Blog do Escritor Suivre un blog

blog Jackie Inkspired Blogger Era uma vez... mas nem toda história começa assim. Lá estava ele: o computador, aberto no tear de vidas. E a personagem. Estava tudo certo, mas, então, ela viu o autor. Curiosa, seu dedo quase o alcançou, e a roda do tear girou. Foi assim que as coisas se tornaram tênues: um toque e tudo daria errado, outro diferente e daria muito certo! A Bela Adormecida representa a fragilidade dos elementos construtivos da história. Uma história não vem pronta, ela é construída com enredo, sinopse, capítulos... O tear representa essa construção, enquanto que a agulha é o perigo de tudo desandar com sua Bela Adormecida. Nós queremos, neste blog, mostrar a vocês dicas para que consigam tear histórias cada vez mais harmônicas.

#embaixadaBrasil #narrativa #conteudo #sinopse #construçao-de-historia #tecendo-historias
Faire un don à cet écrivain
77.7mille
40.0mille VUES
AA Partager

Crie uma capa de livro eficaz


Sua história pode ser maravilhosa, ser perfeitamente escrita, apresentar um enredo interessante e merecer ser lida, mas se tudo isso não for transmitido corretamente desde o início, os leitores podem ignorar. E o que acontece? A história pode se perder. Por esse motivo, a capa do seu livro é um dos pontos mais importantes a se considerar.


Você deve ter ouvido antes que uma capa é sua carta de apresentação. É o que o leitor verá primeiro e, portanto, deve motivá-lo a pegar seu livro e, pelo menos, ler a sinopse, ou melhor, as primeiras páginas. Mas muitos escritores, especialmente aqueles escritores independentes que no momento publicam seus trabalhos em plataformas digitais, não sabem como criar uma capa de qualidade.


Você deve saber que,0 de acordo com a bibliografia e os autores famosos, uma boa capa contém estas características:


- Um título que comunica e ao mesmo tempo chama a atenção.


- Uma foto ou design de qualidade que transmite um pouco do que é a história.


- O nome do autor.


- Uma frase curta que conta ao leitor do que se trata a sua história e que, ao mesmo tempo, deixa o suspense, querendo ler a sinopse ou o livro como tal. (Opcional)


Embora a criatividade da capa e a qualidade do design ou fotografia sejam importantes, uma capa deve reunir o essencial da sua história e do seu estilo pessoal como autor. É uma forma de dizer ao leitor quem você é e sobre o que escreve. Esta será a sua identificação.


Se no começo você se depara com o grande incômodo de não saber como fazer a sua capa e não conta com ajuda de um profissional, existem algumas plataformas que possuem templates pré-elaborados para ajudá-lo nesse processo. O Inkspired, por exemplo, oferece a opção de escolher entre 7 modelos gratuitamente e escolher entre 8 cores diferentes. Tudo o que você precisa fazer é encontrar uma fotografia que se encaixe corretamente no design e você terá sua capa em menos de 5 minutos.


Porém, será sempre melhor que você o desenhe, pois assim será exclusivo e os leitores poderão se relacionar com a sua história imediatamente. Lembre-se de que às vezes as imagens são lembradas mais do que palavras.


Como forma de apoiá-lo nisso, um dos serviços de autopublicação do Inkspired é a criação da capa, e você pode escolher entre: capa básica, capa com montagem fotográfica ou capa ilustrada. Você pode comprar com cartão de crédito ou trocá-lo por seus Créditos de Recompensa.


Não se esqueça de que a capa é tão importante quanto o conteúdo e deve expressar a essência da sua história.


Texto por: Jackie

Tradução por: Amanda Luna De Carvalho

10 Avril 2022 00:00:11 0 Rapport Incorporer 1
~

Faça das suas microficções grandes histórias

Às vezes, não precisamos de muitas palavras para contar uma história. E para alguns é ainda mais interessante assim. Se você é um desses, queremos falar sobre micro-histórias, que são histórias de ficção extremamente curtas que têm de 50 a 250 palavras no máximo. Mas o mais importante é que não são um texto resumido, mas, sim, o contrário. Uma microficção é o ponto de ebulição de uma história mais longa. Sua chave é narrar a parte mais importante da trama e deixar ao leitor o poder de imaginar o que não dizemos.


Iremos em partes.


Primeiro, ao contrário de um romance, microficções não têm um gênero literário específico, mas brincam com vários. Às vezes, eles tendem a ser mais poéticos, outros mais indefinidos. Aqui vale a pena experimentar e brincar com criatividade. Quanto mais originais somos, melhor.


