monilovely Sai Daqui

A vida de Hokage não era exatamente o que Naruto pensava que seria. Depois de se afundar em montanhas de papel e problemas sem fim e criar muitos problemas com sua família, Naruto sem perceber acabou caindo em depressão e não via mais graça em nada que fazia, por mais que tentasse ao máximo. E depois de ficar sabendo de uma possível nova Akatsuki se formando, as coisas só se tornaram mais difíceis para ele. E durante essa sessão de conflitos, Naruto descobrirá que mesmo envolto em tanta negatividade e infelicidade, sempre tem uma luz no final do túnel. E a sua luz tinha o nome de Sasuke Uchiha.


Fanfiction Interdit aux moins de 18 ans.

#mitsuboru #sakukarin #tonehina #sasunaru
4
434 VUES
En cours - Nouveau chapitre Tous les dimanches
temps de lecture
AA Partager

Problemas

Em um mundo que era controlado por governos frágeis e onde conflitos entre nações era algo comum entre as pessoas, o uso das palavras “paz” e “tranquilidade” haviam praticamente caído no esquecimento. Uma grande porcentagem da população de todas as nações era treinada desde uma idade extremamente jovem para se tornarem futuros Shinobis e lutarem para defender sua nação de quaisquer conflitos futuros que poderiam ocorrer.

Naquele mundo, a felicidade era algo que acabava muito rápido, principalmente em tempos de guerra, onde em grande parte dos conflitos, as taxas de morte eram muito elevadas. Toda a paz que era conquistada entre nações podia ser facilmente desfeita com apenas um passo em falso, o que também levava a grandes chances de englobar outras nações ao conflito e gerar mais tensão e conflitos entre os mesmos.

Naquela época, era quase impossível considerar uma aliança entre todas as nações, ou até mesmo o fim completo dos atritos e conflitos entre as mesmas. Muitos simplesmente confiavam seus futuros ao sistema e se ofereciam - ou eram obrigados - a participar de diversos ensinamentos sobre como usar jutsus e aprender o controle de chacra para futuramente serem usados como armas militares com o único objetivo de derrotar o inimigo, sem poder ter qualquer tipo de emoção envolvida no campo de batalha.

Aquela situação enfrentada há tempos atrás parecia até um pesadelo que havia se tornado realidade, esses ainda afetando algumas pessoas até o dia de hoje. Felizmente, a maioria da população de todas as nações sorri ao pensar que haviam finalmente sido despertados daquele horrendo pesadelo, e que hoje viviam em tempos de paz e não necessitavam mais se preocupar com países entrando em conflito, já que a maioria dos Kage, os líderes de algumas dessas nações, tinham formado laços entre eles que ia além de apenas enfrentarem-se cara a cara para decidir o que era melhor para seus países.

Se tornar um Kage era algo muito prestigiado em todas as cinco nações, e até mesmo nas diversas que não possuíam Kages. Eles eram sempre olhados com respeito e grande parte da população os admirava como se fossem heróis. E, de fato, eles eram.

Toda a população de Konoha se lembrava do dia em que Naruto Uzumaki tomou o lugar de Kakashi Hatake e se tornou o sétimo hokage. Foi um dia de muita comemoração e alegria, afinal, o garoto que mais queria assumir aquele posto e deu seu máximo para proteger a todos durante a Quarta Guerra Mundial Shinobi iria finalmente assumir o cargo que tanto sonhou em conseguir desde criança.

Entretanto, mesmo tempos de paz podiam trazer problemas. Sem os conflitos entre as nações, o sistema shinobi se tornou ineficiente e uma grande quantidade de pessoas não tinha mais emprego e a renda de muitas famílias havia começado a cair. Sem mais ninguém para contratar serviços dos Shinobis e outros ninjas, as pessoas foram perdendo emprego e uma crise havia começado a crescer e assolar a maioria das nações.

