fromkais honey .

A cada pincelada parecia que uma preocupação ia embora junto. Os tons de azul que havia feito o deixaram calmo, a mistura do branco com o azul escuro que representava o encontro do céu com o mar parecia a representação sua e de Jongin. Mas não era o momento para nenhuma alusão ao moreno e muito menos o momento de gastar sua energia pensando em como o outro era perfeito. Ele estava no seu estúdio e era o momento para ele descansar, deixar toda a frustração do dia sair e ficar ali naquela pintura, não mais como um pensamento que nadava em sua mente apenas o deixando mais irritado.


Fanfiction Bandas/Cantantes No para niños menores de 13.

#jongin #sehun #exo #sekai
0
3.9mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

I've been watching you for some time

O dia de Sehun estava sendo péssimo, ele não havia tirado a nota que esperava em seu teste de história da arte, quase perdeu sua prova de Contemporaneidades porque acordou atrasado, o dia já tinha começado de uma maneira nada agradável. Graças aos céus seu professor estava de bom humor e o deixou fazer a prova mesmo que com quinze minutos de atraso.

Sehun apenas teve que escutar um leve sermão de como tinha que ser mais responsável com horários e com os colegas de sala. De certo em outro momento iria revirar os olhos para ele, afinal ele tinha uma prova de sabe lá quantas perguntas para fazer e o professor insistia em continuar falando, porém devido a gravidade da situação apenas pegou sua prova e foi se sentar.

Não iria ter o resultado até a próxima semana, mas só pelas respostas que deu sabia que tinha ido bem mal, não se lembrou de tudo que havia estudado no dia anterior e o café que tinha tomado naquela manhã não fez o efeito esperado. E como tudo que está ruim pode, e provavelmente vai piorar, quando ligou seu telefone novamente recebeu uma mensagem de Jongin dizendo que novamente não podia encontrá-lo nesta semana.

Suspirando, Sehun não aguentou, respondeu a tal mensagem de modo grosseiro, não sabia o que estava acontecendo com o mais velho, que estava o evitando a quase três semanas. Sabia que nessa relação que mantinham não podia ter uma ligação emocional tão forte, mas não pode evitar.

O empresário era sedutor e havia o conquistado aos poucos, mas sabia que era unilateral. Sabia que no mundo do grande Kim Jongin ele não teria tempo para se dedicar a uma pessoa que não fosse ele e a sua própria carreira.

Sehun odiou que ao pensar no moreno com aqueles ternos caros e cabelo bem arrumado seu coração deu uma volta completa, as borboletas se acumularam em seu estômago. O vento batia em sua pele o fazendo arrepiar de leve, estavam em pleno inverno, via alguns de seus colegas de classe se espalhando pelo campus bem agasalhados, enquanto ele tentava manter o calor corporal apenas com um agasalho surrado e um cachecol.

Ignorando o frio que sentia misturado com as milhões de sensações que o atingiram decidiu seguir para o estúdio. Precisava se distrair e nada melhor do que pintar o que estivesse sentindo. Poderia ir para o estúdio de dança onde Minseok estaria, mas não queria falar com nenhum dos amigos.

Não queria importunar nenhum deles com seus sentimentos.

A paisagem de árvores e estudantes aproveitando o tempo antes de suas aulas da tarde o fez pensar na sua vida nos últimos cinco meses, e meu deus, ela havia tomado um novo rumo no dia que falou para Baekhyun, seu colega de quarto e melhor amigo, que queria um relacionamento igual o dele.

E no momento ele não sabia mais se era uma ideia maravilhosa ou a pior decisão que havia tomado em aceitar ir em um encontro em dupla com Baekhyun.


(...)


Enquanto estava em seu estúdio, não viu se havia recebido alguma mensagem ou não. Provável que sim ainda mais sabendo que Jongin não gosta de ser desafiado muito menos ignorado, mas agora não iria esquentar a cabeça, iria se concentrar na paisagem a sua frente.

A cada pincelada parecia que uma preocupação ia embora junto. Os tons de azul que havia feito o deixaram calmo, a mistura do branco com o azul escuro que representava o encontro do céu com o mar parecia a representação sua e de Jongin.

Mas não era o momento para nenhuma alusão ao moreno e muito menos o momento de gastar sua energia pensando em como o outro era perfeito. Ele estava no seu estúdio e era o momento para ele descansar, deixar toda a frustração do dia sair e ficar ali naquela pintura, não mais como um pensamento que nadava em sua mente apenas o deixando mais irritado.

Tocou com seu pincel em um dos tons de vermelhos espalhados em sua mesa, não pode controlar o momento que a imagem de Jongin alterado apareceu em sua mente. E tudo por ter exagerado demais com o vinho.