Em segundo lugar, embora a arte seja necessária, ao mesmo tempo é necessário ser direto. Em um romance, podemos nos dar ao luxo de decorar frases, brincar com as palavras ou usar mais descrições, mas não aqui. Temos tão poucas linhas que você deve ir direto ao ponto, mas ao mesmo tempo fazê-lo com estilo e boa redação. Cada palavra é importante. Uma boa micro-história é aquela em que o leitor percebe que o escritor é bom. Você não precisa ler mais.


Terceiro, não diga tudo. Aqui não é necessário escrever tudo o que acontece na história, nem mesmo todo o clímax. Esqueça a introdução, o nó e o resultado, e concentre-se apenas na ação principal. O que você poderia dizer ao leitor para criar uma imagem em sua cabeça e ao mesmo tempo deixá-lo com o desejo de continuar lendo?


Quarto, seja concreto. Procure sinônimos, simplicidade em vez de incerteza, precisão em vez de sonoridade. Deixe cada palavra evocar exatamente o que você deseja transmitir. Não use personagens ou lugares, concentre-se em uma cena, um fato ou em dois personagens que façam o leitor entender o essencial de sua história.


Quinto, você deve capturar o leitor. Portanto, a imagem criada em sua cabeça é um dos pontos fundamentais. A narrativa deve ser tão forte que construa uma cena imaginária na cabeça do leitor.


Sexto, O fim é o melhor. Isso deve ser tão imponente, que obrigue o leitor a continuar pensando e a colocar em jogo sua imaginação. Você pode brincar com o final de uma pergunta que intriga o leitor ou com uma frase inesperada.


Um exemplo:


Então, uma manhã, ela começou a colocar um miligrama de polônio no café dele.


- The Snoring


Sétimo, dê um mistério. Brinque com sinais de pontuação e silêncios. Eles também falam, e mais ainda em uma micro-história, em que a magia está no que você não diz.


Oitavo, use a estrutura que desejar. Alguns, o que eles fazem é começar a intrigar o leitor e então colocá-lo em ação, o que desencadeia uma virada final ou inesperada.


Nono, o título é transcendental. Como a microficção é curta, o título também traz informação, luz e criatividade ao seu texto. Use-o como parte do que você deseja transmitir.


E décimo, edite, edite e edite. Parece que escrever um texto curto é muito simples, mas às vezes, é ainda mais complicado, pois você deve ser tão preciso quanto criativo. Não se preocupe se não sair da primeira vez e se cortar palavras parecer uma dor no pescoço, porque quanto mais você escreve, melhor fica. No final das contas, com o imediatismo da era digital e que as pessoas leem menos, as micro-histórias se tornaram "poucas palavras para grandes histórias".


Texto por: Jackie

Tradução por: Amanda Luna De Carvalho

30 Mars 2022 00:00:11 1 Rapport Incorporer 9
~

Uma boa microficção pode ser eterna

Escrever algo tão curto pode se tornar a coisa mais difícil que você poderia escrever. E isso é precisamente a arte das micro-histórias. São histórias que com poucas palavras têm tudo: bons personagens, um ótimo enredo e um final digno. E também são facilmente lembrados (até mesmo memorizados) graças às suas frases curtas.


Muitos autores apontam várias dicas e ferramentas para escrever uma micro-história de maneira adequada. No entanto, no Inkspired, acreditamos que, depois de os conhecer, é você quem coloca a arte e o estilo de cada história. Nosso conselho: seja livre ao criar.


Para honrar o que é uma microficção, contaremos em poucas linhas o que você deve ter em mente ao decidir escrever uma destas:


1. Seja breve. Este conto deve ter entre 2 a 200 palavras, não mais.


2. Aprofunde entre os gêneros e brinque com eles. Você pode combiná-los e usar subgêneros.


3. Especifique as informações.


4. Use as elipses se precisar.


5. Seja direto.


6. Mostre o que você quer dizer, mas ao mesmo tempo não diga tudo.


7. Deixe o leitor imaginar certas coisas.


8. Use um final inesperado ou uma reviravolta em sua história.


Tendo isso em mente, deixe sua imaginação fluir e deixe a criatividade prevalecer. Vale lembrar que esse tipo de história está a todo vapor, pois com as novas tecnologias tudo é mais imediato e há pessoas que buscam cada vez mais escrever ou ler menos. No Inkspired, lançamos um novo formato de microficção, onde a partir do seu aplicativo você pode escrever e ler tudo o que quiser.


Estes são alguns exemplos de micro-histórias famosas que podem ser seu guia:


"Um cego, com sua bengala branca, no meio do deserto, grita porque não há obstáculos para ajudá-lo em seu caminho".


