2minpjct 2Min Pjct

Jimin é apaixonado por Yoongi desde que o conheceu. Cansado de tentar fazer o mais velho lhe notar, Jimin resolve procurar por feitiços de amor na internet, acreditando que assim fará Yoongi corresponder seus sentimentos.


Fanfiction Groupes/Chanteurs Déconseillé aux moins de 13 ans.

#magia #sujim #bts #jimin #yoongi #yoonmin #minimini #minmin #sugamin #suji #2min #2minpjct
1
2.8k VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

Can I now hold that hand?

Escrita por: @subliminnie/@loftyjimin

Capa por: @TMessi/@ThalieMessi


Notas Iniciais: Fiquem cientes de que a história se passa quando Jimin e Yoongi eram crianças, portanto, o relacionamento deles é mais voltado a amizade com um pequeno toque de romance. Tudo dentro do limite da idade proposta.


~~~~

Quando estamos apaixonados, por vezes nos sentimos bobos. Algo dentro de nós se recusa a aceitar o quão vulneráveis ficamos em relação a outra pessoa. No momento em que esse sentimento perdura por tanto tempo, isso acaba nos marcando de alguma forma, nos mostrando que não importa quantos anos passem, aquilo que é verdadeiro sempre permanecerá.


Jimin se sentia exatamente assim quando se tratava de Yoongi, um menino de cabelos escuros que costumava chamar sua atenção toda vez que cruzava seu campo de visão. Em algum momento um sentimento diferente surgiu em Jimin,; ainda que tivesse se negado a aceitar, ele havia desenvolvido algo mais forte por Min.

Embora Jimin fosse apenas uma criança, com os seus oito anos de idade, já considerava ter um sentimento muito forte pelo garotinho três anos mais velho que ele. Por mais que fosse criticado por ser tão novo e já considerar tais sentimentos, nada que pudessem dizer tornava aquela afeição menos real.

— Jimin, vamos fazer algo diferente hoje, por favor. — Implorava Taehyung, sendo totalmente ignorado pelo menor. Não havia muito o que fazer dentro da escola, mas ficar atrás do garoto que Jimin gostava não era o tipo de diversão que o Kim esperava.

— Hoje não, Tae. Eu tô com um bom pressentimento. — Jimin seguia determinado, sem tirar os olhos do caminho que seguia.

— Você sempre diz a mesma coisa e ele sempre te ignora. Quando você vai parar de agir assim?

— Não esquenta, apenas olhe e aprenda. — Taehyung bufou em resposta. Ele sabia que era inútil tentar convencer o amigo, não existia ninguém mais persistente que Jimin. O maior se apoiou em uma das paredes próximas enquanto observava o garoto baixinho.

Park andou em direção ao moreno rodeado de amigos. O mesmo conversava distraidamente com os colegas, tornando a presença de Jimin incapaz de ser notada. Antes que pudesse pronunciar qualquer palavra, um dos meninos próximo a Yoongi o empurrou sutilmente, fazendo com que o mais velho dirigisse sua atenção para Jimin.

Como de costume, a conversa entre os dois não durou muito e, ainda que Park deixasse claro suas reais intenções, a única reação que obtinha do outro eram suas bochechas coradas, nada além disso. Sem ter com o que prosseguir, Jimin se despediu de Yoongi e logo retornou a Taehyung.

— Parece que não deu certo, não é? — questionou o maior com um ar de deboche.

— Eu não entendo ele… Quando eu me aproximo ele fica sem graça, mas mesmo assim ele encerra a conversa na melhor parte. — Jimin se recusava a desistir, porém estava cada vez mais cansativo não obter nenhum avanço em suas conquistas.

— Você vive perseguindo o garoto. Tem que aceitar que ele não quer nada com você, Jimin! — Taehyung odiava ter que fazer o papel de estraga prazer, mas uma hora ou outra alguém acabaria dizendo o mesmo a Jimin e nada mais justo que ele escutasse aquilo de seu melhor amigo. Pelo menos era o que Kim pensava.

