2minpjct 2Min Pjct

Onde Jimin, um escritor amador, sempre usava o atendente (pelo qual admirava cada detalhe) da cafeteria onde vivia escrevendo, como inspiração para seus personagens principais, e que um dia acabou lendo um dos livros escritos pelo Park por acidente.


Fanfiction Groupes/Chanteurs Interdit aux moins de 18 ans.

#admirador-secreto #sujim #bts #jimin #yoongi #yoonmin #minimini #minmin #sugamin #suji #2min #2minpjct
3
2.7k VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

Capítulo único

Escrito por: @gcf_seesaw/@gcf_seesaw

Capa por: @summeritx


~~~~

[Jimin]


— Aqui, Jimin! Seu café de sempre — disse Yoongi, colocando a xícara quente ao lado de Park, que logo abaixou a tela do computador onde escrevia para que o outro não lesse.

— Oi, Yoonji! — falou erroneamente, ficando vermelho. — Yoongi! — corrigiu-se rapidamente. — Desculpe, às vezes eu chamo as pessoas pelo nome dos meus personagens — disse sem graça, escondendo o rosto envergonhado.

Yoongi riu da forma desconcertada do menor.

— Um dia você ainda tem que me mostrar algo que escreve — disse simpático.

— Você vai acabar esperando bastante.

O Min deu de ombros e alargou o sorriso.

— Eu posso esperar, mas quero que prometa que vai mesmo me mostrar algum dia.

— Olha, hyung, eu não posso prometer nada.

Yoongi fez uma cara emburrada, fingindo estar com raiva do menor.

— Um dia eu ainda te convenço. Mas agora tenho que voltar ao trabalho, até logo, Jimin.

— Tenha um bom trabalho, Yoongi. — Sorriu, e o outro se virou em direção às outras mesas, anotando outros pedidos.

“Eu só sei passar vergonha”, pensou Park, passando as mãos no rosto e levando-as ao cabelo loiro. “Só meu coração mesmo para se apaixonar pelo atendente da cafeteria e ainda me fazer escrever sobre ele… Tão clichê.” Suspirou e pegou seu celular para olhar as horas.

15:16.

— Puta que pariu — disse em voz alta, arrependendo-se logo depois de ver os olhares de estranhos sobre si.

Levantou-se depressa, juntando suas coisas e colocando-as de qualquer jeito na mochila. Pegou seu celular de volta e abriu nos contatos, ligando para seu amigo.

— Eles já começaram, Tae? — perguntou enquanto corria pelas ruas, esbarrando em algumas pessoas que passavam.

— Eu tô conseguindo enrolar eles, mas não sei se vai durar muito tempo. É melhor se apressar, Park.

— Eu estou chegando, tente enrolar eles ao máximo, por favor — disse com dificuldade por causa da falta de ar que a corrida estava o causando.

— Vou tentar.

— Obrigado. Até logo, Tae. — Desligou.


[Yoongi]


Yoongi terminava de limpar as mesas apressado para conseguir encerrar expediente, poder fechar tudo e ir para seu lar aconchegante finalmente descansar.

Enquanto limpava a última mesa, viu um pequeno caderno de capa azul escuro, com pequenos detalhes dourados que estava embaixo da mesma.

Perguntou-se várias vezes se deveria abrir ou não o caderno, mas precisava saber a quem ele pertencia. Então abriu, logo vendo escrito “Park Jimin” em uma letra grande e bem desenhada que ocupava quase toda a folha. Proibiu-se mentalmente de ler qualquer coisa do caderno, poderia ser algo pessoal e ler seria totalmente antiético, tão quanto já havia sido ter aberto o caderno.

O Min acabou passando os olhos por uma linha do texto que já iniciava na folha à direita e encontrando o nome “Yoonji”. Era tão parecido com o seu, tanto que só uma letra que as diferenciam e se lembrava de ouvir Jimin claramente o chamar assim.

Yoongi sabia que era errado invadir a privacidade de alguém assim, mas acabou continuando a leitura da página.


