mariaedbranzoni Maria Ed. Branzoni

Impedida pelos pais de seguir seus sonhos a jovem bailarina é mandada para a casa do avô, encontrando lá algo que ela não sabia que havia perdido... Ela mesma


Romance Romance jeune adulte Interdit aux moins de 18 ans.

#liberdade # #amizades #Fazenda #cavalo #sotaquecaipira
0
476 VUES
En cours - Nouveau chapitre Tous les 30 jours
temps de lecture
AA Partager

Prólogo

Para Mariana balé era sua vida, seus pais eram contra, totalmente, onde já se viu uma garota como ela ao invés de seguir os passos deles resolver que queria uma carreira tão... tão baixa como dizia seu pai Otávio, o homem era um ex militar e agora prefeito de sua cidade... sua esposa uma modelo e atriz conhecida mundialmente insistia que a filha deveria seguir seus passos. Dona Oriana nunca se perdoou por colocar a filha em uma escola de balé, na cabeça dela a jovem se interessaria ainda mais por moda estando ali, mais não... Mariana queria fazer do balé sua profissão, seu trabalho, dançar era o que ela fazia de melhor.

- Querida sua mãe precisou sair pra resolver alguns assuntos de trabalho.

- E meu pai?

- Em reunião.

A jovem que mais uma vez tomaria café sozinha respira fundo, sua vida era assim, sempre sozinha em casa, quando nasceu de imediato seus pais contrataram babás para ela, a garota foi criada por elas e sua avó e então sem ter os pais por perto para chamarem sua atenção ela se tornou mimada, mas sua avó soube dar lhe uma boa educação e cuidou para que ela soubesse que os sonhos devem ser seguidos.

A única vez que tiveram uma refeição em família, os três a mesa, foi quando sua avó Magda faleceu e ela era o pilar para a garota, e é em momentos assim, sozinha que ela tem para lembrar da mulher que foi sua mãe e pai de verdade.

- Querida, tudo bem?

- Claro Nana, estou acostumada a ficar sozinha nessa casa.


É então que ela ouve a porta sendo aberta e seus pais entram discutindo.

- Ela é sua filha Otávio, fale com ela...

O casal para ao ver a jovem sentada a mesa

- Podem continuar, o que querem falar comigo?

- Vamos parar de pagar sua escola de balé, você vai trabalhar como modelo para nossa empresa.

Ao ouvir aquilo brutalmente ela se levanta, deixando seu garfo cair no chão e sua mãe a olha de cima a baixo.

- Vê se para de comer, está gorda, pro seu próprio bem iremos contratar nutricionistas, você irá precisar perder uns 10 quilos querida, está horrível.

Abaixando o olhar ela responde.

- Não, não vou sair do balé, vocês não tem esse direito

- Temos sim, somos seus pais, ou larga ou a mandaremos para a casa do seu avô.

- Ficaram loucos, vovô me odeia, nunca que vou para lá.

- Vai sair do balé?

- Eu não vou mamãe, papai por favor me ajuda.

- Arrume suas malas, seu voo sai amanhã de manhã e não é só pelo balé, você está se envolvendo em muitas polêmicas querida, invadir uma piscina privada foi a gota que faltava.

- Não invente desculpas mamãe, você me quer fora do balé e agora faz isso?

- Que bom que você entende rápido querida, agora vá arrumar suas coisas.

- Pai por favor, não podem fazer isso

- Sinto muito querida, vai doer mais em mim.

Sem dizer mais nada os dois sobem para seu quarto deixando a filha ali em prantos. A única coisa que ela sabia sobre o avô, era que o velho era um ranzinza que odiava ser contrariado, ela era sua única neta, mais infelizmente ele nunca a procurou pois sua mãe engravidou muito nova e ele nunca aceitou a filha ser mãe antes do casamento, seus pais diziam que o velho era um verdadeiro ignorante.

- Não chore minha filha, seus pais vão mudar de ideia.

- Não vão Nana, eles me odeiam, se meu avô nem se quer quis me conhecer, como vai me mandar morar naquela caverna que ele chama de casa?

- Ele não deve de se tão ruim assim, sua mãe que sempre foi cabeça dura, o velho Euzébio não teve culpa se ela sempre pensou com os pés onde não devia.

- O que quer dizer Nana?

- Converse com seu avô, explique a ele tudo o que lhe disseram dele e vai perceber que seu avô foi tão vítima quanto.

A menina então olha seu prato e Nana faz o mesmo

- Não vai comer, minha filha?

- Estou sem fome.

Subindo para seu quarto a garota deita em sua cama olhando o teto.


O que Nana quis dizer com seu avô foi tão vítima quanto?


- Mamãe não pode simplesmente me mandar para o fim do mundo e pensar que tudo ficará bem, eu nem se quer tenho uma foto do meu avô para saber quem ele é, não sei nada sobre ele a não ser seu nome, Euzébio...

Fala deitada em sua cama olhando o teto.

Ao ouvir batidas na porta de seu quarto ela encara o relógio e se espanta, eram quase 6 horas da manhã, o que iam querer com ela a essa hora.

Abrindo a porta ela não vê ninguém é então que ela olha para sua janela

- Sou eu abra aqui.

- O que faz aqui Domenico?

- Ouvi minha tia ao celular hoje a tarde, você está mesmo indo embora?

- O que?

- Só ouvi que você precisaria ir, mais nada, ela falava com sua mãe.

A jovem se joga na cama e Domenico deita com ela.

- É verdade?

- Eu pensei que eles mudariam de idéia, mais parece que isso não vai acontecer, que droga Don, eu não quero ir.

- Pra onde vai?

- Conhecer meu querido avô.

- Aquele que é fazendeiro?

Ela não responde e então deita no peito do rapaz.

- Você é meu melhor amigo, não tem nenhuma ideia?

Eles se calam ao ouvir passos no corredor.

- Espero que esteja com suas malas prontas Mariana, ande logo já estamos atrasados.

Ao ouvir sua mãe ela se levanta e enxuga o rosto tomado pelas lágrimas.

- Diga que não vai e pronto.

- Eu não vou desistir do que quero, só porque ela acha que eu devo ser como ela, cuide de Magda para mim enquanto eu estiver fora.

- É claro.

- Agora vá antes que ela entre aqui.

Eles se despedem com um abraço caloroso e o jovem desce pela escada de madeira.

- Danúbio leve a escada, se alguém ver...

- É claro, bem lembrado.

Ele pega a escada e a leva dali.

- Já esta pronta?

Sua mãe entra no quarto e a encara seria.

- Não vejo mala alguma?

- Vai mesmo me enxotar para fora de casa?

- Se esse for o único modo de fazer você entender que filha minha não nasceu pra usar sapatilhas e ficar pulando feito uma louca? Então sim, estou enxotando você, e só volte quando estiver ciente de que vai trabalhar conosco na empresa.

- Vou fazer minhas malas.

- É você quem está dificultando Mariana, diga logo que vai ficar na empresa e isso tudo acaba.

- Se for só isso que tem para dizer, pode me dar licença, preciso fazer as malas, o avião não espera.

A jovem desce com as malas escada abaixo e vê seus pais e Nana na sala a esperando.

Nana chora ao vê-la.

- Minha filha tome cuidado está bem?

- Vou tomar, prometo.

A jovem abraça a senhora e sai da casa indo até o motorista que a levaria ao aeroporto.


31 Août 2021 12:25:38 0 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
0
À suivre… Nouveau chapitre Tous les 30 jours.

A propos de l’auteur

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~