Lar Doce Lar Seguir historia

sophiagrayson Sophia Grayson

Depois de dois anos na era feudal japonesa a Batfamily retorna ao seu lar. | Pós Batman Ninja | | Tentativa de comédia | | Escrito em Julho de 2019 | | Betado por @Ameko |


Fanfiction Comics Todo público.

#comedia #Batman-Ninja #batman
Cuento corto
0
895 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Capítulo Único - De volta ao lar

James Gordon achava que tinha visto de tudo em sua vida. Desde vigilantes, criminosos superpoderosos e malucos a monstros e tudo o que a cidade de Gotham poderia atrair. Mas nada o preparou para ver aquilo. Não era nada muito chocante, mas surpreendente.

Tirou seus óculos de grau molhados pela fraca neblina que caía e os limpou em vão na sua roupa, a sua frente uma reunião de casas feudais japonesas se erguiam montadas como um megazord dos Power Rangers. Não sabia como aquilo parara ali e quem havia feito. Tinha havido um tipo de explosão que chamara atenção de toda Gotham nas proximidades do Asilo Arkham.

O que danado tinha acontecido?! Bagunçou os cabelos frustrado. Nada fazia sentido em sua cabeça.

Os criminosos, Coringa, Alerquina, Hera Venenosa, Exterminador, Duas Caras, Pinguim e Gorila Grodd estavam sendo arrastados para fora da bizarra construção por... Isso não era possível, né? Jim estava ficando louco?!

Coçou os olhos incrédulo, só podia estar dormindo. Os batboys pareciam ter saído também de uma versão super-heroica feudal japonesa. Portavam espadas, quimonos, bambus e armas de fogo bem arcaicas.

Era sua impressão ou o jovem Asa Noturna com cabelo arrepiado — sabe-se lá por que obra — se parecia muito com o Goku de Dragon Ball? Nem a chuva fazia o cabelo desarmar. Já o Capuz Vermelho — supunha que fosse — parecia que tinha uma chaminé de palha vermelha em sua cabeça, mal podia ver seu rosto — nada anormal sob o Sol — mas como ele enxergava com aquilo? Como conseguia andar com o trambolho enorme na cabeça? Além de ser muito bizarro. Mais atrás reconheceu o Robin Vermelho, pelo cinto no peitoral com um pássaro, era o mais normal entre os irmãos, só se perguntava como o cabelo do menino crescera tão rápido. Estava amarrado no estilo samurai, que desmanchava aos poucos pela chuva.

Viu um borrão correr em disparada, trazendo em mãos os criminosos — com roupas tão esquisitas quanto — amarados por uma corda bem resistente, logo depois sendo entregue para ele.

— Estão entregues, Comissário — disse o menino, que logo Gordon percebeu ser o mais novo Robin. O que tinha acontecido com ele? Parecia que tinha passado máquina zero no cabelo do garoto, sobrando alguns tufos aqui e ali.

— Que? — sussurrou. Os guardas ao seu lado estavam igualmente pasmos e sem entender nada — Está havendo?

Asa Noturna se aproximou e deu batidinhas em suas costas amigavelmente.

— Longa história, Comissário, longa história — E se retirou com seus irmãos logo atrás, para ainda checar algumas coisas.

Engoliu seco, assentindo com a cabeça, no fundo não queria saber a loucura que tinha ocorrido. Fitou os lados percebendo a ausência do Cavaleiro das Trevas.

Estranhou, afinal se a maioria da Batfamily estava lá por que logo o líder tomou doiriu?

Onde estaria o Batman? Jim ainda não compreendia, depois de tantos anos, não ter-se acostumado com essas sumidas. E as loucuras.


××××××××××××××××××××××××××××××××××××××××××××××


Finalmente em casa. Os Batboys tinham sentido muita falta de Gotham e de sua época. Havia sido difícil acostumar-se a um tempo tão diferente e aprender uma língua dificílima como a japonesa. Não que tivessem odiado — só um pouco — a estadia. O lar sempre vai ser o lar.

Já estava quase amanhecendo com o tempo ainda nublado e um leve nevoeiro pairando sobre a cidade, assim como o frio. Os jovens rapazes estavam sendo castigados com os quimonos grossos e molhados. Deveriam ter se protegido da chuva logo e não ficarem bestando nos templos tecnológicos dos vilões. Mas tinham que checar se estava tudo seguro, né? Vai que outra pessoa fica presa em uma época que não é dela.

Ainda estavam na metade do caminho para a mansão Wayne. Tinha muito chão pela frente. Não custava nada Bruce ter dado uma carona em seu Batcarro feudal. Sim, eles tinham visto a estranha carruagem dominar as ruas. Mas ele tinha que ir para um evento importante, né? Que coisa sem lógica. Pelo menos na cabeça de Jason Todd.

O Capuz Vermelho parou, suspirando irritado. Ele iria embora, nem sequer sabia o motivo de está indo para aquela mansão idiota, também tinha uma vida e pessoa importante. Os demais irmãos, percebendo que o leonino tinha parado, estancaram e o fitaram.

