lalysss_ Lys

Taehyung é um ser apaixonado, apaixonado pelas flores e por Jung Hoseok, mas seu amor não é correspondido. Rosas no estômago surgem e seu amor só aumenta, será que Hoseok irá retribuir seu amor para salvá-lo •| Oneshot |• •| Vhope / Taeseok |•


Fanfiction Tout public.

#shortfic #sadfic #hanahakibyou #romance #taeseok #vope #hoseok #taehyung #bts #vhope
Histoire courte
1
1.6mille VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

Rosas amarelas

O jardim que continha roseiras espalhadas por toda parte, com um caminho de pedra que ia em direção a árvore mais bela de todo o local era o lugar preferido de Taehyung que sempre sonhou em ser florista.

Seu amor pelas flores surgiu após a morte de sua mãe há 8 anos atrás quando tinha 15 anos. Taehyung sofreu muito após a morte dela e as flores o ajudaram a superar o luto.

— Taehyung! — exclama Hoseok, seu melhor amigo — você se perdeu de novo?

Ele se aproxima sorridente e lhe dando um abraço forte.

— Desculpa, me distrai.

— Você anda muito distraído ultimamente, está apaixonado?

Aquela pergunta fez o mais novo corar, ele não sabia mentir, no entanto não tinha coragem de entrar nesse assunto com seu amigo.

— Não, eu só estava pensando demais...

— Sei.

Eles andaram até a grande árvore que era realmente enorme, a maior da cidade de Daegu e se sentaram abaixo da sombra dela.


★°•★°•★°•


Taehyung conheceu Hoseok no ensino médio desde então nunca se desgrudaram e mantém essa amizade. Hoseok é mais velho que ele um ano e por ser mais velho ele sempre gostou de cuidar do seu dongsaeng.

Talvez o grande problema seja esse apego que eles criaram um pelo outro que fez Taehyung se apaixonar perdidamente pelo mais velho. Nunca teve coragem de contar a verdade e é algo que machuca seu coração. Há tantas dúvidas em sua mente ainda pois esse tal sentimento é recente.

Hoseok apareceu na vida de Taehyung como seu anjo da guarda, fora ele quem o incentivou a cultivar flores no pequeno quintal de sua casa e isso o ajudou muito.


★°•★°•★°•


— Ando pensando aqui... — Hoseok quebra o silêncio fazendo Taehyung lhe encarar — o que acha de sairmos com a Jennie e a Jisoo amanhã à noite, hã?

— Claro... — ele desvia seu olhar para o horizonte que era bonito de se ver, pois mostrava o caminho de roseiras.

— Tae... você está tão desanimado, não quer conversar?

— Estou bem, hyung. Não se preocupe.

— É claro que me preocupo, eu amo você seu bobo — ele o puxa e se deitam na grama com Taehyung deitado sobre o braço de Hoseok — sabe que pode contar tudo, né?

— Sei sim. Se eu precisar, falo com você — Ele sorri e os dois voltam a ficar em silêncio.

Taehyung amava quando eles ficava daquele jeito, sentindo a brisa do fim de tarde junto ao cheiro bom de Hoseok. Mesmo que nunca tenha coragem de confessar seu amor, ele tentava se conformar com esse sentimento, por mais que às vezes seja avassalador vê-lo sair com uma garota que nem gosta dele.

Essa garota é Jennie, não é uma má pessoa, mas ele sabe que o sentimento dela não é recíproco. Já Hoseok a ama com todas as forças e o mesmo já disse que daria sua vida por ela.


°•» No dia seguinte «•°


Taehyung se arrumava para o encontro que teria daqui há alguns minutos e ele está atrasado. Depois de muita indecisão, escolhe uma camisa social azul celeste e uma calça jeans de lavagem escura. Depois de aprovar seu look, ele pega um táxi e vai em direção ao restaurante da família da Jennie onde provavelmente receberia reclamação do amigo por ter atrasado, esse ritual até virou rotina para os dois.

