magicsvante Ari Lima

Taehyung chegou à conclusão de que Jeon Jeongguk deveria ser considerado ilegal enquanto o assistia — na mais pura brotheragem — malhar sem camisa na sala de prática. {real!au} {kookv} {design de capa por @cotton_cookie}


Fanfiction Bandas/Cantantes No para niños menores de 13.

#reallife #os #one-shot #vottom #bottomtae #topjk #kooktae #taekook #kookv
Cuento corto
33
4.3mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Capítulo Único: Na mais pura brotheragem

Jeon Jeongguk deveria ser considerado ilegal.

Eu cheguei à essa conclusão enquanto assistia Jeongguk malhar na academia do nosso condomínio. Naquele momento, o corpo dele estava completamente molhado de suor, fazendo os seus cabelos pretos e úmidos grudarem na sua testa. As bochechas dele estavam levemente coradas devido ao esforço físico e as suas sobrancelhas estavam franzidas em uma expressão de pura concentração. Enquanto isso, os músculos definidos distribuídos naqueles 1,79 metros de uma absoluta beleza e gostosura me hipnotizavam.

Os meus olhos não desviaram de Jeongguk em nenhum momento. O meu olhar estava atento à forma como os músculos dele contraiam deliciosamente e as gotículas de suor deslizavam por a sua pele parda; gotejando do seu queixo afiado, escorrendo por sua garganta pálida e se afogando na gola da sua camisa regata branca e ensopada de suor.

Assistir Jeongguk fazia com que o meu corpo esquentasse e o calor crescesse no meu âmago. Como consequência disso, a minha respiração se tornava mais pesada, e eu tinha que prender o lábio inferior entre os dentes para me impedir de suspirar em deleite com a visão daqueles bíceps inchados se movendo como se tivessem vontade própria.

Eu conseguia notar o sorrisinho convencido que se desenhava nos lábios atraentes de Jeongguk a cada lufada de ar que escapava de meus próprios lábios. Jeongguk não era nada bobo. Ele sabia, há muito tempo, que eu tenho uma pequena obsessão pelo corpo dele.

Na verdade, Jeongguk precisaria ser tonto para não perceber o meu olhar faminto sobre ele. Já que eu nunca fui bom em disfarçar o meu apreço por sua forma física ou em policiar as minhas mãos bobas. É difícil não olhar, não tocar, não elogiar Jeongguk quando ele é uma obra de arte ambulante. Com um rosto e um corpo que pareciam ter sido esculpidos a mão pelo mais primoroso dos artistas.

Jeongguk gosta de toda a atenção que eu dou a ele. É por isso que ele não perde uma oportunidade sequer de me provocar e se exibir um pouco. Então, ao perceber que eu já estava afetado, Jeongguk retirou a camisa só para me torturar um pouco mais.

O ar foi arrancado abruptamente dos meus pulmões quando Jeongguk tirou a camisa. O clima se tornou potencialmente mais quente e eu dei graças a todos os deuses por estarmos a sós naquele momento.

Eu provavelmente deixei um grunhido escapar quando a minha visão foi agraciada pela imagem do abdômen cheio de gominhos de Jeongguk, pois ele soltou uma risadinha cínica e me lançou um olhar presunçoso.

Jeongguk colocou a barra de levantamento de peso no suporte do aparelho e se levantou para pegar um tapete emborrachado. Em seguida, estendeu o tapete no chão e pediu:

— Você pode me dar uma ajudinha aqui, hyung?

Se eu não conhecesse Jeongguk tão bem, eu teria acreditado que aquele pedido era inocente. Porém, eu conhecia muito bem o diabinho que habitava em Jeongguk. Bem o suficiente para compreender o sádico prazer que ele sentia ao me provocar até que eu perdesse o meu autocontrole.

Mas como para todos os efeitos eu estava naquela academia para dar apoio moral a Jeongguk — havia levado até uma garrafinha de água gelada e uma toalha de rosto para provar as minhas boas intenções —, eu não poderia me negar a ajudá-lo. Afinal, é isso que um bom hyung faz, certo?

Então, eu limpei a garganta, para recuperar a minha voz e a minha dignidade, antes de responder:

— Claro, Gukie. — Aproximei-me dele. — O que você quer que eu faça? — perguntei, solícito, e depositei a garrafa d'água e a toalha sobre uma mesinha para ficar com as mãos livres.

— É só segurar os meus pés — instruiu.

Jeongguk se acomodou sobre o tapete emborrachado, deitando-se com as mãos apoiadas embaixo da cabeça e as pernas flexionadas, pronto para executar abdominais. Enquanto eu me ajoelhei na frente dele e segurei os seus pés com firmeza, assim como ele havia me pedido.

Soube que havia caído numa armadilha quando encarei as pernas dotadas com coxas tonificadas flexionadas bem na minha frente. Jeongguk me ofereceu um sorrisinho travesso antes de levantar o seu tronco do chão e comprovar que, sim, eu estava perdido. O abdômen dele se contraiu da melhor maneira possível, fazendo com que o seu conjunto de seis gominhos se tornassem ainda mais proeminentes, ao mesmo tempo em que os seus bíceps pareciam maiores e mais definidos naquela posição. O rosto dele também se aproximou perigosamente do meu quando ele se levantou, fazendo com que eu prendesse a respiração brevemente ao encarar aqueles olhos escuros e intensos tão de perto.

Eu deveria ajudar Jeongguk a contar quantas abdominais ele havia feito, mas perdi as contas lá pela trigésima vez que ele ergueu o tronco do tapete. Fiquei distraído demais pela visão do seu abdômen nu, com aqueles mamilos morenos tentadoramente expostos e com todo aquele suor o fazendo parecer ainda mais sedutor. Além, é claro, dos gominhos que não paravam de se contrair na minha frente.

