Histoire courte
0
668 VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

Capítulo Único

Olá pessoas como vão? então essa fic é o meu debut aqui nessa plataforma, eu espero que gostem muito e quero agradecer a linda da @Nanahoshi que betou ela pra mim! No mais é isso, sentem aí que lá vem história!!———————————————


Era um dia de chuva na agitada cidade de Gotham. Pessoas corriam para não se atrasarem para seus compromissos ou não se molharem, crianças brincavam de pular em poças d'água com belas capas de chuva e galochas das mais diversas cores e carros se amontoavam num grande engarrafamento. Na mansão Wayne, por algum milagre, a paz reinava. Bruce havia ido cedo para a empresa naquele dia, Selina tinha assuntos a resolver e os jovens filhos de Bruce estavam cada um para um lado. Dick havia saído com Kory, Jason tinha um compromisso com Roy naquele dia, Tim foi ao shopping com Stephanie. Damian era o único que não havia saído naquele dia por estar doente. Seu corpo estava extremamente quente devido à febre e ele estava reclamando mais do que o normal.

Pennyworth! A sopa vai demorar? Gritava Damian de seu quarto na esperança de que Alfred fosse ouvir.

Passados alguns minutos, Alfred surgiu no quarto, porém não havia nada em suas mãos. Antes que Damian pudesse fazer uma pergunta, o mordomo falou:

Patrão Damian, o senhor [Sobrenome] veio vê-lo.

Nesse instante, [Nome] adentrou o quarto um pouco molhado. Ao olhar para Damian, falou, preocupado:

Eu sabia que você estava ruim, só não sabia que era nesse ponto.

— [Nome]! Como sabia que eu estava doente? perguntou Damian, espirrando em seguida.

Eu liguei pra saber se dava pra gente sair.Alfred atendeu o telefone e me contou. Aí como você não pode sair, pensei em vir e te fazer companhia nesse dia de chuva.

Damian não queria admitir, mas ficara feliz que [Nome] veira. [Nome] era a única pessoa que realmente era amiga de Damian, e não se aproximara dele apenas por seu dinheiro ou por sua família ser uma das mais influentes em Gotham.

Alfred qual a temperatura dele? perguntou [Nome] ao mordomo.

Da última vez que eu medi, a febre dele estava em trinta e sete graus e meio. respondeu o mordomo de modo calmo

Teria algum problema se eu tirasse a temperatura dele agora?

Na verdade não. A última vez que eu tirei a temperatura dele foi há algumas horas.

— [Nome] você não vai tirar minha temperatura protestou Damian.

Por que não? Retrucou [Nome]

Eu não quero.

Damian, para de show que você tem dezessete anos nas costas e não cinco. começou [Nome]. E mais uma coisa: eu só vou apontar o termômetro pra sua testa e esperar ele apitar.

Tá bom falou Damian bufando. Chato.

Também te amo. respondeu [Nome] em tom debochado. - Alfred, onde está o termômetro, por favor?

Ele está no banheiro em cima da pia respondeu o mordomo apontando para porta do banheiro que havia no quarto.

[Nome] foi até lá para pegá-lo, deixando Damian e Alfred sozinhos por um breve momento.

Por que não interferiu? perguntou Damian a Alfred.

Ele se preocupa com você, patrão Damian. respondeu Alfred. Agora se me der licença, vou até a cozinha.

Alfred retirou-se do quarto e desceu rumo à cozinha, deixando Damian e [Nome] sozinhos no quarto.

Achei o termômetro! disse [Nome], animado. Agora vamos ver sua temperatura.

[Nome] ligou o termômetro e o colocou na cabeça de Damian. Após alguns segundos, o objeto começou a apitar e [Nome] se assustou ao ver a temperatura de Damian.

Meu Deus! Sua febre de trinta e sete e meio aumentou pra trinta e oito ponto três. falou [Nome], preocupado. Damian, se você não melhorar, eu ligo pros seus pais e peço pro Alfred levar a gente pra um hospital.

