Histoire courte
6
3.8k VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

ZIG, O ALTRUÍSTA

Zig sempre tentou ajudar todo mundo. Se preocupava com o futuro das pessoas.

Tomava iniciativas mil, no intuito de melhor garantir um futuro mais seguro, àqueles dos quais tentava cuidar.

Zig acabava arranjando problemas, pois fazia o que achava ser melhor para todos os que o rodeavam.

Mas, ainda assim, não era compreendido, e muito menos reconhecido.

Zig perdia o sono e tinha dores no corpo, pois não entendia como tudo o que buscava fazer para espalhar o bem, se transformava em infortúnio.

Para Zig, foi muito difícil aprender que as pessoas não queriam ser ajudadas. Ou melhor, queriam, mas não demonstravam nenhuma reciprocidade.

Foi com dor e frustração que percebeu: ninguém dá valor ao que é facilmente obtido.

E que as pessoas descartam tudo o que por elas não é construído, ainda que se deem mal com as escolhas feitas.

Ele entendeu finalmente, que gratidão e memória são pouco difundidos.

E que não importava o quanto se esforçasse, as coisas não melhorariam.

Zig sofria muito com culpa e remorso.

Pobre Zig! Não cuidava de si próprio.

E as pessoas continuavam a criticar Zig.

Sobreveio então uma inspiração. Uma luz, ainda que tardia...

Zig não iria mais ajudar. Não iria mais importunar ninguém.

Mas também não se deixaria mais invadir e ser explorado.

Zig iria tentar viver sua vida... talvez ainda houvesse tempo.

Zig aprendeu a jogar...

19 Juillet 2021 19:24:58 4 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
8
La fin

A propos de l’auteur

Max Rocha Um Fantasma literário ou alguém que apenas gosta de escrever... me interesso por ficção histórica e científica, suspense, misticismo e mistério com um toque de humor. Às vezes enveredo pelo tom crítico e motivacional do cotidiano. Escrevo ouvindo música instrumental relacionada com o tema no Spotify, ao lado da Duda, minha cadela australiana de 5 anos. The Phantom (O Fantasma) foi criado por Lee Falk, em 1936.

Commentez quelque chose

Publier!
Elisângela Rezende Elisângela Rezende
Olá! Faço parte da Embaixada brasileira do Inkspired e estou aqui para lhe parabenizar pela Verificação da sua história. Enquanto lia seu conto imaginei a decepção do pobre Zig, ele sempre estava disponível para ajudar e ninguém reconhecia o seu esforço. Uma das coisas que mais me marcou no seu capítulo foi quando você escreve “Ele se preocupa com o futuro das pessoas”. Essa frase realmente me marcou. São tantas as vezes que isso acontece conosco na vida que não dá para contar. Eu realmente amei o Zig e se pudesse dar um conselho para ele, seria continue sendo quem é, embora as vezes nós desanimamos com a ingratidão dos outros, mas o importante é fazer aquilo que nos deixa feliz. Não se mude por causa disso siga em frente, haverá apenas satisfação sua por fazer o que gosta e apenas ajude a quem lhe procurar. Relaxe e não perca seu sono com quem não merece. Agora gostaria de falar sobre sua gramática e ortografia. Pessoalmente, achei que esse foi um dos pontos mais fortes da história. Senti como se meus olhos estivessem deslizando pelas palavras e foi muito fácil compreender todo o drama de Zig, graças a forma como você decidiu fazer a narração do seu conto, parabéns. Por fim você escreve “Para Zig, foi muito difícil aprender que as pessoas não queriam ser ajudadas. Ou melhor, queriam, mas não mostravam nenhuma reciprocidade”. Isso faz parte da natureza humana. No final do seu conto “Zig decide não mais ajudar”. Muitas vezes tomamos decisões assim drásticas para nos poupar de sofrimentos e explorações, isso é bem comum e você trouxe isso ao seu texto o deixando bem real, fazendo com que o leitor se identificasse com ele, até chegando a se achar o próprio Zig. Um até mais, autor. Espero que você continue escrevendo e que tenha muitos leitores e muitos comentários, porque sua história mais do que merece.
December 16, 2021, 19:23
LIPSTTER LIPSTTER
Andou observando minha vida, autor? Me identifiquei total. Caramba!
August 11, 2021, 15:49
Anjo Setsuna Anjo Setsuna
Zig sofreu um zag
August 09, 2021, 01:21
~