram correspondidos!

— Está tudo bem se você não sentir o mesmo. De verdade! Mas por favor, não para de ser meu amigo. Eu...

— Tae — chamou o mais novo, interrompendo-o. Ele não precisava se preocupar com nada daquilo, afinal. — Eu também gosto de você. Muito, muito mesmo.

— É sério? — perguntou, olhando-o chocado.

— Muito sério... — Sorriu, aliviado. — Eu até achei que você já tinha sacado, de tão na cara que estava... Até o Yoongi vivia fazendo piada!

— Eu... eu não percebi. — Riu, parecendo muito mais tranquilo. — Estava com medo de você ficar bravo comigo, de não querer mais ser meu amigo depois, ou de ficar um clima estranho.

— Eu também estava com medo disso! Eu queria contar, mas não queria que nada mudasse se você não sentisse o mesmo.

Taehyung riu, sentindo uma mistura de felicidade e tranquilidade. Tanta preocupação para nada!

— Ainda bem que você falou... — murmurou Jungkook. — Eu estava pronto para falar também.

— Era por isso que você estava tão nervoso?

— Sim. — Sorriu, envergonhado.

— Poxa... — Taehyung sorriu. — Eu estou tão feliz.

— Eu também estou — disse Jungkook, retribuindo o sorriso. — Você nem imagina! Parece que meu coração vai explodir!

O mais velho apenas riu e ajeitou o aperto nas mãos dadas, entrelaçando os dedos dos dois.

Um não conseguia mais desviar os olhos do outro, transbordando de felicidade, de amor.

Era tão bom estar assim tão perto. Era tão bom compartilhar sentimentos tão intensos.

— Eu realmente gosto muito de você, Tae — disse Jungkook, com os olhos marejados.

— Eu também, Kook. Tanto! Eu gosto de você mais do que gosto do pôr do sol... e da montanha russa.

— Uau! Isso é muito! — exclamou Jungkook, em tom de brincadeira.

— É mesmo! — Riu, olhando-o com carinho.

Como era bom estar apaixonado. Como era bom estar apaixonado por ele.

E, céus, como era bom ser correspondido.


[...]


A subida das cabines era torturante para Yoongi. Durante todo o tempo ele repassava as diferentes formas como poderia falar sobre seus sentimentos para Jimin, que observava o céu colorido à sua volta, por vezes desviando o olhar para o garoto sentado à sua frente.

— Yoongi, tá tudo bem? — perguntou, preocupado.

— Sim! Sim, tudo bem! — falou rapidamente, assustado com a pergunta repentina.

— Você tem medo de altura?

— Não... Por quê?

— É que você parece nervoso... Tem certeza que está tudo bem?

O coração do mais velho se aqueceu com a preocupação e o carinho de Jimin. Ele achava linda a forma como o loiro se importava com o bem estar das pessoas a sua volta, e sendo ele essa pessoa, ele mal conseguia processar os sentimentos. Mas, ao mesmo tempo, se sentia envergonhado. Estava tão na cara assim?

— Tá tudo bem... — Nesse momento, a cabine parou onde passaria alguns minutos daquela forma, para que pudessem ver o parque de cima do brinquedo. — Eu só... eu só preciso te contar uma coisa.

Jimin o olhou com atenção, endireitando o corpo.

— Tudo bem, fica tranquilo! Foi alguma coisa que eu fiz hoje? — perguntou, em um tom preocupado. Jimin se importava demais com as pessoas a sua volta, então a ideia de ter feito algo que os deixara desconfortável era um pouco assustadora.

— Não! Não! De jeito nenhum! — respondeu em tom urgente, para descartar a possibilidade. — Hoje foi muito legal! Eu adorei você ter estado com a gente e tenho certeza que os meninos também gostaram muito. Você é incrível, Jimin!