— Certo… — Apenas uma palavra foi o suficiente para que Taehyung se arrependesse do que havia dito. Ele detestava ver o amigo triste e detestava ainda mais o fato de Jimin se sentir mais feliz alimentando uma ilusão do que vivendo a realidade.

Park suspirou e se pôs a andar em direção a saída do prédio.

— Espera. Não fica assim, ele não merece tudo isso. Só pare de perder tempo com quem não devia. — Jimin deu de ombros e continuou andando. Mesmo sabendo que Taehyung estivesse tentando o confortar, naquele momento Park se sentia triste demais para se sentir, ou até mesmo fingir, que estava bem.


Após tomar um merecido banho e pensar muito sobre tudo que já havia feito até aquele momento, Jimin se jogou no sofá e tratou de procurar algo que distraísse de suas paranóias. Talvez Taehyung tivesse razão e desistir fosse o melhor caminho. Ainda que fosse difícil admitir a derrota, Jimin começava ter a certeza de que Yoongi não queria nada com ele e muito menos começar uma amizade. Mesmo que algumas coisas o deixassem intrigado, diante de tantas tentativas falhas, ele teria de se render por mais que doesse.

Jimin acabou desistindo da televisão, partindo para sua segunda opção. Com o notebook em mãos, não via outra opção do que ler reclamações de terceiros no twitter. Isso o fazia perceber que adolescentes e adultos às vezes passavam pelo mesmo que ele. Uma vez ou outra ele lia artigos sobre como conquistar a pessoa amada e percebia que já havia feito tudo o que estava ao seu alcance.

Inicialmente ele não se considerava desesperado, mas ao cogitar a possibilidade de clicar no link tão chamativo e ao mesmo tempo sem sentido, fazia-o repensar sobre o quão necessitado estava. Ele fechou o aparelho por alguns segundos antes de abri-lo novamente. Ninguém podia vê-lo, estava sozinho em casa, mas ainda assim suas bochechas queimavam de vergonha pelo que estava prestes a fazer. Jimin havia aberto o link que mostrava uma ideia totalmente absurda, mas que parecia ser sua última chance: Se nada dá certo, talvez um feitiço de amor seja a solução.

O artigo prometia que tudo o que estava ali era real e que se seguisse a receita não teria erro. Para ter certeza, Jimin desceu a página até os comentários e por mais incrível que parecesse, todos tinham boas críticas. Após ler três vezes a receita, ele teve a certeza que estava desesperado. Por um momento ele riu da ideia, mas a decisão havia sido tomada.

Jimin andava de um lado para o outro tentando conter a ansiedade. Ele era o tipo de pessoa que precisava falar para que tudo ficasse organizado em sua mente, mas sabia que falar com as paredes não iria adiantar. Park correu até o celular, buscando pelo número do melhor amigo e torcendo para que o mesmo o atendesse de imediato.

— Taehyung! — Jimin falou mais alto do que esperava, assustando o rapaz do outro lado da linha e a ele mesmo.

— Chim, está tudo bem? Aconteceu alguma coisa?

— Eu vou fazer um feitiço! — Um silêncio se estendeu por longos segundos, até que a risada de Taehyung pode ser ouvida do outro lado.

— Você assistiu algum filme de bruxa? Ou aquela série que você gosta. Como é o nome mesmo?

— Sabrina. Mas isso não tem nada a ver. Eu li uma receita em um site, tinha vários comentários bons— falava Jimin com entusiasmo, enquanto Taehyung continuava rindo do outro lado. — Não ri! Isso pode dar certo.

— Esquece essa ideia, você ta ficando louco. — Jimin revirou os olhos em resposta, mesmo que o maior não pudesse vê-lo.

— Tae, vou desligar. Preciso terminar isso logo, tenho que dormir cedo.

— Mas Jimin, recém é uma da tarde! — Park não esperou para ouvir mais do amigo, ele desligou a chamada e se concentrou em seu objetivo.

