Histoire courte
0
2.5mille VUES
Terminé
temps de lecture
AA Partager

3 É Um Número Perfeito


Notas Iniciais:

Olá ^^

Trazendo mais uma fanfic fofa poliamor, que eu tenho pensado no plot há muito tempo, mas que só consegui finalizar agora que tive tempo de respirar com o final de As Duas Versões de Você (quero ver se consigo trazer oneshots e short fics entre a finalização de uma long e o início de outra).

Espero que gostem, assim como eu amo esse trio ^^


Boa leitura


----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


Yanchen estava começando a ponderar se a ideia de virar trainee e não ficar apenas como ator fora a melhor que tivera em sua vida. Mudar sua rotina e ter ensaios de canto, em si, era muito bom e vinha com a oportunidade de ser reconhecido e ter seu debut como cantor. Mas aquelas vantagens competiam com um problema que tinha nome e sobrenome: Ding Zeren.

O baixinho que dividia a sala de ensaio com ele na maior parte do tempo. O garoto visto como narcisista e barulhento que saíra de uma das maiores empresas de entretenimento da Coreia para tentar ser famoso em seu país de origem e que agora bagunçava a vida de Yanchen.

Tudo começara aos poucos. Eles não conversavam muito no começo, mas tinham o amor pela dança em comum, então acabaram se aproximando e o menino quieto e silencioso acabara mostrando seu lado brincalhão. Zeren era bonito, talentoso, engraçado e eles descobriram uma química irreal, principalmente depois de ser cuidado com tanto carinho ao desmaiar durante um ensaio. Yanchen sabia que eles acabariam em uma cama se não fossem as circunstancias.

E a maior delas era o fato de Yanchen ter um namorado.

E ele amava Xingjie. Amava demais para se deixar levar e desrespeitar o relacionamento de quase três anos que tinham. Então decidiu que fingiria não perceber o quanto Zeren o afetava, por mais difícil que aquilo fosse.

- Você tá legal? – uma mão tocou seu ombro, fazendo com que despertasse de seus devaneios e encontrasse o olhar preocupado de Xingjie.

- Sim. Só estava pensando um pouco. – tratou de tranquiliza-lo. Lembrar do quão nervoso e preocupado ele ficara ao saber de seu desmaio ainda o fazia se sentir culpado. – XiaoGui já saiu do banheiro? Eu preciso de uma ducha.

- Não... Ele tem uma espécie de encontro com o BuFan, então vai demorar a vida lá dentro. – Xingjie brincou com os cabelos sempre bem alinhados de Yanchen e recebeu um sorriso como resposta. Mas o momento fofo do casal foi quebrado por Zeren, que entrou na sala de ensaio.

Xingjie não era cego e via o quanto Zeren mexia com Yanchen e o quanto o namorado tentava fugir do que sentia. Se fosse ciumento, - como Yanchen era - estaria surtando e exigindo uma explicação, mas não conseguia ser assim. Não quando sabia que ele o amava.

- Desculpa, Jie-ge... Posso roubar seu namorado um pouquinho? – pediu, sorrindo e apontando a bagunça que estava seu cabelo. – Ele é meu hairstylist, você sabe.

- Sei sim. Acho que ele devia começar a cobrar, porque você e o Zhou Rui são muito folgados. – ele implicou e Zeren mostrou a língua, puxando Yanchen pela mão para que saíssem dali. Os dedos dos dois se entrelaçaram tão naturalmente que Xingjie teve que se segurar para não fazer um comentário.

----------------------------------------------------------------------------------------------------------

Os dias passaram e a situação ficava cada vez mais insustentável. Zeren não escondia seu interesse, muito pelo contrário, todo momento era propício para toques, carinhos e monopolizar a atenção de seu gege. Até mesmo as fãs do ator achavam que eles combinavam e faziam vídeos para a internet com o pouco de material que conseguiam de suas contas no Weibo. Mas, apesar de querer ser ainda mais explícito, não queria pressionar Yanchen e acabar com a amizade que tinham.

Yanchen, por outro lado, não conseguia mais fugir. Não quando tinha as mãos quentinhas em seu rosto e cabelo ou toda aquela atenção e falação que não tinha com Xingjie. Não que o namorado fosse ruim, era apenas diferente, e isso era o que o fazia ficar dividido. Ele amava o jeito fechado e silencioso de Xingjie, com todas aquelas declarações veladas e afagos discretos, mas também se derretia com o jeito extrovertido e demonstrações mais abertas de carinho que vinham de Zeren.

