agustdeadtown 𝖋𝖎𝖛𝖊 𝖎𝖓 𝖗𝖔𝖒𝖆𝖓

❝NamJoon e YoonGi foram juntos a uma festa onde trocaram carícias quentes. Em um vídeo, HoSeok decidiu mostrar pro Kim a quem o hyung pertencia e obedecia.❞ [One shot | BTS | 18+ | BDSM | Voyeurismo | Spanking | Dirty Talk e Degrade | Overstimulation | Bondage | Size kink | Threesome]


Fanfiction Groupes/Chanteurs Déconseillé aux moins de 13 ans.

#voyeurismo #dirty-talk #bondage #overstimulation #thressome #bdsm #lemon #gay #yaoi #rm #suga #j-hope #hoseok #yoongi #namjoon #rapline #namyoonseok #bts
2
1.5mille VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

unic; dirty party, dirty e-mail!

O banheiro de uma festa poderia ter distintas finalidades. Haviam pessoas que cansavam do barulho e utilizavam o espaço para conversar e colocar o papo em dia, haviam outros que queriam apenas um sexo rápido e discreto. Mas, dentre eles, haviam dois rapazez que estavam ali para um propósito diferente.

Nam Joon parecia bastante feliz no meio das pernas de Yoon Gi. Uma das grandes mãos estavam sob a coxa do garoto de cabelos rosinhas enquanto a outra pendia o cigarro entre os dedos compridos, tragando-o de forma monótona.

- Se sente melhor, Yoonie? - Questionou e recebeu um balançar de cabeça negativo em troca.

- O cigarro, Joon... - Sibilou com dificuldade e um bico fofo - Tá piorando.

Não que asma fosse um problema seu, mas a casa de show abafada, pessoas gritando junto ao cantor de visual kei bonitão e a falta de circulação de ar fez com que a pressão do menor fosse ao chão, quase o desmaiando.

Vendo o estado do amigo e secretamente paixonite, Nam Joon logo correu com o garoto que usava roupas escuras até demais para o banheiro. Por sorte ele estava vazio e não causaria mais incômodos.

O ajudou a molhar os braços, assim como era orientado na internet e aos poucos aquele garoto do sorriso fofo ia ficando branquinho de novo, deixando o verde vômito no passado.

- Tudo bem, me desculpa - Apagou o cilindro na bancada de mármore da pia e segurou a cintura fininha em suas mãos.

- Já estou melhor, Nam. Obrigado - Sorriu fofinho da forma que só ele sabia fazer - É fria - Referiu-se a mão em contato com sua pele quente, por baixo do casaco jeans preto cheio de strass. Riu baixinho, havia bebido um pouco e era fraquinho pra álcool, ainda mais aquele docinho com groselha e laranja.

- Já já fica quentinha, baby - Avisou antes de pegar o menor no colo e adentrar uma das cabines, fechando a porta e encostando as costas do Min na superfície.

As pernas cobertas por uma calça jeans preta com rasgos por toda a extensão logo estavam entrelaçadas na cintura do mais novo enquanto recebia um selar calmo nos lábios fininhos e sentiu a língua do Kim adentrando aquele espaço quentinho e com gosto de laranja.

. . .

Naquela mesma madrugada, os cinco grandes cães rottweiler podiam assustar qualquer um que tentasse atravessar os portões da mansão de paredes e pilastras brancas com características da antiga arte gótica e rodeada por uma floresta fechada.

Ho Seok era um claro admirador de sua propriedade e com o silêncio ensurdecedor de seus criados que já partiam para suas casas após o expediente, conseguiu ouvir os grandes portões sendo abertos e os pneus do carro negro deslizarem entre as pedrinhas do jardim, trazendo dentro dele aquele ao qual tinha planos e punições a serem realizadas.

Lambeu a pontinha do indicador antes de trocar a página de uma das revistas de moda de Yoon Gi, notando como as roupas escuras no catálogo eram bastante parecidas com as que seu namorado usava.

Acariciou o lulu da pomerania em seu colo, não se importando com os pêlos que o cãozinho do homem de cabelos rosinha soltava em suas roupas, destacando-se principalmente na calça jeans e na camisa social branca com alguns botões fora das casas.