“Nome da história: Love Me;

Personagens principais: Yoonji e Kim;

Ideias para o decorrer da história: Yoonji, a garota mais gentil e simpática da escola entrega flores a Kim, o pequeno garoto “problemático” e frágil, depois de vê-lo chorando de baixo das arquibancadas da escola. Após esse ocorrido, uma amizade se desenrola entre os dois que prometeriam um ao outro nunca falar sobre as flores que Yoonji dera ao Kim, porém no final, Kim surpreende Yoonji na frente da escola, com um buquê de flores;

Frases: 'Vamos curtir agora, Kim, só nós dois, ao som dessa música alta e escondidos por essa luz fraca, onde ninguém vai nos ver nem sequer nos escutar'; 'Quando se sentir sem ar novamente, olhe para mim, apenas para mim, e esqueça todo o resto ao nosso redor, como sempre fazermos.'"


Depois de ler Yoongi sorriu. Sempre achara o Park incrível e também imaginava o quão incríveis eram as coisas que escrevia.

O Min deixou o caderninho dentro de uma caixa de “achados e perdidos” que ficava em baixo do balcão e, por fim, finalmente saiu e trancou a cafeteria ainda com um sorriso bobo no rosto. Destravou o celular e abriu na conversa com Hoseok.


Yoongi [18:37]

— Hobi, lembra daquele garoto fofo que eu te contei?


Hoseok [18:37]

— O loirinho que sempre fica escrevendo?


Yoongi [18:38]

— Ele mesmo.


Hoseok [18:38]

— Hm, o que tem ele?


Yoongi [18:38]

— Ele deixou o caderninho dele aqui hoje e ACIDENTALMENTE eu posso ter lido algo.


Hoseok [18:39]

— Meu deus, Yoongi, você estava bisbilhotando o menino.

— Que feio.


Yoongi [18:39]

— Foi acidente!

— Mas enfim, ele é escritor e eu acho que ele me colocou como um dos personagens principais...


Hoseok [18:39]

— Que ego grande, hyung

— Como você pode achar que ele te colocou como personagem principal?


Yoongi [18:39]

— O nome dela é Yoonji e bom... se parece comigo.

— Ele também me chamou de Yoonji hoje mais cedo


Hoseok [18:40]

— Ok

— Pode ser só coincidência, não?


Yoongi [18:40]

— Pode, mas...

— Acho que eu gosto dele...


Hoseok [18:40]

— AI, MEU DEUS, MIN YOONGI TÁ GOSTANDO DE ALGUÉM!

— Pera, eu tô perplexo demais.

— Mas o que você vai fazer em relação a isso, hyung?


Yoongi [18:40]

— Vou começar só com indiretas, se ele perceber e mostrar interesse, talvez eu faça o que eu estava pensando antes.

— Mas isso eu não vou te dizer ainda.


Hoseok [18:40]

— Vai ser assim mesmo, Min Yoongi?


Yoongi [18:41]

— Vai.


Hoseok [18:41]

— Ok então, Min Yoongi.

— Vem logo, o jantar está quase pronto.


Yoongi [18:41]

— Em5 minutos, eu chego.


[Jimin]


Jimin estava deitado na cama mexendo em seu celular, os cabelos úmidos do recente banho caíam sob seus olhos que pesavam por conta do cansaço, mas o Park ainda não havia se rendido ao sono, então levantou da cama em busca da sua mochila, onde guardava seu computador e as outras coisas que costumava usar quando ia escrever. Revirou-a em busca do seu pequeno caderno de capa azul onde estava anotando sobre sua nova história, “Love Me”.

Tudo que havia dentro da mochila já estava no chão quando Jimin finalmente aceitou que seu caderno não estava lá dentro. Começou a revirar suas gavetas, talvez não tivesse levado o caderno consigo esta manhã... Não queria acreditar que poderia ter esquecido o caderno na cafeteria.

— É sempre o Yoongi quem fecha a cafeteria — disse Jimin em voz alta apenas para si mesmo, caindo na realidade e ficando ainda mais nervoso.

O mais velho não podia ler o que tinha no caderno, tudo lá denunciava a paixão que o Park tinha por ele e, com certeza, o Min ficaria com raiva ou o acharia completamente malucopela forma como Jimin representou Yoongi em sua história... como Yoonji.

Jimin deitou na cama, ainda paranoico pelo assunto do caderno, mas acabou sendo vencido pelo sono, agarrado em seu travesseiro.

