dimizito Dimitri Acibim

Uma informação no momento certo pode mudar o rumo de todas as coisas existentes, isso não seria diferente com a história já conhecida do ninja número um, que vê sua perspectiva de futuro mudar após saber certas coisas sobre o próprio passado enquanto viajava pelo mundo.


Fanfiction Anime/Manga Tout public.

#fanfic #naruto
0
5.4mille VUES
En cours - Nouveau chapitre Toutes les semaines
temps de lecture
AA Partager

Um lugar para retornar

Seis meses se passaram desde que Jiraiya e Naruto saíram de Konohagakure e passaram a viajar pelo mundo, no momento estavam no meio do País das Ervas, ao sudoeste do País do Fogo, as árvores altas impediam que qualquer luz passagem pelo estreito caminho que seguiam, toda esta parte do continente era uma selva não muito explorada, tendo cidades apenas próximas ao seu litoral. Era uma caminhada silenciosa pois Naruto não estava empolgado como costuma ser, os últimos acontecimentos que viveu lhe trouxeram dúvidas que ele julgava ter superado, mas que ainda permaneciam nublando sua mente, ele então decidiu comentar sobre uma delas com a única pessoa ali presente:

— Ei sábio tarado. — Falou Naruto receoso.

— Sim? — Respondeu estranhando o tom do jovem ninja.

— Quem é meu pai? — Perguntou entristecido e de forma direta, olhando para o chão coberto de folhas.

Jiraiya ficou em silêncio, era necessário pensar em mais uma forma de desconversar este assunto extremamente complexo, porém antes que pudesse tentar algum contorno, os dois viajantes foram emboscados por um esquadrão de ninjas da recém fundada Shidogakure, a Aldeia Oculta da Semente, todos com máscaras pretas, onde apenas os olhos permaneciam à mostra, vestidos com macacões pretos acima das roupas camuflada em tons de verdes, todos estavam com suas foices prontas para o combate, mas antes que um confronto estourasse, o jovem líder daquele grupo reconheceu o Sannin escritor que visitou a região tempos atrás e ao retirar a própria máscara, falou:

— Jiraiya-sama?

— Hmmm Kurõbu? Desde quando tu é ninja moleque?! — Comentou após se lembrar do rosto de quem o chamou.

Então trocaram cumprimentos e o grupo todo seguiu para um ponto de apoio pois começou a anoitecer, o clima ficaria frio e enevoado.

O ataque combinado das forças de Suna e Oto contra Konoha durante o último exame chunnin e enquanto vigorava um tratado de paz causou certas incertezas na região, fazendo países não militarizados a buscarem formas de assegurar suas soberanias, nesse contexto surgiu Shido, da união de clãs locais peritos em herbalismo, medicina e camuflagem. Após muita conversa, todos dormiram, com exceção de Naruto, que além dos questionamentos anteriores, ficou pensativo sobre o que aconteceu onde ele mora e como isso afetou as cidades ao redor, se preocupou com aqueles que não possuíam um Kage para lutar por eles e refletiu sobre os estragos que uma guerra causa. Ao se virar para finalmente dormir, sentiu um arrepio por todo corpo e escutou alguém dizer seu nome.

— Ham? — Levantou, sentou-se e olhou para aqueles que dormiam ao seu redor, mas todos permaneceram imóveis.

— Eu sei quem é o seu pai. — Ecoou a mesma voz de antes.

O jovem ninja estava aterrorizado com essa situação misteriosa, achou até que era um espírito, mas a queimação em sua barriga lhe trouxe para a realidade, ele começou a se concentrar buscando por uma comunicação, após fechar os olhos, perguntou:

— É quem então?

— Minato Namikaze. — Disse a criatura assustadora selada dentro do corpo do garoto, que por contato mental, informou apenas para assistir o futuro caos que ela mesma iniciou.

Naruto se assustou ao ouvir tais palavras vindas logo de quem ele jamais esperou qualquer ajuda neste assunto e confuso ele questionou após ficar de frente ao seu demônio interno:

— Que?!

— Eu sei que você ouviu, criança estúpida. — Resmungou aproximando a cabeça das grades simbólicas daquele plano psíquico.

— Meu pai era o Yondaime Hokage? — Perguntou ainda sem acreditar.

— Sim.