O chicote estava a posto ao lado da poltrona, ao alcance caso precisasse ser usado no submisso desobediente. O dito cujo parou logo em sua frente, as mãos cruzadas em frente ao corpo pareciam um tipo de pedido de desculpas por seu estado pecaminoso: a roupa amassada, o cabelo pastel desalinhado e o cheiro de cigarro em seu corpo eram coisas que Ho Seok não gostava, e ele sabia bem disso.

- Espero que tenha aproveitado bem a festa - O olhou sério por cima dos olhos, logo voltando a focar na revista - Como está Nam Joon? - Yoon Gi engoliu em seco e Ho Seok expert em linguagem corporal notou nitidamente aquilo - Ele cuidou bem do que é meu, pelo que vejo...

Antes que pudesse dizer algo, o Jung estendeu a destra para frente e logo o menor choramingou. Levou a própria mão para o bolso traseiro da calça e pegou seu celular, colocou a senha e deixou sob a mão do dominador.

- Suba e tome um banho, quero você limpo, caso tenha esquecido de o fazer durante a semana. Após isso, me espere no quarto-

- Hobi-

- Não me interrompa, inferno! - Tirou os olhos do cachorro e o colocou no chão, levantando da poltrona. Caminhou poucos passos até estar em frente ao menor - Qual é o contato do seu "amiguinho"?

- KimJoon, senhor - Respondeu baixo, mas auditivo ao outro.

- Suba e faça o que te mandei, vamos conversar depois - Cabisbaixo, mas obdiente, o outro passou a subir as escadas de granito branco - Nada de passar perfumes ou cremes, e tire esse cheiro horrível de cigarro do seu corpo!

Caminhou até a cozinha estilo americano, os móveis caros eram pretos e tinham detalhes na cor esverdeada cobre. Abriu a porta direita da geladeira e pegou a jarra de suco de limão e laranja, logo servindo um copo para si.

Buscou nos contatos o nome de Nam Joon e sorriu ao que clicou no telefone, logo iniciando uma chamada. Tomou mais um gole do suco, o cotovelo apoiado no granito negro da pia deixava o quadril do homem levemente empinado, mas ele não ligava.

- Oi Yoonie, desculpa por hoje, eu fui precipitado...

- Não é o "Yoonie" - Faz uma leve alteração na voz, demonstrando nojo - É o namorado dele.

- Olha, senhor Jung, mil desculpas.

- Não quero suas desculpas, Kim - Ouviu um murmúrio em resposta - Qual é o seu e-mail pessoal?

- C-como, hyung? - Ho Seok conseguia saber que o outro tinha uma sobrancelha arqueada e sorriu de canto.

- Apenas diga, bae.

Com o e-mail anotado na agendinha de contatos que ficava no aparador da entrada, Ho Seok ao menos deu tempo do garoto fazer mais perguntas, apenas desligou a chamada e tomou o último gole do suco, levando o copo a pia e voltando pra sala.

- Switcher abusado.

. . .

[Dias depois...]

O Sol parecia sonolento naquele dia, mas isso não impediu que Nam Joon fosse trabalhar naquela cidade movimentada. Agora, avistava aquela grande estrela ir embora e deixar que a Lua agraciada por seus olhos brilhantes tomasse conta do céu escuro.

Em uma de suas mãos estava a pasta com sua papelada e um notebook de grande utilidade, na outra as chaves as quais abriu a porta de seu apartamento. Deixou a maleta de couro no sofá e foi até a cozinha onde buscou água com certa urgência no filtro.

Sentiu o celular vibrar no bolso da calça e pegou o aparelho com urgência. Ainda estava confuso sobre a ligação do namorado de YoonGi para si, mas desde aquele dia nenhum outro contato havia sido realizado. Aquilo o apavorava.

"Enviei um caso para que investigue, Nam Joon. É uma residência em Daegu, preciso de opiniões com urgência".

Ele revirou os olhos, não poderia ser todo aquele alvoroço e questões sobre sua posição dentro do mundo bdsm apenas para que seu emprego de corretor de imóveis fosse feito.

"Enviei naquele mesmo email ao qual me passou. Obrigado pela paciência".