Yanchen se sentia completo com os dois.

E ainda tinha Xingjie em meio a tudo isso e ele estava cansado de toda aquela tensão sexual. Ele sabia que nenhum deles faria um movimento – Yanchen por respeito ao namoro e Zeren por respeito ao Yanchen – então decidiu intervir, ou acabaria enlouquecendo.

- Posso falar com você? – Zeren se assustou, pois estava concentrado na coreografia.

- Hum... Claro. Aconteceu alguma coisa? – ele viu o mais velho sentar e fez o mesmo, preocupado com a expressão séria do outro.

- Não. Ou melhor, ainda não. – Xingjie suspirou. – Eu sei que gosta do Yanchen. – Aquela informação pegou o dançarino tão de surpresa que ele arregalou os olhos e se engasgou ao tentar se explicar. – Não tente negar. Até um cego perceberia. Vocês não são nem um pouco discretos.

- Mas, Jie-ge... Eu juro que não aconteceu nada! Se alguém disse alguma coisa, é mentira!

- Eu sei que não rolou nada porque o Yanchen é muito sincero e teria me contado. Mas eu sei que vai acontecer, uma hora ou outra. Porque Yanchen me ama, mas também gosta de você.

Zeren ficou em silêncio, tentando entender o motivo de Xingjie estar falando aquilo de forma tão calma e sem parecer estar com ciúmes.

- E o que você quer falar pra mim? – ele perguntou, ainda um pouco perdido em meio aquela conversa.

- Eu só quero que saiba que não vejo problema que aconteça algo entre vocês. O amo o suficiente pra dar o mundo se ele quiser, então... Se ele te quer, eu darei isso á ele. – o sorriso de Xingjie não acalmava o coração de Zeren. – Mas que fique claro que ele não é seu. Se decidir entrar nessa, tem que saber que eu estava aqui primeiro e vou continuar. E eu só saio do caminho se ele pedir.

Os dois se encararam por um tempo e Zeren ponderou o que ouvira. Se Xingjie não via problema, então só teria que seguir seu coração e se abrir com Yanchen, certo? Mas e se os dois estivessem errados? E se Yanchen não gostasse dele daquela forma?

- Eu só queria deixar essas coisas claras pra que vocês parem com tanta enrolação. – ele se levantou e seguiu pra porta, percebendo que Zeren ainda estava um pouco atônito com todas aquelas informações. – Não pense demais, baixinho.

E Xingjie foi para o quarto. Era o aniversário de Yanchen e ele queria preparar algo legal para ele, então estava terminando de escrever uma música. Ele era assim, afinal. Não era muito bom em demonstrar seus sentimentos no dia a dia, mas sabia que sua música falava por si. E, principalmente, sabia que Yanchen ficava todo bobo quando escrevia pra ele.

----------------------------------------------------------------------------------------------------------

A noite caiu, trazendo Yanchen para o quarto. XiaoGui, um rapper da empresa que dividia o apartamento com eles, não dormiria ali aquela noite, já que tinha praticamente se mudado para o dormitório do namorado – que a CEO não soubesse, já que BuFan era de outra empresa – então Xingjie e Yanchen estavam sozinhos. Então puxou o namorado para seu colo, selando os lábios com carinho e recebendo um sorriso muito bonito como resposta.

Ele sempre tinha os melhores sorrisos.

- Você sumiu o dia todo. – Xingjie reclamou. – Nem pude te falar feliz aniversário. – ele distribuiu alguns beijos pela pele branquinha do pescoço do mais novo e foi presenteado por um gemido baixo.

- Me mandaram fazer um check-up essa manhã e acabou que eu tive que passar na emissora pra recusar aquele papel no mês que vem, por isso só consegui voltar agora. – ele fez uma expressão desolada por ter perdido o dia todo fora e não ter curtido com o namorado e os amigos.

- Eu tenho um presente pra você. Mas antes... A gente precisa conversar.

A expressão de Xingjie era serena, mas o tom de voz mostrava que a conversa era realmente séria, então apenas assentiu e deixou que ele continuasse.