Acordou por culpa do som irritante que seu celular emitia ao mesmo tempo em que vibrava. O nome de Taehyung aparecia na tela, denunciando ser quem fazia a ligação.

— Bom dia — disse Jimin com a voz rouca.

— Finalmente você acordou, bela adormecida. Estou ligando há 10 minutos.

— Desculpe, Tae, meu sono é muito profundo. — Riu fraco, ouvindo o amigo bufar.

— Eles aceitaram, Chim! Aceitaram publicar uma história sua! "Love me" é a mais falada, acho que vai ser esse! Você precisa se arrumar rápido!

— Eu não acredito! — gritou, comemorando eufórico. — Puta merda, eu não acredito que isso tá acontecendo mesmo. — Veio à memória de Jimin que havia deixado seu caderno na cafeteria. — Droga!

— O que foi?

— Nada... Que horas vai ser?

— Treze e trinta

Jimin olhou o horário no celular. Dez e quarenta.

— Tudo bem, eu tenho tempo de sobra. Obrigado, Tae.

— De nada, Chim, nós vamos sair para comemorar hoje à noite, naquele bar perto da sua casa.

— Okay, até mais tarde.

— Até.

Finalizou a ligação, travou o celular e foi até o banheiro para tomar um banho rápido.

Jimin corria pelas ruas, não podia perder a hora e ainda tinha que passar na cafeteria para buscar seu caderno. Procurava coragem em si para encarar Yoongi depois de perceber a chance que este tinha de ter lido algo do caderno, caso tivesse o encontrado.

Entrou na cafeteria, fazendo soar o pequeno sino da porta e recebendo um sorriso de Yoongi quando percebeu quem havia entrado.

— Bom dia, Jimin! — saudou Yoongi simpaticamente. — Vai querer o de sempre?

— Bom dia, Yoongi. Na verdade... Eu vou ter uma reuniãozinha agora. Uma editora aceitou publicar um dos meus livros completos! — respondeu animado, ainda não tinha caído a ficha de que teriam livros espalhados pelo país com seu nome e foto impressos na capa, mostrando parte de sua vida como autor.

— Isso é incrível! Temos que comemorar, não acha?

— Claro! — Riu da maneira animada que o mais velho agiu. — Mas eu preciso de um caderninho que contém parte dos meus projetos, eu saí com pressa ontem e acho que acabei deixando cair aqui...

— É um de capa azul escura? — Jimin assentiu.

Yoongi voltou para o balcão pegando a caixa de achados e perdidos onde havia colocado o caderno na noite anterior e o entregou a Jimin.

— Obrigado, Yoon — falou, pegando o caderno, aliviado. — Bom, hoje eu vou comemorar com o meu amigo, se quiser ir também... Pode levar um amigo — disse envergonhado, arrependendo-se quando percebeu que Yoongi não falava nada.

— Eu adoraria, Jiminie. Me passa seu número e mais tarde nós combinamos melhor, pode ser?

— Sim, sim. — Yoongi pegou um de seus papéis que usava para anotar os pedidos e entregou a Jimin junto com sua caneta.

— Aqui! — disse o Park, devolvendo o papel depois de ter anotado seu número. — Até mais tarde?

— Até.

Jimin sorriu e saiu da cafeteria, agora destinando-se ao prédio da sua nova editora.

Um tempo depois, Jimin já tentava arrumar seu cabelo pela milésima vez naquele minuto, em frente ao espelho, olhava detalhadamente se sua roupa estava como devia estar. Suas mãos suavam pelo nervosismo, suas pernas estavam tremendo. Xingava-se mentalmente por ter chamado, impulsivamente, Yoongi, agora estava mais nervoso do que durante sua primeira entrevista com a editora.

Estava tão incapaz de raciocinar direito, depois de perceber que havia chamado Yoongi para comemorar consigo, que foi Taehyung quem escolheu sua roupa e, se não fosse por ele, estaria escondido de baixo das cobertas.

— Eu não estava em sã consciência quando chamei ele.

— Nossas mentes, às vezes, dizem o que temos medo de dizer quando estamos muito animados e eufóricos.

— Isso não é justo — disse Jimin frustrado, terminando de secar seu cabelo e pegando seu celular. — Ele já chegou, Tae.

