dae_gen Dae Gen

Jungkook foi sequestrado pelos Witch e um pedido nada convencional de resgate foi exigido à Jimin, quando eles acreditam que o fim daquele confronto havia chegado, esse novo dilema tortura os pensamentos do sacerdote que precisa decidir entre, seus poderes e tudo aquilo que conquistou como Hex, e seu amado, por quem renunciou a tantas outras coisas. Será que existe outra alternativa? E seus amigos conseguirão ajudá-lo nesse momento crítico? Uma última decisão ou uma última batalha Hex? Qual será o caminho que Jimin escolherá?


Fanfiction Groupes/Chanteurs Déconseillé aux moins de 13 ans.

#yaoi #mpreg #bts #ateez #got7 #deuses #drama #magia #fantasia #bruxos #taegi #jikook #namjin #saga
5
4.5mille VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

Água

Jimin chegou em sua casa, estava estranhamente quieta e escura, o que era muito estranho, já que Jungkook chegava bem mais cedo que ele. Entrou e acendeu as luzes, estava tudo arrumado do jeito que tinham deixado quando saíram pela manhã, ele não estava gostando daquilo, um mau pressentimento apertou seu peito.

Ele foi a passos lentos e silenciosos até o quarto do casal, estava tudo organizado, exceto por um papel em cima da cama. Jimin se aproximou e desdobrou aquela pequena carta.

“Espero que tenha tido um bom dia, senhor sacerdote.

Entretanto, achamos que seu namorado estava muito solitário.

Vamos te ajudar a melhorar seu relacionamento. Abdique de seu cargo e seus poderes ou Jungkook morre.

Se apresse, a lua cheia está chegando.

W.”.

Jimin piscou algumas vezes para digerir aquela mensagem escrita no pequeno pedaço de papel, seus dedos automaticamente o apertaram com um pouco de força, involuntariamente, seu corpo reagia àquele momento.

Sua garganta fechou, como se um nó se apertasse, tão forte que o ar não tinha espaço, seu nariz ardia, a ponta ficava avermelhada, sua visão foi ficando embasa, as lágrimas surgiam com velocidade, enchendo seus olhos, quase transbordando.

Conseguia ouvir as batidas de seu coração, o sangue pulsava quente de uma extremidade a outra, correndo por todo seu corpo deixando sua respiração pesada, densa, exaustiva.

Jimin sentiu quando a primeira lágrima caiu de seus olhos, escorreu por sua bochecha e pingou no chão, seu olhar se mantinha fixo na carta, mas não estava lendo mais, apenas processando todas as informações com muita relutância.

Seus braços cederam e seus dedos se abriram, deixando o papel cair no chão. Jimin sentiu quando suas mãos bateram nas laterais de seu corpo, suas pernas fraquejaram, estava em choque, seu cérebro tentava conectar todas aquelas palavras, buscando acreditar, porque até então, aquela frase estava entalada, sem ter sido completamente digerida.

Jimin piscou e suas lágrimas escorreram, ele respirou fundo, o ar entrou em seus pulmões, sua visão desembaçou, o quarto parecia acinzentado, foi como se as paredes se mexessem em sua direção, se fechando pouco a pouco, o ar entrava, mas não saia, ficava preso em suas vias respiratórias, ele abriu a boca, estava sufocado com sua própria angústia.

Suas pernas cederam e ele caiu de joelhos, ele precisou se apoiar em uma das mãos para não bater a cabeça e dar com a cara no piso frio. As lágrimas vertiam como em uma cachoeira, escorriam e pingavam de seu queixo, Jimin conseguia ouvir as gotas chocando com o chão, não haviam som saindo de sua garganta, o desespero e o barulho estavam em sua mente.

Seus pensamentos giravam, se esbarravam e embaraçavam uns com os outros. Os Witch. Jungkook. Uma emboscada. Morte. Poderes. Abdicar de tudo. Seus sentimentos se trançavam com suas ideias, se misturando em emaranhado em uma torturante sensação de incapacidade.