- Eu sei que você tem sentimentos pelo Zeren. – Yanchen abriu a boca para contestar, mas Xingjie o interrompeu com um selinho. – Quieto. – ele sorriu. – Eu sei que gosta dele e que ele gosta de você também. Eu não estou brigando com você, mas quero que seja sincero comigo.

Yanchen estava tenso e sentia seu coração ficar apertado. Como diria ao namorado que gostava mesmo de outra pessoa, mas que não deixava de amá-lo por causa disso? O que Xingjie pensaria? Seu rosto ficou quente e ele sabia que era por conta da vergonha que sentia.

- Eu... Eu te amo, Xingjie. Amo muito. – ele declarou, tentando não falar o que o outro pediu. Sentiu a mão dele em seu rosto em um carinho suave.

- Eu sei que me ama. Eu também te amo. Mas não é sobre o nosso amor que estamos falando. Você gosta do Zeren?

Yanchen concordou com um aceno de cabeça, mas sabia que o namorado não ficaria satisfeito com aquilo. Os dois sempre foram muito sinceros um com o outro e o diálogo era a base do relacionamento deles.

- Sim, eu gosto. Mas nada vai acontecer, tá? Eu prometo que vou me afastar e, uma hora ou outra, vou esquecer isso. – Xingjie sorriu, negando com a cabeça. – Você não acredita em mim?

- Acredito, mas não tem necessidade de fugir do que está sentindo. Não tem motivo pra machucar seu coração. – outro beijo foi depositado nos lábios grossos. – Eu quero que sempre esteja feliz. E se a sua felicidade depende de outra pessoa além de mim, eu não vejo problema. Desde que me diga se eu deixar de ser necessário pra você.

Yanchen estava surpreso. Tão surpreso que ficou encarando o mais velho por um bom tempo antes de se dar conta do que ele dizia. Não conseguiu fazer nada mais do que beijá-lo com vontade, embrenhando os dedos nos cabelos curtos e mordendo os lábios bem desenhados. Sentiu a mão de Xingjie percorrer sua coxa e apertá-la, tirando um gemido dos dois. Mas não prolongaram o contato mais íntimo.

- Eu te amo tanto... – Yanchen sussurrou no ouvido de Xingjie, que só sabia sorrir como um bobo. – Como eu pude arrumar um namorado tão perfeito?

- Se eu soubesse que você ficaria assim, eu teria deixado você brincar com o Zeren há tempos. – a brincadeira rendeu um tapa fraco no peito do mais velho e os dois riram.

- Você não se importa mesmo? Quer dizer... E se isso evoluir? Eu não quero te perder.

- Eu não preciso que seja apenas meu pra provar que me ama. Eu sei que me ama e não ligo de dividir. Mas o baixinho vai ter que entender que quem manda nesse relacionamento doido é você.

Yanchen sentiu o coração se aquecer e escondeu o rosto no pescoço de Xingjie, sabendo que tinha escolhido a melhor pessoa do mundo para ser seu namorado. Só esperava que seu coração tivesse acertado na escolha da outra pessoa também.

----------------------------------------------------------------------------------------------------------

Quando Yanchen encontrou Zeren depois daquela conversa com Xingjie, não pôde dizer que foi a coisa mais confortável. Não era porque tinha o apoio do namorado que conseguiria simplesmente se declarar e acabar com toda a tensão que envolvia a amizade deles.

Tudo entre eles sempre tinha acontecido de forma tão natural que fazer aquele momento ser diferente parecia muito errado, mesmo que as coisas parecessem que não fossem desempacar por vontade do destino daquela vez.

Por isso estavam há quase uma semana sem se falar direito e aquilo estava enlouquecendo Yanchen. Principalmente porque sabia que, nos últimos dias, Zeren estivera com amigos coreanos que tinham ido visitá-lo.

E se ele quisesse voltar para Coreia? E se não falasse mais com ele por causa daquela coisa toda?

- Vocês pensam demais. – XiaoGui estava jogado no chão da sala de ensaio, tentando recuperar a respiração depois de Yanchen ter passado uma sequência de passos realmente cansativa. – Sabe como eu fiz pra conquistar o BuFan? Agarrei ele. Simples. – Falando daquele jeito nem parecia um adolescente que tinha completado 18 anos há pouco tempo.