— Você acha que me engana, raposa desgraçada? — Gritou apontando para quem lhe deu a resposta.

— Acho, mas estou dizendo a verdade. — Falou de forma sincera, a verdade transpareceu em seus olhos amedrontadores.

— Está é? Por que só agora? — Questionou motivado por raiva.

— Por que eu sinto sua insatisfação e isso me irrita! — Explicou aflorando seu chakra em pura indignação.

— Se você tá falando a verdade… — Cruzou os braços e olhou para o lado.

— Óbvio que eu estou, idiota, vocês dois possuem a mesma cara odiosa, os mesmos olhos azuis que brilham em boa vontade, você nunca ter reparado nisso só mostra o tamanho da sua ignorância. — Desabafou.

— Então porquê ninguém me contou nada?

— Para te fazer sofrer, sei lá. — Fechou os olhos e sorriu.

— Isso não tem graça!

— Ah, tem sim, esconderam seu passado, te fizeram crescer sem dinheiro ou conforto, sem amigos ou afeto e com o demônio assassino dos seus pais selado na sua barriga.

Naruto ficou em silêncio e a Kyuubi continuou apenas para provocar mais dúvidas:

— Mas você será Hokage do lugar que te odeia, tô certa?

— Eu…

— Sim? — Respondeu vendo que o olhar do garoto mudou.

— Eu quero que você me conte tudo! — Ordenou.

— Tudo é muita coisa, ver você tentando raciocinar será meu entretenimento por um longo tempo. — Sorriu assustadoramente, mas a expressão de Naruto não mudou.

— Você é desprezível.

— Queria o que? Um abraço? Entra aqui que eu te dou. — Brincou, ela não sentia tamanha alegria em muitos anos.

— Um dia eu ainda vou te dar uma surra! Tô certo. — Prometeu Naruto mesmo sem saber como faria isso.

— Que nostálgico, falou igual à sua mãe. — Comentou ao se lembrar de momentos passados.

— V-você conheceu minha mãe? — Perguntou rapidamente, a raiva que sentia sumiu e deu lugar a uma imensa curiosidade.

— Eu fiquei selada nela por muito tempo. — Contou.

— O que! Ela era igual eu? Como que/

— Chega de conversa, trate de aprender a questionar o mundo ao seu redor, se continuar estúpido assim vou te infernizar até eu ser livre e quando você morrer, eu retornarei apenas para lhe matar de novo!

— Não desapareça! Você está no meu corpo e eu quero mais respostas! Volta aqui! — Falou em vão, a comunicação entre eles se desfez e agora Naruto estava sozinho em seus pensamentos em uma noite de muitas nuvens.

Amanheceu, todos daquele grupo caminharam até a Aldeia de aparência simples e ornamentada com as mais variadas plantas da região, era como um bosque de ervas habitado por seres das floresta, Naruto e Jiraiya passearam um pouco sendo guiados por Kurõbu, depois treinaram até o entardecer em uma área apropriada para isso e ainda na companhia do seu guia, apesar do progresso do dia, o Sábio dos sapos percebeu que seu aprendiz não estava com atenção no treino, atenção não era o forte dele, mas estava além do normal, então ele perguntou:

— Ei, está tudo bem?

— Está. — Não estava.

— Você não sabe mentir, garoto. É sobre a pergunta que não respondi ontem, né? — Deduziu.

— É… Mas eu já sei a resposta.

— Sabe? Como?!

— Ela me contou que eu pareço com ele, com os mesmos olhos azuis que brilham em bondade. — Explicou com um pouco de felicidade.

— Ela? — Falou e em pensamento afirmou: — A Raposa! Puta que pariu.

— É verdade, não é? — Perguntou chorando.

Jiraiya respirou profundamente, olhou para as nuvens após sentir o próprio coração doer em tristeza por ver Naruto assim e falou buscando toda a calma que possuía:

— Por onde eu começo?