Jimin corria de um lado para o outro na cozinha, precisava que tudo fosse realizado o mais rápido possível. Se sua mãe o pegasse mexendo em coisas das quais não tinha permissão, provavelmente ficaria de castigo por semanas. Ainda que fosse apenas um menino, ele era cuidadoso o suficiente e determinado o bastante para que executasse aquela tarefa da melhor forma possível. Em sua mente, se fizesse qualquer coisa que não estivesse naquela receita, seus resultados sairiam totalmente o contrário. Isso era o que motivava a fazer tudo com perfeição e paciência.


O menor estava parado ao lado do portão da escola aguardando a chegada de Yoongi. Ele esperava entregar o que havia feito para o mais velho antes que o mesmo fosse rodeado por seus amigos. Park sentiu seu ombro ser tocado, fazendo seu coração disparar de imediato. Jimin se sentiu aliviado e ao mesmo tempo decepcionado ao perceber que se tratava apenas de Taehyung.

— Que susto você me deu, Tae! — dizia o menorcom a mão em sobre o peito, a fim de sentir seus batimentos.

— Tá esperando o Yoongi? —perguntavaTaehyung em um tom provocativo.

— É óbvio, mas ele tá demorando muito. Daqui a pouco os amigos dele chegam. E se ele não vier hoje? Não vi se tinha data de validade.

— Calma, Chim. Daqui a pouco ele tá aí. Deixa eu ver o que você fez. — Sem esperar pela permissão do amigo, Taehyung pegou o pequeno pacote das mãos do mesmo e logo espiou por dentro para ver do que se tratava. Kim soltou uma risada alta, recebendo um olhar de reprovação do menor. — Toda aquela receita só para um biscoito?

— Claro, é só para ele comer. Não quero ninguém além do Yoon apaixonado por mim. — Jimin arrancou o pacote das mãos do amigo e por fim cruzou os braços, voltando a encarar o portão como antes.

— Ei… tenho que cont..

— Ele chegou! — disse o menor, interrompendo qualquer que fosse a conversa que Taehyung queria iniciar. Ele correu em direção ao moreno que cruzava a entrada da escola. — Bom dia, Yoon.

— Bom dia, Jiminnie. Você tá bem? — Jimin engoliu em seco e antes finalizar seu objetivo ele olhou para o amigo que mais uma vez os observava de longe.

— Eu trouxe algo para você. — Jimin estendeu o pacote para Yoongi, que o olhava esperando que o mesmo explicasse o que seria o tal presente. — Eu fiz alguns biscoitos ontem e queria uma opinião diferente da minha mãe e do Tae. Você poderia provar?

Mentiu.

— Claro, no intervalo eu provo e depois te digo como ficou. — Como dizia no site, o alvo do feitiço se apaixonaria pela primeira pessoa que ele visse. Por esse motivo Park não queria arriscar que Min colocasse os olhos em qualquer pessoa que não fosse ele.

— Não, Yoon… tem que ser agora ou vou achar que você está mentindo.

— Tudo bem, se isso te deixa mais tranquilo. — Yoongi desembrulhou o biscoito e logo mordeu uma parte razoavelmente grande.

Os olhos de Jimin brilhavam, o medo da verdade para qual ele já havia se preparado se tornava cada vez mais presente. Era naquele momento que Park desejava mais que tudo acreditar naquela fantasia, que tudo aquilo daria certo.

— Hmm… Você tem jeito para essas coisas. Ficou muito bom. Quando fizer mais, pode me dar outro, se quiser. — Park analisou o rosto de Yoongi antes que o mesmo fosse embora, procurando algum sinal de que o feitiço estivesse realmente funcionando.

Jimin não havia notado nada de diferente no mais velho, embora o site afirmasse que o resultado seria instantâneo. Por via das dúvidas, Park leu o artigo mais algumas vezes para ter certeza. Taehyung já estava ao lado do amigo quando percebeu o olhar cabisbaixo do menor. Ele não queria dizer que tinha avisado desde o começo, mas havia tentado de todas as maneiras possíveis fazer o amigo desistir daquilo.