Deitou no sofá e tirou os sapatos com os próprios pés, jogando o par pelos ares. Tomou o notebook ao colo e ligou um de seus animes para se distrair, o salgadinho de presunto era o lanche da noite até que tomasse coragem para comprar pizza por pura preguiça de cozinhar.

"O que acha da casa, Nam Joon? Preciso de respostas logo, é um negócio importante pra minha família".

- Que cara chato, eu nem tô no horário de trabalho! - Reclamou enquanto sentava corretamente. Os dedos engordurados teclaram logo o login e a senha do e-mail sujando o teclado novo, lembrava-se de ter passado o pessoal ao rapaz - Se ele precisava de algo profissional deveria ter me mandado no email pra tal, oras!

"A não ser que seja um segredo ou algo ilegal". Pensou rapidamente enquanto checava a caixa de entrada, seus olhos arregalaram, não podia ser.

"Fraudandi causa doloris*"
vídeo enviado por: J-Hope.

キム、私に憤慨しないでほしい。私はあなたが2人の現在の格子が許すより私の男の子が好きであることを知っています。このため私はあなたに贈り物を送ることにしました

(Espero que não guardes rancor de mim, jovem Kim. Sei que gostas de meu menino mais do que a atual relação dos dois o permite. Por esta razão decidi enviar-lhe um presente.)

O enviado texto em japonês deu um pouco de trabalho para Nam Joon traduzir, mas assim que clicou no vídeo pode ter certeza que haveria o dobro de trabalho para assistir até o final a punição de Ho Seok em Yoon Gi sem ficar em condições dolorosas.

Pegou o aparelho e andou até a "biblioteca" da casa, onde sentou-se de forma desleixada em uma das poltronas da decoração sofisticada, colocando o fone e dando play no vídeo.

. . .

Ho Seok já tinha tudo planejado para aquela noite, tinha dispensado seus quatro empregados e assim que o motorista deixou Yoon Gi em segurança, deu a mesma instrução ao rapaz que despediu-se respeitosamente de seu superior e deixou a casa.

Yoon Gi já havia desligado o chuveiro fazia vinte minutos e então decidiu que já poderia partir para o quarto do mais velho. Os coturnos com poucas correntes metálicas penduradas fizeram barulho suaves ao que o solado com salto baixo ecoava pelo granito branco da escada a cada degrau elevado.

Quando entrou no quarto, fechando a porta atrás de si, sorriu vendo Yoon Gi na posição pedida. O corpo com roupas leves e claras, ajoelhado e sentado nos calcanhares ao meio da cama, as mãos acomodadas uma acima da outra no colo.

Nem parecia a vadia que beijou um switcher. Até cogitava se Yoon Gi havia ficado com o baixista oferecido da banda japonesa que tinha um crush tamanho brat o Min se tornava com dois únicos copos de batida Sex on the beach.

O vídeo no colo de Nam Joon tinha um começo específico, a partir do momento onde Ho Seok adentrou o local, então não viu o Min trocando-se e nem Yoon Gi viu que estava sendo gravado, o dominador conversaria com ele sobre isso depois.

O de cabelos rosados sentiu demasiada vontade de olhar para o de cabelos negros, mas sabia que se o fizesse, receberia algo pior em troca.

Foi então que sentiu Ho Seok passar os dedos pelo contorno do seu rosto até chegar ao queixo, onde subiu o olhar tristinho do namorado pra si. Tão duas caras.

- Olhou pro Nam Joon assim também? - Um balançar de cabeça para os lados fez com que o semblante do moreno ficasse ainda mais sério - Te perguntei, Yoon.

- Eu nunca olharia pra ninguém como olho pro senhor - Respondeu baixinho, porém auditivo.

Os dedos apertaram a região da face com força, até um bico fofinho e desengonçado se formar e logo a mão de dedos compridos se afastou alguns centímetros antes de voltar com força. O tapa leve ali depositado ardia e Yoon Gi segurava uma risada masoquista, louco pelo que viria a seguir.

Porque adoraria que o chicote na mão de seu senhor fosse usado em si, da maneira que ele gostava. Porém aquilo era bom em situações normativas, sua mente vagava de volta a realidade: Ho Seok estava o punindo e não apenas usando seu corpo como ele gostava.