O lendário ninja dos sapos decidiu contar tudo ao seu aprendiz, antes de iniciar a grande divulgação de segredos, explicou que houveram razões para as situações ocorridas, em seguida falou:

— Seu pai era o Yondaime Hokage e eu o treinei. Ele se casou com Kushina Uzumaki, o sobrenome dela você já sabia, foi a única coisa que o Sandaime lhe contou, certo? Eles eram um casal muito feliz, mas… Até hoje não entendemos direito o que ocorreu, mas escute, a Kyuubi estava selada em sua mãe, durante o seu parto o selo se rompeu e houve toda aquela tragédia, eu não estava na Aldeia naquele dia, talvez pudesse ter agido. Só sabemos que a raposa matou seus pais, mas antes da morte, com suas últimas forças conseguiram selar a criatura no próprio filho e pediram para o Sandaime cuidar de você, então ele decidiu que seria melhor ninguém tocar no assunto e decretou confidencialidade sobre.

Naruto não esboçou reação alguma, ficou em silêncio por alguns minutos percebendo que a história era verdadeira até que falou:

— Eles morreram como heróis.

— Eles morreram como heróis. — Repetiu concordando com bastante orgulho.

— Se você sabia de tudo, porque não voltou para a Aldeia imediatamente?

— É que/ — Não houve tempo para tentar se explicar.

— Como o velhote achou legal deixar uma criança viver sozinha e sendo alvo de constantes ataques de ódio? — Referindo-se ao Sandaime Hokage.

— Mas isso foi/

— Para me proteger? Me proteger o caralho! Ser da família de alguém importante é perigoso? Então porque o Konohamaru vivia gritando que era neto do Hokage?

— … — Jiraiya não possuía nenhum contra-argumento.

— Não faz sentido! E se fosse para eu não saber de nada, eu poderia não saber e pelo menos morar num lugar melhor? Eu poderia não saber e sei lá, ter tido algum amigo para brincar? Meus parabéns, genial manter esse segredo com a cooperação da principal envolvida, né? Não sei como a raposa não falou antes.

— Naruto… mas um ninja.

— Um ninja o que, Sábio tarado? Um filho de ninja tem que sofrer desde que nasce? Isso tá errado, tá muito errado, tô certo! Você não tem noção do sofrimento que foi. Quando eu voltar para a Aldeia eu vou atrás dos detalhes disso e por hora eu não quero olhar na sua cara.

— Naruto…

— Vai se lascar. — Falou indo embora para ficar só.

Após tamanha confusão, Jiraiya falou olhando para Kurõbu, que permaneceu ali quietinho assistindo:

— Isso foi desagradável.

— Imagino. Essa é a parte em que você me mata para que a informação não vaze, certo? — Brincou para que a expressão de Jiraiya melhorasse.

— Tá doido? Na verdade seria o indicado pelo sistema, mas eu tô cansado dele, sabe? — Desabafou.

— Sei. — Respondeu percebendo que mesmo frustrado, o Sábio dos Sapos parecia estar aliviado.

— Vamos voltar antes que ele se perca pela cidade. — Aconselhou e começou a caminhar.

— Mas eu acho que ele quer ficar sozinho e bem longe do senhor.

— Relaxa, aquele ali perdoa fácil. — Afirmou.

E perdoou depois de algumas semanas, mas não esqueceu a vontade de resolver todas as situações acerca do seu passado, juntos mestre e aprendiz seguiram treinando por Vilas, Aldeias e Cidades ao longo de três anos, quando Jiraiya percebeu que não havia mais nada a ensinar, decidiram retornar para Konohagakure. A viagem de volta foi tranquila, tirando as noitadas que Jiraiya tinha em cada motel que via, rapidamente chegaram à sua cidade natal, que permanecia a mesma, Naruto largou a mochila que carregava, escalou um prédio próximo e ao visualizar toda a Aldeia, falou:

— Esse lugar não mudou nada. — E isso era algo bom ou ruim?

— Naruto? — Chamou uma voz conhecida.

— Sakura? — Respondeu ao olhar para baixo, saltou em queda livre e aterrissou como um ótimo ninja na frente da companheira de time.

— Naruto! — Exclamou com grande alegria, agraciada pelo retorno do amigo estúpido de roupa laranja.

— Sakura! — Falou quase gritando, esbanjando energia por rever alguém tão querido.

— Você voltou! Nossa, tá diferente, mais alto. — Percebeu que agora ele lhe supera em altura.

— Você está visivelmente mais forte. — Afirmou após visualizar a definição dos músculos dos braços da amiga, nesse momento ele também percebeu que por Sakura ele possuía agora apenas admiração, não mais um amor platônico de pré-adolescente.