- As coisas não são assim pra todo mundo. Sem contar que nenhum de vocês estava namorando na época. – ele viu o amigo desviar o olhar e ficou horrorizado. – Linkai! Que história é essa?

- Ah, eu não tinha como saber que ele e o YueYue estavam enrolados, né? E depois foi só um beijo. Ninguém morreu por causa disso e eu sabia que o BuFan me queria, então não tenho do que me arrepender.

Ele levantou e saiu da sala com a desculpa de encher a garrafa d’água, mas Yanchen sabia que ele demoraria a voltar. XiaoGui era muito mais adepto ao rap do que à dança, mesmo que fosse muito bom em ambos. Decidido a ignorar aquela conversa louca e tudo o resto, ligou a caixa de som e voltou a dançar.

Dançar sempre o deixava mais calmo e ajudava a colocar os pensamentos no lugar, sem contar que era o que mais amava fazer na vida e tentava aperfeiçoar desde que se entendia por gente. Amor esse que compartilhava com Zeren.

Ele parou por um segundo, se censurando por não conseguir parar de pensar no outro dançarino nem por um instante. Aquilo estava se tornando ridículo aos seus olhos. Mesmo que estivesse interessado, não significava que precisava pensar nele o tempo todo, certo? Podia pensar em Xingjie também. Ou parar de ser tão meloso, romântico e compulsivo por relacionamentos e apenas prestar atenção no que estava fazendo.

Sua concentração estava longe e, somada à irritação que tinha de seus próprios pensamentos, não demorou para que um acidente acontecesse. Mas só se deu conta quando seu corpo foi ao chão e uma dor horrível tomou seu tornozelo.

- Você tá bem? – ele mais sentiu do que realmente ouviu a voz de alguém em seu ouvido. Estava com os olhos fechados como se o fato de não olhar para o pé torcido fizesse a dor diminuir, então não viu ninguém se aproximando. – Ei, Yanchen... Me fala onde machucou.

O salvador era Zeren, que estava parado à porta observando Yanchen dançar sem ser notado. Não era como se estivesse espionando, mas apenas esperando o momento certo para conversarem. O tempo que passou com os amigos e as conversas que teve abriram seus olhos para o fato de que precisava acabar logo com aquela tensão idiota. Se tinham o consentimento de Xingjie, por que ainda não estavam juntos?

- Zeren... – Yanchen abriu os olhos, o encarando com uma expressão de dor que o afligiu. Não gostava de vê-lo assim.

- Eu vou até a enfermaria pegar um gel e uma faixa pra imobilizar seu pé, tudo bem? – não precisava ser um gênio para ver como o mais velho mantinha o pé esquerdo em uma posição estranha. – Não se mexe.

Ele fez menção de se levantar, mas Yanchen segurou seu braço, o puxando de volta para perto. Pensava em falar algo ou, ao menos, iniciar a conversa que estavam adiando tanto para ter, mas nada saiu de seus lábios a não ser um gemido baixo de dor por seu pé estar latejando. Zeren, por outro lado, entendeu o que ele queria dizer e não perdeu tempo, juntando os lábios dos dois em um selinho demorado.

-Eu sei... Eu também. – respondeu com palavras o que Yanchen tentara dizer com ações. - Mas precisamos cuidar de você primeiro, certo? Me espere aqui. – e, daquela vez, conseguiu sair da sala, apressado.

- Não é como se eu pudesse ir pra algum lugar com o tornozelo ferrado desse jeito. – sussurrou sozinho, sorrindo em seguida.

Parecia que as coisas estavam começando a se encaixar.

----------------------------------------------------------------------------------------------------------

- Você sabe que isso é besteira, não é?

- E você sabe que eu sou bonzinho, mas não um completo idiota, não é? – Xingjie se olhava no espelho e, apesar das palavras não tão gentis, encarava Yanchen pelo reflexo com um sorriso no rosto. – Eu preciso mostrar o motivo de você namorar comigo, sabia? Não posso deixar aquele baixinho achar que, só porque tem a cabeça menor, pode ganhar de mim na aparência.*

Aquilo era brincadeira, claro. Xingjie estava fazendo aquilo para tentar fazer com que Yanchen relaxasse um pouco sobre o primeiro encontro a três que teriam depois que ele e Zeren tinham se entendido.

