sabrina_ternura Sabrina Ternura

A jovem Tortura e sua madrinha, a Imperatriz, estão caçando um inimigo em comum: Narciso. Após um assassinato em forma de brincadeira, as duas recebem uma visita peculiar, que mudará o destino delas e de toda a família Infernal.


Histoire courte Déconseillé aux moins de 13 ans.

#fantasia #horror #InfernalFamily
Histoire courte
2
3.6k VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

Ensaio Sobre a Cegueira

— Estou cega. — A Imperatriz me confessa em voz alta, enquanto esbarra em algum móvel da sala.

A escuridão diante de meus olhos era profunda, mas a cegueira em si não me incomodou. O maior problema era que nós estávamos na caçada de uma vítima naquele exato momento.

A pequena cabana não era tão grande, havia somente dois cômodos: uma cozinha e uma sala (que servia de quarto, pois era onde a cama estava) e que já haviam sido minuciosamente investigadas por nós duas antes da cegueira cair sobre nós. O banheiro ficava do lado de fora — onde a noite extremamente sombria deixaria qualquer um que tentasse sair mais cego do que eu e a Imperatriz — e nós tínhamos certeza de que a vítima não havia saído, porque a única porta de acesso ao exterior estava trancada (e foi a última coisa que vimos antes de ficarmos cegas) e a chave estava comigo. Todas as janelas estavam bloqueadas pelas travas de segurança. Caso ele tentasse abri-las, nós ouviríamos o suave clic como se fosse um grito no perturbador silêncio que estávamos. O local era revestido de madeira da cabeça aos pés, então qualquer ruído que não fosse o nosso, denunciaria a localização da vítima. Dentro ou fora da casa, aquele homem narcisista não poderia se apoiar em nada, além de seu desespero.

— Imperatriz, — A chamo da cozinha. — Eu também estou cega. Talvez devêssemos ir embora. Provavelmente ele já fugiu sem que percebêssemos.

Minha companheira, percebendo rapidamente que se tratava de um blefe, me respondeu:

— Concordo. Até porque nós não vamos conseguir matá-lo nesse estado.

A única vantagem da vítima era a sua visão e, caindo em nossa armadilha como um coelho, ela passou a se mover juntamente conosco, enquanto andávamos em direção da saída. Com um dos nossos sentidos em desuso, os demais ficaram aguçados, por isso, Imperatriz, ao ouvir um passo a mais fora da nossa sincronia de movimento, lançou sua faca em direção ao barulho, no mesmo instante que eu lancei minha adaga.

Um baque surdo foi ouvido caindo no chão. Dou um longo suspiro e digo:

— Finalmente! Essa venda estava machucando meus olhos.

— Queria ajustar o ângulo para acertar a testa dele, desculpe se demorei. Estava contando a distância dele de mim contando os passos. — A Imperatriz me responde, enquanto tira sua venda.

Concordo fazendo um leve aceno de cabeça e guardo no bolso a máscara escura que Ternura carinhosamente costurou para mim e Flávia, quando ela ouviu a Imperatriz dizer que gostaria de brincar de Assassina Cega ¹.

— Acertei bem no centro da cabeça. A morte foi instantânea. — Minha parceira comenta com a mão no queixo, contemplando a sua obra.

— Diabo… — Praguejo em voz baixa.

— O que foi?

— Não encontro minha adaga.

— E eu não encontro a orelha dele.

Nós duas arqueamos as sobrancelhas e passamos a procurar a arma e a orelha perdidas. Quando começamos a nos locomover para a cozinha, senti alguém puxar a barra de meu vestido. Meu primeiro impulso foi virar-me rapidamente e impulsionar a perna com força para trás, para que o dispositivo da lâmina na ponta da minha bota fosse ativado, mas, por algum motivo, lembrei-me que Tristeza certa vez me disse:

— Nunca chute antes de verificar quem ou o que é. Pode ser algum ser mágico tentando te ajudar.

Em respeito aos Deuses Ocultos e todas as suas mágicas criações, abaixo lentamente os olhos e me deparo com uma criatura muito pequena, que possuía mãos enormes penduradas em seus finos braços. Em seu rosto, seus olhos eram o destaque, pois estavam sem os globos oculares e somente um profundo vazio me encarava. Olho para Flavia e ela rapidamente levanta as mãos em forma de rendição ao dizer:

— Juro que não fui eu que arranquei os olhos.

Contenho o riso e, abaixando-me para tentar ficar na mesma altura do Duende ², sorrio nervosamente ao dizer:

— Você sabe onde está a minha adaga, pequenino? Ela é muito preciosa para mim. Foi a minha Mestra que me deu.

Ele balança a cabeça positivamente e de repente some, mas um segundo depois retorna, como se tivesse se teletransportado, entregando a mim a adaga negra com a orelha presa na ponta. Pego minha arma e retiro a orelha, dando-a para o meu novo amigo.