[Nome], você não acha que está fazendo tempestade em um copo d'água? perguntou Damian tossindo.

Não, não acho. respondeu [Nome]. A sua sorte é que eu sei exatamente do que você precisa para melhorar.

E o que seria?

Sopa, um banho morno e o clássico xarope.

Acha mesmo que isso vai funcionar? perguntou Damian de modo cético.

Sempre funciona. E enquanto eu for preparando a sopa, você vai assistir algo na televisão.

Por que não pede pro Alfred?

Eu tô afim de cozinhar hoje. respondeu [Nome] enquanto ligava a televisão do quarto colocando na Netflix. Agora escolhe alguma coisa pra ver.

[Nome] você nem sabe cozinhar direito retrucou Damian. Semana retrasada você quase explodiu a cozinha da sua casa tentando fazer um bolo.

Isso não vem ao caso. respondeu [Nome]. Agora, escolhe alguma coisa pra assistir ou eu juro por tudo que é mais sagrado que eu te jogo da escada. disse [Nome] tentando ser ameaçador.

Isso foi uma ameaça? perguntou Damian de modo debochado. Se foi, não adiantou. O máximo que você consegue é ser fofo.

Espera então você me acha fofo é? perguntou [Nome] em um tom malicioso, deixando Damian sem jeito.

Sim… Quero dizer Não! Só coloca logo em alguma coisa pra gente ver! respondeu Damian envergonhando.

Bom, tem que ser algo de comédia pra tirar essa carranca da sua cara.

[Nome], se você não parar, eu é que vou te jogar da escada.

Tá bom, senhor reclamão, Glee ou iCarly?

Eu tenho direito de reclamar! protestou Damian. Eu tô gripado em um dia de chuva. E eu prefiro iCarly.

Damian, meu primo de seis anos tem mais maturidade que você. Agora fica sem reclamar por dez minutos enquanto vou fazer a sopa.

Antes que Damian pudesse responder, [Nome] saiu do quarto e foi para a cozinha da casa no primeiro andar. Lá, encontrou Alfred preparando um chá.Alfred, me faz um favor.

Sim, senhor [Nome]. O que seria? perguntou o mordomo curioso

Meu empresta sua cozinha pra eu fazer uma sopa pro Senhor "Posso reclamar, pois estou com febre"?

Não foi você que quase explodiu a cozinha de sua casa tentando fazer um bolo semana retrasada?

Foi um acidente! E eu já melhorei! respondeu [Nome] fazendo um beicinho.

Você sabe fazer sopa?

Na verdade, eu sou mediano em nível culinário, mas posso aprender agora. Ele pegou seu celular, que estava no bolso de sua calça jeans, e fez uma pesquisa de voz. Como fazer uma sopa?

Aqui estão as melhores receitas. respondeu a voz robótica do aplicativo.

Quatro estrelas e meia. É essa receita que eu vou fazer!

Senhor [Sobrenome], só peço que não repita o episódio da sua cozinha. .

Relaxa Alfred. Dessa vez, nenhuma cozinha vai ser quase explodida. respondeu [Nome] com um sorriso no rosto. Agora eu vou ver os ingredientes necessários pra essa sopa.

O que ela pede? perguntou Alfred curioso e, ao mesmo tempo, receoso de sua cozinha ir pelos ares.

Macarrão, meia cebola, azeite, três dentes de alho, dez ramos de cebolinha verde picada, duas batatas, duas cenouras, um tablete de tempero sabor bacon e, por fim, um litro de água.

O senhor tem certeza de que não vai precisar de ajuda com nada? perguntou Alfred.

Na verdade, eu vou. O alho e a cebola tem que ser fritos no azeite em uma panela de pressão.

Bom. Podemos então começar a fazer a sopa? erguntou o mordomo.