— Tudo bem, Jason? — perguntou o mais velho coçando seus cabelos ressecados e duros pela falta de hidratação.

— Sim, claro — soou irônico — Podem continuar, eu mesmo vou pegar o beco, ver a Melissa, o apartamento dela não é tão longe daqui. Querendo ou não já faz dois anos, pelo menos para mim — Tirou finalmente a chaminé da cabeça, surpreendendo os três irmãos. Quando foi a última vez que tinham visto seu rosto? Ah, é, há dois anos também. Nem se lembram mais de como era.

E o mais normal em visual de cabelo, tornou-se o Jason, que se manteve o mesmo. Os olhos azuis esverdeados eram raivosos como sempre. A pele ligeiramente branca por não ter sido exposta ao Sol nos últimos anos.

— Você tem uma cara! — Damian não segurou sua surpresa ilógica. Todd torceu o rosto. Drake passou as mãos no rosto tentando não sofrer vergonha alheia. Grayson segurou o riso.

Percebendo o que fez, o pequeno Wayne corou fofamente envergonhado e virou o rosto.

— Mas é claro! Sou um ser humano e não um personagem de folclore — grunhiu, cruzando os braços.

— Perdoa ele, Pequena Asa — Dick se aproximou, tocando nos ombros do menor — Fazia um tempão que não tirava essa chaminé...-

Chaminé?

— Sinceramente, é muito parecido com um — Gesticulou. Jason revirou os olhos. Era sério isso?! E ainda vinha da pessoa que era um cosplayer de Goku!

Tim piscou, percebendo um pouco tarde o nome desconhecido citado pelo irmão problemático.

— Quem é Melissa? — questionou, sentindo o olhar de Todd voltando-se para ele com uma sobrancelha levantada.

— Minha namorada, oras — Ele poderia ter sido arrogante e não ter dito nada, seguindo seu caminho. Mas no momento estava muito cansado, até para sua própria “má educação”.

— Namorada?! — O trio ficou terrivelmente surpreso. Como Todd tinha conseguido uma namorada, sendo ele? Que mulher se submeteria a isso?! Tim se segurou para não ir checar a temperatura de seu antecessor, para ter certeza que não estava doente.

Jason tocou as têmporas. Uma dor de cabeça surgindo. Por que tudo seus irmãos transformavam em uma coisa impossível e irreal? Por que ele tinha que ser o irmão adotivo deles?! Se perguntava aonde estaria Angelina Jolie para adotá-lo e colocá-lo em uma família um pouco “normal”.

Começou a chuviscar novamente. Era sua deixa. Virou-se e seguiu para um novo caminho.

— Espera! — Escutou Tim o chamá-lo — Quem é ela?

— Como isso aconteceu? — Foi a vez de Dick.

Damian só estava com sua típica expressão entediada. E em seus pensamentos um “Que?!” se estampava.

— JASON


××××××××××××××××××××××××××××××××××××××××××××××


Finalmente estavam na mansão Wayne. O Sol dava sinais de aparecer em meio as nuvens cheias de água.

Tim Drake se encontrava na cozinha, atualizando o sistema da Batcaverna pelo seu notebook sobre o ocorrido. Tomava um café quente e puro que tinha feito para se manter acordado. Vestia seu pijama, que consistia de uma camisa preta com o símbolo da Casa El estampado em vermelho, uma calça moletom cinza e chinelos, os cabelos compridos estavam presos em um elástico vermelho e as madeixas da franja com grampos para poder enxergar a tela.

Ao seu lado supreendentemente estava Damian, dormindo e babando na mesa com Titus e Ace em seus pés igualmente no mundo de Morfeu. Capuz de seu pijama do Asa Noturna levantado e cobrindo todo seu rosto, nas mãos tinha o celular de ponta da Wayne Tech com os fones plugados. Murmurava coisas incompreensíveis.

Tempos depois Dick entrou no local penteando seu cabelo que não melhorou em nada com uma única hidratação. Como os mais novos, estava com seu pijama, sendo este do Batman e com pantufas de coelhinho. Cansado, acabou por deixar o pente, que se prendeu em um nó no cabelo mesmo.

Sentou-se na mesa ao lado de Damian.

— Onde está o Alfred? — perguntou sonolento, apoiando seu rosto na mesa.

— Com o Bruce — Tirou seus olhos do notebook, para somente se deparar com aquele pente no cabelo do mais velho. Parecia um Goku hip — Por que tem um pente no seu cabelo?

— Ficou preso em um nó — Pegou com lerdeza a caixa de cereal que estava no centro da mesa, sua cumbuca e o leite — A era feudal acabou com a fibra do meu cabelo.

— É uma pena.

Passou-se um tempo incontável, com só o barulho dos teclados e Dick comendo o cereal ressonava no local. Até que Tim olhou para Grayson, um pouco preocupado.

— Você acha mesmo que Jason tem namorada ou ele enlouqueceu por ter ficado dois anos em um tempo diferente?

26 de Octubre de 2019 a las 00:14 0 Reporte Insertar 1
Fin

Conoce al autor

Sophia Grayson Só uma garota que gosta de escrever.

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~