— Um presente para você. — Digo e o Duende tenta abrir um sorriso de agradecimento, mas sua boca está costurada.

Antes que eu pudesse falar mais alguma coisa, ele subitamente desaparece, deixando para trás o som de uma risadinha abafada e um papel dobrado. Pego com a ponta dos dedos o minúsculo bilhete e ouço a Imperatriz dizer:

— Qual o nome dele?

— Rumpelstiltskin. — Respondo, após ler com certa dificuldade o pequeno papel.

— Ele gostou de você. — Minha amiga comenta.

Com um suspiro aliviado, revelo:

— É melhor tê-lo ao nosso lado do que contra nós.

8 Mars 2021 19:10:48 4 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
3
La fin

A propos de l’auteur

Sabrina Ternura 🌼 "Siamo fatti di-versi, perché siamo poesia" // 22🌈 SP // 📚 Estudante de Letras PT-ITA, bruxa nas horas vagas, apaixonada por plantas e pelas palavras ☕🧁

Commentez quelque chose

Publier!
Just Ignore Just Ignore
Pelo ardor do Inferno, mas que obra sombriamente adorável temos aqui! Logo no início somos tomados pela curiosidade dada a estranheza da situação em que a história se desenrola. O modo como tudo foi narrado e descrito criou uma atmosfera que prende o leitor e conforme os eventos ocorrem, somos brindados com a criatividade deleitável e malevolente da autora em introduzir uma versão doentia de um jogo clássico infantil, bem como uma brutalidade requintada e a adição perfeita de uma potencial ameaça sobrenatural para duas protagonistas que já representam perigo per si. Absolutamente fascinante! Me sinto realmente agraciado e inspirado por ler esta maravilhosa criação de alto nível, Divina Brina! Interessante, muito bem escrita e sinistramente divertida, além de mostrar uma parceria que com certeza adoraríamos ver outras vezes! Meus sinceros parabéns por mais esta maravilha literária, Srta Tortura! Belíssimo trabalho/homenagem! Cegamente, Honjok.
May 02, 2021, 00:37

  • Sabrina Ternura Sabrina Ternura
    É sempre um deleite ler seus comentários! Fico feliz que tenha gostado. Obrigada pela presença e comentário, Diab <3 May 12, 2021, 02:09
Yvi  Yvi
O que dizer do início de uma longa e conturbada jornada? Em pensar que na época que você escreveu, nem sequer imaginávamos que chegaria ao ponto de criar um universo completo das nossas loucuras. Imperatriz e Tortura ao ataque, hoje e sempre!
March 08, 2021, 22:40

  • Sabrina Ternura Sabrina Ternura
    É verdade... Na época, nós nem imaginávamos a proporção que essa história toda iria tomar. Fico feliz que esse universo foi construído por essa empreitada de ambas as personagens. Obrigada pela presença e comentário, Flavinha ♥ April 24, 2021, 01:15
~
Garraduende
Garraduende

Se Garraduende é o centro deste universo, a família Infernal é o campo gravitacional dele. Constituída por seres de raças completamente diversificadas, essa família ensina que existem laços mais fortes do que os sanguíneos e que, por vezes, o amor familiar pode ser desperto até mesmo nos corações mais sombrios. Com personagens carismáticos, misteriosos e poderosos, o leitor ira se divertir e se intrigar conforme realiza a leitura das narrativas — que sempre possuem os gêneros e as estruturas mais diversificados possíveis. Este universo não poderia ter nascido sozinho, por isso, seria inevitável não citar os autores que colaboram com o desenvolvimento dessas histórias. Sempre divertida e criadora de enredos mirabolantes, a @FláviaYvi é uma companheira de teorias e ideias e, neste universo, os leitores a conhecerão pela alcunha de Imperatriz. Sempre me apoiando e desenvolvendo as tramas mais obscuras, o @Honjok é aquele que mantém meus pés no chão e me mostra o quão profundo este universo pode ser; nestas histórias, os leitores irão conhecê-lo por Diablair/Tio Diab. Por último, mas não menos importante, está a pessoa que tornou tudo isso possível e que sempre me incentiva a continuar: o @FelipeVasconcelos, parceiro de todas as horas e da vida, que me ajuda a organizar ideias, planejar roteiros de enredos e criar personagens incríveis. Nas narrativas, os leitores irão reconhecê-lo nas caçadas do Blake, no coração puro do Philip e no espírito aventureiro do Jake. Que este universo possa te fazer viajar para um mundo onde os limites são destruídos, os corações são arrebatados e as diferenças são deixadas de lado. Sejam bem-vindos a Garraduende — e tomem cuidado para não perderem seus olhos. En savoir plus Garraduende .