As bochechas do garoto se avermelharam diante do elogio e logo ele olhou para baixo, envergonhado demais para olhar para Yoongi, que, por sua vez, olhou para o lado, observando o céu com o máximo de atenção que podia, achando muito difícil voltar a olhar para o loiro depois do que havia dito.

— Obrigado, Yoongi... Você também é incrível, de verdade. Eu fiquei muito feliz em passar o dia com vocês. Vocês são muito legais.

Os dois trocaram um sorriso tímido, finalmente se olhando, e passaram alguns segundos em silêncio, analisando os rostos um do outro em um momento tão bonito como aquele.

A luz alaranjada do pôr do sol iluminava os contornos delicados dos rostos e dava um brilho intenso aos olhos que se encaravam com atenção.

— O que você queria me dizer? — perguntou Jimin.

Yoongi respirou fundo, tomando coragem. Se não falasse agora, não ia conseguir falar nunca mais. O momento era perfeito e ele precisava arriscar, precisava descobrir o que aconteceria de verdade, e não como em uma das mil possibilidades que havia criado na própria cabeça.

— Jimin, eu queria te contar isso há muito tempo, mas nunca tive coragem — começou, tímido, olhando para os próprios dedos. — Espero que você não fique bravo comigo.

— Bravo? Olha, Yoongi, é muito difícil eu ficar bravo com alguém, principalmente sendo você. Você... você é um amorzinho...

O coração do mais velho acelerou no peito ao ouvir o elogio. Era a segunda vez que Jimin o chamava de amorzinho e ele definitivamente não achava que aguentaria ouvir uma terceira vez sem explodir em sorrisos e amor.

— Obrigado, Jimin... — disse. — Eu espero que você não fique bravo mesmo, então...

O garoto apenas o olhou com carinho e assentiu com a cabeça, encorajando-o a falar.

— Eu... — Respirou fundo e olhou-o nos olhos, tomando coragem para falar. — Eu realmente gosto muito da forma como você se importa com as pessoas, e da forma como seus olhinhos fecham quando você ri, e de como você fica irritado quando as pessoas não te escutam, e de como você é divertido e simpático e... E de tudo, Jimin. Até das suas mãozinhas fofas.

Jimin o olhava com os olhos arregalados, em choque.

— O que eu quero dizer é que eu gosto muito de você. De verdade. Desde o sétimo ano. — Suspirou. — Eu sei que pode parecer besteira e você nem precisa falar nada se não quiser, okay? Eu só... eu só queria te contar, sabe? Porque esse sentimento é muito grande aqui no meu coração.

— Yoongi... — murmurou Jimin, processando o que havia escutado.

— Tá tudo bem, de verdade. Eu entendo se você não quiser mais falar comigo depois disso e tá tudo bem! — disse, forçando um sorriso.

— Yoongi, não é besteira.

— Oi? — perguntou, confuso.

— Você disse que pode parecer besteira... Mas não é. — Yoongi o encarava confuso, contente por ele não achar seus sentimentos bobos, mas não entendendo aonde queria chegar. — Não é besteira. Eu sei que isso é muito importante e sei o quão grande esse sentimento é, porque... Porque eu sinto o mesmo.

Os olhos de Yoongi se arregalaram e nenhuma palavra parecia conseguir sair de sua boca.

— Eu gosto de você desde que você entrou na escola... Eu fiquei muito feliz quando fizemos dupla na aula de Química e fiquei mais feliz ainda quando descobri que íamos participar do mesmo clube — disse, envergonhado. — Porque eu gosto muito de estar com você.

O coração de Yoongi parecia pular, batendo tão rápido que ele mal sabia como Jimin não o ouvia também.

Dentre tantos e tantos cenários que imaginara, aquele era um que definitivamente não esperava acontecer. Jimin retribuir seus sentimentos era algo tão distante para si, que tudo aquilo não parecia real.

Mas, ao mesmo tempo que era difícil acreditar, o garoto queria muito que fosse verdade. A felicidade e o alívio crescentes dentro de si eram quase insuportáveis de conter.