Assim que chegou, fora recebido bem, Hoseok parecia mais animado do que o normal tanto que não ligou para seu atraso. Ele estava muito bem vestido com camisa social preta que lhe valorizava muito, uma calça jeans preta justa que o valorizava muito. Estava lindo.

Eles jantaram e como não havia muito assunto, grande parte do jantar fora em silêncio até que Hoseok finalmente resolve falar.

— Essa noite é muito especial para Jennie e eu — ele sorri e segura a mão da garota — hoje é nosso terceiro aniversário de namoro e é ainda mais especial, não é amor?

— Sim — Jennie confirma sorrindo.

— Queríamos fazer uma festa, mas Jennie achou melhor uma comemoração pequena...

— Comemoração? — Taehyung pergunta o interrompendo.

— Sim — Hoseok sorri e segura mais forte a mão da amada — vamos nos casar!

Taehyung parecia paralisado, seu coração se despedaçou e milhões de pedaços. Antes que chorasse ali, ele se levantou e encarou o amigo com um olhar decepcionante. Sai correndo sem pensar muito, deixando todos sem entender.

Ele correu pelas ruas rumo ao único lugar que lhe fazia bem, o jardim das roseiras. Chorou todo o caminho como se fosse uma criança.

Sempre soube que o sentimento nunca seria recíproco, mas aquilo foi demais para seu coração que agora estava machucado.

Sentia uma dor forte no estômago, mas não podia parar. Sua voz embargou e ele sentiu sua garganta arder como se houvesse algo entalado. Ele tossia e chorava ao mesmo tempo e quando enfim chegou no jardim um trovão ressoa pela cidade e um clarão enorme t conta do lugar por alguns instantes.

Uma chuva com raios começava, era perigoso estar naquele local, mas não podia voltar, não se sentia capaz de olhar de novo nós olhos de Hoseok sem se sentir completamente vazio e quebrado.

Ele adentra no jardim sem se importar caso for atingido por um raio, corre até a árvore gigante e senta-se ao lado dela. Ele começa a tossir fortemente, algo dentro dele queria sair. Depois de um tempo tossindo sem parar, finalmente consegue cuspir, era sangue e junto a ele uma coisa estranha, era macia como uma... pétala de rosa!


★°•★°•★°•


Desde aquele dia, Taehyung não foi mais o mesmo, isso acabou preocupando Hoseok que ainda não entendia o surto do amigo naquele dia. Ele tentou entrar em contato, mas Taehyung não respondia suas mensagens, não falava com os amigos há dias. "Talvez ele precise de um tempo" pensou Hoseok, mas aquilo estava ficando muito preocupante, ninguém passa um mês sem dar sinal de vida porque o amigo vai se casar.

Foi até sua casa, mas não o encontrou lá. Era realmente preocupante, pois o mais novo não poderia ter ido a casa de um membro da família já que Taehyung é odiado por todos eles desde que se assumiu gay.

Hoseok era praticamente sua única família e seu único amigo, talvez tenha sido demais para ele, talvez tenha se sentido largado. Ao menos era isso que Hoseok queria acreditar.


★°•★°•★°•


A localização de Taehyung é desconhecida por todos, ao menso é isso que ele espera. É verdade que ele não tem muitos conhecidos, exceto Jimin, um amigo que ele conheceu pelo amor às flores.

Se conheceram em uma feira de floricultura e mantiveram contato. Não era um amigo próximo, mas, no momento, era o único que podia contar.

— AGR! — resmunga Taehyung.

— Tae... eu preciso levar você ao médico! isso não é normal! — Jimin exclama.

— Não! — ele tosse — por favor... — o olhar de Taehyung era de desespero, não sabia o que acontecia consigo, mas não queria encarar a vida lá fora. A vida que ele não pode viver com Hoseok, a vida que seu grande amor vai viver com outra pessoa.