Além de que, o trabalho de hokage não era do jeito que Naruto imaginava. Com o fim da guerra e o crescimento da crise, a papelada que chegava todos os dias na sala de Naruto também começou a crescer, já formando diversas pilhas que mal deixavam o chão ser visto. Ele não tinha mais tempo para sair com os amigos e nem mesmo para parar em casa e ficar com seus filhos e sua esposa, nem que fosse para comer alguma coisa. Tanto que, no aniversário de sua filha mais nova, teve que mandar um clone no seu lugar pelo trabalho tomar seu tempo por completo.

As coisas em sua casa também não estavam boas. A cada dia que passava, Naruto se sentia cada vez mais distante de sua esposa e de seus filhos. Hinata e Himawari não pareciam se importar tanto com o fato de ele ser ausente, pois sabiam que ele tinha muito o que fazer em seu trabalho. Entretanto, Boruto, seu filho mais velho, sempre achava um jeito de provocar Naruto com esse assunto e reafirmar como estava insatisfeito por ele não parar mais em casa.

Por mais que ele gostaria de fazer algo a respeito da insatisfação de sua família, Naruto precisava, acima de tudo, encontrar uma solução para a crise que assolava sua vila e todas as outras.

Ele não podia sequer pensar em descansar enquanto não encontrasse uma solução para aquele problema.

(...)

O dia já havia começado extremamente agitado, não que fosse algo novo para os que trabalhavam na Torre Hokage. Apesar de estar um lindo dia lá fora e com uma grande calmaria para sair de casa e aproveitar um momento com amigos e familiares, todos tinham que correr de um lado pro outro para realizar suas tarefas em tempo, principalmente agora que corria o boato de uma futura reunião de Kages para discutir a crise do sistema shinobi.

Shikamaru se dirigia para a sala do Hokage com uma pilha de papéis nas mãos e um olhar entediado no rosto. Mais uma vez ele estava entulhado de trabalho pra fazer e não poderia passar tempo com Temari e Shikadai, de quem ele sentia falta sempre que o trabalho ficava muito cansativo. Mas, ele tinha que fazer seu trabalho. Precisava do dinheiro para sustentar sua família, mesmo que fosse ruim, era melhor do que estar desempregado e, apesar de não gostar de admitir, agradecia à Naruto por deixá-lo ser seu braço direito.

Soltou um suspiro pesado ao chegar à porta da sala do Hokage, imaginando a quantidade de pilhas de papel que ele encontraria espalhadas pelo chão e a postura que Naruto estaria tomando em sua cadeira.

Virou a maçaneta com calma e abriu a porta lentamente, se encontrando de cara com grandes pilhas de papel próximas à parede e um Naruto adormecido com a cara em cima do notebook e mais papéis ao seu redor. O de cabelos negros revirou os olhos e se aproximou do loiro, dando-lhe alguns chacoalhões numa tentativa de acordá-lo.

- Nanadaime. - chamou-o, porém tudo o que conseguiu foi alguns grunhidos do loiro. - Hokage-sama. - tentou novamente, dessa vez conseguindo grunhidos mais altos. - Naruto! Acorda!

O maior quase pulou da cadeira ao ouvir o tom de voz irritado do amigo. Ao se tocar de que havia adormecido, chacoalhou a cabeça e ajeitou seus cabelos loiros despenteados, focando rapidamente seu olhar no rapaz de cabelos presos.

- Algum problema, Shikamaru? - perguntou Naruto, ainda tentando se distrair do sono que batia em sua cabeça. O outro arqueou a sobrancelha e cruzou os braços.

- Você não deveria estar dormindo no trabalho, Hokage-sama. - Naruto abriu um sorriso torto e levou a mão aos cabelos loiros.

- Shikamaru, já te disse que pode me chamar só de Naruto. Não precisa dessa formalidade de Hokage-sama ou Nanadaime. - o de cabelos escuros suspirou. - Mas enfim, qual é o problema?