Claro! Eu vou picando a cebola, a cenoura, a cebolinha e a batata.

Em questão de minutos,[Nome] já havia picado tudo. Ele espremeu o alho e, em seguida, entregou-o junto com a cebola para Alfred que os colocou na panela de pressão para fritar em uma panela de azeite. Instantes depois,[Nome] adicionou a água e, assim que ela ferveu colocou os demais ingredientes. Começou pelo macarrão, depois a batata e a cenoura, seguida pela cebolinha picada e por último o tablete de tempero. [Nome] pegou uma colher e começou a mexer a sopa até que a batata e a cenoura estivessem cozidas.

Nada mal senhor [Nome]. disse Alfred surpreso com o fato de que nada havia dado errado na receita.

Valeu Alfred, mas você me ajudou

Eu apenas coloquei o alho e a cebola para fritar. O resto o senhor fez sozinho. disse o mordomo. Suas habilidades na cozinha melhoraram e muito.

Obrigado. respondeu [Nome] sorrindo. Alfred, eu devo tampar a panela?

Sim, mas deixe que eu faço isso. Vá ver como o patrão Damian está.

Entendido. Eu vou aproveitar pra tentar convencer ele a tomar um banho pra baixar a temperatura.

Alfred assentiu e [Nome] se retirou da cozinha, e indo para o quarto de Damian novamente. Ao chegar lá, percebeu Damian rindo enquanto assistia iCarly.

Meu Deus! Você sabe rir. falou [Nome], fingindo surpresa.

Tem um sapato do lado da minha cama. Eu posso estar doente, mas garanto que consigo acertar ele na sua cara. retrucou Damian.

Ai que medo. debochou [Nome]. Agora vamos. A sopa tá quase pronta e você tem que tomar um banho pra ver se essa temperatura diminui.

Você não vai entrar no banheiro comigo.

Damian, no seu estado atual, eu duvido que você consiga dar seis passos sem cair.

Você está muito enganado! respondeu Damian, bravo. Eu consigo muito bem ir até lá.

Prove respondeu [Nome] em um tom desafiador.

Damian então rangendo os dentes, Damian levantou de sua cama e começou a andar rumo ao banheiro. Após alguns passos que deu com dificuldade, não aguentou e caiu. Porém, antes que seu rosto se encontrasse com o chão, [Nome] foi rápido o bastante para conseguir segurá-lo. Ele apoiou o braço de Damian em seu ombro e o ajudou a se sentar na cama.

Damian, eu vou pegar duas bermudas e duas camisas térmicas e a gente vai tomar banho junto Falou [Nome] em um tom autoritário. Se eu te deixar sozinho naquele banheiro, é capaz de você cair, e desta vez eu não estou brincando. Eu não tenho direito de protestar, né?

Nenhum. disse [Nome] indo até o guarda roupa de Damian para pegar uma bermuda e uma camisa térmica pra ele. Consegue se trocar?

Damian assentiu com a cabeça e [Nome] jogou as peças de roupa para ele vestir.

Eu vou me trocar no banheiro. Me avisa quando você acabar de se trocar que eu venho e te levo pro chuveiro.

Damian assentiu e [Nome] foi até o banheiro para poder se trocar. Após alguns minutos e um pouco de esforço, Damian conseguiu trocar de roupa e chamou [Nome], o ajudou a ir até o banheiro. Lá, [Nome] ajudou Damian a se sentar no vaso sanitário enquanto ajustava a temperatura do chuveiro para que ficasse morna.

[Nome] como que você sabia o que devia fazer comigo gripado? perguntou Damian espirrando em seguida.

Minha vizinha é pediatra e, como você tem a idade mental de uma criança de cinco anos, achei que ela seria a melhor escolha. respondeu [Nome] rindo.Damian mostrou a língua para ele. Agora vem crianção, a água está morna.

Na hora que eu melhorar, a primeira coisa que eu vou fazer é te dar um soco. disse Damian.