— Ah... tudo bem — Jimin pega lenços quentes e molhados e coloca na cabeça do amigo.

Ele tinha febre, seu corpo doía, mas a coisa mais curiosa que acontecia era quando ele tossia. Pétalas de rosas saia de sua garganta junto a muito sangue. Era algo horrível de se ver.

— Você tem ideia de que doença é essa? — Jimin pergunta.

— Não...

— Deixa eu... — ele pega seu notebook e pesquisa "doença de cuspir flores" e achou.

"Hanahaki byou é uma doença que em tradução literal significa 'Doença de cuspir flores' . Diferente das outras, a doença tem como origem o amor não correspondido. Quando se ama alguém e esse alguém não retorna seus sentimentos a doença começa a se manifestar."

— Você está apaixonado e esse alguém não te retribui?

Taehyung vira seu rosto e tenta conter a dor que surge no seu coração, sempre que lembra daquele dia. Ele simplesmente não suporta mais isso. Parece que o sentimento só vem aumentando a cada dia que passa e um pouco de si se vai também.

— Eu tento esquecer, mas parece que estou cavando cada vez mais fundo... — Jimin enxuga a primeira lágrima que desce do rosto do amigo — ele vai se casar com outra...

Jimin se surpreende de primeira, mas ao ver Taehyung soluçar enquanto esconde seu rosto vermelho, logo o abraça na tentativa de confortar.


★°•★°•★°•


Meses se passaram, Hoseok e todos os outros achavam que o pior havia acontecido, Taehyung tinha cometido suicídio. Aquilo tudo era muito confuso para ele, mas sentia uma culpa imensa por ter feito aquilo — por mais que não pudesse evitar — ele cogitou na possibilidade de seu amigo ter se apaixonado por ele e não ter suportado mais.

Ele se sentia estúpidos por não ter percebido, por achar que aquilo poderia estragar a amizade deles. Hoseok chorou aquele dia e todos os anteriores até os consecutivos. Simplesmente não conseguia acreditar, sentia falta de Taehyung, queria pedir desculpas por não ter notado antes, ele o amava tanto...

A relação dos dois sempre fora muito confusa para Hoseok, eles tinham mais intimidade que muitos casais. Ele amava Taehyung e sempre deixou claro isso, mas tentou convencer a si mesmo de que era só amizade, que não poderia haver nada pois eram melhores amigos.

Hoseok era tolo... e agora Taehyung podia estar morto por sua causa.


★°•★°•★°•


Já se passaram quase um ano, Taehyung estava cada vez pior. Das pétalas que ele vomitava evoluíram para brotos de rosas pequenos e aquilo doía tanto...! Seu corpo se tornou imóvel, não conseguia se mover, falar ou respirar com precisão. Ele estava morrendo de amor.

Muitas vezes Jimin o pegou tendo alucinações repentinas, as quais ele sempre gritava o nome de Hoseok e depois vomitava um broto de flor junto a pequenas poças de sangue.

Jimin não aguentava mais ver o amigo assim, então decidiu ir atrás desse Hoseok, tentar conversar com ele para achar um jeito de ajudar Taehyung. Ele não aceitaria ir ao hospital e com certeza se ele saísse da cama, morreria.

Ele sabia o número de Hoseok, pois pegou o celular de Taehyung. Discou seu número e esperou. Uma voz afoita e desesperada atendeu o telefone:

— Tae! Meu Deus, onde você está?!

— Hoseok?

— Quem está falando? — Hoseok pergunta já entrando em desespero.

— Eu sou Jimin, Taehyung esteve comigo esse tempo todo...

— É O QUÊ?! — exclama já chorando — aonde ele está? Tae está bem?

— Calma... Ele... não está nada bem, na verdade... — Hoseok escuta aquilo já em total desespero, sentia medo e culpa, o choro era inevitável — Podemos nos encontrar para conversarmos melhor?

— Não! Onde está meu amigo?!