— Conversas ficam para daqui a pouco, precisamos falar com a Tsu… Godaime. — Alertou Jiraiya.

— Vamos juntos então, no caminho colocamos a conversa em dia. — Sugeriu Sakura.

Seguiram juntos, encontraram com Shikamaru e Temari, organizadores do próximo exame chunnin, nisso Naruto perguntou se eles estavam de casal, ambos negaram com uma velocidade assustadora. Ao chegarem no escritório da Hokage, cumprimentaram Tsunade e Shizune, após breve conversa, a líder da aldeia informou que precisaria testar a parte do time sete ali presente, o desafio seria simples, bastava derrotar Kakashi Hatake, que aguardava no lado de fora da sala, Naruto arremessou a edição mais recente da série Icha Icha assim que viu seu sensei, o acertando no rosto, porém este ficou tão feliz com o livro que ignorou todo o resto, cientes que deveriam ocorrer um embate, todos os envolvidos foram para a mesma área de treino onde quem seriam testados teriam que repetir a mesma prova que já realizaram anos antes: Capturar dois guizos.

Kakashi com muita noção, iniciou o combate com Sharingan ativado, ele sabia que seus alunos agora eram profissionais, mas desconhecia o progresso de Naruto, se aproximando dele para uma trocação de socos e fugindo com classe quando Sakura ameaçou atingi-lo, do progresso dela ele estava ciente e ela fez uma bela demonstração ao socar o chão, explodindo-o com pura força e chakra, aterrorizando seu aliado, que jurou nunca mais lhe causar qualquer irritação. O confronto começou ao final da tarde e seguiu até o anoitecer com todos gastando cada jutsu disponível em seus arsenais, ninjutsu para um lado, taijutsu para o outro, cansados, Naruto e Sakura combinaram finalizar tudo, sabiam que a única fraqueza do seu alvo naquele momento seria receber alguma informação do livro que tanto gostaria de ler, sendo assim, partiram para entregar um spoiler, a tática funcionou e os guizos foram capturados.

— E então? — Falou Kakashi cansado olhando para Tsunade, Jiraiya e Shizune, que saíram de trás das árvores e se juntaram aos três.

— Aprovados. — Afirmou a Hokage feliz e continuou: — E Naruto, você será considerado chunnin a partir de agora.

— O que? Por quê? E a prova? — Questionou surpreso, tal coisa não estava no combinado.

— No final vale mais o meu julgamento, fora que precisamos de pessoal preparado. — E em pensamento concluiu: — Nosso futuro inimigo é extraordinário.

— Estamos sem pessoal? Morreu mais gente? Como assim? — Perguntou desesperado imaginando o pior cenário possível.

— Não, poxa vida! — Afirmou Sakura. — Você continua um grande idiota, nunca antes tivemos tanta gente na verdade, vê se me entende, tradicionalmente existem clãs que fundamentaram suas organizações na arte de ser shinobi, com suas hierarquias e técnicas secretas, mas a grande maioria do corpo militar da Aledia é composto por pessoas como eu, vindas de famílias que não estavam habituadas com batalhas e consequentemente sem muitos jutsus fenomenais.

— Mas Sakura, você é tão incrível e com certeza possui várias habilidades. — Elogiou Naruto orgulhoso do que viu minutos antes.

— Óbvio, ela treinou pessoalmente comigo. — Explicou Tsunade. — Nem todos possuem formas de aprender e nem temos tantas pessoas prontas para ensinar. São poucos os que superam tamanhas dificuldades e podem ser chamados de especiais. Infelizmente ainda não pude mudar esta estrutura. — Terminou com pesar nas palavras.

— Mas suas novas regras sobre o trabalho de um ninja médico transformou esse mundo para sempre. — Afirmou Jiraiya rindo, reconhecendo os ótimos feitos de sua amiga.

— Fiz o mínimo, mas obrigado. — Agradeceu Tsunade.

E enquanto essa conversa seguiu noite adentro até retornarem, o Kazekage de Sunagakure havia sido derrotado e capturado pela Akatsuki.

7 Juillet 2021 00:48:12 0 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
0
Lire le chapitre suivant Respeito construído no deserto

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~

Comment se passe votre lecture?

Il reste encore 2 chapitres restants de cette histoire.
Pour continuer votre lecture, veuillez vous connecter ou créer un compte. Gratuit!