Jung caminhou até o armário e abriu as portas branco retrô, logo esticando o corpo para cima e pegando a caixa negra de mdf. Retirou a tampa e seu indicador passou pela corda enrolada de forma que não gerasse nós ou deformações no tecido vermelho.

Deixou a corda junto do anel peniano na beirada da cama e chamou o rapazinho com o indicador antes de apontá-lo para frente, na ponta do colchão.

Assim feito, Ho Seok adentrou os dedos gelados pelo copo de suco por dentro da camisa roxinha, apertou a cintura fininha e desceu os dígitos pela barriga saliente. Yoon Gi arrepiou quando o toque suave traçava da barriga para perto do cós do short molinho de ceda negra.

Os olhos pidões imploravam por um beijo caliente do jeito que o deixaria louco ao ponto de gozar sem um único toque em seu membro.

Ho Seok adorava ser desejado por aquele baixinho de cabelos rosas, seu ego explodia.

- O que você quer?

- Quero que me beije, senhor - E seus olhos cresceram, quase saíram das orbes, ao que foi calado quando o Jung atendeu seu pedido.

As línguas macias se acariciaram de forma lenta, mas Ho Seok tinha fome e vez ou outra aprofundava o carinho, seus dentes batiam levemente cada vez que o fazia.

E quando o selar foi interrompido, um gemido ecoou ao que seu rosto ganhou mais um tapa.

O pau de Nam Joon fisgou e se juntou ao gemido de Yoon Gi quando a voz de Ho Seok, ainda mais grossa que o costumeiro, carregou mais uma das perguntas.

- RM te beija assim também, Suga? - E mais uma negação com tratamentos de respeito foi dada. Sabia que o outro só lhe chamava assim quando estava irritado e Nam Joon não fazia ideia de como J-Hope sabia seu pseudônimo de cena - Eu deveria fazer aquele moleque atrevido ajoelhar nos meus pés e beijá-los por meia hora.

- Eu iria adorar beijar teu corpo, hyung - NamJoon murmurou embriagado com aquela cena, havia fechado as cortinas da pequena biblioteca sem largar o notebook por um único momento. Seus olhos brilhavam na imagem refletida da tela do aparelho naquele breu e ele não iria tocar-se até que encontrasse o momento certo para isso.

Yoon Gi subiu os braços acima da cabeça quando viu que o homem agarrava a barra da sua camisa roxinha e tirava o tecido. Dobrou com calma o tecido e colocou na poltrona atrás de si.

Antes que pudesse receber alguma ordem, o de cabelos rosa assistiu o dominador puxar as mangas da camisa social branca até os cotovelos e abrir o restante dos botões, deixando seu abdômen levemente definido amostra.

E Nam Joon era do tipo que adorava aquele estilo do Jung, pois pela manhã parecia um rapaz good vibes que espalhava alegria por onde passava - e era mesmo -, mas de noite, seus olhos alegres tornavam-se nublados, escuros e excitantes como o inferno.

Jung Ho Seok em uma cena podia ser capaz de disputar o trono do submundo com Lucifer.

As pernas se abriram ainda mais e a postura caiu, deixando-o torto na poltrona. Observou Yoon Gi dali, tão obediente como um cãozinho adestrado, olhando para baixo novamente e um pequeno bico nos lábios.

Não tinha certeza da cena que faria. Se pudesse, faria todas até matar o rapazinho, mas tinha algo nele que o envolvia, o deixava cativo daquela pele branca como neve.

Levantou novamente e no armário voltou a pegar a caixa, retirou dali a coleira negra e fina onde uma argola central dava acesso para a guia ser presa.

Prendeu no pescoço imaculado do fotógrafo e recebeu mais uma vez um agradecimento franco.

O designer de interiores pegou o chicote inutilizado até então e puxou a guia, deixando o rosado de quatro. Ao que o primeiro estalar foi ouvido, Ho Seok riu sádico e sorriu contido em seguida, voltando a pose séria.

- Sabe porquê está sendo punido, Suga? - Outra chicotada foi dada e um gemido de dor preencheu o quarto - Para aprender que como meu submisso, deve-me respeito.

- Sim, senhor.

O corpo não ardia tanto, já que os golpes acertavam sempre sob o tecido do short, mas pela posição, deixava vez ou outra exposta a pele avermelhando e traçando roxos de sangue interno.