— Então vamos — disse Taehyung, levantando da cama de Jimin e o puxando pelo braço para fora do quarto.

Jimin resmungou em resposta, mas continuava sendo puxado pelo Kim até a porta da sala. Os dois caminhavam em direção ao bar onde havia marcado com Yoongi. Park estava ainda mais nervoso do que antes e a cada passo seu nervosismo aumentava.

Jimin só passou pela porta de entrada do bar depois de Taehyung o empurrar com força para dentro, reclamando da falta de coragem do mais velho.

— Onde ele tá, Jimin?

— Ele disse que estava no balcão, acho que é ele aí. — Apontou para o garoto de cabelos escuros e de jaqueta preta que conversava animadamente com um garoto bonito que estava ao seu lado.

— Então vamos — disse, puxando Jimin e o levando até a parte do balcão onde este tinha apontado.

— Olá! — cumprimentou Taehyung enquanto Jimin apenas acenou timidamente. — Eu sou o Taehyung, amigo do Jimin. Ele está estático demais, então acho que vou ter que responder por ele. — Recebeu um soco fraco de Jimin que estava com uma cara emburrada para o Kim.

Yoongi riu do jeito que os dois amigos agiam.

— Oi, Taehyung, eu sou o Yoongi. Esse é o meu amigo, Hoseok.

— Vamos procurar uma mesa? — propôs Taehyung.

Jimin continuava calado observando os três e, algumas vezes, trocando olhares com Yoongi, que o encarava sorrindo e fazia suas bochechas arderem e Jimin desviar o olhar.

Em um momento quando Taehyung e Hoseok entraram na própria conversa, Yoongi decidiu tomar coragem para puxar assunto com o Park.

— Então, Jimin... Deu tudo certo na sua reunião hoje?

— Sim, acho que dessa vez eu tenho chances. — Tomou um gole de sua bebida para tentar disfarçar a vermelhidão das suas bochechas.

— Eu estou louco para ler algo que você escreve. Já que você não me mostra, eu mesmo vou comprar — disse Yoongi, fazendo Jimin soltar uma gargalhada e esconder seu rosto com as mãos. Uma mania que sempre teve. — Fofo — pensou alto e agradeceu pelo menor estar distraído com Taehyung na hora e não o ter escutado.

Jimin já estava mais leve diante da presença do Min e tão focado nas histórias que contava e os sonhos que dizia ter que nem reparava no mundo ao seu redor. Apenas voltou à realidade quando Taehyung adormeceu em seu ombro.

— Tae? — chamou, tentando despertar o mais novo, mas apenas recebeu resmungos em resposta. — Merda, ele deve ter bebido demais, vou ter que leva-lo para casa.

— Quer que eu ajude? — ofereceu Yoongi.

— Não precisa, já fiz muito isso, ele nunca se controla quando bebe. Desculpe por isso. — Levantou da cadeira e despertou Taehyung, levantando-o também para que saíssem.

— Sem problemas — disse Yoongi, levantando-se para ajudar o Park. — Posso te acompanhar até lá fora? — Jimin concordou com a cabeça em resposta.

Então Yoongi o seguiu até o lado de fora, aproveitando a "coragem líquida" que tinha no organismo, e se aproximou do loiro, deixando-o sem reação e a centímetros de distância dos seus lábios.

— Vamos, Chim — resmungou Taehyung, puxando o braço do amigo e aumentando a distância entre ele e Yoongi.

— Até logo, Jiminie — disse Yoongi sorrindo.


*Quebra de tempo*


Jimin acordou com a luz do sol que batia em seu rosto. Pegou seu celular como de costume e o destravou.


Novas mensagens:


Yoongi [00:34]

— Espero que tenha chegado bem em casa.

— Eu me diverti com você hoje.

— Aliás, amanhã às 16:00 vai ter um evento na cafeteria.

— Meus amigos, que têm uma banda, vão se apresentar, eu queria que você fosse...

— Leva o Taehyung também, meu amigo disse que gostou dele kkkkkk.


Jimin nem percebia o sorriso se formando em si depois de ler as mensagens.


Jimin [09:45]

— Claro que eu vou, Yoon.

— Até mais tarde.


Jimin chegou às 16:40, havia sido uma luta para arrastar Taehyung, que dizia ainda estar de ressaca da noite anterior.