- Vim aqui pra tratar do assunto da crise. - só de saber o tema da conversa que Shikamaru queria ter com ele já foi suficiente para Naruto se sentir desanimado. - As coisas estão ficando cada vez piores e as pessoas estão começando a se preocupar que o sistema esteja falindo, o que está. Não vai demorar muito para que grupos revoltosos comecem a se formar e a atacar pessoas inocentes só para voltarem a contratar ninjas como guarda-costas. - Shikamaru soltou um suspiro. - Talvez seja melhor reunimos os Kages para discutir isso. Não há nenhuma dúvida de que este problema também esteja consumindo as outras nações.

Naruto abaixou um pouco o olhar, pensando naquela proposta. Realmente, as coisas estavam ficando bem ruins naqueles dias. A possibilidade de os conflitos voltarem estavam crescendo e a população estava cada vez mais ciente disso.

- Naruto, você deveria fazer um intervalo. Você está acabado! Não dá pra trabalhar com eficiência desse jeito! - pronunciou Shikamaru.

Uma risada curta escapou entre os dentes de Naruto enquanto o mesmo erguia o olhar para encarar o de cabelos presos.

- Por mais que eu adoraria fazer um intervalo, Shikamaru, eu não posso. Tem todo esse problema da crise, tenho que cuidar das relações comerciais entre Konoha e as outras vilas e ainda preciso resolver alguns assuntos em casa. Eu não tenho tempo para intervalos.

Um silêncio breve se fez até ambos ouvirem duas batidas na porta.

- Pode entrar. - disse Naruto.

A porta de madeira se abriu lentamente, permitindo que uma das assistentes do Hokage entrasse na sala.

- Com licença, Nanadaime, seu filho está aqui para vê-lo. - anunciou a garota. Naruto acenou com a cabeça, permitindo que ele entrasse. A assistente abriu a porta, deixando que o menor entrasse.

Boruto olhava fixamente para o chão, não queria ter que encarar seu pai novamente com problemas na escola. Foi só a assistente deixar a sala que Naruto soltou um suspiro pesado.

- O que aconteceu dessa vez, Boruto. - a voz decepcionada de seu pai já deixava o peito do menor ardendo em chamas. Ele simplesmente detestava ter que falar com seu pai sobre assuntos de escola, já que ele sempre acabava falando que ele tinha que ser um garoto comportado e se dar bem na escola, quando o verdadeiro problema que incomodava o pequeno era a atenção desnecessária que seu pai dava ao trabalho, fazendo-o se esquecer completamente de passar tempo com sua família.

- Não teve problema nenhum. - disse ele com uma voz seca e desviando o olhar para o lado.

Mais uma vez, o Hokage soltou um suspiro. Lidar com seu filho era outro problema que pesava fortemente nos ombros de Naruto. Ele sabia que esse comportamento era, supostamente, por sua ausência em casa, mesmo que ele quisesse muito voltar para casa antes do jantar para passar tempo com seus filhos, ele não podia simplesmente ignorar os problemas que Konoha estava passando. Assim que tudo estivesse resolvido, aí sim ele poderia voltar pra casa.

- Boruto… Você sabe muito bem que-

Antes que Naruto começasse a dar o sermão em seu filho, um guincho familiar encheu os ouvidos do loiro, tirando sua atenção de seu filho quase que instantaneamente. Virou-se na direção do som e teve a visão perfeita da águia de Sasuke pousando na beirada de sua janela.

Um sorriso incomum apareceu nos lábios de Naruto, o que chamou bastante a atenção de Boruto, que não se lembrava de ter visto seu pai com um sorriso assim. O maior esticou o braço próximo da águia, que logo agarrou o mesmo com suas patinhas e se permitiu ser trazida para mais perto. Naruto delicadamente desenrolou o papel que estava amarrado na pata da ave e o desdobrou, seus olhos rapidamente escaneando cada palavra, cada rabisco e cada detalhe que Sasuke havia deixado naquele pedacinho de papel.