[Nome] colocou Damian embaixo do chuveiro para que a água ajudasse a diminuir a sua temperatura. Os dois ficaram em silêncio por alguns minutos até que Damian olhando para um vidro de shampoo, falou:

Lembra da brincadeira que fazíamos quando crianças?

Qual delas?

A de fazermos moicanos com shampoo durante o banho?

Clássica atemporal respondeu [Nome] rindo.

Que tal fazermos ela mais uma vez? disse Damian sorrindo de modo travesso.

Por que não? respondeu [Nome] rindo.

Damian pegou um pouco de shampoo. e passou no cabelo de [Nome] de forma a moldá-lo num moicano. Os dois riram e [Nome] fez o mesmo As risadas aumentaram e os dois, por um breve momento, se sentiram como se estivessem na infância novamente.

Esse momento precisa ser registrado. falou [Nome] rindo enquanto encarava Damian.

Concordo. respondeu Damian também rindo.

[Nome] saiu rapidamente do banheiro e enxugou suas mãos em uma toalha que havia ali. Ele foi até a pia e pegou seu celular e aproveitou para fazer uma carinha feliz no espelho do banheiro que estava com vapor. Ao voltar ao box, ele puxou Damian de modo delicado e então ligou a câmera frontal de seu celular para que pudessem tirar a foto. Ambos fizeram caretas para câmera.

Eu vou guardar o celular e a gente acaba de tomar banho falou [Nome]. Se o Alfred ver isso, ele mata a gente. Acrescentou rindo apontando pros moicanos.

Para que não desperdiçassem o shampoo, Damian sugeriu que já lavassem seus cabelos ali e [Nome] concordou. Depois de acabarem o banho, [Nome] pegou duas toalhas, uma para se enxugar e, com aoutra, ajudou Damian a se enxugar.

Eu vou no quarto separar algumas roupas pra você e vou colocar as minhas de volta.

[Nome], a gente veste praticamente o mesmo tamanho de roupas. Eu te empresto uma calça de moletom e uma camisa.

Nossa, se eu soubesse que o banho te deixaria menos chato mais cedo, eu teria te jogado aqui com o maior sorriso do mundo. disse [Nome] em tom de zoação.

Também te amo, idiota Respondeu Damian debochando.

[Nome] saiu do banheiro deixando Damian sentado no vaso sanitário. Ao ir até o quarto se trocou, pegou as roupas de Damian emprestadas e separou algumas roupas para Damian vestir. Ele voltou ao banheiro entregando as roupas a Damian e se retirou dali para que ele pudesse se trocar sozinho. Passados alguns minutos, Damian chamou por [Nome], que o ajudou a sair do banheiro e a ir até a cama.

Eu vou lá embaixo ver como a sopa está falou [Nome].

Foi o Alfred que fez não foi? perguntou Damian

Não, fui eu.

Aposto que envenenou a sopa.

Damian, fica quieto antes que eu te sufoque com as cobertas.

Antes que Damian pudesse retrucar, [Nome] saiu do quarto e foi rumo à cozinha, onde encontrou Alfred sentado à mesa bebendo uma xícara de chá.

Alfred. Deu tudo certo com a sopa?

Sim senhor, [Sobrenome]. respondeu o mordomo de modo simpático.

Eu vou colocar um pouco em um prato e dar pro Damian.

E se ele se recusar a comer? Perguntou Alfred curioso.

Ele vai comer. Por bem ou por mal, mas vai comer.

[Nome] pegou um prato fundo e colocou um pouco da sopa nele. Em seguida, subiu novamente até o quarto de Damian, que falou:

Você provavelmente envenenou a sopa. Eu não vou comer protestou Damian

Damian. Eu vou contar até três e você vai comer essa sopa. Senão eu enfio ela na sua boca a força. falou [Nome] em tom de ameaça.

Até parece que você tem coragem de fazer isso debochou Damian.