— Nada de beber hoje — disse Jimin autoritário. — Você nunca se controla, e eu não quero que atrapalhe de novo um possível beijo.

— Tá bom, tá bom.

Os dois entraram, logo sendo recebidos por Yoongi, que parecia estar com o olho vidrado na porta, apenas os esperando.

— Pensei que não viessem.

— O Taehyung me deu trabalho para vir, mas estamos aqui. A apresentação começou há muito tempo? — perguntou, olhando para a banda que tocava.

— Começaram há pouco tempo, vocês só os perderam apresentando seus nomes, mas isso eu posso garantir que conheçam mais tarde.

Yoongi pegou discretamente a mão do Park, deixando este sem reação. Era sempre assim perto de Yoongi, ele sempre o deixava sem reação.

— Vamos nos sentar? — Os dois assentiram e seguiram Yoongi, que os guiava para uma mesa onde Hoseok já os aguardava.

Todos conversavam e bebiam, menos Taehyung, que fora proibido mais cedo pelo amigo. As músicas que tocavam eram diversas; às vezes algo parecido com rock, outras vezes indie, o que agradava Jimin, que nunca teve uma playlist com um gênero musical só.

— Jimin, eu tenho que sair um pouco, já volto — disse Yoongi, levantando-se da cadeira.

— Ok.

A imagem do Min sumia aos poucos naquele espaço cheio de pessoas.


[Yoongi]


Yoongi estava dentro da sala do final do corredor do estabelecimento, o escritório onde ficava toda a papelada sobre mercadoria e outras coisas. Arrumou o espaço e se trocou rapidamente, já havia combinado seu plano com Hoseok mais cedo, então pegou seu celular e mandou mensagem para o Jung.


Yoongi [17:05]

— Pode pedir para ele vir.


Hoseok [17:05]

— Beleza.

— Mas antes me manda foto para eu ver se você tá gata mesmo.


Yoongi [17:06]

— Vai para a merda, Hoseok.

— Mande-o vir logo antes que a minha coragem acabe.


Hoseok [17:06]

— Está bem, seu chato.


Hoseok largou o celular e chamou a atenção de Jimin.

— Jimin, o Yoon disse que tem uma surpresa para você, ele pediu para encontrá-lo agora naquela porta ali. — Apontou para o final do corredor perto dos banheiros. — A última no final do corredor.

— Certo... — disse confuso. — Você sabe por quê?

Jung deu de ombros, e o Park saiu em direção à porta, ainda confuso.

Jimin abriu a porta cauteloso. A sala era iluminada apenas por uma luz vermelha que estava direcionada a uma mesa bem no meio desta sala, onde havia um rapaz que vestia uma saia xadrez cinza curta, que deixa à mostra a maior parte de suas coxas e que também deixava uma boa parte da sua bunda farta aparecendo. Usava também uma blusacropped preta, que deixava seu abdômen definido de forma bem visível, e tinha enfeitando seu pescoço com uma delicada gargantilha preta.

Era Yoongi, mais belo do que Park jamais vira.

Yoongi caminhou a passos lentos em direção do outro, que estava paralisado com a visão. Segurou lentamente a gravata do menor na intenção de colar seus corpos até que virassem um só. A respiração de ambos estava entrecortada, o desejo embriagando seus sentimentos e, a cada segundo que se passava, a necessidade de ficarem ainda mais juntos aumentava.

Park já sentia seu membro pulsar dentro da calça jeans apertada. Yoongi, ao notar a situação do mais novo, fez questão de colocar a mão em cima da ereção do mesmo e apertar levemente, fazendo com que Park jogasse sua cabeça para trás e soltasse um gemido fraco.

Yoongi puxou Park, novamente pela gravata, para que dessa vez a curta distância não fosse mais rompida.

— 'Vamos curtir agora, Park, só nós dois' — fala enquanto olhava atentamente para os lábios carnudos de Jimin. — 'Ao som dessa música alta e escondidos por essa luz fraca, onde ninguém vai nos ver nem sequer nos escutar' — sussurrou, dessa vez, próximo ao ouvido de Park, o que causou arrepios ao mais novo.