Riu sozinho. Ele estava apaixonado por tudo que Kim Jongin representava, em sua mente existia apenas Jongin e ele não sabia como lidar muito bem com isso.

Colocou o pincel em um dos potes com água.

Olhando pela pequena janela que havia ali, pode deduzir que já passava das cinco da tarde. Sempre acontecia isso quando se fechava em seu estúdio, provavelmente tinha perdido o horário do almoço. O que não lhe importava muito, podia passar em um café e comprar algo e depois seguir para casa, pelo menos não teria que ir trabalhar.

No fim seu dia não foi tão ruim assim.

Levantando-se para começar a arrumar suas coisas viu seu celular em cima do balcão acender. Não soube dizer quem era que estava o ligando, de onde estava não conseguia ver o nome do identificador e o contato não tinha nenhuma foto salva, decidiu não atender. Internamente agradeceu a pessoa que inventou a opção do silencioso, ele podia apenas ignorar e seu telefone e seguir com qualquer que fosse a atividade que estava fazendo.

Sehun não gostava de atender ligações enquanto estava em seu estúdio, não sabia explicar, mas gostava de falar para os outros que era tudo uma questão ritualística de artistas.

Depois de deixar tudo organizado e sua pintura em um dos cavaletes no fim da sala para terminar de secar, a olhou novamente para ela como um todo.

A paisagem de uma praia a noite com pequenos toques do pôr-do-sol, ela estava lhe passando exatamente o que sentia: vazio, mesmo com os tons quentes do vermelho em diversos espaços da pintura.

Não querendo ficar mais triste parou de encarar obra, pegou sua mochila junto do celular e saiu da sala, pode ver que não tinham muitos alunos ainda no campus, o som da porta sendo trancada se reverberou por toda a extensão do corredor, e mais uma vez Sehun não soube interpretar o que estava sentindo.

Não ligava de ficar sozinho, mas naquele momento ele queria tudo menos isso.

Enquanto andava corredor abaixo ia passando pelas mensagens e ligações que tinha recebido, viu que algumas era de Baekhyun dizendo que iria passar o final de semana fora seguida de uma foto dele fazendo careta com o namorado, as outras eram de Jongin. O empresário mandou mensagens praticamente o dia todo, Sehun não se preocupou em responder, já que ele podia o evitar, iria fazer o mesmo.

Sua atitude podia ser totalmente infantil? Claro, mas no momento iria agir assim e depois resolveria o problema.

Andando ainda com a atenção no celular não percebeu em uma figura muito arrumada para estar em uma faculdade de artes parada logo na entrada do prédio, o loiro andou até a saída e não tinha percebido.

Ele só queria chegar em casa e dormir.

Quando sentiu seu braço ser agarrado, estava pronto para gritar, porém sentiu o perfume característico dele, então apenas se virou para encarar a face de quem menos queria ver naquele momento.

Kim Jongin.

“Já acabou com o show?” Jongin estava ali com cara de poucos amigos, Sehun pode ver que o dia não havia sido muito gentil com o mais velho também. Soltou a mão que o agarrava e seguiu seu caminho, ainda sem falar nada com o moreno que logo estava o seguindo.

Os dois pararam em frente ao carro importado do empresário, Jongin seguiu para o lado do motorista enquanto o loiro ficou do lado que deveria entrar.

Sehun o olhava com certo desafio, mas sabia que sairia perdendo nessa luta, então decidiu entrar no veículo ainda não trocando qualquer palavra com o mais velho. O carro estava quente, e com o perfume de Park em todos os lugares, o frio que estava o acompanhando desde o estúdio parecia ter sido esquecido em questão de segundos.

“Você não vai conversar comigo?” Jongin tentou insistir.

Sehun ignorou colocando seus fones de ouvido e fechando os olhos. Acabou se lembrando de única vez que acabou vendo o outro realmente bravo.

A situação foi a mais clichê possível. Sehun e Baekhyun decidiram ir em uma balada sozinhos, o loiro acabou exagerando na bebida e mandando várias mensagens para o empresário. A relação deles ainda estava no início naquela época, não haviam colocado nenhum rotulo nela ainda, era apenas uma transa fácil.

Mas naquele dia soube que tinha sentimentos pelo outro, ainda mais quando acordou no apartamento dele com um recado na mesa de canto e um remédio para dor de cabeça.

5 de Febrero de 2020 a las 00:00 0 Reporte Insertar Seguir historia
0
Leer el siguiente capítulo I've never fallen from quite this high

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~

¿Estás disfrutando la lectura?

¡Hey! Todavía hay 1 otros capítulos en esta historia.
Para seguir leyendo, por favor regístrate o inicia sesión. ¡Gratis!

Ingresa con Facebook Ingresa con Twitter

o usa la forma tradicional de iniciar sesión