— Qual é, Chim. Você sabia que não ia dar certo.

No fundo ele sabia o quanto estava sendo bobo por ter acreditado que aquilo realmente funcionaria. No entanto era algo que ele precisava se apegar. Quando novos vemos o amor de um jeito diferente, de uma maneira que os adultos não são mais capazes de sentir. De um modo puro e mais bonito. Com maior intensidade e verdade. Por esse motivo o amor que Jimin sentia por Yoongi era profundo, porque somente ele e mais ninguém sabia o quanto o garotinho de cabelos negros significava. Nele existia a vontade de cuidar, ser amigo e mimar do jeito que fosse possível.

Por fim teria de aceitar que não havia mais opções. Tudo que tentou foi em vão e mesmo que por um tempo tenha se convencido de que o mais velho havia chegado a corresponder seus sentimentos, estava mais do que nítido que ele havia se iludido.



Com o fim da aula, todos se encaminharam em direção a saída da escola. Assim como horas atrás. Jimin permanecia calado. Taehyung tentava iniciar diversos assuntos e até mesmo os preferidos do menor, porém nada tirava Park daquele estado. Antes que Jimin pudesse enfim tocar no assunto que evitava desde cedo, sentiu seu ombro ser puxado, girando-o rapidamente.

— Espera… — Yoongi estava apoiado com as mãos em seus joelhos, enquanto tentava recuperar o fôlego.

— Yoon, você está bem? — perguntou Park preocupado, ao mesmo tempo que passava a mão nas costas do mais velho.

— Eu preciso falar com você. — Jimin olhou em direção a Taehyung como se esperasse que o amigo soubesse o que estava acontecendo. Kim apenas deu de ombros e se afastou dos dois como de costume. — Vem comigo.

Min pegou o mais novo pelo pulso e o levou para longe das outras crianças. Por tanto tempo era Jimin quem sempre ia atrás de Yoongi, nunca o contrário. Não era de se estranhar que ele se sentisse inseguro sobre o que o moreno queria falar.

— Yoongi… fala logo, daqui a pouco minha mãe vem me buscar. — Jimin batia o pé impaciente ou por estar nervoso, provavelmente os dois.

Yoongi cerrou os punhos e fechou os olhos com mais força do que realmente era preciso. Jimin não entendia o que estava acontecendo, mas Min apenas estava juntando coragem dentro de si.

— Eu gosto de você! — exclamou.

Os dois meninos ficaram parados durante segundos em silêncio. Jimin havia repassado aquela cena milhões de vezes em sua mente e como reagiria, mas naquele momento ele não conseguia fazer absolutamente nada.

— Desde quando? — Por fim, perguntou.

— Jimin, sua mãe chegou. Temos que ir. — Taehyung acabou por interromper a conversa. Vendo que Park não havia feito menção em se mover, Kim o puxou pelo braço, ignorando o menor que pedia para que ele esperasse mais um pouco.

Por todo o tempo que estavam no carro, Jimin ainda tentava assimilar tudo. Era nesse momento em que ele repassava todas as vezes em que falou com Yoongi, tentando encontrar algum sinal que o mais velho tivesse dado e ele não percebeu.

— Chim, você está bem? — A voz de Taehyung o tirou de seus pensamentos, até então ele não havia se dado conta na agitação em sua perna.

— Deu certo, Tae! — Jimin gritou ao mesmo tempo em que abraçava o amigo. Ainda que o mesmo não fosse a favor de alimentar ilusões, retribuiu o ato sem questionar.

Taehyung não se esforçou para tentar convencer Jimin novamente de que ele estava com uma ideia errada sobre aquela situação. Ele estava dividido entre deixar que seu amigo continuasse feliz, ainda que acreditando em algo que não existia e em contar a verdade, sabendo que o mesmo faria perguntas que não poderia responder.

Ainda que não houvesse conseguido a resposta que queria de Yoongi, Jimin se sentia feliz o suficiente apenas por saber dos sentimentos do mais velho.