Jimin reconheceu a frase que tinha escrito no seu caderno e percebeu que Yoongi havia realmente lido, mas aquilo não importava agora e admitia que, mesmo sendo uma situação totalmente diferente da qual tinha imaginado para o momento, a frase se encaixou perfeitamente à voz do Min e ao ambiente.

Min, sem perder tempo, puxou mais a gravata do Park, unindo seus lábios aos dele em um beijo calmo, mas que, aos poucos, se tornou necessitado e afoito. Min pressionava o seu corpo sobre o de Jimin na parede daquela pequena sala. Estavam tão próximos que se fossem cores, estariam perfeitamente misturados em uma tonalidade só.

Yoongi mordia o lábio inferior do menor, provocando-o e arrancando um gemido deste. Park já não aguentava mais e suspendeu o Min, segurando-o no colo enquanto o mesmo deixava chupões em seu pescoço. Aproximou-se da mesa que havia ali e o colocou sobre ela, ficando no meio das pernas do menor.

Park, sem perder tempo, atacou o pescoço do outro, deixando alguns chupões, enquanto sua mão massageava o membro do mesmo. Yoongi soltou um gemido manhoso ao sentir as mãos do mais novo o estimularem.

Jiminnie...— disse Yoongi com voz arrastada, que soou mais como um pedido para que o mais novo parasse de torturá-lo daquela maneira. Pedido esse que lhe foi concedido.

Jimin tirou o Min de cima da mesa e virou o corpo do menor, fazendo com que sua bunda ficasse de frente para seu membro. Jimin levantou delicadamente a saia que Yoongi usava e viu que o mesmo vestia uma cueca jockstrap, que deixa à mostra sua entrada e lhe deixou mais excitado. Min logo empinou sua bunda e deu leves reboladas em cima da ereção do Park, deixando-o louco.

— Onde tem camisinhas? — perguntou Park com voz rouca.

— Aqui. — Yoongi apontou para uma gaveta entreaberta.

Park pegou a camisinha e o lubrificante que estava ao lado dele, logo derramando uma quantidade generosa do líquido em seus dedos e rodeando a entrada do outro com os mesmos, uma forma de torturá-lo.

Quando Jimin percebeu que Min já rebolava em seus dedos, um pedido silencioso para que os introduzisse logo, Jimin colocou o primeiro dedo de forma ágil, fazendo o outro gemer manhoso com a nova sensação. Introduziu dois de uma vez, começando a fazer movimento de tesoura para alargar o mais velho, que gemia e rebolava involuntariamente em busca de ainda mais contato. Jimin retirou os dedos de dentro do mais velho, ganhando um gemido de reprovação logo em seguida.

Jimin apressadamente abriu sua calça, retirando seu membro, que já estava rígido e pulsava, aliviando-se da pressão e logo colocando a camisinha. Precisava sentir Yoongi apertar seu pau desesperadamente.

— Vou te fazer gritar meu nome até ficar rouco.

Jimin estava possesso de desejo. Logo penetrou Yoongi, que gemeu alto devido à dor. Park esperou que o mesmo se acostumasse com seu volume. O mais velho logo rebolou, assim avisando para que o mesmo se movimentasse, então Jimin começou dando leves estocadas em Min, que gemia.

— Mais… — sussurrou Yoongi.

— Mais o que? — Park começava a estocar com mais força, fazendo com que a mesa fosse arrastada.

— M-mais rápido, Jiminie, p-por favor — dizia Yoongi, imerso em prazer.

Jimin começou a ir mais rápido, tão rápido que a mesa se arrastava. Yoongi gemia loucamente, juntamente de Park que estava adorando a sensação de seu pau ser apertado por Yoongi.

Yoongi gemeu alto, despencando sua cabeça para trás, denunciando que havia sido atingido na próstata.

Jimin estocou com mais força no mesmo lugar que Yoongi havia pedido e, quando sentiu que estava chegando ao seu ápice, começou a estimular o membro de Yoongi no mesmo ritmo de suas estocadas, tirando do mais velho gemidos altos e arrastados.

— Goza para mim, Yoon — disse alto.

Yoongi podia sentir um frio gostoso na boca do seu estômago que percorreu todo seu corpo. Logo arqueou suas costas e gozou; o mesmo urrou quando chegou ao clímax. Jimin, percebendo que Yoongi tinha gozado, deu mais duas estocadas e se desfez, chegando ao seu ápice. Retirou-se do mais velho e jogou a camisinha na lixeira que tinha ali, depois deu um beijo nas costas de Yoongi, que ainda estava debruçado sobre a mesa, exausto.