— Eu... eu também gosto muito de estar com você, Jimin. Muito mesmo — disse, envergonhado. — Você... você quer sentar junto na hora do lanche?

— Quero — respondeu, sorrindo. — Quer sentar do meu lado na aula de música?

— Quero!

Os dois trocaram um sorriso, explodindo de felicidades. Depois de tanto tempo escondendo os sentimentos, era tão bom colocá-los para fora. E mais do que tudo, era tão bom saber que não sentiam aquilo tudo sozinhos.

Seus joelhos se esbarravam por conta da proximidade na cabine apertada, seus dedinhos coçando para se tocarem.

Yoongi lentamente estendeu as mãos, as quais Jimin prontamente segurou, apoiando-as sobre os joelhos.

— Eu gosto muito de você, Jimin.

— Eu gosto muito de você, Yoongi.

Os olhos de Jimin passearam pelo rosto do mais velho, parando por alguns segundos em seus lábios. Ele queria muito dar um beijinho em Yoongi.

Lentamente se aproximou dele, o olhar ainda fixo em sua boca. Yoongi, percebendo a intenção do loiro, ignorou o coração batendo acelerado e também se aproximou, tímido, mas encarando os lábios cheinhos de Jimin. Ele queria muito saber como seria beijá-los.

Por poucos segundos os olhares se conectaram em busca de hesitações, mas não encontraram nenhuma. Os dois queriam tanto trocar um beijinho.

Aproximaram-se um pouco mais, com os narizes se encostando de leve, os olhos fechados.

E então, a cabine voltou a descer, o tranco os separando assustados antes que pudessem finalmente se beijar.

Yoongi soltou as mãos das de Jimin, cobrindo o rosto vermelho de vergonha enquanto ouvia a risada tímida do loiro.

— Ah, céus... — resmungou, com o rosto quente de tanta vergonha.

— Está tudo bem. — Sorriu Jimin. — Nós vamos ter mais oportunidades de fazer isso. Não tem problema.

Os dois trocaram um sorriso cúmplice antes de finalmente chegarem ao chão. Era tão bom saber que aquilo era verdade.


[...]


Taehyung e Jungkook estavam radiantes, não conseguindo se soltar. Tae dava pulinhos agarrado ao braço do mais novo, animado demais para se conter. E Kook apenas sorria apaixonado, sem conseguir desviar o olhar dele.

Assim que chegaram no ônibus, apagaram. Não era surpresa para ninguém, após terem corrido tanto e ido em tantos brinquedos.

A cabeça de Taehyung batia levemente no vidro do ônibus, logo sendo puxada por Jungkook para que descansasse em seu ombro, logo dormindo também, com a cabeça apoiada no banco e a boca aberta. E assim, os dois seguiram até o final da viagem. Perto, felizes e descansando.

Jimin e Yoongi não soltavam as mãos por nada. Desde a saída da roda gigante haviam entrelaçado os dedos e seguido o resto da viagem da mesma forma, dividindo o fone e muitos sorrisos.

Ambos explodindo de felicidade por finalmente se sentirem leves, livres do peso de manter tantos sentimentos em segredo. A euforia era crescente diante de tantas possibilidades e momentos no futuro, mas também se sentiam em paz por finalmente estarem tão próximos, da forma como tanto sonharam estar.

Para os quatro amigos, aquele passeio realmente havia sido o melhor de todos.


~~~~


Notas finais: Foi isso!
Muito obrigada por terem lido :) Espero que vocês tenham gostado desses piticos <3

7 Novembre 2021 22:38:35 0 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
1
La fin

A propos de l’auteur

2Min Pjct Projeto de fanfics do shipp Yoonmin (Yoongi & Jimin) do grupo sul coreano BTS. Nos encontre também no Wattpad (https://www.wattpad.com/user/2MinPjct), Spirit (https://www.spiritfanfiction.com/perfil/suji05), ao3 (https://archiveofourown.org/users/2minpjct) e twitter.

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~