Durante aquela semana inteira Yoongi havia se tornado mais presente na vida Jimin. Não que antes ele não fosse, já que o mais novo fazia questão de iniciar qualquer tipo de conversa com o mesmo todos os dias. No entanto tê-lo a cada dia mais próximo, passando o tempo com os dois garotos e ainda mais com Jimin, era algo novo e significativo.

Até então Park não sabia o quanto tinha em comum com o mais velho. Em algum momento ele teve de admitir que sentia medo de não alcançar as expectativas de Min. Receio que ser cansativo, chato e desinteressante. Coisas que para sua pouca idade poderia se tornar um fardo.

— Jimin, pede para sua mãe deixar a gente ficar na sua casa. Eu tenho um monte de jogos novos.

— Hmmm, eu não sei… ela já reclama de me ter lá, diz que eu faço bagunça. Imagina nós três. Ela ficaria louca. — dizia Jimin enquanto levava o sanduíche a boca.

— Você não devia fazer tanta bagunça, Jiminnie. Quero ir na sua casa também e jogar. — Yoongi entrou na conversa, tentando provocar minimamente o garotinho ao mesmo tempo que apertava suas bochechas.

— Eu não faço bagunça, eu juro! Vou ver com ela e aviso vocês. Vai ser tipo nossa primeira festa do pijama.



Os três aproveitaram o tempo em que a mãe de Jimin havia ido ao mercado para correrem pela casa. Park volta e meia gritava para que os dois meninos tomassem cuidado por onde passavam e logo se juntava a eles, tendo que repreender a si mesmo algumas vezes. Quando Taehyung esbarrou em um dos vasos caros postos no canto da sala, Jimin decidiu que era hora de irem para o quarto. Se algo aparecesse com algum arranhão, os dois amigos teriam de ir embora e possivelmente não voltariam tão cedo.

Yoongi foi o último a entrar no quarto, então se permitiu desacelerar o passo para dar uma boa olhada no cômodo. Aquele era um lugar pessoal, era onde Jimin passava horas, era ali que ficava toda sua essência. Ele se lembra que o mais novo comentou que gostava de gatos, havia diversos adesivos e desenhos sobre as paredes e armários, desde filhotes até gatos adultos. Min não conseguiu conter o riso, ele achava extremamente fofo o amor que Jimin tinha pelos felinos. Ele recordou também que em algum momento, quando Jimin usava um de seus blusões de tecido felpudo, ele se assemelhava a um dos filhotes peludos na parede.

Jimin tinha uma pequena coberta amarela sobre a cama, ela não se misturava junto das outras o que indicava que o mais novo a usava para abraçar durante a noite, algo que o fazia se sentir seguro. Ao perceber que Yoongi encarava a coberta por tempo demais, Jimin rapidamente a escondeu debaixo do travesseiro. Os dois se olharam com timidez. Não era a intenção do mais velho invadir a privacidade do outro e ainda que estivesse envergonhado, ele havia gostado de descobrir aquele pequeno detalhe sobre o mais novo.

Desde que os dois haviam ficado mais próximos, não faltava gentileza de Yoongi, que fazia questão de ser mais agradável do que de costume com Jimin. Isso estava evidente para Taehyung, que ao pedir um pouco do lanche que o mais velho havia levado, teve de insistir mais de uma vez para que o mesmo cedesse. Kim não se importava com o comportamento de Yoongi, ele tratava seu melhor amigo como ele merecia, um pequeno príncipe.

Já Jimin não se sentia tão confortável com a situação como aparentava, por toda aquela semana ele estava com algo em sua mente. Ele se sentia mal por tentar forçar Yoongi a corresponder seus sentimentos, aquilo era errado e ainda assim ele foi capaz de fazê-lo. Agora Min estava preso a ele por conta de um feitiço que ele nem ao menos sabia como desfazer.