Minha mente entoou “ABS! ABS! ABS!” como um mantra, ao que pensamentos nada castos a preenchiam. Eu me imaginei arranhando a pele parda de Jeongguk, desenhando linhas vermelhas naqueles gominhos maravilhosos. Imaginei minhas mãos apertando aqueles bíceps inchados, ficando as minhas unhas neles e deslizando por seus braços fortes. Imaginei a minha língua percorrendo a pele suada de Jeongguk, provando o gosto salgado do seu suor e aproveitando, evidentemente, para estimular os seus mamilos sensíveis.

O fato era que eu estava completamente sedento por Jeongguk ao ponto de quase babar enquanto o assistia.

Eu despertei abruptamente das minhas fantasias sexuais com Jeongguk quando o próprio ergueu o seu tronco do tapete, aproximou o rosto dele do meu e plantou um beijinho bem na ponta do meu nariz. A atitude de Jeongguk foi fofa, mas muito inesperada, de tal modo que eu demorei alguns segundos para assimilar o que ele fez.

— Você estava fazendo uma cara muito engraçada, hyung! — Jeongguk comentou, com um sorriso enorme no rosto, divertindo-se às minhas custas.

Eu senti as minhas bochechas esquentarem ao que a vergonha se apossou de mim.

Por que eu tinha que ser tão óbvio?, me perguntei.

— Algo mais ou menos assim — Jeongguk continuou, divertido, e fez uma expressão engraçada, com os olhos arregalados, o olhar distante e a boca aberta em um “o” perfeito, só para me zoar.

Ele parecia tão boboca com aquela expressão que me fez rir junto com ele, mesmo que eu ainda estivesse envergonhado.

— Eu só estava distraído — me defendi.

— Você é fofo, hyung — Jeongguk me elogiou em um tom doce que fez o meu coração saltitar no peito. — Aliás, você já pode soltar os meus pés porque eu terminei a minha sessão de abdominais — anunciou, ao passo que o obedeci prontamente.

Eu estava tão distraído por Jeongguk que não me dei conta de que ele havia terminado as suas abdominais. Ultimamente, Jeongguk fazia abdominais com mais frequência, já que a coreografia de “Fake Love” exigia que ele mostrasse o abdômen com frequência.

Logo, eu estava acomodado em uma cadeira, assistindo de camarote enquanto Jeongguk continuava a sua sessão de exercícios físicos.

Afundei outra vez em naquela doce e tentadora tortura que era ver Jeongguk malhar em toda a sua glória seminua e suada. Ele realizou alguns exercícios para trabalhar as suas pernas, afinal, aquelas coxas e panturrilhas matadoras não eram tão tonificadas à toa.

Em seguida, Jeongguk deliciou-me com uma sequência de flexões que me deixaram completamente encantado pelos seus braços, principalmente pelas veias preponderantes dos seus antebraços, que pareciam saltar a cada vez que ele forçava os seus braços a erguerem o seu corpo. As costas de Jeongguk também não ficavam para trás. Enquanto ele fazia flexões, eu podia apreciar o modo como cada músculo nas suas costas se movia e se contraia em resposta ao esforço físico.

Eu senti vontade de me sentar sobre as costas dele e acrescentar um nível maior de dificuldade às suas flexões. Adorava brincar com Jeongguk e aquela era uma excelente oportunidade. No entanto, me contentei em assistir, de longe, ao belo show que o seu corpo estava performando.

Enquanto isso eu, como o hyung cuidadoso que sou, fornecia água para Jeongguk sempre que ele precisava e ainda secava o seu suor com a toalhinha. Ver Jeongguk com as bochechas ruborizadas e cheias de água, com um biquinho adorável nos lábios, fazia eu me questionar como alguém podia transitar entre ser fodidamente sexy e, logo depois, parecer a coisinha mais fofa do mundo. Essa dualidade de Jeongguk era, com certeza, uma das inúmeras qualidades que o tornavam tão atraente e charmoso.

Ao final de todas aquelas horas de exercício, Jeongguk estava cansado, ofegante, suado e sedento. Enquanto eu possuía um duro e dolorido problema entre as pernas. E talvez, apenas talvez, o meu problema tenha sido solucionado quando Jeongguk me pressionou contra o box do banheiro e me deu uma ótima demonstração de todo seu condicionamento físico, ao sustentar o meu corpo à medida que me fodia com força.

Mas ninguém precisa saber desse detalhe. Principalmente se esse alguém atender pelo nome de Park Linguarudo Jimin e se divertir às minhas custas, tendo a audácia de expor para as armys o meu inocente hábito de assistir Jeongguk malhando sem camisa. Felizmente, todos estão cientes de que faço isso somente porque um bom hyung como eu sempre dá apoio moral ao seu ‘saeng, e que tudo, evidentemente, é feito na maior brotheragem.

12 de Febrero de 2020 a las 22:33 1 Reporte Insertar Seguir historia
8
Fin

Conoce al autor

Ari Lima Alguém que encontrou na escrita uma paixão e sonha em tornar-se uma escritora publicada, mas, enquanto esse sonho não se torna realidade, faço da escrita um hobby. Todas as minhas histórias são do gênero #yaoi e do shipp #kookv.

Comenta algo

Publica!
giiviiana Lima giiviiana Lima
Nossa, eu adorei kkkkkkk JK provocador do caramba, e o Tae kkkkkk nem pra disfarçar, bicho
June 03, 2021, 04:05
~