Naruto lia o papel com ambas preocupação e alívio. Por um lado, Sasuke estava o contando sobre algumas coisas que ele havia descoberto sobre pequenos grupos revoltosos e outros detalhes envolvendo política, mas por outro, aquela devia ser a primeira vez que Sasuke escrevia para Naruto em certo tempo e, mesmo que ele não fosse dizer em voz alta, ele sentia muita falta de seu amigo, já que o mesmo quase nem voltava mais para Konoha e era muito bom ter qualquer tipo de notícia dele.

- Hum… Bom, parece que eu vou ter que conversar com você depois, Boruto. Agora, preciso tratar de alguns assuntos repentinos que me apareceram. - disse o Hokage, escrevendo algo em um pedaço de papel em branco e amarrando o mesmo na perna da águia, no mesmo lugar onde estava o primeiro bilhete. - Shikamaru, pode, por favor, acompanhar meu filho até a saída? Nós continuamos a falar sobre aquela questão mais tarde. - disse ele, referindo-se tanto à Shikamaru quanto ao seu filho.

Boruto desviou o olhar, com o cenho franzido e seguiu o de cabelos negros para fora do escritório de seu pai.

Shikamaru encarou o loiro pela última vez antes de fechar a porta com um meio sorriso em seus lábios.

Você diz que está sempre ocupado demais para tirar intervalos, mas quando o assunto é o Sasuke você larga tudo quase que automaticamente. Mesmo depois de tudo, você continua um mistério, Naruto.

23 Mai 2020 00:09:22 1 Rapport Incorporer Suivre l’histoire
4
Lire le chapitre suivant Saída

Commentez quelque chose

Publier!
Nathy Fontes Nathy Fontes
Olá! Faço parte da Embaixada brasileira do Inkspired e estou aqui para lhe parabenizar pela Verificação da sua história. Eu adorei ler a sua história ''Kizuna'', foi uma viagem incrível. A escrita simples, objetiva e sem muitos rodeios é excelente! Ainda mais pra quem trabalhou o dia inteiro e apenas quer descansar lendo uma boa narrativa, então por não ser uma linguagem muito complexa e puxada, por ter um conteúdo muito criativo e ter uma descrição na medida certa, permite que nós, leitores, entremos numa enorme imersão. É muito cativante a história, principalmente porque você misturou uma dose de fantasia com diversas questões sociais e políticas com bastante equilíbrio, como a crise econômica, o fato do sistema estar quebrado, a depressão do Naruto e também a revolta do Boruto por ter um pai ausente. Trazer todas essas problemáticas presentes na nossa realidade faz com que essa história se aproxime do nosso mundo real, ao mesmo tempo que é uma Fanfic muito divertida, que ajuda a esquecermos dos problemas do dia a dia. Ou seja, é um instante de lazer muito especial, porque tem uma série de assuntos que nos permitem refletir sobre a sociedade, o emprego exaustivo, o excesso de responsabilidade, os amigos, a família e as vontades que trazem bem-estar. Outra coisa que também achei incrível o como foi abordado é quanto ao fato de que nem sempre o nosso maior sonho é realmente aquilo que esperamos, as vezes, na verdade, depois de compridos, mais desanimam do que trazem satisfação. Sempre imaginei que o universo de Naruto super se encaixaria na contemporaneidade, e depois de ler sua história isso foi confirmado, A descrição dos cenários é muito bem-feito, os conflitos criados são bem criativos e a personalidade dos personagens é bastante fiel ao original. Existem alguns detalhes quanto a ortografia e a concordância, mas são muito pequenos e poucos, nada que atrapalhe a leitura. É isso, espero ver mais histórias suas aqui no Inkspired, você é muito criativo. abraços!
December 10, 2021, 15:36
~

Comment se passe votre lecture?

Il reste encore 38 chapitres restants de cette histoire.
Pour continuer votre lecture, veuillez vous connecter ou créer un compte. Gratuit!