A música alta ainda tocava do lado de fora, deixando os dois despreocupados sobre o fato de que alguém pudesse ter os escutado.

— Gostou da surpresa? — perguntou Yoongi depois de alguns minutos de silêncio entre os dois.

— Eu amei, Yoon. — Virou-se para ver melhor o rosto do mais velho.

Yoongi sorriu e deixou um beijo nos lábios de Jimin.

— Temos que voltar antes que o Hobi e o Taehyung percebam que sumimos.

Jimin concordou levantando e se limpando com os lenços que Yoongi havia o entregado e o ajudando a se limpar também.

Os dois foram até a porta, e Yoongi roubou o selinho do menor antes de saírem e voltarem à mesa.


[2 anos depois]


— Amor, você acha que eu deveria ir de vestido para o nosso casamento? — propôs Yoongi em um tom de provocação. — Em homenagem à primeira vez que ficamos... e à Love Me que você finalmente publicou.

— Para ser sincero, eu não reclamaria nem um pouco se você fosse ao nosso casamento de vestido. Acho que você ficaria perfeito, como sempre.

Yoongi sorriu e puxou Jimin para um beijo demorado.

Os dois deitaram na cama e adormeceram juntos. Faltavam poucos dias para o casamento, mas, mesmo assim, não estavam tão ansiosos como achavam que estariam. Já fazia tempo que viviam como um casal, apenas assinariam seu amor em um papel agora.


[Cerimônia]


— Não achei que viesse assim mesmo — cochichou Jimin para Yoongi enquanto a cerimônia começava.

— Você dúvida muito de mim às vezes — cochichou de volta.

Durante a cerimônia, os dois apenas se olhavam, não prestavam atenção no que era dito, prestavam atenção apenas um no outro e em como transbordavam quando estavam juntos. Nada mais importaria além da presença um do outro.


[1 anos depois]


— YOOONNNN — gritava Jimin pela casa, atrás do seu marido, encontrando-o na cozinha cozinhando.

— Oi, Jiminie.

— O pedido de adoção foi aceito. — Deixava lágrimas escorrerem pelo rosto, logo enxugadas pelo marido. — Nós vamos ser bons pais, não vamos Yoon?

— Vamos sim. — Sorriu para o menor, deixando um selinho em seus lábios.


[36 anos depois]


— Pai? Como o senhor está? — Chamou a atenção do pai, que olhava atentamente para a lápide no chão.

— Oi, Ji, eu estou melhor... Eu acho. Sempre achei que eu partiria primeiro, não era justo com ele, ele ainda tinha muitas vontades.

— Não se culpe, pai, o tempo sempre nos leva uma hora e a hora dele chegou... — Ji riu sem graça. — Falando assim eu até pareço estar bem, mas vamos superar juntos, não? Ele pediu para que conseguíssemos isso juntos.

— Jimin sempre colocou muita fé em nós dois. Mas nós vamos conseguir sim, filha, não se preocupe. — Yoongi abraçou a filha por um longo tempo.


[5 anos depois]


— Eu estou sozinha agora, mas vocês dois me criaram bem, vou conseguir me virar — falava, mesmo sabendo que ninguém poderia escutá-la. — Amo vocês.

Olhava para as lápides lado a lado que, juntas, formavam uma frase:


“Agora não há mais luz, nem som, mas eu ainda te amo e sempre vou te amar. Você sabe.”


“Eu sei.”

28 Juin 2021 00:28:45 1 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
3
La fin

A propos de l’auteur

2Min Pjct Projeto de fanfics do shipp Yoonmin (Yoongi & Jimin) do grupo sul coreano BTS. Nos encontre também no Wattpad (https://www.wattpad.com/user/2MinPjct), Spirit (https://www.spiritfanfiction.com/perfil/suji05), ao3 (https://archiveofourown.org/users/2minpjct) e twitter.

Commentez quelque chose

Publier!
giiviiana Lima giiviiana Lima
Liiiiinda, mas terminei com o nariz ardendo 😭
August 30, 2021, 23:24
~