Antes que pudesse reagir, [Nome] enfiou a colher de sopa em sua boca. Damian Al Ghul Wayne disse [Nome] em um tom autoritário. Você tem duas opções: ou come a sopa ou eu viro o prato na sua boca.

Vendo a raiva de [Nome], ele comeu a sopa de bom grado. A sopa estava deliciosa, de forma que em poucos minutos, Damian comeu tudo, surpreendendo [Nome].

Rola repetição? perguntou Damian.

Achei que não ia querer mais desta "sopa envenenada". respondeu [Nome] fazendo aspas com os dedos ao falar as últimas palavras.

Até que não está tão ruim debochou Damian.

Você é chato. disse [Nome], pegando o prato de volta.

Também te amo. [Nome] mostrou a língua e foi até a cozinha fazer mais um prato para Damian, que comeu com a maior alegria do mundo. Depois, os dois ficaram algumas horas vendo séries sentados na cama de Damian, até que Alfred adentrou o quarto com um vidro de remédio.

Eu não vou tomar isso. É muito ruim falou Damian ao ver o remédio.

Patrão Damian. Para você melhorar, é necessário que tome este remédio disse Alfred.

Damian, para de ser uma criança birrenta por cinco minutos, vai.

Eu já disse que não! Esse negócio é muito amargo.

O que você quer pra tomar o remédio?

Que você tome ele junto comigo.

Damian, aí já é pedir demais também Falou [Nome]. Esse negócio é extremamente ruim.

[Nome] então olhou para Alfred, que devolveu pedindo para que ele tomasse o remédio também. [Nome], por mais que não gostasse do remédio e não estivesse gripado, decidiu tomá-lo também.

Alfred, você vai ter que pegar dois copos isse [Nome]

Alfred foi e voltou da cozinha com dois copos vazios e lá adicionou a mesma quantidade de remédio para que os dois bebessem.

Eu te odeio, sabia? alou [Nome] pegando seu copo com o remédio.

Será que me odeia mesmo? Ou na verdade me ama escondido? debochou Damian também pegando seu copo.

Os dois parem imediatamente com isso e tomem o remédio logo! falou Alfred de modo autoritário.

Ele que começou! disseram [Nome] e Damian ao mesmo tempo.

Eu contarei até três e os dois deverão tomar o remédio, entenderam?

Os dois balançaram a cabeça de modo positivo e Alfred começou a contagem. Assim que o mordomo chegou a um, eles viraram seus copos e engoliram o remédio. [Nome] e Damian desataram a reclamar do gosto amargo do remédio, fazendo Alfred soltar uma leve risada deles.

Se me derem licença, levarei os copos para cozinha. Qualquer coisa me chamem.

Os dois jovens assentiram com a cabeça e se sentaram na cama de Damian para ver alguma coisa.

O que vai ser? perguntou [Nome]

Escolhe alguma coisa [Nome].

Sei lá. Que tal A Escolha Perfeita?

Não tem filme melhor não?

Você me mandou escolher. Não enche.

Damian colocou no filme que [Nome] queria assistir e os dois se cobriram enquanto o filme começava. Passados alguns minutos, Alfred estranhou o silêncio na casa e foi até o quarto, preocupado com o fato de que ele e [Nome] poderiam ter se matado ali. Assim que entrou, Alfred viu algo que não esperava.

Damian e [Nome] dormiam abraçados. O mordomo riu e falou:

Esses dois falam que se odeiam, mas no fundo se gostam demais.

Alfred desligou a televisão e saiu do quarto deixando os dois dormindo. Porém, antes, pegou o celular de [Nome] e tirou uma foto.





























26 Septembre 2021 20:04:40 0 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
0
La fin

A propos de l’auteur

Blue_Bird 7 Ele/Dele Ficwriter e Helper Barraqueiro as vezes Refugiado do Spirit Amante de fandoms flopados e realites

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~