Depois daquele selinho, as coisas começaram a fluir como deveriam. Naturalmente e de uma forma tão gostosa que eles nem se lembravam que passaram duas semanas se evitando. Yanchen, agora, além de ter a atenção e carinho do namorado, podia contar com o mesmo de Zeren, que era muito mais dado a demonstrações de afeto em público e sempre acabava deixando as fãs em polvorosa.

Mas, por conta da agenda lotada (e porque tinha sido muito difícil convencer Zeren de que não seria o fim do mundo), não tinham conseguido marcar um encontro dos três.

Não até aquela noite.

Eles não iriam a nenhum lugar chique ou onde seriam cercados de fãs assim que chegassem, pois precisavam conversar e ter um pouco de privacidade. Optaram por uma noite em uma pousada afastada do centro. Eles teriam um jantar tranquilo e poderiam curtir a noite sem problemas.

- Não sei quem é pior com essa mania narcisista. – Yanchen bufou e fez uma careta, nem um pouco contente.

- Dá um desconto pra ele, Yanchen-ge. Uma pessoa que parece um alien deve mesmo ter medo de ser trocado por causa da aparência, né? – XiaoGui colocou a cabeça para dentro do quarto e riu dos dois. Ele ficaria no dormitório aquela noite para o caso de alguém da empresa ligar. – Mas, mudando de assunto, hoje vocês três vão...

- Cala boca, Wang Linkai. E sai daqui. – Xingjie saiu da frente do espelho para empurrar o outro rapper para longe.

Yanchen não sabia se ficava envergonhado com a insinuação do amigo ou se ria da atitude do namorado. Xingjie e XiaoGui não mudavam nunca.

Depois daquilo, não demoraram a sair. Yanchen estava um pouco mais relaxado, mas parte dele começava a pensar no que XiaoGui tinha dito.

Será que eles iam...

Seu rosto ficou vermelho e ele teve que se controlar para não ter um acesso de tosse ao pensar na possibilidade. Sua sorte foi que Xingjie estava prestando atenção na estrada e não tinha notado.

Não que fosse um puritano virgem, mas uma coisa era dormir com Xingjie, outra era pensar em dormir com duas pessoas, mesmo que ambos fossem seus namorados.

- Não precisa ficar nervoso. Não é como se eu e Zeren não nos conhecêssemos e nem como se eu não estivesse de acordo com você ficar com ele.

- Eu não estou nervoso. – mentiu, mas percebeu que não convenceu Xingjie, que riu e tirou a mão do volante para passar a mão em sua coxa.

----------------------------------------------------------------------------------------------------------

O jantar tinha ocorrido melhor do que Zeren esperava. Ao contrário do que poderia pensar, o constrangimento inicial de estar com Xingjie em sua frente quando Yanchen o cumprimentou com um selinho tinha sumido com um pouco de conversa e, quando estavam sentados nos confortáveis sofás, cada um com uma taça de vinho branco em mãos, nem se lembrava do motivo de ter se sentido envergonhado antes.

- Você tinha que ver o tamanho que ficou o tornozelo dele aquele dia. Mas pedir pra ele tomar cuidado e nada é a mesma coisa. – o mais novo ali contava para Xingjie sobre o pé torcido de Yanchen, que tinha diminuído o caso para o namorado quando contou. Ele detestava ser uma preocupação. – E isso porque não faz nem seis meses do desmaio.

- Vocês poderiam parar de falar de mim como se eu não estivesse aqui, não é mesmo? – Yanchen reclamou, já que não sabia se gostava daquela amizade entre os dois. Já eram protetores demais separados, juntos então, seriam insuportáveis. – Não quebrei meu pé. Não morri. Não sei pra que tanto exagero. Você se machuca muito mais do que eu e não está me vendo fazer fofoca.

Zeren riu do bico que se formou nos lábios do outro e foi acompanhado por Xingjie, que também não conseguia ignorar o quanto Yanchen ficava fofo daquele jeito. Sem pensar muito, o mais velho puxou o namorado para o colo, ignorando os protestos do mesmo e mordendo os lábios cheios.