Ho Seok amava quando sua mão enrolava a guia para deixá-lo empinado pra si.

Queria entalar o caralho duro ali naquele buraquinho, apostava com confiança que ele piscava pra si enquanto mais dez golpes eram aplicados, agora com mais força.

- Foram doze minutos dentro do banheiro, pelo que Nam Joon me disse no telefone.

- Foram os melhores doze minutos do mundo - Soltou baixinho após liberar seu membro da calça apertada. Queria tocar o pau necessitado, mas imaginava que de forma subentendida J-Hope mandaria em si também.

E o chicote voltou ao chão e ele desceu o short sem nenhuma delicadeza, exibindo a bunda farta coberta pela cuequinha rosa bebê. Combinava com os cabelos e com a gengiva dos sorrisos doces do Min.

Alisou a pele com força e apertou a carne, afim de fazer o outro sofrer um pouco e após isso deixou um tapa ardido, os dedos já marcado.

Ficou de joelhos no colchão e empurrou o quadril para frente, simulando uma estocada.

- Se tivesse ficado meia hora a mais ia dar pra ele, não é? Que nem a vadia sedenta que você é...

- Hobi- - engasgou com o choro baixinho. Como se o namorado fosse um tipo de bicho, sentia-se a preza indefesa, um coelhinho perto de uma grande raposa.

Sentiu o anel deslizando sobre seu pênis, o gelado do metal o deixou sensível por alguns minutos, mas ele logo estava queimando como brasa.

As mãos foram presas pela corda vermelha na cabeceira da cama e mais um tapa ardido foi depositado em sua bunda, agora extremamente empinada.

- Vou te comer até desmaiar, porque eu sei que você adora uma foda bruta, Yoon - Beijou as marcas avermelhadas e voltou a caixa negra no chão ao lado da cama, deixando a guia da coleira solta por uns instantes.

Min choramingou em antecipação ao ouvir o barulho do vibrador preencher o quarto. Ho Seok voltou a ficar de joelhos e lamubuzou bem a entrada piscante com lubrificante, contornando ali com o aparelho.

Aquele lubrificante em específico era um dos seus favoritos, tinha textura e cor de gozo orgasmático e cada vez que seus dedos preenchiam o orifício apertadinho e voltavam, mais sua mente viajava e imaginava seu pau o fodendo no lugar dos dígitos.

E não foi difícil trocar pouco tempo depois os dedos compridos pelo vibrador azul bebê que se encaixou ali de bom agrado.

Nam Joon deslizou a mão lentamente pela extensão do membro já dolorido. Sorriu ao que no momento que chegou ao final, Yoon Gi soltou um gemido longo e sofrido.

Ah sim ele queria muito ser Ho Seok... ou Yoon Gi, no final de tudo os dois sempre foram quentes pra qualquer um que olhasse de fora, queria foder com os dois se pudesse.

O vibrador trabalhando em sua próstata fazia o pau do Min doer, mas isso não impediu que Ho Seok proceguisse com sua pequena brincadeira.

Ficou em pé na cama após retirar os coturnos. Ficou entre os braços amarrados do garoto e sentou-se ali.

Abriu o botão da calça e liberou o falo rígido, o rosto de Yoon Gi quase colado em seu tronco, enquanto olhava pra baixo, impedido de ver o que o moreno fazia.

Encaixou com delicadeza a mão no pescoço branquinho, retirando a guia e apertando a coleira junto ao pescoço com força, direcionando a boca do rapaz até o caralho duro.

- Chupa bem gostosinho e eu te recompenso te comendo do jeitinho que você gosta.

A boca colorida de pêssego lambeu a extensão rapidamente, tinha dificuldades no trabalho por conta da deplorável situação que se encontrava. Mandava vibrações pro membro do dominador cada vez que ele apertava um botão no controle e aumentava a intensidade das ondas em sua próstata.

O pré-gozo vazando pelos lábios brilhosos junto dos olhos lacrimejantes poderiam levar o Jung a loucura em pouco tempo, mas ele tinha alto controle o suficiente enquanto tocava a garganta e segurava os cabelos rosas entre os dedos com força.

