neodracht Thiago Silva

Após perder a mãe em um incêndio, Jonathan e seu pai se mudam para o outro lado dessa cidade um tanto quanto famosa. Jonathan não consegue dormir mais pois diz que se dormir, terá pesadelos pesados demais para uma criança, seu pai, um mestre em ciência e química, resolve fazer uma pequena experiência para ajudar nos traumas de seu filho. Após algumas seringas na pele de seu filho, Jonathan começa a ver os seus pesadelos literalmente surgindo diante dos seus olhos.


Horreur Horreur gothique Déconseillé aux moins de 13 ans.

#Terror
0
2.3k VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

Doutora H

Bam bam bam! Esse é o som que é ouvido devido as batidas na porta de uma cela de hospício. Em um longo corredor escuro, um guarda e uma psicóloga caminham. Cela por cela, aquele guarda dava três batidas em cada porta. Cada maníaco, cada insano estava sendo acordado com o som daquelas batidas. A psicóloga passa por todas aquelas celas, mesmo sabendo de todas as crueldades acumuladas naquelas celas…ela não sente qualquer medo. Após caminhar por aquele corredor escuro,ambos param em frente a uma cela."Jonathan Crane". Era o nome escrito naquele papel desbotado que estava naquela porta. O guarda abre a porta e um pequeno vento joga os cabelos loiros daquela psicologia sobre seus óculos embaçados."Boa sorte,senhorita. Que Deus esteja com você…você vai precisar". Disse o guarda para a psicóloga que não demonstrou nenhum tipo de reação, muito menos o medo. Com seu rosto sereno, ela entra naquela cela com um bloco de notas e uma caneta. O guarda fecha a porta. A psicóloga olha em volta, nas paredes tinham os resquícios de palavras sem sentidos que foram apagadas. Ao olhar para sua frente, Jonathan Crane estava sentado em sua cama virado para a parede. A psicóloga então senta no chão, observa ele e anota algumas coisas em seu bloco de notas."Jonathan?". Diz a psicóloga."Bom, como me sugeriram, eu não vou te dizer o meu nome. O motivo? Aparentemente todas as suas últimas psicólogas enlouqueceram e se mataram, menos uma. A sua última psicóloga não te disse o nome dela e se demitiu porque não aguentou o tranco. Então, você pode me chamar apenas de Doutora H". Novamente diz a psicóloga sem que houvesse qualquer reação de Jonathan. O silêncio predomina naquela cela por uns instantes. A doutora então observa em baixo da cama de Jonathan e vê um pedaço de trapo marrom."Me disseram que você chegou aqui com um trapo no rosto. Uma máscara feita de pano envelhecido de cor marrom". Diz a doutora. Novamente não há respostas e sendo assim a doutora se levanta e se aproxima da cama, ao se abaixar ela estica sua mão e pega aquela máscara suja e velha. Jonathan então olha para trás e em um movimento inesperado, ele pula em cima da doutora e ambos caem no chão. O guarda então abre rapidamente a porta da cela, puxa uma arma de choque para imobilizar Jonathan, mas a doutora manda ele não se mexer."Jonathan, eu sei oque deve estar se passando nessa sua cabeça e acho que esse seu ataque a mim foi devido ao significado que há nessas marcas de sangue nessa sua máscara. Talvez eu diga algo que te surpreenda, mas eu não tenho medo de você". Diz a doutora. Jonathan pega a máscara das mãos da doutora e volta para o seu canto. A doutora tentava olhar nos olhos dele, porém seus cabelos lisos escondiam seus olhos e a sujeira em seu rosto a impedia de ver suas emoções."Amanhã podemos conversar". Diz Jonathan."Com muito prazer, Jonathan. Amanhã eu estarei de volta". Disse a doutora ao caminhar para fora daquela cela.


25 Août 2021 23:29:15 0 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
0
Lire le chapitre suivant Recomeço?

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~

Comment se passe votre lecture?

Il reste encore 6 chapitres restants de cette histoire.
Pour continuer votre lecture, veuillez vous connecter ou créer un compte. Gratuit!