- Não seja chato. Nós só estamos preocupados porque você não sabe quando tem que parar. – sussurrou com as bocas muito próximas. Yanchen suspirou, totalmente entregue à voz do namorado. – E você merecia uns tapas por não ter me contado que ficou tão ruim assim. – Xingjie quebrou a bolha sensual e colocou Yanchen de volta em seu lugar.

Zeren acompanhou a cena sem nem ao menos piscar. Estava sentado na poltrona que ladeava o sofá onde o casal estava acomodado e tivera uma visão privilegiada do momento dos dois e do quão entregue Yanchen parecia ficar apenas com alguns toques e a fala macia do mais velho.

Podia parecer estranho, mas não se sentia incomodado por dividir. Não era algo que pensara fazer algum dia, já que sempre tivera uma personalidade ciumenta, mas não era como se sentia com Yanchen. Ver ele e Xingjie era normal. Até sexy, dependendo de como parava para analisar.

- Zeren também não é muito cuidadoso, se quer saber. – Yanchen voltou à conversa, como se não tivesse sido interrompido e como se não estivesse sendo encarado de forma predadora pelos dois outros homens no recinto. – E ele é meu parceiro de dança, então deveria brigar com ele por ser um mau exemplo.

Xingjie percebeu que Yanchen queria se livrar da aura sexual que se instalou no ambiente e logo voltou a conversar com os dois de forma mais descontraída, desfazendo o clima.

Yanchen poderia beijá-lo só por aquilo. Xingjie era o melhor namorado.

----------------------------------------------------------------------------------------------------------

A noite já estava bem alta quando os três ocupantes do chalé decidiram que era melhor dormirem. Xingjie teria uma gravação importante no dia seguinte e os dois dançarinos precisavam estar cedo na empresa para os ensaios diários, então recolheram a bagunça do jantar e as taças de vinho antes de se depararem com uma pequena questão: Em qual quarto cada um dormiria?

- Eu posso dividir o quarto com o baixinho aqui, se te deixar mais confortável. – Xingjie abraçou Yanchen por trás e deu um beijo em seu pescoço, ignorando a reclamação de Zeren sobre a brincadeira com sua altura. O lugar tinha um quarto com uma cama de casal e outro com duas camas de solteiro, e não via problema de deixar o namorado sozinho naquela noite.

Yanchen pareceu ponderar. Mordeu o lábio inferior e sentiu o rosto ficar vermelho com a possibilidade de fazerem algo a mais do que dormir, mas também tinha receio. Não queria ir rápido demais.

- Eu voto pra gente dormir logo, independente de onde, Huba. – para equiparar com a zoação por sua altura, Zeren usou o apelido que Xingjie menos gostava e acabou levando um tapa. – Isso é injusto!

Eles voltaram a ficar em silêncio até que Yanchen suspirou e andou até a porta de casal, ainda abraçado ao namorado. Para a surpresa deles, porém, ele estendeu a mão para que Zeren a pegasse e os três pudessem entrar no cômodo.

A cama não era enorme, mas comportaria os três de forma confortável, então por que não dormirem juntos? Não era porque estavam em uma cama que precisariam fazer algo além daquilo, certo?

Um por um, eles deixaram suas coisas em um canto e usaram o banheiro do quarto para se preparar para dormir. O tempo que usaram para aquilo foi entre alguns comentários amenos e eles nem pareceram estar tão nervosos ou ansiosos quando ocuparam seus lugares no colchão.

- Por que eu tenho que deitar no meio? – Yanchen reclamou. Gostava de dormir na ponta da cama, preferindo até encostar na parede quando tinha essa oportunidade, mas acabou entre os outros dois.

- Porque seria esquisito eu dormir abraçado ao Zeren. – Xingjie respondeu, abafando o riso em sua nuca, fazendo-o se encolher com o arrepio que sentiu. – Relaxa... Não precisa acontecer nada que você não queira. – ele disse aquilo enquanto deslizava os lábios na pele clara e sensível. Xingjie era sexy mesmo quando não fazia esforço, e sabia como deixar Yanchen entregue.

Zeren observou a interação e resolveu tranquilizar Yanchen sobre aquilo também. Se aproximou e levou uma mão ao rosto alheio chamando a atenção para si e ficando sem reação por um segundo ao vê-lo com os lábios entreabertos e tão convidativos.