Alejandro Jodorowsky


"Em Sumatra, alguém deseja obter um doutorado como adivinho. O examinador assistente pergunta se ele será aprovado ou reprovado. O candidato responde que irá falhar..."


Jorge Luis Borges


"Acorde, é tarde, um homem estranho grita comigo da porta. Você acorda, é você quem precisa, respondo. Mas aquele homem teimoso continua sonhando".


Ana María Shua


"E havia o menino de nove anos que matou os pais e pediu ao juiz clemência porque ele era órfão".


Carlos Monsivais


Texto por: Jackie

Tradução por: Amanda Luna De Carvalho

20 Mars 2022 00:00:19 1 Rapport Incorporer 7
~

Como um suspense pode prender o leitor

O suspense o matou...



É exatamente disso que trata o suspense. Estar saindo da sua mente para entrar na mente de outra pessoa. É sacudir a cadeira. Fazer você tremer. Proporcionar intriga, ansiedade, arrepios e até o desejo de nunca parar. suspense é aquele gênero que deixa você viciado ou não é bom. Deve envolvê-lo de tal forma que o faça brincar com seus próprios pensamentos para tentar resolver algo, que só o escritor sabe e que ele quer e não quer te dizer, tudo ao mesmo tempo. Suspense não é um O QUÊ, mas um COMO. Como a história é contada. E é por isso que as pessoas se sentem atraídas por ele.


Patricia Highsmith, reconhecida autora desta categoria, disse que "é impossível explicar como se escreve um bom livro", por isso não nos concentraremos em como escrever este gênero, mas em como gerar o suspense, e mantê-lo durante todo o romance, concentrando-se em 3 aspectos principais: A primeira página, os personagens e o chamado 'cliffhanger'.”


Na trama de um suspense, a surpresa é a essência. É o que leva o leitor a uma montanha-russa de eventos. E a página 1 é o primeiro aumento que causa um formigamento no estômago com uma mistura de ansiedade, emoção e nervosismo. A primeira página é quase tudo. É por isso que algumas pessoas demoram muito para escrevê-lo. Em um suspense, a primeira parte de sua história pode não ser o começo, nem o que aconteceu antes, mas muito pelo contrário. Pode ser o fim, ou o clímax, ou uma cena retumbantemente forte. Sim, forte. Tão forte para mergulhar na imaginação do leitor e dar a ele a necessidade de descobrir o resto.


Aqui o autor é livre para fazer e desfazer, desde que não conte tudo desde o início e deixe fins não resolvidos. Isso é crucial nesse tipo de história. Que os nós se desemaranhem, mas, ao mesmo tempo, se enredem um pouco mais. Você deve saber o que e quando dizer algo. O que Highsmith fez nas primeiras 30 linhas foi colocar alguma ação, algo que concentrasse a essência do que seria o resto do livro.


Depois, há os personagens. Estas são as peças do quebra-cabeça. São aqueles que vão mostrar detalhes e esconder outros, sem exceder as surpresas. O enredo deve conter um argumento que não seja linear para que o leitor não fique entediado, então é melhor usar uma variedade de personagens para brincar. Desta forma, o público focalizará sua atenção em todos e tentará descobrir quem cometeu o crime, quem foi que morreu, quem está mentindo ou quem é o bom.


Isso nos leva ao próximo ponto importante: O famoso "suspense". Basicamente, este é o termo usado quando um romance de suspense o mantém em suspense, porque é assim que o leitor se sente: na beira da falésia, constantemente. Segundo a jornalista Adriana Tejada Cuadrado, escritora de 'La Gelba', aquela ansiedade que se tira com esse tipo de história faz parte do estilo de um suspense. E geralmente, por isso, esses romances terminam em das formas mais malucas ou mais inesperadas.


Tipos de suspense e subgêneros:


(Por Adriana Tejada)


Suspense psicológico: Ele investiga a mente dos personagens, em seu passado, traumas, medos, experiências, etc.


Exemplo: Psicanalista, John Katzenbach


Suspense de mistério: procura resolver o mistério de um personagem louco ou maníaco.


Exemplo: Vestido De Noiva por Pierre Lemaitre


Technothriller: O suspense é combinado com os elementos de ficção científica.


Exemplo: Preston & Child


Suspense de espionagem: Um thriller de detetives e espiões.


Exemplo: Um clássico, James Bond


Suspense militar: como o nome indica, é sobre militares.


Exemplo: A Época Dos Estranhos Imperadores de Ignácio Del Valle


Texto por: Jackie

Tradução por: Amanda Luna

10 Mars 2022 00:00:14 2 Rapport Incorporer 10
~
En savoir plus Page de démarrage 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17