— Só digo se vier conversar comigo — Jimin diz firme, afinal, não conhece Hoseok, não sabe se ele fará mau ao seu amigo.

— Ok... me encontra no jardim das roseiras.

— Ok.

Eles se encontraram naquele mesmo dia, não havia tempo a perder, Taehyung estava morrendo. Jimin explicou sobre a doença e como ele estava. Hoseok não sentia coragem de olhar nos olhos de Taehyung depois do que viu. Tudo que Jimin disse comprovou o que imaginou.

Ele era o culpado e se Tae morresse nunca iria se perdoar. Jimin o levou até sua casa onde Taehyung estava e o desespero de Hoseok aumentou ao vê-lo naquele estado.

— Tae.... — ele põe a mão na boca contendo o choro avassalador.

Da boca de Taehyung saia um ramalhete de roseira amarela, era a que mais gostava... Taehyung estava com os olhos fechados, parecia sereno, mas será que ainda havia vida nele?

— Ele ainda respira — Jimin diz ao se aproximar para ouvir sua respiração.

Hoseok suspira com um pouco de alívio. Taehyung claramente estava morrendo.

— Não há o que fazer?

— Essa é uma doença de um amor não correspondido... estava na esperança de que você realmente sentisse algo por ele... é a única chance.

Grande problema, grande problema. Hoseok não sabia o que sentia, sua mente está mais confusa do que nunca, mas ele não tinha tempo, precisava salvar Taehyung.

Sim, há amor, há carinho. No entanto ele sempre quis o ver como amigo, como mudar isso?!

— Não sei se consigo... — ele sai correndo deixando Jimin e Taehyung ali.

Hoseok estava tão confuso, seu coração se despedaçou ao ver o amigo naquele estado. Naquele dia passou na casa de Tae, pegou uma roupa sua e alguns álbuns de fotos, levou tudo para sua casa e ficou foleando os álbuns vestido com o pijama de listras do amigo. Ele chorava a cada foto que via, a cada sorriso tão lindo e a alegria que Taehyung exalava. "me perdoa..."


★°•★°•★°•


Jimin chorava, sua única chance de salvar Taehyung estava perdida.

— Me desculpa, Tae... — ele beija o topo da cabeça do amigo e o deixa ali.

Pensa no que fazer agora e lembra-se de que Taehyung tem um grande amor por flores em especial a árvore grande do jardim das roseiras. " Se eu levá-lo para lá? não vai salvá-lo, mas ao menos é um lugar que ele ama..."

Jimin preparou tudo naquele dia, foi até a grande árvore e notou que havia um buraco atrás dela que cabia uma pessoal "perfeito!". Voltou à sua casa e preparou Taehyung. Trocou suas roupas para umas mais leves e o colocou no carro — que não foi uma missão tão fácil — o segundo desafio foi levá-lo até a árvore, já que era noite, ninguém estava por perto para desconfiar.

— Pronto... — Jimin o deixou lá e antes de sair fechou os olhos e fez o que não costumava fazer. Ele rezou, pediu à Deus para proteger seu amigo e que ele encontrasse o conforto do amor não correspondido.

Jimin chorava, não queria que terminasse assim, mas era a única coisa que podia fazer. Saiu de lá um tempo depois e no caminho para casa recebeu uma ligação.

— Jimin? — Hoseok fala com um tom cabisbaixo.

— Oi.

— Tae ainda está vivo?...

— Não sei — Jimin sentia uma profunda raiva de Hoseok, era triste ver o sofrimento de Taehyung e a única pessoa que ele ama não o amar de volta.

— Posso ir até aí?

— Ele não está mais comigo.

— O que? onde está?

— Eu o coloquei no lugar que ele mais ama, para ter uma boa morte ao menos... — responde num tom de decepcionado e desliga.

Hoseok já não aguenta mais chorar, ainda não sabe o que sente, mas perder Taehyung é algo que não vai suportar. Todos esses meses sem ter notícias dele o deixou vazio e agora se sentia mais ainda, com uma culpa de partir o coração.