- Verdade. Ninguém tem pressa aqui. – apesar de dizer aquilo com a voz tranquila, Zeren era o único sem camisa, o que fez Yanchen engolir seco ao ter a mão levada, de forma fofa até o peito dele. Não era para pensar em como a pele de Zeren era quente, era para prestar atenção no que ele dizia. – A gente tá se conhecendo ainda, descobrindo. Não é só sexo.

Mesmo que o receio de Yanchen fosse grande, ainda existia a curiosidade. Não podia mentir e dizer que não queria que acontecesse, mas também tinha um pouco de medo de estarem indo rápido demais. Não conseguiu deixar de dizer aquilo, já que acreditava que era importante que os dois entendessem o que estava sentindo.

Queria, mas não tudo. Pelo menos não naquele momento.

Zeren levou a mão de Yanchen até seus lábios e beijou os dedos longos lentamente, um por um, antes de fazer o mesmo com a palma da mão. Ele olhava em seus olhos tão intensamente que o fez respirar fundo para segurar um gemido. Não deu muito certo, já que Xingjie pareceu entender o que se passava na cabeça do mais novo e decidiu morder o pescoço do namorado com uma força controlada, apenas para provocar.

- A gente pode brincar um pouco, então? – Xingjie era um maldito provocador, sussurrando daquele jeito em seu ouvido. – A gente para quando você quiser...

----------------------------------------------------------------------------------------------------------

- Eu devia ter tirado foto da sua cara de bobo. - XiaoGui chamou a atenção de Yanchen, que sorria para a parede há um bom tempo, lembrando dos acontecimentos daquela noite. XiaoGui estava encharcado e, só por causa daquele detalhe, o mais velho ali se deu conta da chuva que caía do lado de fora. – Fala aí... Sou todo ouvidos.

- Você é todo curiosidade, isso sim. Não vou falar essas coisas com você. – o rapper encolheu os ombros e riu, já sabendo que só descobriria os detalhes sórdidos se conseguisse arrancar de Xingjie. O mais velho dos três sempre acabava falando tudo para ele.

Yanchen não deu atenção para a expressão divertida do amigo, resolvendo voltar ao que fazia, que era organizar suas roupas nas gavetas. Ou pelo menos era, até que seus pensamentos foram invadidos pelas lembranças daquela noite.

Zeren e Xingjie tinham cumprido a promessa de ir só até onde ele quisesse. Ou melhor, de irem até onde eles imaginavam que Yanchen queria, porque ele não conseguiu pedir para que os dois parassem, mesmo que sua consciência dissesse que era loucura se entregar de uma vez só. Tinha sorte de ter duas pessoas responsáveis junto com ele naquela cama.

Na cama e em sua vida. A cada dia que passava, se sentia ainda mais feliz por ter se deixado levar pelo que sentia por Zeren, assim como se sentia o cara mais sortudo do mundo por Xingjie ter deixado aquela loucura toda se tornar sua rotina.

- Tá suspirando. – a implicância de XiaoGui era pura brincadeira, mas Yanchen sabia que estava quase insuportável mesmo. Apaixonado demais.

- E você tá muito chato. BuFan não tá te dando atenção não?

- BuFan vive pra me dar atenção... E que atenção... – XiaoGui não viu a blusa que Yanchen jogou ir direto em sua cara por causa do comentário de duplo sentido. – Ei!

- Você é um pervertido.

- Você que tem dois namorados e eu que sou o pervertido? – ele sabia que apanharia por causa da provocação, então só pegou suas roupas e saiu correndo para o banheiro, na intenção de fugir de Yanchen.

É... Ele tinha mesmo dois namorados. E podia até ser estranho, diferente ou pervertido, mas ele estava bem com aquilo.

Sim, ele estava muito bem com aquilo.



-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------


Notas Finais:

Gostaram? Não? Me deixem saber ^^

Se gostam de fanfics de cpop, fiquem de olho porque tem mais vindo por aí!

2 Octobre 2020 01:59:38 0 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
0
La fin

A propos de l’auteur

Rak Black Potterhead. Kpopper. Apaixonada por cpop e rap chinês. Aprendendo Mandarim. Sonhando em sumir no mundo. Ouvir música, ler e escrever são as coisas que me movem.

Commentez quelque chose

Publier!
Il n’y a aucun commentaire pour le moment. Soyez le premier à donner votre avis!
~