Conforme Yoon Gi engolia Ho Seok, Nam Joon acompanhava cada movimento com a mão no próprio pau melado de lubrificante. Os olhos revezavam entre manterem-se abertos apreciando a vista ou fecharem para ouvir com mais precisão os gemidos gostosos que os dois soltavam.

Ao que J-Hope percebeu Suga começar a tremer, sorriu contido. Diminuiu a velocidade do vibrador e desamarrou as cordas, recebendo o olhar agradecido em volta.

Logo após retirou o anel peniano e o acessório anal. Deitou o menino de barriga pra cima, deixou um selar simples na cabecinha do membro alheio e esfregou o dedo na entradinha sofrida antes de encaixar o membro ali e afundar-se naquele buraco quente e molhado.

As mãos prenderam-se para cima, entrelaçadas. A boca do moreno trabalhou em seus mamilos durinhos, melecando com saliva o local.

- Hobi - Gemeu baixinho enquanto seu corpo solavancava com as estocadas brutas.

- Geme meu nome, Yoon Gi. Mostra quem é o seu dono.

- Ho Seok - Sorriu ao receber um tapa no rosto.

Nam Joon acabou gozando em sua própria roupa, a camisa ficou manchada e ele gemeu alto. Raras vezes sentiu-se tão embriagado em prazer e a seção da punição de Yoon Gi nem havia acabado.

Continuou o carinho de forma lenta, overstimulation não era seu forte, era sensível e aquilo causava dores em si, mas se tocaria até que Ho Seok parasse também.

O moreno atingiu o orgasmo segundos após, preenchendo Yoon com sua porra enquanto masturbava o pênis do namorado que chorava sem parar.

- Posso gozar, senhor? - Recebeu um forte aperto na região e uma confirmação.

Não foi preciso dois movimentos e ali estava sua barriga rechonchuda pintada com o próprio orgasmo avassalador.

Ho Seok subiu com os lábios por ali, tomando do líquido até atingir os lábios maltratados do rosado e tomá-los em um beijo apaixonado.

- Vem, vou cuidar de você - Sorriu terno antes de pegar o corpo menor que o seu no colo e ir rumo ao banheiro, sentindo o gozo escorrendo pelas pernas do branquinho.

. . .

O vídeo tomando uma imagem preta e o símbolo de replay ao centro foi o que os olhos negros em luxúria de Nam Joon captaram após.

Diminuiu a tela e clicou no ícone de respostas, digitando o email do Jung ofegante.

"Re: Freudandi causa doloris"
Enviado por RM

"És maravilhoso pro Yoon, por isso ele gosta tanto do senhor. Obrigado por puní-lo, mas acho que como o bratzinho que ele é, vai acabar ficando com outros mais vezes só pra ser quebrado dessa forma de novo."

Levantou-se da poltrona e limpou-se no banheiro da casa com lenços umedecidos. Estava cansado e seu corpo solavancava com o vento gelado em contato com sua pele quente.

Voltou a biblioteca e pegou o notebook a fim de guardá-lo, mas outra resposta veio e ele sorriu ao ler J-Hope no titular.

"Re: Freudandi causa doloris"
Enviado por J-Hope

"Poderemos criar um contrato e fazer algumas cenas conosco, se quiseres, jovem Kim. Mas teremos outras oportunidades para discutir sobre isso, sou rigoroso em dividir minha preciosa posse.

Sobre a casa que quero comprar, eu não estava brincando, enviei no seu email profissional. Me mande opiniões, estou te contratando e espero que seja tão bom quanto me disseram.

Obrigado por cuidar do Yoon na festa, Nam Joon"



* Freudandi causa doloris (latim): Traição causa dor.

Detalhe importante: Essa fic tem um spin-off no livro "Homens e mulheres" disponível no meu perfil. Mostra o que aconteceu com os namyoonseok.

6 Octobre 2021 13:35:48 0 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
0
La fin

A propos de l’auteur

𝖋𝖎𝖛𝖊 𝖎𝖓 𝖗𝖔𝖒𝖆𝖓 Escritor é aquele que coloca em palavras o sentimento de alguém. Não possuo capacidade de ao menos externizar os meus e vivo em constante bloqueio criativo, portanto não sou escritor, mas um indivíduo quebrado. Você também pode me encontrar na plataforma laranjinha, onde sou mais ativa, sob o mesmo usuário.

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~