stigrvcut sun

Jeongguk tinha uma vida tranquila se não fosse sua ansiedade batendo na porta de vez em sempre. Mesmo tendo tanto dinheiro, vivendo daquilo que sempre sonhou, nunca experimentou a felicidade plena. Tinha alguns poucos amigos e seu fiel companheiro, Kim Yugyeom. Amava aquele homem como nunca amou ninguém, ele era exatamente aquilo que sempre sonhou durante sua adolescência. Sempre atencioso, amoroso e compreensivo. Mas como nada na vida de Jeon era tranquilo, em um trágico acidente perdeu o noivo e do dia para noite se viu sem chão, e não parava de cair. Até Kim Taehyung chegar em sua vida. plot desenvolvido pela 𝘴𝘸𝘢𝘨𝘢𝘺 𝗱𝗮𝘁𝗮 𝗱𝗲 𝗶𝗻𝗶𝗰𝗶𝗼: 25/05/2021


Fanfiction Groupes/Chanteurs Déconseillé aux moins de 13 ans.

#kth #jjk #happyending #sadfic #angst #bts #vkook #jungkook #taehyung #taekook
0
2.2mille VUES
En cours - Nouveau chapitre Tous les 15 jours
temps de lecture
AA Partager

prólogo: estigma


estigma:

subs.masc.

1. marca ou cicatriz deixada por ferida.

2. sinal natural no corpo.





Já havia se passado três anos desde o fatídico acidente de carro que tirou a vida de seus pais tragicamente. Também havia três anos que Jeongguk tinha pesadelos com as lembranças desse dia.


Era apenas uma criança com nove anos recém completos, indefesa e carente de atenção especial, entretanto seus avós ㅡ a quem foi destinada sua guarda ㅡ não ligavam para os pedidos do pediatra e, das professoras da escola, quando diziam que o pequeno Jeon precisava de um acompanhamento psicológico.


Porém, Jeon Sohui sempre dizia que não tinha um neto maluco e que as crianças terem pesadelos era normal.


Com o passar dos anos Jeongguk não deixou de ter os sonhos ruins, mas eles já não o assustavam mais, estava se acostumando. Acordava assustado e apavorado, mas quando percebia que estava em seu quarto, se acalmava e deitava novamente.


Era apegado aos avós desde muito novo e amava Busan, não foi difícil se acostumar a sua nova realidade, porém se tornou muito mais carente e sempre queria atenção.


Então, aos doze veio a doença de seu avô.


Não estava pronto para aquilo, para mais uma despedida repentina de alguém que ele amava. Nunca esteve, mas o câncer não se importava com a dor que causaria, então ele se foi.


A partir daí, tudo que já estava ruim, piorou ainda mais. Teve, mais do que nunca, medo de perder sua avó e seu pequeno grupo de amigos.


Conviver com ele era sinônimo de morte? Estava começando a pensar que sim.


Amava seus amigos, mas se fosse o causador dessa dor toda, precisaria se afastar, e só a ideia doía demais.


Passou tantos dias chorando, que se perguntou se aquilo era humanamente possível.


Começou a ouvir dos colegas de classe que era afeminado demais, que homens não choram, e pior foi ouvir dos que considerava como amigos.


Apenas Min Yoongi, o encrenqueiro repetente, conseguiu ser paciente com os altos e baixos do mais novo.


Até a adolescente permaneceram juntos, se ajudando e apoiando. Principalmente Jeongguk, que frequentemente tinha momentos em que se sentia deprimido o suficiente para nem levantar da cama.


Yoongi, mesmo sendo leigo no assunto, percebeu logo do que se tratava e procurou na internet as melhores formas de ajudar o amigo, mesmo sabendo que só um acompanhamento médico o deixaria cem porcento.


Quando receberam juntos, a carta de admissão para a Universidade Nacional de Seul, comemoraram feito loucos.


Depois de quase um ano estando lá dentro, veio a primeira tentativa.


Por dividirem um apartamento próximo a faculdade, Yoongi sabia dos horários onde o encontraria no campus e na cafeteria onde tinha arranjado um trabalho de meio período. Entretanto, ele não estava em nenhum deles.


Ligou preocupado e não obteve respostas, então se apressou para chegar no prédio onde moravam.

Parecia tudo muito calmo e tranquilo se não fossem os sons de choro vindos do lavabo. Forçou a maçaneta abrindo a porta, revelando um Jeon todo amarrotado encolhido no chão frio e gelado com diferentes frascos de remédios vazios.


Tudo aconteceu muito rápido. Yoongi ligou para o socorro e tentou manter Jeongguk acordado. Apavorado viu os médicos socorristas pegarem o corpo mole e pesado do amigo e seus olhos fecharem.


Jeongguk ficou horas no soro até o efeito das drogas saíssem de seu corpo. Quando acordou ouviu o baixinho que nem era tão religioso assim agradecer a Deus por ter sido apenas um susto.


Nesse mesmo dia, se convenceu de que sozinho não aguentava mais. Começaria o acompanhamento psicológico.



10 Juin 2021 17:05:06 0 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
0
À suivre… Nouveau chapitre Tous les 15 jours.

A propos de l’auteur

sun ⿻ꦿ 𝐭𝐡𝐚𝐲 • 𝐟𝐢𝐜𝐰𝐫𝐢𝐭𝐞𝐫 • 𝐜𝐚𝐩𝐢𝐬𝐭𝐚 민윤기 ♡ 김태형 • 𝟗𝟑 & 𝟗𝟓 - 𝐦𝐨𝐧 𝐚𝐦𝐨𝐮𝐫៹ 𖧧 𝐋𝐎𝐕𝐄 𝐈𝐒 𝐌𝐔𝐓𝐔𝐀𝐋: #KTH & #JJK

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~

Histoires en lien