No primeiro momento pareceu a melhor ideia de todas, mas ver aquele garoto o tratando melhor do que realmente merecia, fazia-o se sentir culpado. Antes que acabasse chorando, Jimin se levantou e correu para os fundos da casa. Ele não sabia como contaria o que fez, não sabia se isso mudaria algo para Yoongi e certamente não sabia se o mais velho o odiaria depois disso.

— Chim… por que você tá chorando? — Taehyung sentou-se próximo ao menor, dando-lhe um abraço de lado.

— O Yoongi não gosta de mim de verdade, Tae… — Jimin fez uma pausa para secar as lágrimas que desciam por seu resto antes de continuar. — Ele tá assim por causa do feitiço.

— Jimin… — Taehyung suspirou. Ele pensava que com a aproximação dos dois, Jimin não se preocuparia mais e esqueceria o tal biscoito encantado.

— Feitiço? — Os dois garotos viraram rapidamente para trás. Yoongi estava parado atrás deles com uma expressão confusa.

Jimin e Taehyung se olharam antes de levantarem e irem em direção ao mais velho.

— Yoon… Eu preciso te contar uma coisa.

— Jimin, não! Você não fez nada, já falei que isso não existe. O Yoongi sempre gostou de você, não tem nada a ver com o biscoito — Jimin olhava para Yoongi e Taehyung, esperando que algum dos dois explicassem.

— Desde quando você sabia?



Após desligar a chamada com Jimin, Taehyung optou por ir até a quadra de basquete que ficava próxima a sua casa. Visto que o amigo estava ocupado, ele precisou se enturmar com os outro meninos. Era estranho sair por aí sem Jimin, os dois se conheciam desde que nasceram, praticamente. Isso reforçava a falta que Taehyung sentia do amigo quando ele não estava, ainda que o jeito excêntrico de Park o incentivasse a fazer coisas estranhas, como um feitiço, era isso o que Kim gostava nele.

Como grandes amigos, eles se entendiam como ninguém e por esse motivo Taehyung sabia que quando Jimin se empenhava em algo, era porque aquilo se fazia importante para o menor. Sendo assim, ele fazia tudo para não tirar o menino de seu foco, até se isso significasse ficar um tempo sem seu melhor amigo.

Taehyung olhava o jogo da arquibancada, esperando pela troca de times, para que pudesse tentar entrar em algum. Fazia algum tempo que ele não jogava, então tentava o máximo gravar as jogadas que mais chamavam-lhe a atenção.

— Taehyung? — Uma voz familiar o tirou de seu foco. Yoongi estava parado ao seu lado, enquanto mexia nervosamente em sua garrafa de água.

— E aí, Yoongi. Tudo bem? — Não era a primeira vez que se falavam, mas também não podia dizer que eram próximos. Eles apenas trocavam cumprimentos quando Taehyung resolvia acompanhar Jimin em suas investidas.

— Tudo sim… — Yoongi se aproximou lentamente de Taehyung e sentou-se ao seu lado. — O Jimin veio com você?

— Oh… o Chim? Não, ele ficou em casa fazendo… umas coisas. — Taehyung teve que conter o riso ao lembrar dos motivos por Jimin ter preferido ficar e por Yoongi estar justamente perguntando por ele.

— Ele gosta mesmo de mim? — A pergunta pegou Kim de surpresa. Estava confuso se deveria responder aquela dúvida do mais velho ou se deveria ficar calado. Ainda que Jimin não medisse esforços para demonstrar que gostava do garoto de cabelos escuros, parecia que para aquele não estava claro.

— Por que querer saber?

— Porque… eu também gosto dele. — Mais um olhar surpreso foi dirigido ao mais velho, que permanecia encarando a garrafa de plástico. — Já faz um tempo, sabe? Foi um pouco depois que vocês se mudaram pra cá...

— Conta pra ele! — Yoongi levantou a cabeça rapidamente para encarar o garoto que agora estava de pé em sua frente. — Ele gosta de você faz tempo e você nunca disse nada. Tem que contar!