Ele pensa sobre o que Jimin havia falado "Eu o coloquei no lugar que ele mais ama, para ter uma boa morte ao menos..." o lugar que ele mais ama?...

O jardim! Claro!


★°•★°•★°•


Taehyung parecia tão sereno, seus olhos fechados e a pele tão branca quanto as suas vestes. Ele parecia um anjo, sem vida. O cabelo ainda castanho cobria parte do seus olhos, Hoseok entrou no pequeno buraco e se ajoelhou beijando o topo de sua cabeça.

— Eu vou sentir tanto sua falta... — ele começa a chorar novamente. Seu coração apertava e doía tanto... — por favor não me deixe... eu não sou eu sem você... Taehyung você disse que era meu girassol... — as lágrimas grossas que saiam embaça sua visão e os soluços deixava sua voz embargada — deixa eu tentar te amar... do jeito que você me ama...

Ele fecha os olhos, não aguentava mais. Pegou sua mão e apertou, beijou as costas dela e pediu mentalmente para que um milagre acontecesse.

— Volta pra mim... — ele suplica uma última vez.

Taehyung não respondia, sentiu seu pulso e já não havia mais batimentos. Era o fim da curta vida do seu amigo.

"Eu te amo tanto..."

"Volta pra mim..."

Hoseok fica lá mais um tempo, sem acreditar mesmo vendo com seus próprios olhos. Ele estava morto.

— Me desculpa por não entender o que sinto, Taehyung. Me desculpa por não ter entendido, se você tivesse me contando nós... eu te faria tão feliz...

ainda com os olhos fechados Hoseok se lamentava.

Uma sensação estranha surge em si, ele abre os olhos e se espanta com o que viu. Taehyung estava coberto pela roseira amarela, os galhos se entrelaçam pelo seu corpo o deixando suspenso.

— Tae... — ele o chama — o que está acontecendo...

Depois disso Hoseok não se lembra de mais nada.


★°•★°•★°•


Ao finalmente acordar, Hoseok se levanta ofegante sem entender o que está acontecendo.

— Taehyung! — exclama ao ver que seu corpo não estava mais lá.

Ele sai correndo pelo jardim desesperado a procura do amado. "Não suma de novo, por favor...". Correu tanto que já não sabia aonde estava, aquilo parecia um labirinto.

— Taehyung! Taehyung! — grita, mas sem resposta.

— Aqui! — escuta a voz de Taehyung bem longe — aqui!

Ele sai correndo em meio a euforia de ouvir a voz de Taehyung.

— Taehyung! — chama novamente — onde você está?!

— Hoseok! Estou aqui, na árvore!

Ele anda mais um pouco até se vê em um túnel de roseiras amarelas, do outro lado é possível ver a grande árvore e Taehyung parado ali vestindo roupas leves de cor amarelada.

— Taehyung... — ele corre de encontro ao amigo e sorria de felicidade — Você está vivo!

Ele abraça Taehyung com toda força, sentiu seu coração batendo forte e sorriu "ele está vivo".

— Você me ama? — Taehyung pergunta.

— É claro que sim...

— Eu não posso voltar até você me amar de verdade — ele se afasta do abraço e encara Hoseok com um sorriso triste — não se preocupe, não tenha pressa de entender seus sentimentos. Eu só quero ter você por inteiro...

— Eu prometo voltar, prometo que vou te fazer feliz, Tae... — Hoseok se aproxima e sela seus lábios. Seu coração palpitou ao sentir seus lábios quentes, era doce e sincero como ele imaginou que seria um beijo de Taehyung.

"Com certeza eu vou te amar, como não me apaixonar por você..."




Deem um coração e comentem se gostaram! Até mais!

7 Juillet 2021 15:46:36 0 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
1
La fin

A propos de l’auteur

Lys 🌈Gay

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~

Histoires en lien