Jimin olhou para o papel no chão, desacreditado daquilo que tinha acabado de ler, seus pensamentos se juntavam como em um quebra-cabeça, ainda que doloroso, as palavras começavam a fazer um terrível sentido.

Os Witch estiveram ali. Eles sabiam que Jungkook estava ali. Eles o pegaram. Eles o levaram de algum jeito. Sem bagunça. Sem luta. Sem sangue. Não havia sinais de arrombamento. Aquilo foi planejado. Aquilo foi muito bem organizado. Era pessoal.

Jimin conectava seus pensamentos, mas não tinha força para acreditar no que aquilo representava, ele se levantou e olhou em volta, as paredes ainda se moviam contra ele, o ar escapava lentamente daquele ambiente.

Ele se apoiou na cama, o desespero vou escorrendo de seus olhos com as lágrimas, esvaziando sua mente daquele sentimento, deixando com que o ódio começasse a encher seu interior.

Jimin amassou os lençóis e revirou os olhos em fúria, sua expressão se fechou, seu semblante ficou sério, ele não estava tentando se controlar, apenas deixava os sentimentos emergirem como queriam.

O sangue fervia em sua veia, queria matar qualquer um que encostasse em um fio de cabelo de Jungkook, não existia certo ou errado em seus pensamentos, apenas uma única coisa, acabar com aqueles que sequestraram seu amado.

Os olhos de Jimin mudavam a tonalidade de azul, se misturavam como as gotas no vasto oceano, o ar saia quente se duas narinas, ele fervia de ódio, seu maxilar estava firme e seus dentes pressionados um contra o outro, a mandígula doía e pulsava, mas isso não era nada comparado a dor que sentia em seu coração.

A água na tubulação agitava suas moléculas, que vibravam cada vez mais, borbulhando e mexendo os canos, fazendo barulho contra a parede, como se o prédio todo tremesse.

Conforme a raiva em Jimin crescia, mais as moléculas vibravam e o prédio tremia, uma gota de sangue escorreu do nariz dele, pingando no dorso de sua mão, fazendo com que ele piscasse e olhasse para aquele ponto bordo em sua pele clara, o trazendo de seu torturante devaneio.

Jimin soltou o ar e relaxou o corpo, conforme ele abriu os olhos, de uma simples piscada, a água dos canos do prédio vibraram intensamente, rompendo a tubulação, fazendo com que vazasse água por todo o prédio pelos chuveiros, privadas, torneiras e até tomadas.

O som da água escorrendo fez com que Jimin se assustasse, seu coração batia rapidamente contra seu peito, que sua e descia intensamente tentando controlar sua respiração.

Jimin colocou as mãos em sua cabeça, entrelaçando os dedos pelos fios loiros, assustado e espantado co tudo aquilo, não tinha a mínima intensão de ter feito aquilo, mas não conseguira se controlar naquele instante, seu poder escapou por suas mãos como a própria água e causou aquele caos.

A água rapidamente tomou o chão o apartamento, carregando o bilhete e se espalhando por toda a superfície do chão, molhando os pés de Jimin o fazendo olhar para baixo.

Não demorou para que o síndico ligasse e informasse que estava havendo um vazamento geral em todo prédio e que, eles entrariam em contato assim que o problema fosse resolvido.

Jimin apertou os cabelos, havia causado aquilo, prejudicado todas aquelas pessoas e famílias, mas não conseguia se controlar, estava abalado, abatido, preocupado e com muitos pensamentos rodeando sua mente, não sabia por onde começar, mas tinha que arrumar aquela bagunça.

17 Août 2021 14:26:11 0 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
0
Lire le chapitre suivant Nem eu

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~

Comment se passe votre lecture?

Il reste encore 29 chapitres restants de cette histoire.
Pour continuer votre lecture, veuillez vous connecter ou créer un compte. Gratuit!