— E se ele achar que eu tô mentindo? — Taehyung revirou os olhos. Às vezes ele agradecia por nunca ter gostado de alguém, para ele, o amor deixava as pessoas burras. No entanto a desconfiança era algo provável, já queYoongi foi idiota o bastante para não demonstrar seus sentimentos.

— Isso não importa. Se você não contar, eu conto. — Kim deu seu ultimato antes de deixar o moreno sozinho na arquibancada e ir se juntar aos demais garotos.



Mesmo que os dois tivessem contado tudo que Jimin queria e precisava saber, o mesmo parecia continuar confuso.

— Então quer dizer que eu chorei na massa de biscoito pra nada? — questionou Jimin, aparentando estar decepcionado, enquanto Taehyung ria da expressão perplexa de Yoongi.

— Eu comi um biscoito que tinha suas lágrimas? — Por fim Yoongi perguntou, fazendo com que Jimin se desse conta do que havia revelado.

— Olha, não é qualquer lágrima. Eu tive que assistir muitos vídeos tristes para conseguir chorar, tá bom? — dizia Jimin convencido de aquela era uma ótima desculpa.

— Era esse o ingrediente secreto? — Taehyung não conseguia conter o riso e nem sequer fazia esforço para isso, fazendo com que os dois meninos rissem também.

— Ei, crianças! — chamava a mãe de Jimin , enquanto se aproximava dos três. — Vamos aproveitar a luz do sol e tirar um foto.

É esse tipo de amor que os adultos não são capazes de entender e nem sentir mais. O amor que envolve o carinho e a amizade, sem a intervenção do ciúmes, da insegurança. Jimin e Yoongi eram amigos, pequenos amigos que tinham um carinho mais especial um pelo outro, mas nunca nublando a ligação inocente entre eles. Mãos dadas, beijos na testa e abraços, coisas que os dois se permitiam compartilhar com Taehyung também.



Jimin encarava o álbum de fotos em sua mão, focando naquela imagem que lhe trazia diversas recordações e sensações. Ele temia guardar aquela imagem e acabar esquecendo daquela parte incrível de sua vida.

— O que está fazendo? — Jimin foi envolvido pelos braços do namorado, que se aconchegava ao seu lado no sofá.

— Estava vendo as fotos de quando eu era criança, aí eu encontrei essa. — O loiro mostrava ao mais velho a fotografia. Yoongi colocou a mão sobre a de Jimin, de um modo em que pudesse segurar a foto sem se afastar do mesmo.

— Eu lembro desse dia. Foi na época em que você tentou me envenenar com as suas lágrimas. — Yoongi soltou uma risada ao receber um tapa de Jimin, que fingiu estar ofendido com a fala do namorado.

— Não era veneno, seu idiota. Era uma poção do amor.

— Bem que eu achei meio salgadinho. — Yoongi recebeu mais um tapa do mais novo, que tentava não rir das coisas idiotas que ele ouvia. — Mas sabe que não precisava e nunca precisou disso. Não tem como não se apaixonar por você, Jimin.

Por fim Jimin conseguiu entender a força que a palavra "apaixonado" tinha, quando não restou dúvidas e a necessidade de estar perto de Yoongi falou mais alto. Houve um tempo que ele pensou ser apenas uma ilusão infantil, quando adquiriu mais idade. Entre momentos bons e ruins, brigas e conciliações, ele enfim percebeu a diferença do que eles sentiam antigamente para o que ele começou a sentir quando um pouco mais velho. Jimin sempre amou Yoongi e vice versa. Um amor que teve diversas fases e todas se tornaram uma experiência e tanto para os dois jovens.

8 Juillet 2021 19:54:43 0 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
1
La fin

A propos de l’auteur

2Min Pjct Projeto de fanfics do shipp Yoonmin (Yoongi & Jimin) do grupo sul coreano BTS. Nos encontre também no Wattpad (https://www.wattpad.com/user/2MinPjct), Spirit (https://www.spiritfanfiction.com/perfil/suji05), ao3 (https://archiveofourown.org/users/2minpjct) e twitter.

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~